.: intermezzo :. Jazz Contemporaries ‎– Reasons In Tonality (1972)

jazz contemporaries

Esse não é o Jazz Contemporaries que Freddie Hubbard montou em 1957 com James Spaulding e Larry Ridley. É o grupo cujo único rastro é esse raríssimo disco, uma gravação ao vivo no Village Vanguard em 13/02/1972, lançado pela lendária Strata-East. Rip de vinil, fora de catálogo (como a maioria das edições da Strata).

E, por pura falta de informações disponíveis, isso é tudo* que eu tenho a dizer sobre a postagem de hoje.

Ah! Embora os discos da Strata-East tenham forte relação com o soul jazz (spiritual, afro etc), esse é um caso de “aumenta que isso aí é post-bop”. Aproveite a oportunidade de ouvir Watkins e seu french horn — e Coleman tem tanto fôlego que não só derrubaria a casa dos porquinhos como os sopraria a 3km de distância. O lado B é absolutamente fantástico. Não sei porque permitem que esse disco permaneça esquecido.

Jazz Contemporaries – Reasons In Tonality (1972)

Lado A: Reasons In Tonality 24:00
Composed By – Julius Watkins
Lado B: 3-M.B. 22:45
Composed By – Keno Duke

Bass – Larry Ridley
Drums – Keno Duke
French Horn – Julius Watkins
Piano – Harold Mabern
Saxophone [Tenor] – Clifford Jordan, George Coleman

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Blue Dog

Niccolò Paganini – 24 Caprices – Shlomo Mintz (REVALIDADO)

0001381706_350REVALIDADO POR VASSILY EM 31/7/2015

Apesar das intrigas dos infieis, nosso pachorrento SAC (Serviço de Atendimento ao Chororô) não é nem a casa de tolerância, nem o balde de estrume que alguns dizem ser, não.

Provo: anteontem um pessoal pediu para revalidar os links dessa baita gravação dos Caprichos de Paganini com Shlomo Mintz e – voilà – eis que eles ressurgem aqui sob a guarda do ultraconfiável servidor PQPShare.

Faço minhas as palavras do camarada FDP: a gravação é um banquete pantagruélico de dificuldades de arrepiar os cabelos. O israelense Mintz – apesar de já ter as madeixas ruivas naturalmente arrepiadas – tira de letra, sem arrepios adicionais, as velhaquices propostas por Paganini. Os contemporâneos acreditavam que o legendário violinista e compositor, distinto tanto pelo virtuosismo quanto pelo que chamaram de “fealdade fascinante”, estudara violino com o Cramulhão. Mintz logra uma proeza inatingível a uma boa parte dos intérpretes, com ou sem a mãozinha do Canhoto: fazer estas peças horrendamente difíceis soarem como música, que chega até – como no célebre Capricho no.24 – a ser muito boa.

A impressão que realmente se tem é de que as possibilidades técnicas do instrumento estejam todas exploradas, tocadas e exauridas – ainda que nessa obra, estranhamente, o cadavérico genovês não tenha lançado mão dos célebres harmônicos duplos (efeitos semelhantes a silvos, muito agudos e de difícil execução) de que tanto abusou em seus concertos.

Vassily Genrikhovich

————

POSTAGEM ORIGINAL DE FDP BACH, EM 7/5/2013

O cara tem de ter um pé na insanidade para encarar a gravação destes 24 caprichos de Paganini, porque o negócio não é brincadeira não. Não conheço o linguajar técnico do violino, mas acho que todas as possibilidades do instrumento foram exploradas nestas pequenas peças para violino solo. Reconheço que ainda prefiro seus concertos para violino de Paganini e que esse excesso de técnica e virtuosismo me cansa por vezes, mas não seria louco a ponto de dizer que Shlomo Mintz não dá um show de interpretação e de virtuosismo neste CD e que não tem uma  técnica apuradíssima. O ruivinho mata a pau… Divirtam-se…

01. Capriccio 1 – Andante en mi major
02. Capriccio 2 – Moderato en si minor
03. Capriccio 3 – Sostenuto – Presto – Sostenuto en mi minor
04. Capriccio 4 – Maestoso en do minor
05. Capriccio 5 – Agitato en la minor
06. Capriccio 6 – Lento en sol minor/
07. Capriccio 7 – Posato en la minor
08. Capriccio 8 – Maestoso en mi bemol major
09. Capriccio 9 – Allegretto en mi minor
10. Capriccio 10 – Vivace en sol minor
11. Capriccio 11 – Andante – Presto – Tempo I en do major
12. Capriccio 12 – Allegro en la bemol major
13. Capriccio 13 – Allegro en si bemol major
14. Capriccio 14 – Moderato en mi bemol major
15. Capriccio 15 – Posato en mi minor
16. Capriccio 16 – Presto en sol minor
17. Capriccio 17 – Sostenuto – Andante en mi bemol major
18. Capriccio 18 – Corrente – Allegro en do major
19. Capriccio 19 – Lento – Allegro assai en mi bemol major
20. Capriccio 20 – Allegretto en re major
21. Capriccio 21 – Amoroso – Presto en la major
22. Capriccio 22 – Marcato en fa major
23. Capriccio 23 – Posato en mi bemol major
24. Capriccio 24 – Tema, Quasi Presto – Variazioni – Finale en la minor

Shlomo Mintz – Violin

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Shlomo+Mintz

Mas esse guri toca muito esse violino…!!!

George Frideric Handel (1685-1759) – Italian Cantatas, Vol. II – Le Cantate Per Il Marchese Ruspoli – Galli, Invernizzi, La Risonanza, Bobizzoni

Handel Italian Cantatas vol.II_1

LINK RESTAURADO !!!

Infelizmente esta coleção não será postada como planejado, o dia do aniversário de Handel está chegando e ainda nem postei o segundo cd dos sete. A correria da semana está muito grande, e não tenho muito tempo para me dedicar ao blog. Assim como os outros colegas, estamos todos envolvidos com nossas rotinas diárias, e para completar, o mano PQP entrou em férias e viajou para o interior de Minas Gerais, longe de tudo e de todos, até mesmo da Internet, segundo as más línguas. Então, vamos ter de improvisar de alguma forma, e no dia 23 vou colocar alguma coisa muito especial para destacar a data.
Mais um baita CD desta impecável coleção, um primor de qualidade de gravação aliado à um tremendo bom gosto. O destaque? Difícil de escolher, o cd inteiro é magnífico, com duas excelentes cantoras e um conjunto orquestral excelente. Recomendo a leitura do booklet em anexo, que dá um histórico da vida de Handel recém chegado à Itália, além de descrever as obras aqui gravadas.

George Frideric Handel – Italian Cantatas, Vol. II – Le Cantate Per Il Marchese Ruspoli

01 – Armida Abbandonata HWV105 – I Dietro l’orme fugaci
02 – Armida Abbandonata HWV105 – II Ah! Crudele, e pur ten vai
03 – Armida Abbandonata HWV105 – III Per te mi struggo
04 – Armida Abbandonata HWV105 – IV O voi, dell’inconstante
05 – Armida Abbandonata HWV105 – V Venti fermate si
06 – Armida Abbandonata HWV105 – VI Ma che parlo, che dico –
07 – Armida Abbandonata HWV105 – VII In tanti affanni
08 – Diana Cacciatrice HWV79 – I La Marche
09 – Diana Cacciatrice HWV79 – II Alla caccia
10 – Diana Cacciatrice HWV79 – III Foriera la tromba
11 – Diana Cacciatrice HWV79 – IV Alla caccia
12 – Diana Cacciatrice HWV79 – V Tacete ola tacete
13 – Diana Cacciatrice HWV79 – VI Di questa selva
14 – Diana Cacciatrice HWV79 – VII Alla caccia
15 – Tu Fedel – Tu Costante HWV171- I Sonata
16 – Tu Fedel – Tu Costante HWV171- II Tu fedel – Tu costante –
17 – Tu Fedel – Tu Costante HWV171- III Cento belle ami Fileno
18 – Tu Fedel – Tu Costante HWV171- IV L’occhio nero
19 – Tu Fedel – Tu Costante HWV171- V Se Licori
20 – Tu Fedel – Tu Costante HWV171- VI Ma se non hai piu d’un sol cuore
21 – Tu Fedel – Tu Costante HWV171- VII Se non ti piace amarmi
22 – Tu Fedel – Tu Costante HWV171- VIII Ma il tuo genio incostante
23 – Tu Fedel – Tu Costante HWV171- IX Si crudel, ti lascero
24 – Notte Placida e Cheta HWV142 – I Notte palcida e cheta
25 – Notte Placida e Cheta HWV142 – II Zeffiretti, deh!
26 – Notte Placida e Cheta HWV142 – III Momento fortunato
27 – Notte Placida e Cheta HWV142 – IV Per un istante
28 – Notte Placida e Cheta HWV142 – V Ma gia sento che spande
29 – Notte Placida e Cheta HWV142 – VI Luci belle
30 – Notte Placida e Cheta HWV142 – VII O delizie d’amor
31 – Notte Placida e Cheta HWV142 – VIII Che non si da
32 – Un’Alma Innamorata HWV173 – I Un’alma innamorata
33 – Un’Alma Innamorata HWV173 – II Quel povero core
34 – Un’Alma Innamorata HWV173 – III E pur bench’egli
35 – Un’Alma Innamorata HWV173 – IV Io godo, rido e spero
36 – Un’Alma Innamorata HWV173 – V In quanto a me
37 – Un’Alma Innamorata HWV173 – VI Ben impari come s’ama

Emanuela Galli – Soprano
Roberta Invernizzi – Soprano
La Risonanza
Fabio Bonizzoni – Harpsichord & Direction

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
FDPBach

Prayer: Música para Voz e Órgão com Magdalena Kozena e Christian Schmitt

Um disco de música sacra desta que é uma das maiores estrelas do canto lírico atual. Ela canta maravilhosamente peças que, na verdade, tira de letra. É uma utilidade, pois raramente um duo de voz e órgão é gravado, ainda mais neste nível. Aqui, ela passa por Franz Schubert, Johann Sebastian Bach, Hugo Wolf, Maurice Ravel, Bizet, Verdi, Purcell… e outros compositores dos quais a gente nem sabia de momentos carolas. Sabiam que ela vai gravar todas as canções de Schubert em uma série de recitais no Wigmore Hall? Ah, pois é, as pessoas têm de se informar. Vai gravar, sim..

