Joseph-Marie Amiot (1718-1793), Charles d’Ambleville (séc. XVI – 1637), Simon Boyleau (act. 1544–1586), Teodorico Pedrini (1671-1746) – Missa dos Jesuítas de Pequim

IM-PER-DI-BLE !!!

Tem na Amazon: aqui.

A grande e heroica saga pequepiana de descobrimento das obras barrocas do ocidente compostas no oriente chega ao seu terceiro álbum. Depois das Vésperas à Virgem Maria na China (aqui) e do Concerto Barroco na Cidade Proibida (aqui), por que não esta delirante Missa dos Jesuítas de Pequim?.

(<<< ao lado a primeira e a segunda capas do álbum). É  mais uma daquelas coisas exóticas que, ao mesmo tempo em que causam estranhamento, encantam e maravilham. São sentimentos que parecem ambíguos, mas não são: do estranhamento tiramos muitas de nossas mais pungentes e felizes recordações. E como não achar no mínimo diferentes as composições já tyanto orientalizadas de Joseph-Marie Amiot, ou ficar bestificado com a elegância das sonatas de Teodorico Pedrini e com a imensidão sugerida pelos cânones e contracantos de Charles d’Ambleville?  Tudo isso é exponencializado pela execução do grupo XVIII-021 Musique des Lumières, que mantém a elevada qualidade apresentada nas outras duas obras aqui postadas.

Mais uma pérola do oriente! Ouça! Ouça! Deleite-se!

Palhinha: Alguns trechos das peças de Amiot:

Messe des Jesuites de Pekin
Concerto barroco na Cidade Proibida

Joseph-Marie Amiot (1718-1793)
01. Actiones Nostras & C.
02. Acte D’humilité
Charles d’Ambleville (séc. XVI – 1637)
03. Kyrie
Joseph-Marie Amiot (1718-1793)
04. Prélude “Pin, Bambou, Prunus” / Aspersion De L’eau
Charles d’Ambleville (séc. XVI – 1637)
05. Gloria
06. Credo
07. Sanctus
Joseph-Marie Amiot (1718-1793)
08. Élévation De L’Hostie / Élévation Du Calice
Simon Boyleau (ativo em 1544–1586)
09. Per La Natività Della Beata Vergine
Joseph-Marie Amiot (1718-1793)
10. Salve Regina
Simon Boyleau (ativo em 1544–1586)
11. Per La Natività Della Beata Vergine
Joseph-Marie Amiot (1718-1793)
12. L’oie Qui Se Pose / Sanctissima
Simon Boyleau (ativo em 1544–1586)
13. Per La Natività Della Beata Vergine
Joseph-Marie Amiot (1718-1793)
14. Pater
Charles d’Ambleville (séc. XVI – 1637)
15. Agnus
Joseph-Marie Amiot (1718-1793)
16. Communion
17. Communion
Teodorico Pedrini (1671-1746)
18. Sonate XII, Adagio
19. Sonate XII, Pastorale
Joseph-Marie Amiot (1718-1793)
20. Prière À Jésus-Christ
21. Prière Au Saint Sacrement
22. Prière Après L’Office
23. Le Chant Des Oies Sur Leur Passage
24. Ave Maria

Ensemble Meihua Fleur De Prunus
Chœur Du Centre Catholique Chinois De Paris
François Picard, regente do coro
XVIII-21 Musique des Lumières
Jean-Christophe Frisch, regente
Temple Bon Secours, Paris, Junho de 1998

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE – Mediafire 256Mb

NÃO ME DEIXE SÓ… COMENTE!

Amiot… Nesse estilo, quem diria que esse cara é francês?…

 

Bisnaga

Franz Schubert (1797-1828): Quinteto “A Truta” / Sonata Arpeggione / Canção (Lied) A Truta

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Meu jesus cristinho, que CD bom! Creio que Schubert deva ter sido o maior inventor de melodias de todos os tempos. A junção de três obras schubertianas de primeira linha — onde as melodias vão brotando em superfetação – e um conjunto de técnica superior e enorme tesão, comandados pela notável dupla Ax-Ma, fazem deste trabalho um CD obrigatório. É difícil de acontecer, mas não faço reparo algum à interpretação do extraordinário grupo de músicos. Eles fazem o melhor Schubert. E ponto final.

Franz Schubert (1797-1828): Trout Quintet / Arpeggione Sonata / Die Forelle

1. Quintet in A Major for Piano and Strings, Op. post. 114, D. 667 “The Trout”: I. Allegro vivace 13:14
2. Quintet in A Major for Piano and Strings, Op. post. 114, D. 667 “The Trout”: II. Andante 6:37
3. Quintet in A Major for Piano and Strings, Op. post. 114, D. 667 “The Trout”: III. Scherzo. Presto – Trio 3:51
4. Quintet in A Major for Piano and Strings, Op. post. 114, D. 667 “The Trout”: IV. Theme & Variations. Andantino 7:46
5. Quintet in A Major for Piano and Strings, Op. post. 114, D. 667 “The Trout”: V. Finale. Allegro giusto 6:20

6. Sonata in A minor for Piano and Arpeggione (Cello). D. 821: I. Allegro moderato 11:11
7. Sonata in A minor for Piano and Arpeggione (Cello). D. 821: II. Adagio 4:21
8. Sonata in A minor for Piano and Arpeggione (Cello). D. 821: III. Allegretto 8:55

9. Die Forelle, D. 550 2:16

Emanuel Ax, piano
Pamela Frank, violino
Rebecca Young, viola
Yo-Yo Ma, violoncelo
Edgar Meyer, contrabaixo
Barbara Bonney, soprano

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Vai escrever melodias assim na...

Schubert: o maior melodista de todos os tempos?

PQP

Martín Melitón Pablo de Sarasate y Navascués (1844-1908) – Julia Fischer – Sarasate – Julia Fischer, Milana Chernayavska

51izaybKDrL._SY450_PJautoripBadge,BottomRight,4,-40_OU11__Eis um cd delicioso, que mostra toda a versatilidade e criatividade de um dos grandes violinistas da história, o espanhol Pablo de Sarasate, na interpretação impressionante de Julia Fischer.
Quando Sarasate nasceu, Paganini já havia falecido, mas não dá para não comparar os dois. Extremamente técnico e um virtuoso, Sarasate já encantava platéias com meros oito anos de idade, incluíndo a própria Rainha Isabel II, que além de bancar os estudos do jovem virtuoso em Paris, ainda lhe deu um violino Stradivarius.
Em fóruns consultados na internet, violinistas comentam as obras de Sarasate, e em sua maior parte, estes músicos dizem preferir sua música pois tem impregnada nela a alma espanhola, não são apenas exercícios de técnica e velocidade, como as de Paganini.  Um deles inclusive colocou que: Paganini is for musicians, Sarasate is for violinists.
Como não sou violinista, muito menos músico, mas admiro demais o instrumento, prefiro me abster desta discussão. O que realmente admiro em Sarasate é como ele conseguiu expressar em sua música a alma espanhola, como o comentarista acima colocou. E como sou um entusiasta da música espanhola, digamos que lhe dou uma cabeça de vantagem nessa “competição”.
Julia Fischer no texto do booklet faz uma bela defessa do porquê ter gravado um Cd apenas com obras de Sarasate. Mesmo estando em inglês, sugiro a leitura.

01. Danzas españolas 4 Helf, op.26 – VII. Vito
02. VIII. Habanera
03. Jota Aragonesa, op.27
04. Serenata andaluza, op.28
05. El canto del ruiseñor, op.29
06. Danzas españolas 1 Helf, op.21 – I. Malagueña
07. II. Habanera
08. 2 Helf, op.22 – III. Romanza Andaluza
09. IV. Jota Navarra
10. 3 Helf, op.23 – V. Playera
11. VI. Zapateado
12. Caprice Basque, op.24
13. Zigeunerweisen, op.20

Julia Fischer – Violin
Milana Chernyavska – Piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

julia-fischer-1238665846-article-0

Não se deixem enganar por este rosto angelical de Julia Fischer. Por trás deles temos uma das melhores violinistas de sua geração.

Biber: Battalia e outras obras / Locke: The Tempest / Zelenka: Fanfare — Il Giardino Armonico


IM-PER-DÍ-VEL !!!

Em verdade vos digo: nunca deixeis de ouvir as gravações do Il Giardino Armonico, são sempre FANTÁSTICAS. Mas sim, comecemos pelo que interessa: IM-PER-DÍ-VEL !!!! Ah, já tinha dito, né? Este é um disco de música barroca sem o qual você não pode viver sem. A vitalidade e o frescor das interpretações do Il Giardino Armonico trabalham favoravelmente à música dos grandes Biber e Locke, compositores imerecidamente pouco ouvidos. E, para melhorar ainda mais, são obras divertida, cheias de expressão surpreendente. A Battalia de Biber e a a música incidental escrita por Locke para a peça de Shakespeare A Tempestade são das coisas mais arrepiantes que há.