Prayer: Música para Voz e Órgão com Magdalena Kozena e Christian Schmitt

Franz Schubert (1797-1828)
1. Totengräbers Heimweh, D 842 05:42
Johann Sebastian Bach (1685-1750)
2. Komm, süßer Tod, komm, sel’ge Ruh!, BWV 478 03:16
Hugo Wolf (1860-1903)
3. Karwoche 03:54
Maurice Ravel (1875-1937)
4. Kaddisch 04:34
Georges Bizet (1838-1875)
5. Agnus Dei 03:08
Franz Schubert (1797-1828)
6. Ellens Gesang III (Hymne an die Jungfrau), D 839 05:44
Hugo Wolf (1860-1903)
7. Mühvoll komm ich und beladen 04:42
Henry Purcell (1659–1695)
8. Tell Me, Some Pitying Angel (The Blessed Virgin’s… 07:15
Antonin Dvorak (1841-1904)
9. Ave Maria, Op.19b 03:01
Johann Sebastian Bach (1685-1750)
10. So gibst du nun, mein Jesu, gute Nacht!, BWV 501 02:10
Franz Schubert (1797-1828)
11. Himmelsfunken, D 651 02:54
Hugo Wolf (1860-1903)
12. Zum neuen Jahr 01:43
Johann Sebastian Bach (1685-1750)
13. Die güldne Sonne, BWV 451 01:13
Franz Schubert (1797-1828)
14. Vom Mitleiden Mariä, D 632 03:46
Hugo Wolf (1860-1903)
15. Schlafendes Jesukind 03:11
Franz Schubert (1797-1828)
16. Litanei auf das Fest Allerseelen, D 343 04:41
Giuseppe Verdi (1813–1901)
17. Ave Maria 05:03
Hugo Wolf (1860-1903)
18. Gebet 02:02
Franz Schubert (1797-1828)
19. Der Leidende, D 432 01:52
Johann Sebastian Bach (1685-1750)
20. Mein Jesu, was für Seelenweh, BWV 487 02:32
Maurice Duruflé
21. Notre Père, Op.14 01:25
Johann Sebastian Bach (1685-1750)
22. Kommt, Seelen, dieser Tag, BWV 479 01:06
Petr Eben (1929-2007)
23. Die Hochzeit zu Kana 06:54
Leos Janacek (1854-1928)
24. Glagolitic Mass – 7. Varhany Solo 02:53

Magdalena Kozena, mezzo-soprano
Christian Schmitt, órgão

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

A Sr.a Rattle sabe o que faz. Canta demais!

A Sra. Rattle sabe o que faz. Canta demais!

PQP

Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) – Sinfonia Concertante – Concertone – Julia Fischer – Gordan Nikolić

51Eyo9z4ghLNão tem erro: quaisquer que sejam os intérpretes, essa Sinfonia Concertante para violino, viola e orquestra de Mozart é garantia de deleite e, no meu caso, de olhos muito suados.

Quando há solistas do gabarito da pequena notável Julia Fischer – toda confiante no meio dos grandões aí do lado – e escudeiros como o violinista e violista Nikolić (spalla da London Symphony Orchestra) e o regente Kreizberg (que infelizmente faleceu muito jovem), a coisa fica descontroladamente boa.

Deve ser a trocentésima quarta versão desta obra-prima disponível aqui no PQP Bach, e quem acompanhou as postagens das versões anteriores conhece o alto apreço em que nosso patrono a tem, especialmente seu Andante usado de modo magnífico pelo cineasta Peter Greenaway em sua própria obra-prima, Afogando em Números.

Eu, Vassily Genrikhovich, não fico muito atrás. Assim como o patrão PQP, acredito que a entrada dos solistas no primeiro movimento – uma linda e melíflua frase em oitavas – seja um dos momentos mais arrepiantes em toda música.

Mas os Dominantes que manejam este pobre títere de carne e tripas quiseram ainda mais e, na única vez em que me puseram diante de uma garota linda a ponto de me liquefazer as pernas, Eles não permitiram, claro, que a música fosse outra. O resultado é que até hoje, e muitas cabrochas depois, este Allegro maestoso (e as lembranças associadas) me abilola a ponto de ver passarinho verde.

Sim, hoje estou pra lá de piegas, com os pés bem firmes na Melosolândia, quase a ponto de botar para tocar um LP do Wando, mas que se danem vocês e seus duros corações: o meu está aqui, bem flechado e irremediavelmente empalado por um violino, uma viola e uma orquestra.

Sei still, Vassily! Sei still!!! (foto de Camillo Büchelmeier)

Sei still, Vassily! Sei still!!! (foto de Camillo Büchelmeier)

 

WOLFGANG AMADEUS MOZART (1756-1791)

1 – Sinfonia Concertante em Mi bemol maior para violino, viola e orquestra, K. 364 – Allegro maestoso
2 – Sinfonia Concertante em Mi bemol maior para violino, viola e orquestra, K. 364 – Andante
3 – Sinfonia Concertante em Mi bemol maior para violino, viola e orquestra, K. 364 – Presto

Julia Fischer, violino
Gordan Nikolić, viola
Netherlands Chamber Orchestra
Yakov Kreizberg

4 – Rondó em Dó maior para violino e orquestra, K. 373 (cadenza: Julia Fischer)

Julia Fischer, violino
Netherlands Chamber Orchestra
Yakov Kreizberg

5 – Concertone em Dó maior para dois violinos e orquestra, K. 190 – Allegro spiritoso
6 – Concertone em Dó maior para dois violinos e orquestra, K. 190 – Andantino grazioso
7 – Concertone em Dó maior para dois violinos e orquestra, K. 190 – Tempo di menuetto: Vivace

Julia Fischer e Gordan Nikolić, violinos
Netherlands Chamber Orchestra
Yakov Kreizberg

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Além de gatinha, multilíngue e excelente violinista, Julia Fischer ainda é ótima pianista - ei-la aqui a tocar Grieg numa gravação que, algum dia, postaremos aqui. Como prova cabal de que perfeição não existe, a linda moça é muito bem casada.

Além de gatinha, multilíngue e excelente violinista, Julia Fischer ainda é ótima pianista – ei-la aqui a tocar Grieg numa gravação que, algum dia, postaremos aqui. Como prova cabal de que perfeição não existe, infelizmente, a linda moça é muito bem casada.

Vassily

George Frideric Handel (1685-1759) – The Italian Cantatas I – Le Cantate per il Cardinal Pamphili – Invernizzi, Bonizzoni, La Risonanza

Handel Italian Cantatas vol.I_1

LINK RESTAURADO !! É um pecado essa coleção não estar mais disponível. Vou trazer todos os volumes até agora postados, creio que foram 7.  Postada originalmente em 2011 . 

Esta coleção que pretendo postar em sua íntegra até a data do aniversário de Handel, no próximo dia 23 de fevereiro, é uma das mais belas que já tive a oportunidade de ouvir. A considero simplesmente perfeita, nada mais nem menos que isso. Confesso que já viciei nela. Tenho ouvido com muita atenção e frequência já há algum tempo. E não canso de ouvi-la. Todos os cantores são excelentes, mas sem dúvida quem se destaca é a Roberta Invernizzi. E o conjunto barroco “La Risonanza” também é de se tirar o chapéu. Darei mais detalhes no correr das postagens.
Vamos então ao primeiro CD. O texto abaixo tirei do encarte:

“The chamber cantata flourished in italy as a counterpart to public opera and oratorio, cultivated by aristocratic patrons for their personal enjoyment. Perhaps because of its essentially private origins, this pervasive Baroque form remains little known today. During his years in Italy (1706-1710), George Frideric Handel composed nearly 100 cantatas for a serie of important patrons, but they have tended to be passed over in favour of his larger operas, oratorios, concertos and orchestral suites. The plan of La Risonanza to perform and record all of cantatas with instrumental accompaniment (about one-third of the total) is therefore of signal importance for all music lovers, as it will bring this extraordinarily beautiful music once again to life. This first disk presents four remarkable cantatas from early in Handel´s Italian period: Il delirio amoroso, Tra la fiamme, Figlio d´alte speranze and Pensieri notturni di Filli.
When first invited to Italy by the florentine Prince Gian Gastone de Medici, Handel chose not to travel under the prince´s protection but rather to wait until he could afford to make the trip on his own. He arrived in Italy by 1706, and probably his first destination was Florence. He may also have traveled early on to Venice; however, the first definitive notice of Handel in Italy dates from early 1707 in Rome. In addition to significant periods of residence in each of these cities, Handel also spent about ten weeks in Naples, in 1708. He departed Italy early in 1710 and arrived by the end of the year in London, where he lived the rest of his life. Handel´s composition of cantatas corresponds exactly with the only period in his life when he wrote directly for patrons in whose houses he frequently resided. Most were written in Italy with a handful more apperearing in his first twelve years in London. No cantatas survive from before Handel´s trip to Italy, and after he moved into his own London townhouse in 1723, Handel never again returned to the genre.”

Maiores detalhes sobre as obras podem ser encontrados no encarte que acompanha o arquivo zipado.