Mas temos que voltar a Antonini e seu Giardino: há muitos especialistas em barroco, mas este grupo — o preferido por Cecilia Bartoli — é especial. Muitas vezes agressivo, quase sempre inesperado mas sempre eufônico, o grupo costuma explorar seu repertório com tanto entusiasmo que as músicas parecem outras após um tratamento “Armonico”.

Biber: Battalia e outras obras / Locke: The Tempest / Zelenka: Fanfare — Il Giardino Armonico

Jan Dismas Zelenka (1679-1745):
1. Fanfare in D major (02:11)

Heinrich Ignaz Franz Von Biber (1644 – 1704):
2. Battalia – Sonata – Allegro (01:52)
3. Battalia – Die liederliche Gesellsschaft von allerley Humor (Allegro) (00:45)
4. Battalia – Presto (00:26)
5. Battalia – The march (violin I solo) (01:03)
6. Battalia – Presto (2) (01:01)
7. Battalia – Aria (02:39)
8. Battalia – The battle (00:42)
9. Battalia – Lamento der Verwundten Musquetirer (Adagio) (01:31)
10. Passacaglia in C minor (04:55) — Luca Pianca, archlute
11. Anon. / Tune for the woodlark (00:20) – Giovanni Antoini, flautino
12. Sonata Violino solo representativa – Allegro (01:46)
13. Sonata Violino solo representativa – The nightingale (01:22)
14. Sonata Violino solo representativa – The cuckoo (00:42)
15. Sonata Violino solo representativa – The frog (00:42)
16. Sonata Violino solo representativa – Adagio (00:25)
17. Sonata Violino solo representativa – The hen & the cock (00:24)
18. Sonata Violino solo representativa – Presto (00:12)
19. Sonata Violino solo representativa – Adagio – The quail (00:42)
20. Sonata Violino solo representativa – The cat (00:25)
21. Sonata Violino solo representativa – The musketeers’ march (01:14)
22. Sonata Violino solo representativa – Allamande (01:41)
23. – Onofri, Enrico – Ricercare (01:52) Michele Barchi, gravicembalo / Riccardo Doni, organ
24. – Partita VII in C minor – Praeludium (03:24) Enrico Onofri, Marco Bianchi, viole d’amore / Giovanni Antonini, tenor chalumeau / Vittorio Ghielmi, bass and tenor violas da gamba / Luca Pianca, archlute / Michele Barchi, gravicembalo and organ
25. – Partita VII in C minor – Allamande (02:18)
26. – Partita VII in C minor – Sarabande (01:42)
27. – Partita VII in C minor – Gigue – Presto (01:22)
28. – Partita VII in C minor – Aria (01:35)
29. – Partita VII in C minor – Trezza (00:48)
30. – Partita VII in C minor – Arietta variata (05:58)

Matthew Locke (1621 – 1677):
31. – Canon 4 in 2 (00:48)
32. – Music for The Tempest – Introduction (01:03)
33. – Music for The Tempest – Galliard (01:30)
34. – Music for The Tempest – Gavot (01:06)
35. – Music for The Tempest – Sarabrand (03:02)
36. – Music for The Tempest – Lilk (00:54)
37. – Music for The Tempest – Curtain Tune (05:19)
38. – Music for The Tempest – First Act Tune – Rustick Air (01:18)
39. – Music for The Tempest – Second Act Tune – Minoit (01:32)
40. – Music for The Tempest – Third act tune – Corant (01:05)
41. – Music for The Tempest – Fourth act tune – A Martial Jigge (01:43)
42. – Music for The Tempest – Conclusion: A Canon 4 in 2

Il Giardino Armonico
Giovanni Antonini

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Parte dos membros do Il Giardino Armonico

O correto é tocar assim, viu?

PQP

The Debussy Edition – CD 10 de 17 – Chamber Music – Melos Quartett, Dumay, Pires, Argerich, Maisky, et. all

box frontEste volume da Debussy Edition é tão bom que merece aparecer sozinho na postagem. Posso dizer sem temer que a DG aqui caprichou e escolheu a dedo os intérpretes. Desde o Quarteto, esplêndido nas mãos do Melos Quartett, passando pelas duplas Dumay / Pires, Argerich / Maisky, o trio com harpa e terminando com uma peça para flauta solo, enfim, este CD é um primor em se tratando de qualidade técnica e sensibilidade musical.
Infelizmente Debussy não se dedicou muito ao gênero Música de Câmara, mas o pouco que fez, já foi suficiente para nos alegrar.
Um CD para ouvirmos com calma e tranquilidade, de preferência sentados em nossas melhores poltronas, e apreciando um bom vinho. Espero que apreciem tanto quanto eu apreciei.

1 Quatuor à cordes – I. Animé et décidé
2 II. Assez vif et bien rythmé
3 III. Andantino, doucement expressif
4 IV. Très modéré

Mellos Quartett

5 Sonate pour violon et piano – I. Allegro vivo
6 II. Intermède. Fantasque et léger
7 III. Finale. Très animé

Augustin Dumay – Violin
Maria João Pires

8 Sonate pour violoncelle et piano – I. Prologue. Lent
9 II. Sérénade. Modérément animé
10 III. Finale. Animé

Mischa Maisky – Cello
Martha Argerich – Piano

11 Sonate en trio – I. Pastorale. Lento, dolce rubato
12 II. Interlude. Tempo di Minuetto
13 III. Finale. Allegro moderato ma risoluto

Wolfgang Schulz – Flute
Wolfram Christ – Viola
Margit-Anna Süss – Harp

14 Syrinx pour flûte seule

Wolfgang Schulz – Flute

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDPBach

Joseph Haydn (1732-1809): Cassations Nº 9 e 20

O blog holandês 33 toeren klassiek faz conversões de antigos LPs de vinil para mp3. A qualidade é sempre excelente não somente do ponto de vista técnico, é que as escolhas musicais são especiais. Elas nunca passam pelo óbvio, mas por cantinhos desconhecidos ou esquecidos do repertório e da história das gravações. É um tremendo, criterioso e qualitativo resgate histórico. Peguei de lá esta raríssima gravação do Collegium Aureum para a Harmonia Mundi em 1963.

Haydn HM 30 643 1

Cassation é um gênero ainda menor do que a Serenata ou o Divertimento. Trata-se de uma série de movimentos curtos e alegres para orquestra de câmara. Muita gente boa escreveu Cassassões lá pela metade do século XVIII. A música de Haydn serve bem ao gênero. Haydn era leve, ousado e feliz. Até suas Missas revelam uma relação secular com a divindade. O cara era feliz e não abria mão disso, ora. Ouçam o disco e comprovem: é música para abrir um bom dia.

Joseph Haydn (1732-1809): Cassations Nº 9 e 20

1 Cassatie in G (HV .II, 9, 1764) 15:26
allegro molto – menuet – adagio cantabile – menuet – finale: presto
2 Cassatie in F (HV II, 20, 1763)
allegro – menuet – adagio – menuet – finale: presto

Membros do Collegium Aureum
Direção de Franzjosef Maier
Harmonia Mundi HM 30 643
Gravado em junho de 1963
Tempo total: 33:08

Os caras em holandês:
Alfred Sous, hobo
Helmuth Hucke, hobo
Gerd Seifert, hoorn
Erich Penzel, hoorn
Ulrich Grehling, viool
Franz-Josef Maier, viool
Ulrich Koch, altviool
Günther Lemmen, altviool
Reinhold Johannes Buhl, cello
Johannes Koch, violone

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Haydn HM 30 643 2

PQP

Johann Sebastian Bach (1685-1750) – Bach Concertos – Viktoria Mullova, Octavio Dantone

frontPor uma falha indisculpável, esse CD da nossa musa Viktoria Mullova ficou esquecido no armário, no meio da minha bagunça secular e histórica. Quando o encontrei, fui correndo nos arquivos do PQPBach para verificar se realmente não tinha sido postado. Mas como pode ter acontecido isso? Mullova é caso de amor antigo. A ouço desde a minha adolescência, e me encantei com ela imediatamente.
Mullova / Dantone é uma dupla frequente aqui. Os dois sempre estão juntos, gravando, dando recitais, etc. Um é a cara metade do outro. Musicalmente falando, é claro.
E é claro que esse cd foi agraciado com cinco estrelas pelos clientes da amazon. E com méritos. Eis o texto do editorialista do site:

“Viktoria Mullova’s Bach recordings for Onyx have received worldwide praise. London’s Sunday Times said her Sonatas and Partitas for solo violin, “exemplify the best of old and new stylistic approaches to Bach’s masterpieces.” For this album, she once again teams up with harpsichordist Ottavio Dantone in a program that pairs the two famous solo Violin Concertos with two concertos arranged for violin. The Violin Concerto BWV1053 was arranged from the second harpsichord concerto and the Concerto for Violin & Harpsichord BWV1060 was arranged from the concerto for violin and oboe (which had previously been arranged by Bach himself from his concerto for two harpsichords). Having worked together for many years, Mullova and Dantone sought a piece they could both play with orchestra, and this brilliant arrangement is the result. Performed here with the Accademia Bizantina, it is the perfect conclusion to a masterful Bach program.”