George Frideric Handel – The Italian Cantatas I – Le Cantate per il Cardinal Pamphili

01 – Tra Le Fiamme (Il Consiglio), HWV 170 – Aria- Tra le fiamme
02 – Tra Le Fiamme (Il Consiglio), HWV 170 – Rec- Dedalo già le fortunate penne
03 – Tra Le Fiamme (Il Consiglio), HWV 170 – Aria- Pien di nuovo e bel diletto
04 – Tra Le Fiamme (Il Consiglio), HWV 170 – Rec- Si, si, pur troppo è vero
05 – Tra Le Fiamme (Il Consiglio), HWV 170 – Aria- Voli per l’aria
06 – Tra Le Fiamme (Il Consiglio), HWV 170 – Rec- L’uomo, che nacque per salire
07 – Tra Le Fiamme (Il Consiglio), HWV 170 – Aria- Tra le fiamme
08 – Pensieri Notturni Di Filli (Nel Dolce Dell’Oblio), HWV 134 – Rec- Nel dolce dell’oblio
09 – Pensieri Notturni Di Filli (Nel Dolce Dell’Oblio), HWV 134 – Aria- Giacchè il sonno a lei
10 – Pensieri Notturni Di Filli (Nel Dolce Dell’Oblio), HWV 134 – Rec- Così fida ella vive
11 – Pensieri Notturni Di Filli (Nel Dolce Dell’Oblio), HWV 134 – Aria- Ha l’inganno
12 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Sonata
13 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Rec- Da quel giorno fatale
14 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Aria- Un pensiero che voli in ciel
15 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Rec- Ma fermati
16 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Aria- Per te lasciai la luce
17 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Rec- Non ti bastava ingrato
18 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Aria- Lascia ormai le brune vele
19 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Rec- Ma siamo giunti in Lete
20 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Entrée
21 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Arietta- In queste amene
22 – Il Delirio Amoroso (Da Quel Giorno Fatale), HWV 90 – Rec & Minuet- Sì, disse Clori
23 – Figlio D’Alte Speranze, HWV 113 – Rec- Figlio d’alte speranze
24 – Figlio D’Alte Speranze, HWV 113 – Aria- Troppo costa
25 – Figlio D’Alte Speranze, HWV 113 – Rec- Era conforto il suo penar
26 – Figlio D’Alte Speranze, HWV 113 – Aria- Sia guida, sia stella
27 – Figlio D’Alte Speranze, HWV 113 – Rec- In così dire
28 – Figlio D’Alte Speranze, HWV 113 – Aria- Brillava protetto

Roberta Invernizzi – Soprano
La Risonanza
Fabio Bonizzoni – Harpsichord & direction

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
FDPBach

Ernest Chausson (1855-1899) / Gabriel Fauré (1845-1924): Quartetos para Piano

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Eu, PQP Bach, estava em férias e voltei hoje. Sou uma humilde pessoa que não ganha muito, mas que guarda algum. Então, estive em Londres, Roma e Praga, onde — adivinhem? — assisti um monte de concertos. O Rudolfinum de Praga à beira do Moldávia… A Saint-Martin-in-the-fields… O Queen Elisabeth Hall… O Royal Festival Hall… O Barbican Hall… O festival The Rest is Noise, baseado na obra de Alex Ross no Southbank Center…

Então, ainda sob a influência destes 20 maravilhosos dias, deixo para vocês um CD espetacular e cheio de prêmios Diapason d`Or, Choc, etc.

O Quarteto Schumann interpreta dois Quartetos para Piano, um melhor do que o outro. É música da melhor qualidade e a interpretação é sensacional.

Ernest Chausson (1855-1899) / Gabriel Fauré (1845-1924): Quartetos para Piano

Ernest Chausson (1855-1899)
Piano Quartet in A major Op.30
1. Piano Quartet in A major Op.30 : Animé 11:55
2. Piano Quartet in A major Op.30: Très calme 10:07
3. Piano Quartet in A major Op.30: Simple et sans hâte 4:05
4. Piano Quartet in A major Op.30: Animé 12:19

Gabriel Fauré (1845-1924)
Piano Quartet no.1 in C minor Op.15
5. Piano Quartet N°1 in C minor Op.15 : Allegro molto moderato 9:57
6. Piano Quartet N°1 in C minor Op.15 : Scherzo (Allegro vivo) 5:40
7. Piano Quartet N°1 in C minor Op.15 : Adagio 7:18
8. Piano Quartet N°1 in C minor Op.15 : Allegro molto 8:11

Quatuor Schumann

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

quatuor-schumann

PQP

George Frideric Handel (1685-1759) – Complete Chamber Works -Cd 2 de 5 – Violin Sonatas, Oboe Sonatas – L’Ecole D´Orphé

Box FrontO segundo cd da coleção de música de câmara de Handel traz sonatas para violino e para oboé. O violinista é o John Holloway, que já passou aqui pelo PQPBach diversas vezes. É figurinha carimbada quando se trata de interpretações históricas, um dos pioneiros da área e um grande especialista em violino barroco.
Gosto de trazer estas coleções para os senhores poderem entender o processo de evolução criativa do compositor. Quando se trata de Handel, estamos falando de um dos principais compositores da história da música ocidental, um gênio do barroco, contemporâneo de Bach, inclusive nasceram no mesmo ano, e que assim como o gênio de Leipzig, foi fundamental no desenvolvimento da própria escrita musical, desenvolvendo estilos, criando novas possibilidades para os mais diversos instrumentos.

1 – Violin Sonata in A major, HWV361
2 – Violin Sonata in G minor, HWV364a
3 – Oboe Sonata in B flat major, HWV357
4 – Violin Sonata in D minor, HWV 359a
5 – Oboe Sonata in C minor, HWV366
6 – Violin movement in A minor
7 – Violin movement (allegro) in C minor, HWV 408
8 – Oboe Sonata in F major, HWV 363a
9 – Violin Sonata in D major, HWV371

John Holloway – Violin
Davi Reichenberg – Oboe
Susan Sheppard – Cello
Lucy Carolan – Harpsichord

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Johann Sebastian Bach (1685-1750) – Concertos de Brandenburg – Pinnock

O link acima leva para uma caixa com bem mais do que os Concertos de Brandenburg. A edição em que baseei esta postagem está aparentemente esgotada.

O link acima leva para uma caixa com bem mais do que os Concertos de Brandenburg. A edição em que baseei esta postagem está aparentemente esgotada.

Seis Concertos
Com diversos Instrumentos
Dedicados
À Sua Alteza Real
Senhor
Christian Ludwig
Margrave de Brandenburg & c. & c. & c.,
por Seu mui humilde & mui obediente Servo
Johann Sebastian Bach
Mestre de Capela de Sua Alteza Real O
príncipe reinante d’Anhalt-Cöthen

Meu Senhor

Como tive, há poucos anos, a felicidade de me fazer escutar junto à Vossa Alteza Real, em virtude de suas ordens, e como eu então percebi que Vossa Alteza teve algum deleite com os pequenos talentos que o Firmamento me concedeu para a Música; e, quando a me retirar da presença de Vossa Alteza Real, Ela houve por bem me fazer a honra de me mandar o envio a Vossa Alteza de algumas peças de minha composição; eu, de acordo com as mais graciosas ordens de Vossa Alteza, tomei a liberdade de cumprir meus humílimos deveres para com Vossa Alteza Real com os presentes Concertos, que arranjei a diversos Instrumentos; rogando mui humildemente que não julgue sua imperfeição ao rigor do gosto fino e delicado que todos sabem que Vossa Alteza tem pelas obras musicais, mas de ter sobretudo em Benigna consideração o profundo respeito, e a mais humilde obediência que eu tento demonstrar a Vossa Alteza (…)

Senhor
De Vossa Alteza Real
O mais humilde e mais obediente servo
Johann Sebastian Bach. Cöthen, 24 mar 1721

O Margrave, aparentemente, se lixou para a oferta de Bach, que, mesmo com toda a rasgação de seda, não conseguiu trabalhar em sua corte. As partituras dos Concertos empoeiraram nas estantes a Alteza Real, de onde sairiam vendidas como papel velho por alguns poucos centavos.

Mas isso não importa.

Não fossem os “pequenos talentos” concedidos pelo Firmamento ao “mui humilde servo” Johann Sebastian Bach, o mundo provavelmente não se lixaria para o nome do tal Christian Ludwig.

Os nobres perecem.

BACH VIVE.

JOHANN SEBASTIAN BACH (1685-1750)

OS CONCERTOS DE BRANDENBURG, BWV 1046-1051

THE ENGLISH CONCERT
TREVOR PINNOCK, regência

CD 1

01 – Concerto de Brandenburg no. 1 em Fá maior, BWV 1046 – [sem indicação de tempo]
02 – Concerto de Brandenburg no. 1 em Fá maior, BWV 1046 – Adagio
03 – Concerto de Brandenburg no. 1 em Fá maior, BWV 1046 – Allegro
04 – Concerto de Brandenburg no. 1 em Fá maior, BWV 1046 – Menuetto – Trio I – Polacca – Trio II
05 – Concerto de Brandenburg no. 2 em Fá maior, BWV 1047 – [sem indicação de tempo]
06 – Concerto de Brandenburg no. 2 em Fá maior, BWV 1047 – Andante
07 – Concerto de Brandenburg no. 2 em Fá maior, BWV 1047 – Allegro assai
08 – Concerto de Brandenburg no. 3 em Sol maior, BWV 1048 – [sem indicação de tempo]
09 – Concerto de Brandenburg no. 3 em Sol maior, BWV 1048 – Adagio
10 – Concerto de Brandenburg no. 3 em Sol maior, BWV 1048 – Allegro

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

CD 2

01 – Concerto de Brandenburg no. 4 em Sol maior, BWV 1049 – Allegro
02 – Concerto de Brandenburg no. 4 em Sol maior, BWV 1049 – Andante
03 – Concerto de Brandenburg no. 4 em Sol maior, BWV 1049 – Presto
04 – Concerto de Brandenburg no. 5 em Ré maior, BWV 1050 – Allegro
05 – Concerto de Brandenburg no. 5 em Ré maior, BWV 1050 – Affettuoso
06 – Concerto de Brandenburg no. 5 em Ré maior, BWV 1050 – Allegro
07 – Concerto de Brandenburg no. 6 em Si bemol maior, BWV 1051 – [sem indicação de tempo]
08 – Concerto de Brandenburg no. 6 em Si bemol maior, BWV 1051 – Adagio ma non tanto
09 – Concerto de Brandenburg no. 6 em Si bemol maior, BWV 1051 – Allegro

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

O fac-símile da dedicatória dos Concertos de Brandenburg, i.e., a rasgação de seda que traduzi livremente mais acima

O fac-símile da dedicatória dos Concertos de Brandenburg, i.e., a rasgação de seda que traduzi livremente mais acima

Homenagem a Johann Sebastian Bach, o maior gênio criador que já habitou este planeta, no ducentésimo sexagésimo quinto aniversário de seu falecimento.

Vassily

Dmitri Shostakovich (1906-1975): Sinfonia Nº 13 (Babi Yar), Op. 113 (1962)

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Sinfonia Nº 13 (Babi Yar), Op. 113 (1962)

Após o equívoco da Sinfonia Nº 12 – lembrem que até Beethoven escreveu uma medonha Vitória de Wellington, curiosamente estreada na mesma noite da sublime 7ª Sinfonia, mas este é outro assunto… -, Shostakovich inauguraria sua última fase como compositor começando pela Sinfonia Nº 13, Babi Yar. Iniciava-se aqui a produção de uma sequência de obras-primas que só terminaria com sua morte, em 1975. Esta sinfonia tem seus pés firmemente apoiados na história da União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial. É uma sinfonia cantada, quase uma cantata em seu formato, que conta com a nada desprezível colaboração do grande poeta russo Evgeny Evtuchenko (conforme alguns, como a Ed. Brasilinense, porém pode-se encontrar a grafia Ievtuchenko, Yevtuchenko ou Yevtushenko, enfim!).

Shosta51

O que é, afinal, Babi Yar? Babi Yar é o nome de uma pequena localidade situada perto de Kiev, na atual Ucrânia, cuja tradução poderia ser Barranco das Vovós. Ali, em 29 e 30 de setembro de 1941, teve lugar o assassinato de 34 mil judeus pelos nazistas. Eles foram mortos com tiros na cabeça e a participação comprovada de colaboradores ucranianos no massacre permanece até hoje tema de doloroso debate público naquele país. Nos dois anos seguintes, o número de mortos em Babi Yar subiu para 200 mil, em sua maioria judeus. Perto do fim da guerra, os nazistas ordenaram que os corpos fossem desenterrados e queimados, mas não conseguiram destruir todos os indícios. Ievtuchenko criticou a maneira que o governo soviético tratara o local. O monumento em homenagem aos mortos referia-se às vítimas como ucranianas e russas, o que também eram, apesar de se saber que o fato determinante de suas mortes era o de serem judeus. O motivo? Ora, Babi Yar deveria parecer mais uma prova do heroísmo e sofrimento do povo soviético e não de uma fatia dele, logo dele, que seria uma sociedade sem classes nem religiões… O jovem poeta Ievtushenko considerou isso uma hipocrisia e escreveu o poema em homenagem aos judeus mortos. O que parece ser uma crítica de importância relativa para nós, era digna de censura, na época. O poema — o qual tem extraordinários méritos literários — foi publicado na revista Literatournaia Gazetta e causou problemas a seu autor e depois, também a Shostakovich, ao qual foram pedidas alterações que nunca foram feitas na sinfonia. No Ocidente, Babi Yar foi considerado prova da violência antissemita na União Soviética, mas o próprio Ievtuchenko declara candidamente em sua Autobiografia Precoce (Ed. Brasiliense, 1987) que a tentativa de censura ao poema não teve nada a ver com este gênero de discussão e que, das trinta mil cartas que recebeu falando em Babi Yar, menos de trinta provinham de antissemitas…

O massacre de Babi Yar é tão lembrado que não serviu apenas a Ievtuchenko e a Shostakovich, tornando-se também tema de filmes e documentários recentes, assim como do romance Babi Yar de Anatoly Kuznetsov. Não é assunto morto, ainda.

O tratamento que Shostakovich dá ao poema é fortemente catalisador. Como se fosse uma cantata em cinco movimentos, os versos de Ievtuchenko são levados por um baixo solista, acompanhado de coral masculino (formado apenas por baixos) e orquestra. É música de impressionante gravidade e luto; a belíssima linha melódica ora assemelha-se a um serviço religioso, ora aum dos grandes modelos de Shostakovich, Mussorgski; mesmo assim, fiel a seu estilo, Shostakovich encontra espaço para o sarcasmo.

Tranquila crueldade: soldados alemães examinam as roupas dos mortos em Babi Yar.

“Babi Yar” é como ficou conhecida a sinfonia para coro masculino, baixo e orquestra.  A partir do texto de dura indignação de Ievgueni Evtuchenko e apesar dos problemas que ele geraria na União Soviética pós-stalinista, Shostakovich construiu um painel de extraordinária força em torno de mazelas típicas de seu tempo: o medo e a opressão, o conformismo e o carreirismo, o massacre cotidiano num Estado policial e a possibilidade de superação através do humor e da intransigência.

Em linguagem quase descritiva, combinando a severidade da orquestra com a impostação épica das vozes, “Babi Yar” tem um poder de evocação cinematográfico: raramente se ouviu música tão plástica. O realismo e a imagens dos poemas são admiravelmente apoiados pelo estilo alternadamente sombrio e agressivo da música de Shostakovich. Não obstante o grande efetivo orquestral e a tensão dos clímaxes, as texturas são rarefeitas e o coro, declamando ou murmurando, canta quase sempre em uníssono ou em oitavas — mais um elemento dessa estrutura preparada para expressar a desolação e o nervosismo.

O primeiro movimento alterna estrofes que exploram o horror e a culpa de Babi Yar com relatos de dois outros episódios — o de Anne Frank e o de um menino massacrado em Bielostok. No segundo movimento, ritmado de forma tipicamente shostakovichiana, o tom enfático das vozes falam da resistência que o “Humor” jamais deixará de oferecer à tirania. “Na loja”, o Adagio que se segue, descreve quase fisicamente as filas das humilhadas donas-de-casa numa linha sinuosa à espera de um pouco de comida. Quando chegam ao balcão, o poema diz: “Elas nos honram e nos julgam”, enquanto percussão e castanholas simulam panelas e garrafas se entrechocando. É em clima que estupefação que o movimento se encerra: “Nada está fora de seu alcance”.

A linha sinuosa torna-se reta ao prosseguir sem interrupção para o episódio seguinte, um ameaçador ‘sostenuto’ das cordas graves sob solo da tuba: é o “Medo”, componente constante da vida soviética. Contrapondo-se às sombras que até aqui dominam a sinfonia, Shostakovich a conclui com uma satírica reflexão sobre o que é seguir uma “Carreira”. Em ritmo de valsa lenta, ficamos sabendo que a verdadeira carreira não é a dos que se submetem, mas a de Galileu, Shakespeare ou Pasteur, Newton ou Tolstói: “Seguirei minha carreira de tal forma que não a esteja seguindo”, conclui o baixo, com o eco do sino que abrira pesadamente a sinfonia, agora aliviado pela celesta.

Shostakovich (esquerda), com o poeta Evgeni Ievtuchenko (direita) e o regente Kiril Kondrashin na estréia da 13ª Sinfonia.

A história da primeira execução de Babi Yar foi terrível. Houve protestos e ameaças por parte das autoridades soviéticas. Se até 1962, Shostakovich dava preferência a estrear suas obras sinfônicas com Evgeny Mravinsky (1903-1988), Babi Yar causou um surdo rompimento na parceria entre ambos. O lendário regente da Sinfônica de Leningrado amedrontou-se (teve razões para tanto) e desistiu da obra pouco antes de começarem os ensaios. Porém, como na União Soviética e a Rússia os talentos brotam por todo lado, Mravinsky foi substituído por Kiril Kondrashin (1914-1981) que teve uma performance inacreditável e cujo registro em disco é das coisas mais espetaculares que se possa ouvir.

P.S.- Por uma dessas coisas inexplicáveis, encontrei o disco soviético com o registro da estreia num sebo de Porto Alegre em 1975. Comprei, claro.

Obs.: A descrição da música foi adaptada de um texto que Clovis Marques escreveu para um concerto no Municipal do Rio de Janeiro.

Dmitri Shostakovich (1906-1975): Sinfonia Nº 13 (Babi Yar), Op. 113 (1962)

1 – Babi Yar. Adagio
2 – Humour. Allegretto
3 – At the Store. Adagio
4 – Fears. Largo
5 – Career. Allegretto

Alexander Vinogradov, baixo
Royal Liverpool Philharmonic Choir
Royal Liverpool Philharmonic Orchestra
Vasily Petrenko

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

PQP

Shostakovich toca Shostakovich – Concertos para piano – Três Danças Fantásticas

O link para a Amazon leva para um CD da EMI, bem menos desgraçado do que este

O link para a Amazon leva para um CD da EMI, bem menos desgraçado do que este marca-diabo

Comprei este CD numa loja que protruía de um buraco na parede num bairro dilapidado na periferia de Bucareste, e… bem, ele está perfeitamente à altura das condições de compra.

O capa, como podem ver ao lado, parece ter sido feita pela avó de alguém no Paint, entre um envio e outro para as amigas de apresentações com mensagens de autoajuda feitas no PowerPoint. O som não é lá tão ruim, e é até uma surpresa (considerando como são as coisas em Bucareste) que o CD realmente contenha a gravação prometida: os Concertos para piano de Shostakovich e suas três pequenas Danças Fantásticas, na interpretação do próprio compositor. Todos os impropérios possíveis em romeno vêm em mente (“nu mă fute!”, em particular) quando a gente constata que o produtor da gravação não se deu sequer ao trabalho de dividir os movimentos em faixas separadas. O resultado dessa meia-sola é o CD desgraçado, e de só três faixas, que lhes apresento a seguir.

Espero que saibam relevar as limitações técnicas desta gravação de 1958 em prol do privilégio de escutar um dos maiores compositores do século XX em ação, e que perdoem ao compositor-pianista algumas rabanadas ao teclado para saborear a concepção peculiar de Shostakovich para estas suas composições – notavelmente os andamentos frenéticos que imprime aos movimentos rápidos. O acompanhamento de André Cluytens consegue, com muita competência, a proeza de realmente acompanhar o solista apressadinho. Dmitri Dmitriyevich, na certa, estava louco para terminar os takes para pitar e, tabagista contumaz que era (há relatos de que chegou a fumar CENTO E CINQUENTA mata-ratos num dia), talvez engatasse um prestissimo para se atirar o quanto antes nos ramos da Nicotiana tabacum.

Ao contrário do que já li em alguns lugares, as gravações de Shostakovich tocando suas próprias obras vão bem além deste volume aqui. Há um número considerável de LP soviéticos com partes de sua obra para piano e para conjuntos de câmara – incluindo a primeira de seu maravilhoso quinteto com piano, sonatas com Oistrakh e Rostropovich, trios e quartetos.

Se houver interesse de vocês, postarei algo mais do que tenho – caprichem, portanto, nos downloads!