Não quero nem pretendo chover no molhado, mas o trabalho que Mullova vem fazendo ao longo dos anos, se estabelecendo como uma das grandes intérpretes do barroco, vide suas gravações de Vivaldi e de Bach, a tornaram uma das maiores estrelas do violino dos últimos trinta anos. E quando mudou-se de mala e cuia para o selo ONIX pode então realizar suas fantasias mais secretas, como estas suas gravações dos concertos de Bach transcritos pelo próprio para violino.
O conjunto italiano ” l´Academia Bizantina” tem nos brindado com excelentes gravações nos últimos anos, e com a direção de Octavio Dantone tornou-se um dos mais requisitados e respeitados conjuntos de música barroca.

01 – J.S. Bach – Violin Concerto in E BWV 1042 – I. Allegro
01 – J.S. Bach – Violin Concerto in E BWV 1042 – II. Adagio
02 – J.S. Bach – Violin Concerto in E BWV 1042 – III. Allegro assai
03 – J.S. Bach – Concerto for Harpsichord in E BWV 1053 (arr.for violin in D) – I
04 – J.S. Bach –  Concerto for Harpsichord in E BWV 1053 (arr.for violin in D) – I – Siciliano
05 – J.S. Bach –  Concerto for Harpsichord in E BWV 1053 (arr.for violin in D) – III – Allegro
06 – J.S. Bach –  Violin Concerto in A minor BWV 1041 – I. Allegro
07 – J.S. Bach –  Violin Concerto in A minor BWV 1041 – II. Andante
08 – J.S. Bach –  Violin Concerto in A minor BWV 1041 – III. Allegro assai
09 – J.S. Bach –  Concerto for two harpsichords in C minor BWV 1060 (arr.for violin and harpsichords) – Allegro
10 – J.S. Bach –  Concerto for two harpsichords in C minor BWV 1060 (arr.for violin and harpsichords) – Adagio
11 – J.S. Bach –  Concerto for two harpsichords in C minor BWV 1060 (arr.for violin and harpsichords) – Allegro

Viktoria Mullova – Violin
Accademia Bizantina
Ottavio Dantone – Director

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDPBach

juzzolo2146AccademiaBizanti

Viktoria Mullova em ação com a Accademia Bizantina e Ottavio Dantone ao cravo

Johann Sebastian Bach (1685-1750): Bach Kantaten – Vol. 2 – Ostern – Mathis, Reynolds, Schreier, Fischer-Dieskau et. all.

61ZHHJRZ05L

Fiz as correções necessárias. Verifiquem se deu certo. Qualquer coisa me avisem.

Esta segunda caixa das Cantatas gravadas por Karl Richter traz as obras compostas para o período da Páscoa. São cinco cds.
Como comentei anteriormente, Karl Richter cercou-se dos principais solistas da época, o que é um privilégio para nós, convenhamos. Termos a oportunidade de ouvir Peter Schreier, Fischer-Dieskau, Hertha Töpper, Richter reuniu um time de estrelas, com certeza.
Para quem gosta de Wagner, também vai reconhecer alguns nomes de wagnerianos ilustres, como Theo Adam e o eterno Fischer-Dieskau.
Mas vamos ao que interessa, pois tem muita coisa bonita para vocês ouvirem aqui.

Vol. 2 – Ostern

CD 1

01 – Cantata for Septuagesima Sunday – Chor BWV 92
02 – Cantata for Septuagesima Sunday – Rezitativ und Choral (Bass) BWV 92
03 – Cantata for Septuagesima Sunday – Arie (Tenor) BWV 92
04 – Cantata for Septuagesima Sunday – Choral (Chor-Alt) BWV 92
05 – Cantata for Septuagesima Sunday – Rezitativ (Tenor) BWV 92
06 – Cantata for Septuagesima Sunday – Arie (Bab) BWV 92
07 – Cantata for Septuagesima Sunday – Choral und Rezitativ (Chor) BWV 92
08 – Cantata for Septuagesima Sunday – Arie (Sopran) BWV 92
09 – Cantata for Septuagesima Sunday – Choral BWV 92
10 – Cantata for Sexagesima Sunday – Chor BWV 126
11 – Cantata for Sexagesima Sunday – Arie (Tenor) BWV 126
12 – Cantata for Sexagesima Sunday – Rezitativ (Alt, Tenor) BWV 126
13 – Cantata for Sexagesima Sunday – Arie (Bab) BWV 126
14 – Cantata for Sexagesima Sunday – Rezitativ (Tenor) BWV 126
15 – Cantata for Sexagesima Sunday – Choral BWV 126
16 – Cantata for Quinquagesima Sunday – Duett (Sopran, Alt) BWV 23
17 – Cantata for Quinquagesima Sunday – Rezitativ (Tenor) BWV 23
18 – Cantata for Quinquagesima Sunday – Chor BWV 23
19 – Cantata for Quinquagesima Sunday – Choral BWV 23

CD 2

01 – BWV 1 – 1. Chor
02 – BWV 1 – 2. Rezitativ (Tenor)
03 – BWV 1 – 3. Arie (Sopran)
04 – BWV 1 – 4. Rezitativ (Bass)
05 – BWV 1 – 5. Arie (Tenor)
06 – BWV 1 – 6. Choral
07 – BWV 182 – 1. Sonata
08 – BWV 182 – 2. Chor
09 – BWV 182 – 3. Rezitativ (Bass)
10 – BWV 182 – 4. Arie (Bass)
11 – BWV 182 – 5. Arie (Alt)
12 – BWV 182 – 6. Arie (Tenor)
13 – BWV 182 – 7. Choral
14 – BWV 182 – 8. Chor

CD 3

01 – Cantata for the 1st Day of Easter – Sinfonia BWV 4
02 – Cantata for the 1st Day of Easter – Versus 1 BWV 4
03 – Cantata for the 1st Day of Easter – Versus 2 BWV 4
04 – Cantata for the 1st Day of Easter – Versus 3 BWV 4
05 – Cantata for the 1st Day of Easter – Versus 4 BWV 4
06 – Cantata for the 1st Day of Easter – Versus 5 BWV 4
07 – Cantata for the 1st Day of Easter – Versus 6 BWV 4
08 – Cantata for the 1st Day of Easter – Versus 7 BWV 4
09 – Cantata for the 2nd Day of Easter – Chor BWV 6
10 – Cantata for the 2nd Day of Easter – Arie (Alt) BWV 6
11 – Cantata for the 2nd Day of Easter – Choral (Chor-Sopran) BWV 6
12 – Cantata for the 2nd Day of Easter – Rezitativ (Bab) BWV 6
13 – Cantata for the 2nd Day of Easter – Arie (Tenor) BWV 6
14 – Cantata for the 2nd Day of Easter – Choral BWV 6
15 – Cantata for the 3rd Day of Easter – Rezitativ (Bab) BWV 158
16 – Cantata for the 3rd Day of Easter – Arie und Choral (Bab, Chor-Sopran) BWV 158
17 – Cantata for the 3rd Day of Easter – Rezitativ (Bab) BWV 158
18 – Cantata for the 3rd Day of Easter – Choral BWV 158
19 – Cantata for the 1st Sunday after Easter – Chor BWV 67
20 – Cantata for the 1st Sunday after Easter – Arie (Tenor) BWV 67
21 – Cantata for the 1st Sunday after Easter – Rezitativ (Alt) BWV 67
22 – Cantata for the 1st Sunday after Easter – Choral BWV 67
23 – Cantata for the 1st Sunday after Easter – Rezitativ (Alt) BWV 67
24 – Cantata for the 1st Sunday after Easter – Arie (Bab, Chor) BWV 67
25 – Cantata for the 1st Sunday after Easter – Choral BWV 67

CD 4

01 – Cantata for the 2nd Sunday after Easter – Chor BWV 104
02 – Cantata for the 2nd Sunday after Easter – Rezitativ (Tenor) BWV 104
03 – Cantata for the 2nd Sunday after Easter – Arie (Tenor) BWV 104
04 – Cantata for the 2nd Sunday after Easter – Rezitativ (Bab) BWV 104
05 – Cantata for the 2nd Sunday after Easter – Arie (Bab) BWV 104
06 – Cantata for the 2nd Sunday after Easter – Choral BWV 104
07 – Cantata for the 3rd Sunday after Easter – Sinfonia BWV 12
08 – Cantata for the 3rd Sunday after Easter – Chor BWV 12
09 – Cantata for the 3rd Sunday after Easter – Rezitativ (Alt) BWV 12
10 – Cantata for the 3rd Sunday after Easter – Arie (Alt) BWV 12
11 – Cantata for the 3rd Sunday after Easter – Arie (Bab) BWV 12
12 – Cantata for the 3rd Sunday after Easter – Arie (Tenor) BWV 12
13 – Cantata for the 3rd Sunday after Easter – Choral BWV 12

CD 5

01 – BWV 108 – 1. Arie (Bass)
02 – BWV 108 – 2. Arie (Tenor)
03 – BWV 108 – 3. Rezitativ (Tenor)
04 – BWV 108 – 4. Chor
05 – BWV 108 – 5. Arie (Alt)
06 – BWV 108 – 6. Choral
07 – BWV 87 – 1. Arie (Bass)
08 – BWV 87 – 2. Rezitativ (Alt)
09 – BWV 87 – 3. Arie (Alt)
10 – BWV 87 – 4. Rezitativ (Tenor)
11 – BWV 87 – 5. Arie (Bass)
12 – BWV 87 – 6. Arie (Tenor)
13 – BWV 87 – 7. Choral

Edith Mathis – Soprano
Anna Reynolds, Hertha Töpper – Alt
Peter Schreier, Ernst Häefliger – Tenor
Theo Adam, Dietrich Fischer-Dieskau – Bass

CD 1 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 2 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 3 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 4 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 5 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDPBach

C.P.E. Bach (1714-1788): Cello Concertos

Bach teve dois filhos que podem figurar entre os grandes compositores de todos os tempos: o mais velho, Wilhelm Friedemann Bach, e o quinto (o segundo a chegar à idade adulta), Carl Philipp Emanuel Bach. É claro que eles ficam meio que à sombra do Grande Pai de Todos Nós. Mas o que fazer? Estes concertos de CPE são extraordinários e a interpretação do norueguês Truls Mørk vale o ingresso, quero dizer, o download. A observação também vale para os compreensivos e afinados Les Violins du Roy, que dão muito mais que um mero suporte ao excelente Mørk. Baita CD.

C.P.E. Bach (1714-1788): Cello Concertos

1. Cello Concerto Wq.172 in A major: Allegro 6:26
2. Cello Concerto Wq.172 in A major: Largo con sordini, mesto 7:35
3. Cello Concerto Wq.172 in A major: Allegro assai 5:03

4. Cello Concerto Wq.171 in B flat major: Allegretto 8:05
5. Cello Concerto Wq.171 in B flat major: Adagio 8:20
6. Cello Concerto Wq.171 in B flat major: Allegro assai 6:27

7. Cello Concerto Wq.170 in A minor: Allegro assai 10:38
8. Cello Concerto Wq.170 in A minor: Andante 8:43
9. Cello Concerto Wq.170 in A minor: Allegro assai 6:50

Truls Mørk, cello
Les Violins du Roy
Bernard Labadie

DOWNLOAD HERE — BAIXE AQUI

Truls Mork: respeitem o loirinho careca!

Truls Mork: respeitem o loirinho careca!

PQP

Antonio Meneses – Suítes brasileiras

SuitesBrasileirasEste é o terceiro CD de Meneses que ora está sendo postado e talvez o mais importante de todos os que o violoncelista recifense gravou pois concretiza um projeto e sem precedentes no país: o de estímulo à produção de um repertório específico para um instrumento.

Diz o release de divulgação do disco:

“Há alguns anos, Antonio Meneses encomendou a compositores brasileiros obras que servissem como uma espécie de preâmbulo para cada uma das seis suítes para violoncelo solo de Johann Sebastian Bach. O objetivo era realizar um prolongamento, guardadas as proporções, da homenagem que Villa-Lobos fizera a Bach nas Bachianas Brasileiras.”

Daí que cada uma das seis primeiras obras – totalmente diferentes entre si na estética – parafraseia uma suíte bachiana. Na segunda metade do álbum, há uma suíte inteira em cinco movimentos, que Meneses pediu especialmente ao conterrâneo pernambucano Clóvis Pereira.

Clóvis, depois de Marlos Nobre, é o maior compositor erudito pernambucano vivo. Embora sua produção não seja muito extensa e seja quase desconhecida fora de seu estado natal, dificilmente decepciona, deixando-se claro que ela segue em maior ou menor grau as linhas do Movimento Armorial.

A parceria Meneses-Clóvis nasceu uma obra antes, com o Concertino para violoncelo e orquestra (2005) – o qual vai ser lançado por Meneses em disco este ano junto com os dois concertos de Haydn -, e deu tão certo que já está sendo escrita uma sonata pra cello e piano, a ter estreia em 2011.

***

Antonio Meneses – Suítes brasileiras

1. Etius Melos, de Ronaldo Miranda
2. Cantoria 1 para violoncelo solo, de Marlos Nobre
3. Preambulum, de Almeida Prado
4. Pequena seresta de Bach, de Edino Krieger
5. Preludiando, de Marisa Resende
6. Invocatio nº 1, de Marco Padilha

Suíte macambira, de Clóvis Pereira
7. Overture
8. O canto do cego
9. Dança característica
10. Coco embolado
11. Frevo canzonado

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Antonio Meneses: indiscutível, bom pra caralho

Antonio Meneses: indiscutivelmente, bom pra caralho

CVL

Lobo de Mesquita (1746 – 1805): Te Deum: Orquestra de Câmara do Brasil & Coro Ars Nova: Maestro José Siqueira (Acervo PQPBach)

Te Deum de Lobo de Mesquita

Quis o destino benfazejo que este LP de 1978 fosse resgatado de uma prateleira empoeirada, cheia de LPs velhos, no fundo de um sebo! É um LP privado, não foi comercializado, e foi patrocinado pelo Banco do Brasil. Nada mais se sabe sobre ele, a não ser:


* é a principal obra (Te Deum) de um dos mais brilhantes compositores brasileiros (Lobo de Mesquita) interpretada por uma das mais importantes orquestras brasileiras (Orquestra de Câmara do Brasil) e acompanhada por um dos mais lapidados corais brasileiros (Coro Ars Barroca), regidos por um dos mais completos maestros brasileiros (José Siqueira). Em resumo: uma obra-prima jogada às traças !!  IM-PER-DÍ-VEL !!

Como podemos cobrar das novas gerações a falta de sentimento de cidadania, de amor e orgulho pela pátria, se nem os nossos heróis cultivamos? Nossos filhos vão se orgulhar do que? de quem?

Quem já ouviu falar no Maestro José Siqueira levanta a mão!

Esta repostagem é dedicada ao nosso amigo Bisnaga, que ressuscitou, reviveu neste site, a vida e a obra do maestro José Siqueira após esta postagem !!!!!! Não tem preço.

Te Deum

O Te Deum, também chamado às vezes o ambrosiano, devido à sua associação com Santo Ambrósio, é um hino tradicional de alegria e ação de graças. Primeiramente atribuído aos Santos Ambrósio e Agostinho, ou Hilary, agora está creditado para Nicetas, bispo de Remesiana (século 4). Ele é usado na conclusão do Ofício das Leituras da Liturgia das Horas aos domingos fora da Quaresma, diariamente durante os Oitavas de Natal e Páscoa, e nas solenidades e festas.

Maestro José de Lima Siqueira

Maestro, compositor e acadêmico brasileiro nascido em 1907 em Conceição, no Vale do Piancó, alto sertão do Estado da Paraíba, regente e compositor reconhecido em nível internacional, de suma importância como educador pelo papel de liderança que exerceu no meio musical de sua época e pela participação na criação de várias entidades de classe e culturais, tornando-se uma das grandes figuras da música brasileira no século XX.

Filho de um mestre da banda Cordão Encarnado, em sua cidade natal, que lhe ensinou a tocar diversos instrumentos como saxofone e trompete. Durante sua juventude, atuou em bandas de música de várias cidades do interior da Paraíba. Foi para o Rio de Janeiro (1927), então capital da República, como integrante das tropas que tinham sido recrutadas para combater a Coluna Prestes e logo ingressou na Banda Sinfônica da Escola Militar, como trompetista. Estudou (1928-1930) composição com Francisco Braga e Walter Burle-Marx, no antigo Instituto Nacional de Música, e formou-se em Composição e Regência (1933) e iniciou sua brilhante carreira de compositor e regente no Brasil e no exterior, em grandes orquestras dos Estados Unidos, Canadá, França, Portugal, Itália, Holanda, Bélgica e Rússia, entre outros países.