DMITRI DMITRIYEVICH SHOSTAKOVICH (1906-1975)

1 – Concerto no. 1 em Dó menor para piano, trompete e orquestra de cordas, Op. 35 – Allegretto – Lento – Moderato – Allegro con brio*
2 – Concerto no. 2 em Fá maior para piano e orquestra, op. 102 – Allegro – Andante – Allegro

Dmitri Shostakovich, piano
*Ludovic Vaillant, trompete
Orquestra Nacional da Radiodifusão Francesa
André Cluytens, regência

3 – Três Danças Fantásticas para piano, Op. 5 – Marcha (Allegretto) – Valsa (Andantino) – Polka (Allegretto)

Dmitri Shostakovich, piano

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

BÔNUS: Shostakovich fala e toca um trecho de sua Sinfonia no. 7, “Leningrado”. Até onde vai meu russo, os créditos do começo dão conta do “Duplamente Laureado com o Prêmio Stalin – Compositor Dmitri Shostakovich” – ironia tétrica para com alguém tão desgraçado pelo truculento Djugashvilli. Pelo que pude entender, ele diz que sua sétima sinfonia foi inspirada pelo horror de 1941, que dedica sua obra à luta contra o Fascismo, à vitória e à sua cidade de Leningrado, e que tocará um trecho do primeiro movimento. Talvez o PQP possa pedir à sua musa que nos conceda a gentileza de uma tradução melhor daquilo que Dmitri nos tem a dizer!

Vassily

George Frideric Händel (1685-1759) – Complete Chamber Music – CD 1 de 6 – L´Ecole d´Orphée

Box FrontNão sei o que aconteceu com os colaboradores do PQPBach ! verifiquei agora que já algum tempo ignoramos totalmente George Frideric Haendel, um dos maiores compositores do barroco, e um gênio da mesma estatura de nosso pai musical, Johann Sebastian.
Vou tentar suprir essa falta tremenda, trazendo algumas preciosidades que tenho em meu acervo. Começo com essa coleção, que lembro de já ter começado há algum tempo atrás. Trata-se da obra de câmara dele, pouquíssimo gravada e divulgada, e não entendo o porque, já que existem verdadeiras jóias escondidas ali. Essa caixa é uma pequena maravilha, e traz músicos do nível de John Holloway, um dos principais nomes do violino barroco, do flautista Stephen Preston, do cravista Robert Wooley, entre outros, não tão conhecidos, mas igualmente brilhantes.
O primeiro CD traz as Sonatas para flauta, magnificamente interpretadas por Preston.
Espero que apreciem, pois eu já sou suspeito para falar qualquer coisa, temendo ser repetivo ou óbvio.

01 – Flute Sonata in E minor (Op.11a), HWV 379
02 – Flute Sonata in A minor (Halle Sonata No.1), HWV 374 (possibly spurious)
03 – Flute Sonata in E minor (Halle Sonata No.2), HWV 375 (possibly spurious)
04 – Flute Sonata in B minor (Halle Sonata No.3), HWV 376 (possibly spurious)
05 – Flute Sonata in D major, HWV 378
06 – Flute Sonata in G major (Op.15), HWV 363b
07 – Flute Sonata in B minor (Op.19b), HWV 367b
08 – Flute Sonata in E minor (Op.11b) HWV 359b

Stephen Preston – Flute
Susan Sheppard – Cello
John Toll – Harpsichord
Lucy Carolan – Harpsichord

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

In memoriam Ivan Moravec (1930-2015) – Chopin: Nocturnes

moravec-chopin-nocturnesAcabo de voltar do trampo, pronto para redigir uma resenha que preparara mentalmente entre um enfermo e outro, quando soube que o sensacional pianista Ivan Moravec faleceu hoje em Praga, aos 84 anos.

Suspendi, claro, meus planos originais e resolvi homenageá-lo, compartilhando com vocês a gravação mais legendária do grande artista tcheco: aquela dos noturnos de Chopin, feita em 1965 e periodicamente relançada, de selo em selo, com enorme sucesso.

Não é à toa: a leitura de Moravec para os noturnos é linda e inconfundível. Talvez haja rubato em demasia para o gosto de alguns, mas há lirismo de sobra, e há uma coerência da primeira à última nota da série. Moravec era absolutamente obsessivo com o som dos pianos que tocava e com o ajuste fino de sua mecânica. Viajava com sua caixa de ferramentas e, frequentemente, era visto trabalhando junto com os afinadores e técnicos nos intervalos de gravações, de ensaios ou mesmo de recitais.

Moravec nasceu em Praga no começo de uma década especialmente desgraçada para seu país, que acabaria com a brutal ocupação da jovem nação tchecoslovaca pelas forças de Hitler e sua anexação à esfera do Reich como o Protetorado da Boêmia e da Morávia. A expulsão dos alemães significou o pano rápido para a Cortina de Ferro, sob as saias da União Soviética, e o jugo de regimes autocráticos que restringiam enormemente as viagens internacionais de seus cidadãos, incluindo os artistas.

Ainda assim, gravações piratas do jovem Moravec circularam amplamente pela Europa Ocidental e pelas Américas, e com tal repercussão que o selo Connoisseur Society (o mesmo que tinha em contrato o maravilhoso Antônio Guedes Barbosa) atravessou a férrea Cortina e convidou o prodígio para realizar gravações. Naquele 1965, o clima político na Tchecoslováquia era relativamente ameno, de modo que o contrato foi firmado, e as legendárias sessões que ora lhes alcanço, realizadas em New York e Viena entre a primavera e o outono do mesmo ano.

Aquela calmaria política, claro, era parte do processo de gradual abertura que culminaria, três anos depois, com as reformas de Dubček, a Primavera de Praga e as sangrentas invasão e ocupação soviéticas. Moravec, mais uma vez, acabaria fechado atrás da Cortina de Ferro, lecionando em Praga, gravando prolificamente e, quando assim lhe permitia a nomenklatura, saindo para breves turnês.

Meus saudosos meses em Praga, que incluíram um longo inverno com pouco dinheiro a tiritar de frio, foram muito menos duros por causa de Moravec. Tive a suprema honra de assistir a recitais seus na divina Obecní dům (Casa Municipal) e no régio Rudolfinum. Suas gravações para o selo Supraphon, baratas como batatinhas, encheram-me de uma felicidade tal que, para ser mais plena, só se me forrasse também o estômago. E foi no encarte de uma dessas gravações que li pela primeira vez uma entrevista com o mestre. No meio da espessa sopa de letrinhas do idioma tcheco, havia uma declaração bastante óbvia, e de maneira tão ululante que até eu consegui entender:

– Você sabe… minha verdadeira paixão é cantar.

Depois que se escuta o que segue, só nos resta concordar.

In memoriam Ivan Moravec (9/11/1930 – 27/7/2015)

FRYDERYK FRANCYSZEK CHOPIN (1810-1849)

NOTURNOS PARA PIANO

IVAN MORAVEC, piano

CD 1

01 – Três Noturnos, Op. 9 – No. 1 em Si bemol menor
02 – Três Noturnos, Op. 9 – No. 2 em Mi bemol maior
03 – Três Noturnos, Op. 9 – No. 3 em Si menor
04 – Três Noturnos, Op. 15 – No. 1 em Fá maior
05 – Três Noturnos, Op. 15 – No. 2 em Fá sustenido menor
06 – Três Noturnos, Op. 15 – No. 3 em Sol menor
07 – Dois Noturnos, Op. 27 – No. 1 em Dó sustenido menor
08 – Dois Noturnos, Op. 27 – No. 2 em Ré bemol maior
09 – Dois Noturnos, Op. 32 – No. 1 em Si maior
10 – Dois Noturnos, Op. 32 – No. 2 em Lá bemol maior

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

CD 2

01 – Dois Noturnos, Op. 37 – No. 1 em Sol menor
02 – Dois Noturnos, Op. 37 – No. 2 em Sol maior
03 – Dois Noturnos, Op. 48 – No. 1 em Dó menor
04 – Dois Noturnos, Op. 48 – No. 2 em Fá sustenido menor
05 – Dois Noturnos, Op. 55 – No. 1 em Fá menor
06 – Dois Noturnos, Op. 55 – No. 2 em Mi bemol menor
07 – Dois Noturnos, Op. 62 – No. 1 em Si maior
08 – Dois Noturnos, Op. 62 – No. 2 em Mi maior
09 – Peças Póstumas para piano, Op. 72 – No. 1: Noturno em Mi menor

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

 

Odpočívej v pokoji, Ivane!

Odpočívej v pokoji, Ivane!

 

Vassily

Sacra Vox – Música coral sacra contemporânea brasileira

sacra voxPelo título do CD, percebe-se o nicho de repertório no qual o grupo coral carioca Sacra Vox é especializado. Estive no concerto de lançamento deste álbum – em junho de 2007, na Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro – e fiquei contentei por um segmento tão específico ter conseguido fazer florescer obras tão boas quanto as deste disco. Se seus ouvidos são abertos às linguagens contemporâneas, quando bem utilizadas, eis uma boa experiência à qual você pode se lançar sem receios.

Porém, se você acha que tudo que se faz aqui no Brasil é reciclagem do que se faz no resto do mundo, que as gravações sempre deixam a desejar, que as interpretações idem etc. etc. não discordo totalmente – apenas lamento que isso seja muitas vezes um ponto de partida para não se experimentar a música clássica brasileira. Fiz esse adendo porque, por exemplo, ainda me surpreendo com a relativamente baixa quantidade de downloads dos concertos para violino de Guarnieri ou das obras de Amaral Vieira em geral (ainda que este tenha uma claque fiel no blog). Se não consigo ser persuasivo o suficiente pra quebrar uma resistência irracional ou pelo menos para fazer alguém experimentar e me dizer “não gostei” (no caso do Concerto para piano de Hekel Tavares), só me resta forjar dados nas próximas postagens, tal qual: José Siqueira com a Filarmônica de Berlim, Radamés Gnatalli por Maurizio Pollini ou Francisco Mignone nas mãos de Martha Argerich (risos).

***

Sacra Vox – Música coral sacra contemporânea brasileira

1-2. Kyrie & Gloria – Rodrigo Cicchelli
3. Árvore da vida – Eduardo Biato
4-7. Atalanta Fugiens II – Pauxy Gentil Nunes
8. Buscando a Cristo – Marcos Vinicio Nogueira
9-12. Missa Brevis in honorem Sancti Francisci Assisiensis – Ernani Aguiar
13. Glória – Roberto Macedo Ribeiro
14-18. Sacra Cantilena – João Guilherme Ripper
19. Ave Maria – Jorge Armando

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Sacra Vox: alto nível de interpretação

Sacra Vox: alto nível de interpretação

CVL

Dmitri Shostakovich (1906-1975) – Complete Symphonies – CD 8 de 11 – Symphony nº 12 in G Minor, “1917” – Op. 112- Kodrashin, MPSO

CD8 (1)Mais um volume desta série incrível, longa, porém altamente recomendável, com as sinfonias de Shostakovich, interpretadas pelo seu amigo pessoal, Kirill Kondrashin.
Aqui temos a sinfonia que o compositor fez em homenagem à Revolução de 1917 e é dedicada à memória de Lenin.
Como já comentei anteriormente, nosso querido mentor PQPBach está trazendo outra série de gravações de Shostakovich, e, como especialista que é na obra do russo, descreve com maiores detalhes essa sinfonia. Sugiro sua leitura.