Regeu nos Estados Unidos grandes orquestras como a Sinfônica de Filadélfia, Detroit, Rochester. Na França regeu a Orchestre Radio-Symphonique, de Paris, e em Roma, a Sinfônica de Roma, entre outras. Foi professor da Escola de Música da Universidade do Brasil, hoje da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Fundou a Orquestra Sinfônica Brasileira (1940) e formou-se em Direito (1943). Viajou pelos EUA e Canadá e fundou a Orquestra Sinfônica do Rio de Janeiro (1949), fechada 2 anos depois. Quando esteve em Paris (1953) freqüentou o curso de musicologia da Sorbonne. Oficializou junto ao prefeito Miguel Arraes, a Orquestra Sinfônica do Recife, a mais antiga do país.

Idealizou e criou a Ordem dos Músicos do Brasil, assumindo a sua Presidência (1960). Fundou a Orquestra Sinfônica Nacional (1961) e a Orquestra de Câmara do Brasil (1967). Figura incomparável do mundo cultural brasileiro, foi aposentado (1969) pela ditadura militar devido à sua pregação democrática. Proibido de lecionar, gravar e reger, encontrou abrigo na extinta União Soviética, onde regeu a Orquestra Filarmônica de Moscou e participou como jurado de grandes concursos de música internacionais. Também foi em Moscou que boa parte de sua obra foi editorada e preservada enquanto que no Brasil o estúpido governo militar cuidava de alijá-lo da história.

(A esse respeito, conta-nos Carlos Pereira: Em 1964, no golpe militar, foi submetido a interrogatório e protagonizou com um coronel, um diálogo que ficou famoso. O milico lhe perguntou se já tinha ido à Rússia e ele não só confirmou, como disse que gostava de lá voltar de vez em quando para… reger a Sinfônica de Moscou. Resultado: foi fichado como comunista e proibido, por alguns anos, de reger a Orquestra Sinfônica Brasileira. http://www.carlospereira.net.br/index.php/component/content/article/34-cronicas/323)

Deve-se a ele ainda a criação da Orquestra de Câmara do Brasil, da Sociedade Artística Internacional, do Clube do Disco e da Ordem dos Músicos do Brasil. Também publicou vários livros didáticos tais como Canto Dado em XIV Lições, Música para a Juventude, em quatro volumes, Sistema Trimodal Brasileiro, Curso de Instrumentação, entre outros.

Faleceu aos 78 anos, na cidade do Rio de Janeiro, no dia 22 de abril de 1985, deixando uma vastíssima obra composta de óperas, cantatas, concertos, oratórios, sinfonias e até a música de câmara, para instrumentos solos e para voz. A cadeira nº 8 da Academia Brasileira de Música, fundada (1945) por Heitor Villa-Lobos, nos moldes da Academia Francesa, foi alocada para ele como co-fundador, depois que o efetivo da Academia se reduziu de 50 para 40 cadeiras. Seu nome foi dado à Grande Sala da Cidade da Música por decreto do então Prefeito Cesar Maia, publicado no Diário Oficial do Município (2008). Uma justa homenagem a essa figura reconhecida internacionalmente, defensor da cultura musical brasileira e responsável por iniciativas como a criação da Orquestra Sinfônica Brasileira da cidade do Rio de Janeiro, da Academia Brasileira de Música, da Ordem dos Músicos do Brasil e dos Concertos Para a Juventude.
(http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/JoseLSiq.html)

Palhinha: ouça a integral do Te Deum, enquanto observa fotos de Serro, MG (antiga Vila do Príncipe), onde Lobo de Mesquita nasceu.

.
José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita (Vila do Príncipe, 1746- Rio de Janeiro, 1805)
Te Deum
01. Te Dominum confitemur
02. Tibi omnes Angeli; tibi cæli et universæ Potestates
03. Sanctus, Sanctus, Sanctus, Dominus Deus Sabaoth
04. Te gloriosus Apostolorum chorus
05. Te Martyrum candidatus laudat exercitus
06. Patrem immensæ maiestatis
07. Sanctum quoque Paraclitum Spiritum
08. Tu Patris sempiternus es Filius
09. Tu, devicto mortis aculeo, aperuisti credentibus regna cælorum
10. Judex crederis, esse venturus. Te ergo quæsumus, tuis famulis subveni, quos pretioso sanguine redemisti
11. Salvum fac populum tuum Domine, et benedict hereditati tuæ
12. Per singulos dies, benedicimus te
13. Dignare Domine die isto sine peccato nos custo dire
14. Fiat misericordia tua Domine super nos, quem admodum speravimus in te
15. Non confundar in aeternum

Barroco Mineiro – 1978
Orquestra de Câmara do Brasil & Coro Ars Barroca
Maestro José de Lima Siqueira

LP de 1978 digitalizado por Avicenna


BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC 292,3 MB |

BAIXE AQUÍ – DOWNLOAD HERE
.aif 700-800 kbps – 357,8 MB – 25,5 min

BAIXE AQUÍ – DOWNLOAD HERE
.mp3 320 kbps – 79.5 MB – 25,5 min
powered by iTunes 10.5.2

Boa audição.

Avicenna

As modinhas do Brasil (Acervo PQPBach)

As modinhas do Brasil

Eliane Aquino, soprano
Keila de Moraes, mezzo-soprano
Kenny Simões, espineta
Edilson de Lima, violão.

 

.

Segundo Silvio Romero, a modinha teria surgido …
Um outro grupo de escritores, dentre eles Tomaz Borba …
Já o escritor Ernesto Vieira,em seu …
O historiador português Pinto de Carvalho …
José Ramos Tinhorão, por sua vez …

Esse é o início dos 5 primeiros parágrafos do livro “As modinhas do Brasil”, de Edilson de Lima, publicado pela Edusp em 2001, 280 páginas, que apresenta a letra e a partitura de cada modinha abaixo, interpretadas por Eliane Aquino, soprano; Keila de Moraes, mezzo-soprano; Kenny Simões, espineta e Edilson de Lima, violão.

Compositor: Anônimo, séc. XIX/XVIII
01. Você Se Esquiva De Mim
02. Quem Me Vir Aflito E Triste
03.Pelo Amor De Deus
04. Tristemente A Vida Passa
05. Os Me Deixas Que Tu Dás
06. Eu Nasci Sem Coração
07. Ganinha, Minha Ganinha
08. Quem Ama Para Agravar
09. Sinto-Me Aflita
10. Vidinha Adeus
11. Por Desabafar Saudades
12. Choro, Padeço, Suspiro
13. Os Desprezos De Meu Bem
14. A Minha Nerina Gosta Dos Meus Ais
15. Se Fores Ao Fim Do Mundo
16. A Saudade Que No Peito
17. Ninguém Morra De Ciúme
18. Eu Estando Bem Juntinho
19. É Delicia Ter Amor
20. Quem Achou O Q’eu Achei
21. Da Minha Constante Fé
22. Eu Não Sei Minha Constância
23. Meu Amor, Minha Sinhá
24. Minha Mana Estou Gostando
25. Menina Você Vai Hoje
26. Homens Errados E Loucos
27. Cupido Tirano
28. Estas Lágrimas Sentidas
29. Ausente, Saudoso E Triste
30. Não Pode A Longa Distância

Se você quiser concorrer a ganhar o livro original “As Modinhas do Brasil”, com o respectivo CD que ora é postado, responda para avicenna@uol.com.br as seguintes perguntas:

01 – Você segue o Museu da Música de Mariana no Facebook?
02 – O que significa ANPPOM?
03 – O que é o Projeto Arte Educação Através da Música?
04 – Mas afinal, o que é exatamente um Responsório Fúnebre?
05 – Quando se comemora o Dia Nacional do Patrimônio Histórico?
06 – O que é uma Ladainha?
07 – Toda música sacra, na Igreja Católica, era feita para Missas?
08 – Por que Vila Rica era vila e Mariana era cidade?
09 – O que é um ripanço?
10 – Para onde vão os arquivos musicais depois do falecimento dos seus proprietários?

O primeiro a responder as perguntas acima, até 27.08.14, com maior quantidade de acertos, receberá o livro via Sedex.


.
BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC 274,8 MB |

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 320 kbps – 123,4 MB – 50,1 min
powered by iTunes 11.3.1

.

Boa audição.

 

 

 

 

 

 

.

.

Avicenna

Stefano Pando: Peças para alaúde

Stefano Pando é um alaudista contemporâneo que faz música como se estivesse no século XVI. É uma postura curiosa. É como se um autor atual tentasse escrever um livro como o Quixote, sei lá. Quando jovem, não gostava nem do neoclássico de Stravinsky e de vários compositores de seu grupo — andavam de avião e escreviam Concerti Grossi — , mas hoje sou bem menos xiíta. O CD de Pando é agradável e bastante bom, levando em conta a Idade Média…

Wellington Mendes escreveu: Belíssimo, a liberdade do alaudista traz ótimas novidades a velhíssimas peças, afinal, não sabemos como tocavam os antigos e muito possivelmente também iam muito mais longe do podemos imaginar.

Stefano Pando: Peças para alaúde

1. Galliard Et Sauterelle 2:02
2. Robin 2:26
3. Pavane Dellestarpe 1:54
4. Stanes Morris Dance 1:29
5. Ricercar 12 1:56
6. The Wind That Shakes the Barley 0:56
7. A Toy 0:59
8. My Lady Carey’s Dompe 1:46
9. Mache Anglaise 1:19
10. Eislein Liebstes 0:43
11. The Earl of Crawford 1:02
12. Earl of Oxford’s March 1:01
13. Almande Nonnette 1:00
14. Robin Hood 1:48
15. Branle Des Chevaux 2:15
16. Ricercar 9 1:45
17. Pavane Au Revoir Ma Douce Flame 2:24
18. Galliard Au Retour 0:44
19. Jouissance Vous Donneray 1:16
20. Basse Dance Sur Jouissance 1:53
21. Pavane La Sombre 3:25
22. Paduana 1:22
23. Ricercar 3 1:04
24. Untitled Passamezzo Antico 1:18
25. The Scolding Woman 1:00
26. Tombeau 3:20
27. Ein Welscher Tanz Wascha Nesa 1:23
28. Jaymeray Mieu Dormir 0:58
29. Pass E Mezzo 3:32
30. Tourdion 1:31

Stefano Pando, alaúde

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Stefano Pando: living in the past, como diria Ian Anderson

Stefano Pando: living in the past, como diria Ian Anderson

PQP

Anton Bruckner – Symphony nº9 – Giulini, Wiener Philharmoniker

71ArGl1IV1L._SL1107_Essa postagem fenomenal inaugura minha adesão ao novo servidor contratado, o pqpshare. Espero que dê tudo certo, os testes que meus colegas fizeram foram mais que aprovados. Devido a alguns probleminhas de ordem técnica, até então eu não tinha conseguido me entender com o dito cujo.
Mas vamos ao que interessa, que é a música. Essa gravação do Giulini conclui aquele pequeno ciclo que me propus trazer, que são as gravações das três últimas sinfonias de Bruckner que o grande maestro italiano realizou já no final da vida com a Filarmônica de Viena.
Como diria nosso querido PQPBach, o que preciso comentar quando temos Giulini com a Filarmônica de Viena tocando a Nona de Bruckner? Comentar o que, cara pálida?

01 – Bruckner – Symphony No.9 In D Minor – 1. Feierlich, Misterioso
02 – 2. Scherzo. Bewegt, lebhaft – Trio. Schnell
03 – 3. Adagio. Langsam, feierlich

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDPBach

J. S. Bach (1685-1750): Concertos e Obras Orquestrais com o Café Zimmermann — 6 CDs miraculosos, irresistíveis e indispensáveis

Maravilhosa

O Café Zimmermann: maravilhosa orquestra

Hoje, cinco discos fantásticos para comemorar o aniversário pessoal de PQP Bach, nascido em 19 de agosto de 1727.

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Eu já tinha postado os quatro primeiros CDs desta fantástica coleção, mas agora ela está completa. O Café Zimmermann, liderado pelo violinista argentino Pablo Valetti e que tem sua base na França, é um dos melhores grupos da nova geração de conjuntos barrocos a oferecer interpretações rarefeitas e enérgicas em instrumentos históricos. O nome do grupo refere-se a um café de Leipzig, onde o grupo de Bach, o Collegium Musicum, apresentava-se no século XVIII. A Cantata do Café é uma homenagem ao Zimmermann. Há indícios de quem nem Bach teria sido tão econômico em número de músicos quanto o pequeno efetivo de Valetti. Meu pai teria solicitado uma orquestra de 24 instrumentistas ao Conselho de Leipzig para executar a Suíte Nº 3, por exemplo. Mas, OK, esqueçam. O alto nível de musicalidade e a leitura franca e arejada de Valetti compensam de longe.

Nos CDs abaixo estão todos os Brandemburgo, todas as Suítes orquestrais e mais alguns concertos. Neste momento, não consigo pensar em nada melhor.

O Café Zimmermann recebeu o Diapason d’Or por esta integral dos “Concerts avec plusieurs instruments de Jean-Sébastien Bach vol I-VI “.

Bach Concertos com o Café Zimmermann

Disc 1:
1. Concerto pour clavecin en Ré Mineur, BWV 1052: I. Allegro 7:26
2. Concerto pour clavecin en Ré Mineur, BWV 1052: II. Adagio 6:13
3. Concerto pour clavecin en Ré Mineur, BWV 1052: III. Allegro 7:28

4. Concerto pour hautbois d’amour en La Majeur, BWV 1055: I. Allegro 4:13
5. Concerto pour hautbois d’amour en La Majeur, BWV 1055: II. Larghetto 4:28
6. Concerto pour hautbois d’amour en La Majeur, BWV 1055: III. Allegro ma non tanto 4:01

7. Concerto pour violon en Mi Majeur, BWV 1042: I. Allegro 7:20
8. Concerto pour violon en Mi Majeur, BWV 1042: II. Adagio 5:29
9. Concerto pour violon en Mi Majeur, BWV 1042: III. Allegro Assai 2:41

10. Concert Brandebourgeois No. 5 en Ré Majeur, BWV 1050: I. Allegro 9:42
11. Concert Brandebourgeois No. 5 en Ré Majeur, BWV 1050: II. Affettuoso 5:01
12. Concert Brandebourgeois No. 5 en Ré Majeur, BWV 1050: III. Allegro 5:14

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE


Disc 2:
1. Concert Brandebourgeois No. 3 en Sol Majeur, BWV 1048: I. Allegro – Adagio 5:18
2. Concert Brandebourgeois No. 3 en Sol Majeur, BWV 1048: II. Allegro 4:18

3. Concerto pour deux violons & cordes en Ré Mineur, BWV 1043: I. Vivace 3:25
4. Concerto pour deux violons & cordes en Ré Mineur, BWV 1043: II. Largo ma non tanto 5:57
5. Concerto pour deux violons & cordes en Ré Mineur, BWV 1043: III. Allegro 4:10

6. Suite en Ut Majeur, BWV 1066: I. Ouverture 9:02
7. Suite en Ut Majeur, BWV 1066: II. Courante 2:04
8. Suite en Ut Majeur, BWV 1066: III. Gavottes I & II 2:38
9. Suite en Ut Majeur, BWV 1066: IV. Forlane 1:07
10. Suite en Ut Majeur, BWV 1066: V. Menuets I & II 2:53
11. Suite en Ut Majeur, BWV 1066: VI. Bourrées I & II 2:21
12. Suite en Ut Majeur, BWV 1066: VII. Passepieds I & II 3:09

13. Concerto pour hautbois & violon en Ut Mineur, BWV 1060: I. Allegro 4:18
14. Concerto pour hautbois & violon en Ut Mineur, BWV 1060: II. Adagio 4:32
15. Concerto pour hautbois & violon en Ut Mineur, BWV 1060: III. Allegro 3:08

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Disc 3:
1. Concert Brandebourgeois No. 4 en Sol Majeur, BWV 1049: I. Allegro 6:09
2. Concert Brandebourgeois No. 4 en Sol Majeur, BWV 1049: II. Andante 3:50
3. Concert Brandebourgeois No. 4 en Sol Majeur, BWV 1049: III. Presto 4:21

4. Concerto pour hautbois d’amour en Ré Majeur, transcription du concerto pour clavecin en Mi Majeur, BWV 1053: I. 7:05
5. Concerto pour hautbois d’amour en Ré Majeur, transcription du concerto pour clavecin en Mi Majeur, BWV 1053: II. Siciliano 4:46
6. Concerto pour hautbois d’amour en Ré Majeur, transcription du concerto pour clavecin en Mi Majeur, BWV 1053: III. Allegro 6:06

7. Concerto pour trois clavecins en Do Majeur, BWV 1064: I. 5:40
8. Concerto pour trois clavecins en Do Majeur, BWV 1064: II. Adagio 5:17
9. Concerto pour trois clavecins en Do Majeur, BWV 1064: III. Allegro 4:28

10. Suite en Si Mineur, BWV 1067: I. Ouverture 10:05
11. Suite en Si Mineur, BWV 1067: II. Rondeau 1:28
12. Suite en Si Mineur, BWV 1067: III. Sarabande 3:15
13. Suite en Si Mineur, BWV 1067: IV. Bourrée I & II 2:04
14. Suite en Si Mineur, BWV 1067: V. Polonaise & Double 3:44
15. Suite en Si Mineur, BWV 1067: VI. Menuet 0:54
16. Suite en Si Mineur, BWV 1067: VII. Badinerie 1:23

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE


Disc 4:
1. Concerto pour violon en La Mineur, BWV 1041: I. 3:29
2. Concerto pour violon en La Mineur, BWV 1041: II. Andante 6:45
3. Concerto pour violon en La Mineur, BWV 1041: III. Allegro assai 3:31