01. Symphony No. 12 in D minor, Op. 112 ‘1917’ I. Revolutionary Petrograd Moderato – Allegro
02. Symphony No. 12 in D minor, Op. 112 ‘1917’ II. Razliv (The Flood) Allegro – Adagio
03. Symphony No. 12 in D minor, Op. 112 ‘1917’ III. ‘Aurora’ L’istesso tempo – Allegro
04. Symphony No. 12 in D minor, Op. 112 ‘1917’ IV. The Dawn of Humanity L’istesso tempo – Allegretto
05. The Execution of Stepan Razin, Poem, Op. 119

Vitaly Gromadski – Bass
Russian State Choral Chapel
Moscow Philharmonic Symphony Orchestra
Kirill Kondrashin – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

.: intermezzo :. Marcondes Falcão Maia (1957): A besteira é a base da sabedoria (1995)

Bem, caros visitantes. O CD ora postado possui uma importância tão capital no contexto da música clássica brasileira contemporânea que nem sei.

A besteira é a base da sabedoria (1995) – terceiro álbum do cantor e compositor cearense Falcão, preconceituosamente intitulado de “brega” – talvez seja um dos mais ricos em elementos de paráfrase e paródia na década de 90, não só partindo da música popular, mas (inconscientemente ou não) também da música erudita.

Uma análise das referências musicais do disco pode, sem titubeios, auxiliar a compreender a síntese de várias correntes estéticas que emergiram ao longo do século XX, e ali presentes. Em Esculhambação, sim. Frescura, não, por exemplo, evidencia-se a mensagem de cunho político, influenciada por obras como a Sinfonia das Diretas de Jorge Antunes ou Mamãe, eu quero votar de Gilberto Mendes, porém dentro da verve satírica peculiar a Falcão (“Será o caralho?!”)

Sem precedentes pode considerada a concepção de um moteto responsorial para um réquiem em A terra há de comer (já que eu não comi), enquanto Homem é homem teve de mudar seu subtítulo original, Hommage (ou Femmage) pour Britten, por conta da previsível falta de conhecimento do público sobre o compositor britânico.

Porém nada supera a genial transformação de My world dos Guns N’Roses num minicompêndio da música de concerto do século XX, o Concerto em qualquer tom para triângulo e roi-roi. Em nenhuma outra composição brasileira dos últimos tempos é possível achar um entrecruzamento de matizes estéticos tão díspares quanto o deboche à la Satie; o percussionismo de Edgard Varèse e Amadeo Roldan; a sobreposição da própria voz gravada em diferentes canais, como Ute Lemper ao gravar canções de cabaré de Spoliansky; a utilização estilizada do rap e da polifonia semifalada, tal qual – respectivamente – em O anjo esquerdo da história e Beba Coca-Cola de Gilberto Mendes; a predominância do minimalismo e a marca stravinskiana nos poucos acordes bitonais sampleados.

***

A Besteira é a base da sabedoria

1.”Esculhambação sim. Frescura, não!”  3:39
2.”A terra há de comer (já que eu não comi)”  3:07
3.”Lends picantis in anus autrem q’sucus est”  4:41
4.”A besteira é a base da sabedoria”  3:22
5.”Caubói do Ceará”  3:13
6.”Mais antes mamãe não tivesse me(n)tido”  3:42
7.”Confesso que fresquei”  3:13
8.”Se eu morrer sem gozar do seu amor, minha alma lhe persegue de pau duro”  3:12
9.”Todo castigo pra corno é pouco”  3:25
10.”Não tem jeito que dê jeito”  3:59
11.”Holliday foi muito”  3:26
12.”Concerto em qualquer tom para triângulo e roe-roe”  2:24

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

PS 1: Este post é dedicado aos ouvintes puristas e carracudos deste blog.
PS 2: Licença, que tá na hora de tomar meu comprimido de Zyprexa.

Elegância

Elegância

CVL

Jordi Savall & Le Concert des Nations: Charpentier, Messe et Motets pour la Vierge

Marc-Antonie Charpentier
Jordi Savall
Le Concert des Nations
Messe et Motets pour la Vierge

Vários fatos interessantes coincidem com esta apresentação de 2007, de música antiga ao vivo na Capela do Palácio de Versalhes de “Messe et Motets pour la Vierge” por Marc Antoine Charpentier (francês, 1643-1704). Em primeiro lugar, são 90 minutos de algumas das maiores músicas já compostas e são interpretadas por Le Concert des Nations, liderado pelo maravilhosamente prolífico Jordi Savall (espanhol, nascido em 1942).

Uma visita ao castelo e jardins de Versalhes, 22,5 km a oeste de Paris, convida a muitas maneiras de sentir isso, porque é muito grande. O castelo, por exemplo, tem mais de 2.000 janelas (contagem: 2.153). O castelo real tem mais de 66.000 metros quadrados postado em 2.000 hectares.

Dentro do castelo, há muito para se ver: 6.123 pinturas; 1.500 desenhos; 15.000 gravuras; 2.000 esculturas e 5.000 peças de mobiliário. A maior parte do palácio foi construído na década de 1670 – por isso a música de Charpentier composta em 1702 poderia ter sido realizada apenas como no vídeo abaixo (embora a Capela só foi concluída em 1710).

Sobre que é esta composição? Durante a Contra-Reforma, a Igreja Católica renovou a sua devoção a Maria, a Mãe de Jesus. Charpentier era um compositor prolífico, que tinha uma lista diversificada de clientes em Paris e o artista teve que se adaptar continuamente seu trabalho. Sua música religiosa é admiravelmente complexa não só por suas relações musicais, mas por suas estruturas teológicas.

A composição final de Charpentier não é trivial. Ela suporta variadas expressões de devoção mariana: um diálogo didático em sua homenagem (“Canticum em honorem Virginis Mariae Beatae homines …”), uma aflita virgem Maria ao pé da Cruz (“Stabat mater dolorosa”), uma ladainha da Virgem e, finalmente, uma grande missa em sua honra para a glória de Deus (“Assumpta est Maria …”).

Adicionado aos seus desvios teológicos são os diferentes estilos musicais para solistas, coro e orquestra. O produto final é sublime e leva diretamente para a adoração através da Missa na Festa da Assunção de Maria ao céu, em 15 de agosto.

(traduzido e adaptado da internet)

Confira abaixo:

Em meu computador tem Stabat Mater de 12 compositores diferentes. Este é o mais pungente! Maravilhoso !!

Marc-Antonie Charpentier (France, 1643-1704)
1. Canticum in honorem Beate Virginis Mariae inter homines et angelos H. 400
2. Stabat Mater pur des religieuses H. 15
3. Litanies de la Vierge à 6 voix et 2 dessus de violes H. 83
4. Missa assumpta est Maria H. 11A

Messe et Motets pour la Vierge
Jordi Savall & Le Concert des Nations
À la Chapelle Royale de Versailles – 2007

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 256 kbps – 154,4 MB – 1h 25 min
powered by iTunes 12.1.1

Resumo: Jordi Savall + Le Concert des Nations + Charpentier + Versalhes = quem não gosta …  é ruim da cabeça ou tem bicho no pé!!!

Avicenna

Dmitri Shostakovich (1906-1975) – 24 Prelúdios e Fugas para Piano, Op. 87 – REVALIDADO

REVALIDADO POR VASSILY EM JULHO DE 2015

510Ex03JI5LDia desses mesmo nosso nobre colega Ranulfus revalidou os links para uma preciosa postagem do patrono PQP: a gravação feita pelo monstruoso Konstantin Scherbakov para os Prelúdios e Fugas para piano, Op. 87, de Shostakovich, Na ocasião, o distinto monge apontou que se tratava de uma das nada menos que SEIS versões da obra-prima que já tinham visto as páginas deste blogue e que nenhuma delas resistira à explosão da fábrica de fogos de artifício (i.e., o desmanche do Megaupload e seus congêneres pelo FBI e o rápido upload dos respectivos proprietários para prisões federais estadunidenses). Ao concluir, o preclaro colega conclamava seus pares a recuperarem as demais versões para a blogosfera.

Pois bem, deixo aqui minha moedinha e revalido a gravação de Vladimir Ashkenazy, postada pelo saudoso (porque não mais aqui na equipe, mas felizmente bem vivo por aí) Carlinus em 2010.

Quem prossegue?

Para facilitar, tó aqui a lista de compras para a turminha:

Konstantin Scherbakov
Tatiana Nikolayeva (áudio)
Tatiana Nikolayeva (vídeo)
Vladimir Ashkenazy
Keith Jarrett
Aleksander Melnikov

Vassily Genrikhovich (não, não gravei Shostakovich: sou só o blogueiro)


POSTAGEM ORIGINAL DE 7/10/2010, por Carlinus

Dmitri Shostakovich é um dos principais compositores dos últimos cem anos. Gosto de sua música. Esta caixa que principio a postar é algo de muito bom gosto. Como estou com certa pressa neste instante, a informação básica é de que começarei com os 24 Prelúdios e Fugas do mestre Shosta. É algo que impõe e exige atenção respeito. Há algum tempo atrás estes mesmos prelúdios apareceram aqui com Tatiana Nikolaevna, numa gravação antológica, postada pelo PQP. A gravação com Ashkenázy também é muito boa. Ashkenazy tem um talento especial para a música russa. Não deixe de ouvir. Boa apreciação!