4. Concerto pour 2 clavecins en Ut Majeur, BWV 1061: I. 6:46
5. Concerto pour 2 clavecins en Ut Majeur, BWV 1061: II. Adagio 4:43
6. Concerto pour 2 clavecins en Ut Majeur, BWV 1061: III. Vivace 5:25

7. Concerto pour flûte, violon & clavecin en La Mineur, BWV 1044: I. Allegro 7:56
8. Concerto pour flûte, violon & clavecin en La Mineur, BWV 1044: II. Adagio ma non tanto e dolce 4:55
9. Concerto pour flûte, violon & clavecin en La Mineur, BWV 1044: III. Tempo di Allabreve 6:14

10. Concert Brandebourgeois No. 2 en Fa Majeur, BWV 1047: I. 4:51
11. Concert Brandebourgeois No. 2 en Fa Majeur, BWV 1047: II. Andante 3:36
12. Concert Brandebourgeois No. 2 en Fa Majeur, BWV 1047: III. Allegro assai 2:49

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE


Disc 5:
1. Ouverture No. 3 en Ré Majeur, BWV 1068: I. Ouverture 9:33
2. Ouverture No. 3 en Ré Majeur, BWV 1068: II. Air 3:32
3. Ouverture No. 3 en Ré Majeur, BWV 1068: III. Gavottes I et II 3:54
4. Ouverture No. 3 en Ré Majeur, BWV 1068: IV. Bourrée 1:06
5. Ouverture No. 3 en Ré Majeur, BWV 1068: V. Gigue 2:38

6. Concerto pour clavecin en Fa Mineur, BWV 1056: I. Allegro 3:06
7. Concerto pour clavecin en Fa Mineur, BWV 1056: II. Adagio 2:43
8. Concerto pour clavecin en Fa Mineur, BWV 1056: III. Presto 3:17

9. Concerto Brandebourgeois No. 6 en Si Bémol Majeur, BWV 1051: I. 5:27
10. Concerto Brandebourgeois No. 6 en Si Bémol Majeur, BWV 1051: II. Adagio ma non tanto 4:38
11. Concerto Brandebourgeois No. 6 en Si Bémol Majeur, BWV 1051: III. Allegro 5:45

12. Concerto pour trois clavecins en Ré Mineur, BWV 1063: I. 4:36
13. Concerto pour trois clavecins en Ré Mineur, BWV 1063: II. Alla siciliana 3:39
14. Concerto pour trois clavecins en Ré Mineur, BWV 1063: III. Allegro 4:29

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE


Disc 6:
1. Ouverture No. 4 en Ré Majeur, BWV 1069: I. Ouverture 11:11
2. Ouverture No. 4 en Ré Majeur, BWV 1069: II. Bourrées I & II 2:55
3. Ouverture No. 4 en Ré Majeur, BWV 1069: III. Gavotte 1:45
4. Ouverture No. 4 en Ré Majeur, BWV 1069: IV. Menuets I & II 3:20
5. Ouverture No. 4 en Ré Majeur, BWV 1069: V. Réjouissance 2:36

6. Concerto pour clavecin en La Majeur, BWV 1055: I. Allegro 4:02
7. Concerto pour clavecin en La Majeur, BWV 1055: II. Larghetto 3:48
8. Concerto pour clavecin en La Majeur, BWV 1055: III. Allegro ma non tanto 3:48

9. Concert Brandebourgeois No. 1 en Fa Majeur, BWV 1046: I. 3:52
10. Concert Brandebourgeois No. 1 en Fa Majeur, BWV 1046: II. Adagio 3:34
11. Concert Brandebourgeois No. 1 en Fa Majeur, BWV 1046: III. Allegro 4:02
12. Concert Brandebourgeois No. 1 en Fa Majeur, BWV 1046: IV. Menuet & Polonaise 5:47

13. Concerto pour quatre clavecins en Ré Mineur, BWV 1065: I. Allegro 3:25
14. Concerto pour quatre clavecins en Ré Mineur, BWV 1065: II. Adagio 2:08
15. Concerto pour quatre clavecins en Ré Mineur, BWV 1065: III. Allegro 3:07

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Cafe Zimmermann
Pablo Valetti, Violon & Konzertmeister

O Café Zimmerman

O Café Zimmermann ensaiando

PQP

Béla Bartók (1881-1945): Os Seis Quartetos de Cordas

Hoje, cinco discos fantásticos para comemorar o aniversário pessoal de PQP Bach, nascido em 19 de agosto de 1727.

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Digamos que eu seja conhecido aqui no blog por algumas declarações bombásticas. Pois, desta vez, não creio que vá ser muito discutida a afirmativa de que os Quartetos de Béla Bártok sejam a mais importante obra do século XX, até porque esta frase é meio consenso, meio convenção. Ora próximo ao Stravisnky da “fase russa”, ora próximo ao Beethoven dos últimos quartetos de Beethoven, Bartók casualmente distribuiu a composição dos mesmos de forma a traduzir as etapas de sua evolução artística — 1908, 1917, 1927, 1928, 1934 e 1939. O calhamaço História da Música Ocidental, de Jean e Brigitte Massin (1255 páginas), propõe que se ouça os último quartetos de Beethoven, emendando-os imediatamente com os de Bartók. A mesma força, a mesma nobreza, o mesmo espírito no tratamento das massas sonoras. Não que Bartók tenha imitado o mestre — ao contrário, Bartók não apenas tinha voz própria como bebeu nas mais diversas fontes: música folclórica, Debussy, Brahms, russos, Bach, etc.

Curiosa mistura de profunda erudição e absoluto “visceralismo”, os quartetos me chamaram a atenção durante a adolescência, por serem citados por todos os grandes escritores que gostavam de música: Erico Verissimo fala no Nº 3 e vários romancistas do pós-guerra citam o Nº 5 como uma obra inigualável, produzida pelo ódio ao nazismo que o fez exilar-se em 1940 nos EUA, já minado pela leucemia.

Não há como falar dos quartetos de Bartók de forma não apaixonada. É a maior música de nossa época e este é talvez o segundo ou terceiro CD que posto e que estão naquela categoria dos “dez mais” de minha discoteca / cedeteca.

Béla Bartók (1881-1945): Os Seis Quartetos de Cordas

CD1
1 String Quartet No 1 in A minor, op. 7 – Lento 9:22
2 String Quartet No 1 in A minor, op. 7 – Allegretto 10:29
3 String Quartet No 1 in A minor, op. 7 – Introduzione (Allegro) – Allegro vivace 10:21

4 String Quartet No 2 in A minor, op. 17 – Moderato 9:39
5 String Quartet No 2 in A minor, op. 17 – Allegro molto carpriccioso 7:39
6 String Quartet No 2 in A minor, op. 17 – Lento 7:52

7 String Quartet No 4 in C Major – Allegro 5:59
8 String Quartet No 4 in C Major – Prestissimo, con sordino 2:51
9 String Quartet No 4 in C Major – Non troppo lento 5:21
10 String Quartet No 4 in C Major – Allegretto pizzicato 2:54
11 String Quartet No 4 in C Major – Allegro molto 5:34

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

CD2
1 String Quartet No.3 in C sharp minor Sz93 – Prima parte: Moderato 4:35
2 String Quartet No.3 in C sharp minor Sz93 – Seconda parte: Allegro 5:34
3 String Quartet No.3 in C sharp minor Sz93 – Ricapitolazione della prima parte… 5:03

4 String Quartet No.5 in B flat major Sz110 – Allegro 7:39
5 String Quartet No.5 in B flat major Sz110 – Adagio molto 5:33
6 String Quartet No.5 in B flat major Sz110 – Scherzo (Alla bulgarese) & Trio 4:49
7 String Quartet No.5 in B flat major Sz110 – Andante 4:45
8 String Quartet No.5 in B flat major Sz110 – Finale (Allegro vivace) 6:58

9 String Quartet No.6 in D major Sz110 – Mesto – Vivace 7:33
10 String Quartet No.6 in D major Sz110 – Mesto – Marcia 7:36
11 String Quartet No.6 in D major Sz110 – Mesto – Burletta (Moderato) 7:12
12 String Quartet No.6 in D major Sz110 – Mesto 6:33

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Alban Berg Quartet

Tocando desse jeito, só podem estar felizes, né?

Tocando desse jeito, só podem ser felizes, né?

PQP

Johannes Brahms (1833-1897): Sonatas para violino Nº 1-3 / Trio para Piano Nº 1 / Concerto para Violino

Hoje, cinco discos fantásticos para comemorar o aniversário pessoal de PQP Bach, nascido em 19 de agosto de 1727.