Dmitri Shostakovich (1906-1975) – 24 Prelúdios e Fugas para Piano, Op. 87

DISCO 1

01. Prelude no.1 in C major
02. Fugue no.1 in C major
03. Prelude no.2 in A minor
04. Fugue no.2 in A minor
05. Prelude no.3 in G major
06. Fugue no.3 in G major
07. Prelude no.4 in E minor
08. Fugue no.4 in E minor
09. Prelude no.5 in D major
10. Fugue no.5 in D major
11. Prelude no.6 in B minor
12. Fugue no.6 in B minor
13. Prelude no.7 in A major
14. Fugue no.7 in A major
15. Prelude no.8 in F sharp minor
16. Fugue no.8 in F sharp minor
17. Prelude no.9 in E major
18. Fugue no.9 in E major
19. Prelude no.10 in C sharp minor
20. Fugue no.10 in C sharp minor
21. Prelude no.11 in B major
22. Fugue no.11 in B major
23. Prelude no.12 in G sharp minor
24. Fugue no.12 in G sharp minor

DISCO 2

01. Prelude no.13 in F sharp major
02. Fugue no.13 in F sharp major
03. Prelude no.14 in E flat minor
04. Fugue no.14 in E flat minor
05. Prelude no.15 in D flat major
06. Fugue no.15 in D flat major
07. Prelude no.16 in B flat minor
08. Fugue no.16 in B flat minor
09. Prelude no.17 in A flat major
10. Fugue no.17 in A flat major
11. Prelude no.18 in F minor
12. Fugue no.18 in F minor
13. Prelude no.19 in E flat major
14. Fugue no.19 in E flat major
15. Prelude no.20 in C minor
16. Fugue no.20 in C minor
17. Prelude no.21 in B flat major
18. Fugue no.21 in B flat major
19. Prelude no.22 in G minor
20. Fugue no.22 in G minor
21. Prelude no.23 in F major
22. Fugue no.23 in F major
23. Prelude no.24 in D minor
24. Fugue no.24 in D minor

Vladimir Ashkenazy, piano

BAIXAR AQUI – DOWNLOAD HERE – CD1
BAIXAR AQUI – DOWNLOAD HERE – CD2

Carlinus

Música da Renascença para Alaúdes, Vielas e Bandurra (revalidado a pedidos)

Renascença alaúdes vielas bandurra http://i0.wp.com/i37.tinypic.com/hufu6x.jpg?resize=240%2C230

Publicado originalmente em 03.10.2010

Depois de uma temporada em que acontecimentos vários me levaram a postar quase exclusivamente música brasileira do século 20, volto a um resgate mais variado daqueles vinis mais queridos dos anos 70, dos quais posso dizer, sem muito exagero, que ‘fizeram de mim quem eu sou hoje’.

Um deles é este, apesar de que nas primeiras audições nem tenha me agradado tanto: achei um pouco afobado e sem profundidade. Pouco tempo depois, no entanto, já havia se juntado àqueles a que eu recorria quanto sentia muita, mas muita vontade mesmo de “voltar pra casa”: por alguma razão sempre foi no renascimento e barroco inicial que me senti em casa – e ainda mais quando é um puro som de cordas dedilhadas, como o deste disco, tocado inteiro em duo.

Mas o maior presente que este disco de 1974 me deu foi ter me revelado de modo gritante a conexão cultural entre o Mediterrâneo e o Nordeste Brasileiro: eu se fosse vocês não deixava de ouvir com atenção as “três branles de aldeia” (branle ou bransle é uma dança de roda), especialmente a que aparece a 1 min 20 s da faixa!

E pra provocar ainda um pouco mais, na audição de hoje – 35 anos (ai!) depois de comprar o disco – tive a nítida impressão de ouvir prenúncios do som de New Orleans na faixa B10, Les Bouffons. Sinais de demência precoce? Se acharem que sim, por favor me alertem para eu postar todo o resto rápido!…

Música da Renascença para alaúdes, vielas e bandurra
Guy e Elisabeth Robert

Edição original: LP Arion France 1974
Edição brasileira: LP CBS Odissey, 1974
Digitalizado por Ranulfus, ago.2010

ESPANHA
A01 Cinco diferencias sobre Las Vacas (n.n.)
A02 La dama le demanda (Antonio de Cabezón)
A03 Pavana Italiana (Antonio de Cabezón)
A04 Recercada sobre el passamezzo moderno (Diego Ortiz)
A05 Conde Claros (Enrique de Valderrabano)

ITÁLIA
A06 Due Fantasie (Francesco da Milano)
A07 Spagna et Canon (Francesco da Milano)
A08 Contrapuncto (Vicenzo Galilei)
A09 Fantasia (Melchiore de Berberiis)

INGLATERRA
B01 Rogero (John Johnson)
B02 Levecha Pavan and Galliard (John Johnson)
B03 My Lor Chamberlain his Galliard (John Dowland)
B04 La rossignol (n.n.)
B05 Drewies accorders (n.n.)
B06 Fancy (Thomas Robinson)
B07 A toye (Thomas Robinson)
B08 Twenty ways upon The Bells (Thomas Robinson)
B09 Flatt Pavan (John Johnson)

FRANÇA
B10 Les bouffons (n.n.)
B11 Trois bransles de village (Jean-Baptiste Bésard)
B12 Allegez-moy (Pierre Phalèse)
B13 Grace et Vertu (Pierre Phalèse)

. . . . . BAIXE AQUI – download here

Ranulfus

J. S. Bach (1685-1750): Bach 2000 – Caixa 8, CDs 11, 12, 13, 14, 15 e 16

Clique aqui para todo o Bach 2000.

Com este grupo de CDs, fechamos a totalidade das composições para órgão de Bach. Esta parte da obra de papai é muito pouco ouvida, mas guarda notáveis tesouros — e isso não é apenas uma frase. Os maiores deste grupo são os concertos finais lá nos CDs 15 e 16 — transcrições de concertos alheios para diversos instrumentos — , o BWV 768, que abre o CD 11, os Prelúdios e Fugas do CD 15 e várias peças extraordinariamente experimentais perdidas aqui e ali. Divirtam-se.

Ah, importante: a relação de obras está absolutamente correta e conferida. Putz, passei o maior trabalho. Por incrível que pareça, não sei quem é(são) o(s) organista(s). Espero pelo auxílio de vocês, ouvintes-leitores do PQP Bach.

J. S. Bach (1685-1750): Bach 2000 – Caixa 8, CDs 11, 12, 13, 14, 15 e 16

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 8, CD 11
—————————————————
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 01 Chorale
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 02 Variatio 1
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 03 Variatio 2
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 04 Variatio 3
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 05 Variatio 4
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 06 Variatio 5
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 07 Variatio 6
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 08 Variatio 7
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 09 Variatio 8
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 10 Variatio 9
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 11 Variatio 10
BWV0768 Partite diverse sopra il Corale “Sei gegrüßet,Jesu gütig” 12 Variatio 11

BWV0770 Partite diverse sopra il Corale “Ach,was soll ich Sünder machen” Partita 01
BWV0770 Partite diverse sopra il Corale “Ach,was soll ich Sünder machen” Partita 02
BWV0770 Partite diverse sopra il Corale “Ach,was soll ich Sünder machen” Partita 03
BWV0770 Partite diverse sopra il Corale “Ach,was soll ich Sünder machen” Partita 04
BWV0770 Partite diverse sopra il Corale “Ach,was soll ich Sünder machen” Partita 05
BWV0770 Partite diverse sopra il Corale “Ach,was soll ich Sünder machen” Partita 06
BWV0770 Partite diverse sopra il Corale “Ach,was soll ich Sünder machen” Partita 07
BWV0770 Partite diverse sopra il Corale “Ach,was soll ich Sünder machen” Partita 08
BWV0770 Partite diverse sopra il Corale “Ach,was soll ich Sünder machen” Partita 09
BWV0770 Partite diverse sopra il Corale “Ach,was soll ich Sünder machen” Partita 10

BWV0729 Chorale Arrangement “In dulci jubilo”

BWV0707 Kirnberger Chorale “Ich hab mein Sach Gott heimgestellt”
BWV0708 Kirnberger Chorale “Ich hab mein Sach Gott heimgestellt”

BWV0763 Chorale Arrangement “Wie schön leuchtet der Morgenstern”

BWVanhII074 Chorale Partita “Schmücke dich,o liebe Seele”

BWV0766 Partite diverse sopra il Corale “Christ,der du bist der helle Tag” Partita 1
BWV0766 Partite diverse sopra il Corale “Christ,der du bist der helle Tag” Partita 2
BWV0766 Partite diverse sopra il Corale “Christ,der du bist der helle Tag” Partita 3
BWV0766 Partite diverse sopra il Corale “Christ,der du bist der helle Tag” Partita 4
BWV0766 Partite diverse sopra il Corale “Christ,der du bist der helle Tag” Partita 5
BWV0766 Partite diverse sopra il Corale “Christ,der du bist der helle Tag” Partita 6
BWV0766 Partite diverse sopra il Corale “Christ,der du bist der helle Tag” Partita 7

BWV0706 Kirnberger Chorale “Liebster Jesu,wir sind hier”

BWV0728 Chorale Arrangement “Jesus,meine Zuversicht”

BWV0691 excerpt from Notenbüchlein for Anna Magdalena Bach (1725) “Wer nur den lieben Gott läßt walten”

BWV0690 Kirnberger Chorale “Wer nur den lieben Gott läßt walten”

BWV0705 Kirnberger Chorale “Durch Adams Fall ist ganz verderbt”

BWV0767 Partite diverse sopra il Corale “O Gott,du frommer Gott” Partita 1
BWV0767 Partite diverse sopra il Corale “O Gott,du frommer Gott” Partita 2
BWV0767 Partite diverse sopra il Corale “O Gott,du frommer Gott” Partita 3
BWV0767 Partite diverse sopra il Corale “O Gott,du frommer Gott” Partita 4
BWV0767 Partite diverse sopra il Corale “O Gott,du frommer Gott” Partita 5
BWV0767 Partite diverse sopra il Corale “O Gott,du frommer Gott” Partita 6
BWV0767 Partite diverse sopra il Corale “O Gott,du frommer Gott” Partita 7
BWV0767 Partite diverse sopra il Corale “O Gott,du frommer Gott” Partita 8
BWV0767 Partite diverse sopra il Corale “O Gott,du frommer Gott” Partita 9