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Um espanto este álbum com obras de Brahms interpretadas pela genial violinista russa Viktoria Mullova. O álbum duplo foi “montado” pegando os melhores registros que estavam espalhados em três discos lançados em separado anteriormente. Então, temos uma das melhores integrais das Sonatas para Violino e Piano, o ESPLÊNDIDO Piano Trio Nº 1 e uma grandes versões de um dos mais belos Concertos para Violino jamais escritos. Nas gravações, ela é acompanhada apenas por Piotr Anderszewski nas Sonatas, por Andre Previn e Heinrich Schiff no Trio e por Abbado e a Filarmônica de Berlim no Concerto. Não dá para pedir mais, né?

Johannes Brahms (1833-1897): Violin Sonatas 1-3 / Piano Trio 1 / Violin Concerto

1. Son No. 1 in G, Op. 78: Vivace Ma Non Troppo
2. Son No. 1 in G, Op. 78: Adagio
3. Son No. 1 in G, Op. 78: Allegro Molto Moderato

4. Son No. 2 in A, Op.100: Allegro Amabile
5. Son No. 2 in A, Op.100: Andante Tranquillo – Vivace – Andante – Vivace Di Piu – Andante – Vivace
6. Son No. 2 in A, Op.100: Allegretto Grazioso (Quasi Andante)

7. Son No. 3 in d, Op.108: Allegro
8. Son No. 3 in d, Op.108: Adagio
9. Son No. 3 in d, Op.108: Un Poco Presto E Con Sentimento
10. Son No. 3 in d, Op.108: Presto Agitato

Viktoria Mullova
Piotr Anderszewski

1. Pno Trio in B, Op.8: 1. Allegro con brio
2. Pno Trio in B, Op.8: 2. Scherzo. Allegro molto
3. Pno Trio in B, Op.8: 3. Adagio
4. Pno Trio in B, Op.8: 4. Allegro

Viktoria Mullova
Andre Previn
Heinrich Schiff

1. Vn Con In D, Op.77: No.1 Allegro non troppo
2. Vn Con In D, Op.77: No.2 Adagio
3. Vn Con In D, Op.77: No.2 Allegro giocoso, ma non troppo vivace-Poco piu presto

Viktoria Mullova
Berlin Philharmonic Orchestra
Claudio Abbado

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Mullova

(suspiro)

PQP

Ludwig van Beethoven (1770-1827): Sonatas Nos. 13, 14, 17, 21 para Piano (novamente com Deus)

Hoje, cinco discos fantásticos para comemorar o aniversário pessoal de PQP Bach, nascido em 19 de agosto de 1727.

IM-PER-DÍ-VEL !!!

A maior de todas as Waldstein? Ah, certamente! O estilo cerebral, articulado, controlado e furioso e rápido e sanguíneo de Pollini quase me fez bater o carro, pois o terceiro movimento da Wald fez com que aparecessem algumas lágrimas furtivas em meus olhos cansados, tal é a delicadeza e compreensão polliniana naquele trecho. Como fez um dos comentaristas da Amazon, fui ouvir depois Alfred Brendel. Nossa, foi um massacre da Azzurra! Ninguém, nada, nunca, nenhum fato ou argumento (nem Saer) poderá convencer-nos — a mim e Lais — de que Pollini é cerebral, frio, técnico, matemático e desalmado. O que ele faz é alojar-se em nosso ventrículo esquerdo e nos falar dali — como alguns de vocês sabem, o ventrículo esquerdo é o local onde o coração bate mais forte –, enquanto outros ficam dando voltinhas inúteis, às vezes errando de veia e perdendo-se, como diria Chico Buarque.

A Fundação para a Divulgação e Inevitável Imortalização do Guia Genial dos Pianistas Maurizio Pollini perdoa desde já àqueles comentaristas que virão com Schnabel, Kempff, Gilels e outros rapazes vivos e mortos que lutam pelo segundo lugar. Eu não concordo com Nelson Piquet, que declarou que o segundo lugar é o primeiro dos últimos; acho o segundo lugar muito digno! Eu não concordo com Machado de Assis (ou Quincas Borba) quando ele diz “Ao vencido, ódio ou compaixão; ao vencedor, as batatas.”

Um brinde a todos segundos lugares, pois eles são nossas referências mais queridas!!!

IM-PER-DÍ-VEL!!!

Beethoven: Sonatas Nos. 13, 14, 17, 21 para Piano

Piano Sonata No. 13 in E Flat Major Op. 27 by Ludwig van Beethoven
1. Andante – Allegro – Tempo I – attacca: 5:00
2. Allegro molto e vivace – attaca: 1:54
3. Adagio con espressione – attacca: 2:54
4. Allegro vivace 5:19

Piano Sonata No. 14 in C sharp minor Op. 27 “Moonlight” by Ludwig van Beethoven
5. Adagio sostenuto – attaca: 6:22
6. Allegretto – attaca: 2:16
7. Presto agitato 7:11

Piano Sonata No. 17 in D minor Op. 31 No. 2 “Tempest” by Ludwig van Beethoven
8. Largo – Allegro 8:39
9. Adagio 7:52
10. Allegretto 6:04

Piano Sonata No. 21 in C op. 53 “Waldstein” by Ludwig van Beethoven
11. Allegro con brio 9:59
12. Introduzione. Adagio molto – attaca: 3:54
13. Rondo. Allegretto moderato – Prestissimo 9:50

Maurizio Pollini, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

PQP

.: interlúdio :. Charles Mingus: Mingus Mingus Mingus Mingus Mingus (Five Mingus)

Hoje, cinco discos fantásticos para comemorar o aniversário pessoal de PQP Bach, nascido em 19 de agosto de 1727.

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Este CD absolutamente impressionante foi gravado no ano de 1963 e mostra o compositor e baixista Charles Mingus no auge. Na verdade, ele parecia padecer de um surto de criatividade desde 1956, mas em 63 ele não só deu centenas de concertos como até gravou um álbum solo tocando piano… Mingus pode ser definido como um autor erudito que gostava de jazz. Este disco é mais solto do que a maioria, mas dá para notar claramente seu amor às alterações de ritmo e outras complicações que servem à música, e não apenas para torturar seu grupo. Grupo, aliás, sensacional com Mingus, Dolphy, Byard , Richmond… Bem, ouçam aí.

Charlie Mingus: Mingus Mingus Mingus Mingus Mingus

1. II B.S. (Charles Mingus)
2. I X Love (Charles Mingus)
3. Celia (Charles Mingus)
4. Mood Indigo (Duke Ellington-Irving Mills-Albany Bigard)
5. Better Get Hit in Yo’ Soul (Charles Mingus)
6. Theme for Lester Young (Charles Mingus)
7. Hora Decubitus (Charles Mingus)

Personnel: (2, 3, 5)
Rolf Ericson, Richard Williams (tp)
Britt Woodman (tb)
Don Butterfield (tu)
Jerome Richardson (fl, ss, bars)
Dick Hafer (fl, ts)
Charlie Mariano (as)
Jaki Byard (p)
Jay Barliner (g)
Charles Mingus (b, p)
Dannie Richmond (ds)
NYC, January 20, 1963

(1 ,4, 6, 7)
Eddie Preston, Richard Williams (tp)
Quentin Jackson (tb)
Don Butterfield (tu)
Jerome Richardson (fl, ss, bars)
Dick Hafer (fl, cl, ts)
Eric Dolphy (as, fl)
Booker Ervin (ts)
Jaki Byard (p)
Jay Barliner (g)
Charles Mingus (b, nar)
Walter Perkins (ds)
NYC, September 20, 1963

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Charles Mingus: super talento como compositor, band leader e baixista

Charles Mingus: super talento como compositor, band leader e baixista

PQP

.: interlúdio :. Keith Jarrett e Charlie Haden: Jasmine

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Ambos estão há mais de 40 anos no jazz e há mais de 30 na mesma gravadora, mas nunca tinham desenvolvido nada juntos. Olha, que pena, pois este Jasmine é uma coisa maravilhosa, cheia de charme e musicalidade. São mais de 60 minutos de interpretações sublimes e maduras. Para alguma coisa a idade serve, né? São grandes canções do repertório norte-americano que recebem tratamento luxuoso. Ouçam porque vale a pena.

Keith Jarrett escreveu na contracapa:

Call your wife or husband or lover in late at night and sit down and listen. These are great love songs played by players who are trying, mostly, to keep the message intact. I hope you can hear it the way we did.

Exatamente! É uma maravilha, música pura tocada entre amigos, no piano velho do home studio de Keith Jarrett.

Keith Jarrett e Charlie Haden: Jasmine

1. For All We Know 9:46
2. Where Can I Go Without You 9:20
3. No Moon At All  4:40
4. One Day I’ll Fly Away  4:15
5. I’m Gonna Laugh You Right Out Of My Life  12:09
6. Body And Soul  11:09
7. Goodbye  8:01
8. Don’t Ever Leave Me 3:11

Keith Jarrett, piano
Charlie Haden, baixo

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Essa dupla...

Essa dupla…

PQP