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 8, CD 12
—————————————————
BWV0711 Kirnberger Chorale “Allein Gott in der Höh sei Ehr”
BWV0717 Chorale Arrangement “Allein Gott in der Höh sei Ehr”
BWV0730 Chorale Arrangement “Liebster Jesu,wir sind hier”
BWV0731 Chorale Arrangement “Liebster Jesu,wir sind hier”
BWV0740 Chorale Arrangement “Wir glauben all an einen Gott,Vater”
BWV0696 Kirnberger Chorale (Fughetta super) “Christum wir sollen loben schon-Was fürchtst du Feind,Herodes,sehr”
BWV1085 Chorale Arrangement “O Lamm Gottes,unschuldig”
BWV0741 Chorale Arrangement “Ach Gott,vom Himmel sieh darein”
BWV0739 Chorale Arrangement “Wie schön leuchtet der Morgenstern”
BWV0732 Chorale Arrangement “Lobt Gott,ihr Christen,allzugleich”
BWV0695a Kirnberger Chorale “Christ lag in Todes Banden”
BWV0718 Chorale Arrangement “Christ lag in Todes Banden”
BWV0698 Kirnberger Chorale (Fughetta super) “Herr Christ,der einig Gottes Sohn”
BWV0725 Chorale Arrangement “Herr Gott,dich loben wir”
BWV0726 Chorale Arrangement “Herr Jesu Christ,dich zu uns wend”
BWV0736 Chorale Arrangement “Valet will ich dir geben”
BWV0735 Chorale Arrangement (Fantasia super) “Valet will ich dir geben”
BWV0721 Chorale Arrangement “Erbarm dich mein,o Herre Gott”
BWV0738 Chorale Arrangement “Vom Himmel hoch,da komm ich her”
BWV0758 Chorale Arrangement “O Vater,allmächtiger Gott”
BWV0754 Chorale Arrangement “Liebster Jesu,wir sind hier”
BWV0733 Chorale Arrangement “Meine Seele erhebt den Herrn”

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 8, CD 13
—————————————————
BWV0737 Chorale Arrangement “Vater unser im Himmelreich”
BWV0719 Chorale Arrangement “Der Tag,der ist so freudenreich”

BWV1090 Neumeister Chorale “Wir Christenleut”
BWV1091 Neumeister Chorale “Das alte Jahr vergangen ist”
BWV1092 Neumeister Chorale “Herr Gott,nun schleuß den Himmel auf”
BWV1093 Neumeister Chorale “Herzliebster Jesu,was hast du verbrochen”
BWV1094 Neumeister Chorale “O Jesu,wie ist dein Gestalt”
BWV1095 Neumeister Chorale “O Lamm Gottes unschuldig”
BWV1096 Neumeister Chorale “Christe,der du bist Tag und Licht-Wir danken dir,Herr Jesu Christ”
BWV1097 Neumeister Chorale “Ehre sei dir,Christe,der du leidest Not”
BWV1098 Neumeister Chorale “Wir glauben all an einen Gott”
BWV1099 Neumeister Chorale “Aus tiefer Not schrei ich zu dir”
BWV1100 Neumeister Chorale “Allein zu dir,Herr Jesu Christ”

BWV0714 Chorale Arrangement “Ach Gott und Herr”

BWV0742 Chorale Arrangement “Ach Herr,mich armen Sünder”

BWV1101 Neumeister Chorale “Durch Adams Fall ist ganz verderbt”
BWV1102 Neumeister Chorale “Du Friedefürst,Herr Jesu Christ”
BWV1103 Neumeister Chorale “Erhalt uns,Herr,bei deinem Wort”
BWV1104 Neumeister Chorale “Wenn dich Unglück tut greifen an”
BWV1105 Neumeister Chorale “Jesu,meine Freude”
BWV1106 Neumeister Chorale “Gott ist mein Heil,mein Hilf und Trost”
BWV1107 Neumeister Chorale “Jesu,meines Lebens Leben”
BWV1108 Neumeister Chorale “Als Jesus Christus in der Nacht”
BWV1109 Neumeister Chorale “Ach Gott,tu dich erbarmen”
BWV1110 Neumeister Chorale “O Herre Gott,dein göttlich Wort”
BWV1111 Neumeister Chorale “Nun lasset uns den Leib begraben”
BWV1112 Neumeister Chorale “Christus,der ist mein Leben”
BWV1113 Neumeister Chorale “Ich hab mein Sach Gott heimgestellt”
BWV1114 Neumeister Chorale “Herr Jesu Christ,du höchstes Gut”
BWV1115 Neumeister Chorale “Herzlich lieb hab ich dich,o Herr”
BWV1116 Neumeister Chorale “Was Gott tut,das ist wohlgetan”
BWV1117 Neumeister Chorale “Alle Menschen müssen sterben”

BWV0957 Chorale Arrangement “Mach’s mit mir,Gott,nach deiner Güt” (Fuga in G)

BWV1118 Neumeister Chorale “Werde munter,mein Gemüte”
BWV1119 Neumeister Chorale “Wie nach einer Wasserquelle”
BWV1120 Neumeister Chorale “Christ,der du bist der helle Tag”

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 8, CD 14
—————————————————
BWV0709 Kirnberger Chorale “Herr Jesu Christ,dich zu uns wend”
BWV0720 Chorale Arrangement “Ein feste Burg ist unser Gott”
BWVanhII049 Chorale Arrangement “Ein feste Burg ist unser Gott”
BWVanhII058 Chorale Arrangement “Jesu,meine Freude”
BWVanhII050 Chorale Arrangement “Erhalt uns,Herr,bei deinem Wort”
BWV0757 Chorale Arrangement “O Herre Gott,dein göttlichs Wort”
BWV0734 Chorale Arrangement “Nun freut euch,lieben Christen gmein”
BWV0755 Chorale Arrangement “Nun freut euch,lieben Christen”
BWV0697 Kirnberger Chorale (Fughetta super) “Gelobet seist du,Jesu Christ”
BWV0743 Chorale Arrangement “Ach,was ist doch unser Leben”
BWV0747 Chorale Arrangement “Christus,der uns selig macht”
BWV0765 Chorale Arrangement “Wir glauben all an einen Gott,Schöpfer”
BWV0702 Kirnberger Chorale (Fughetta super) “Das Jesulein soll doch mein Trost”
BWV0724 Chorale Arrangement “Gott,durch deine Güte”
BWV0722 Chorale Arrangement “Gelobet seist du,Jesu Christ”
BWVdeest Chorale Arrangement “Auf meinen lieben Gott”
BWVdeest Chorale Arrangement “Herr Christ,der einig Gottes Sohn”
BWVdeest Chorale Arrangement “Ich ruf zu Dir,Herr Jesu Christ”
BWVdeest Chorale Arrangement “Komm,heiliger Geist,erfüll die Herzen”
BWV0716 Chorale Arrangement (Fuga super) “Allein Gott in der Höh sei Ehr”
BWV0713 Kirnberger Chorale (Fantasia super) “Jesu,meine Freude”
BWV0762 Chorale Arrangement “Vater unser im Himmelreich”
BWV0712 Kirnberger Chorale “In dich hab ich gehoffet,Herr”
BWV0756 Chorale Arrangement “Nun ruhen alle Wälder”
BWV0750 Chorale Arrangement “Herr Jesu Christ,meins Lebens Licht”
BWV0749 Chorale Arrangement “Herr Jesu Christ,dich zu uns wend”
BWV0700 Kirnberger Chorale “Vom Himmel hoch,da komm ich her”
BWV0701 Kirnberger Chorale (Fughetta super) “Vom Himmel hoch,da komm ich her”
BWVdeest Chorale Arrangement
BWV0704 Kirnberger Chorale (Fughetta super) “Lob sei dem allmächtigen Gott”
BWV0703 Kirnberger Chorale (Fughetta super) “Gottes Sohn ist kommen”
BWV0727 Chorale Arrangement “Herzlich tut mich verlangen”
BWV0694 Kirnberger Chorale “Wo soll ich fliehen hin”
BWV0715 Chorale Arrangement “Allein Gott in der Höh sei Ehr”
BWV0699 Kirnberger Chorale (Fughetta super) “Nun komm,der Heiden Heiland”

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 8, CD 15
—————————————————
BWV0548 Praeludium et Fuga in E minor 1 Praeludium
BWV0548 Praeludium et Fuga in E minor 2 Fuga

BWV0561 Fantasia et Fuga in A minor 1 Fantasia
BWV0561 Fantasia et Fuga in A minor 2 Fuga
BWV0553 Praeludium et Fuga in C major
BWV0554 Praeludium et Fuga in D minor
BWV0555 Praeludium et Fuga in E minor
BWV0556 Praeludium et Fuga in F major
BWV0557 Praeludium et Fuga in G major
BWV0558 Praeludium et Fuga in G minor
BWV0559 Praeludium et Fuga in A minor
BWV0560 Praeludium et Fuga in B-flat major

BWV0571 Fantasia in G major 1 Allegro
BWV0571 Fantasia in G major 2 Adagio
BWV0571 Fantasia in G major 3 Allegro

BWV0591 Kleines harmonisches Labyrinth – Introitus-Centrum-Exitus

BWV0594 Concerto in C major 1 Allegro
BWV0594 Concerto in C major 2 Recitativo-Adagio
BWV0594 Concerto in C major 3 Allegro

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 8, CD 16
—————————————————
BWV0592 Concerto in G major 1 Allegro
BWV0592 Concerto in G major 2 Grave
BWV0592 Concerto in G major 3 Presto

BWV0563 Fantasia et Imitatio in B minor
BWV0551 Praeludium con Fuga in A minor 1 Praeludium
BWV0551 Praeludium con Fuga in A minor 2 Fuga
BWV0595 Concerto in C major
BWV0574 Fuga in C minor
BWV0576 Fuga in G major

BWV0596 Concerto in D minor 1 Andante – Grave
BWV0596 Concerto in D minor 2 Fuga
BWV0596 Concerto in D minor 3 Largo e spiccato
BWV0596 Concerto in D minor 4 Finale

BWV0579 Fuga in B minor

BWV0536 Praeludium et Fuga in A major 1 Praeludium
BWV0536 Praeludium et Fuga in A major 2 Fuga

BWV1121 Fantasia in C minor

BWV0597 Concerto in E-flat major 1 Andante
BWV0597 Concerto in E-flat major 2 Gigue

BWV0593 Concerto in A minor 1 Allegro moderato
BWV0593 Concerto in A minor 2 Adagio
BWV0593 Concerto in A minor 3 Allegro

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

bach 6

PQP