Kurt Weill (1900-1950): The Seven Deadly Sins / Mahagonny Songspiel

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Kurt Weill foi um imenso compositor alemão, autor de numerosas canções e da Ópera dos Três Vinténs, transposição da Ópera dos Mendigos, de Pepusch, com texto de Bertold Brecht. Weill nasceu numa família judaica muito religiosa (o seu pai era cantor numa sinagoga), e mostrou talento musical desde tenra idade. Estudou composição musical no Conservatório de Berlim com Ferruccio Busoni. Colaborou com Bertolt Brecht em finais da década de 1920 na produção e criação de óperas e musicais, como Ascensão e Queda da Cidade de Mahagonny, A Ópera dos Três Vinténs e Os Sete Pecados Mortais.

ute_lemperUte Lemper é um daqueles talentos inexplicáveis. Ouçam o que é sua voz! E ela, além de cantora, é bailarina e atriz de primeira linha. Imaginem que Maurice Béjart compôs para ela o ballet La Morte Subite, estreado em Paris em 1990. Ela também participou da encenação de Pina Bausch Kurt Weill Revue. Artista eclética e inquieta (além de cantar e interpretar realizou várias exposições de pintura neo-expressionista), colaborou com numerosos cantores e compositores norte-americanos e europeus, entre os quais Michael Nyman (com quem fez o disco Songbook), Tom Waits, Elvis Costello, Philip Glass e Nick Cave. Como se não bastasse, ainda teve quatro filhos em seus 52 anos.

Kurt Weill (1900-1950): The Seven Deadly Sins / Mahagonny Songspiel

1. Seven Deadly Sins: Prologue: Andante sostenuto – Ute Lemper
2. Seven Deadly Sins: Sloth: Allegro vivace – Helmut Wildhaber/Peter Haage/Thomas Mohr/Manfred Jungwirth
3. Seven Deadly Sins: Pride: Allegretto, quasi andantino – Ute Lemper
4. Seven Deadly Sins: Anger: Molto agitato – Helmut Wildhaber/Peter Haage/Thomas Mohr/Manfred Jungwirth/Ute Lemper
5. Seven Deadly Sins: Gluttony: Largo – Helmut Wildhaber/Peter Haage/Thomas Mohr/Manfred Jungwirth
6. Seven Deadly Sins: Lust: Moderato – Ute Lemper
7. Seven Deadly Sins: Avarice: Allegro giusto – Helmut Wildhaber/Peter Haage/Thomas Mohr/Manfred Jungwirth
8. Seven Deadly Sins: Envy: Allegro non troppo – Ute Lemper
9. Seven Deadly Sins: Epilogue: Andante sostenuto – Ute Lemper

10. Mahagonny Songspiel, Part One: Prologue: No.1: Allegro non troppo – Helmut Wildhaber/Peter Haage/Thomas Mohr/Manfred Jungwirth
11. Mahagonny Songspiel, Part One: Prologue: Kleiner March: Poco meno – Rias Berlin Sym/Mauceri
12. Mahagonny Songspiel, Part One: Prologue: No.2: Moderato – Susanne Tremper/Ute Lemper
13. Mahagonny Songspiel, Part Two: Life in Mahagonny: No.3a: Vivace – Rias Berlin Sym/Mauceri
14. Mahagonny Songspiel, Part Two: Life in Mahagonny: No.3: Allegro un poco moderato – Helmut Wildhaber/Peter Haage/Thomas Mohr/Manfred Jungwirth
15. Mahagonny Songspiel, Part Two: Life in Mahagonny: No.4a: Vivace assai – Rias Berlin Sym/Mauceri
16. Mahagonny Songspiel, Part Two: Life in Mahagonny: No.4: Moderato assai – Susanne Tremper/Ute Lemper/Helmut Wildhaber/Peter Haage/Thomas Mohr/Manfred Jungwirth
17. Mahagonny Songspiel, Part Two: Life in Mahagonny: No.5a: Sostenuto – Rias Berlin Sym/Mauceri
18. Mahagonny Songspiel, Part Two: Life in Mahagonny: No.5: Lento – Susanne Tremper/Ute Lemper/Helmut Wildhaber/Peter Haage/Thomas Mohr/Manfred Jungwirth
19. Mahagonny Songspiel, Part Three: Finale: No.6: Largo – Susanne Tremper/Ute Lemper/Helmut Wildhaber/Peter Haage/Thomas Mohr/Manfred Jungwirth

Ute Lemper
Susanne Tremper
Helmut Wildhaber
Peter Haage
Thomas Mohr
Manfred Jungwirth
Jeff Cohen
RIAS Berlin Sinfonietta
John Mauceri

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Bertolt Brecht com seu charuto enquanto Kurt Weill sorri

Bertolt Brecht com seu charuto enquanto Kurt Weill sorri

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): Bach 2000 – Caixa 3, CDs 1, 2 e 3

Clique aqui para todo o Bach 2000.

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 3, CD 1
—————————————————

BWV0100 Cantata 1 Coro “Was Gott tut,das ist wohlgetan”
BWV0100 Cantata 2 Duetto (alto,tenor) “Was Gott tut,das ist wohlgetan”
BWV0100 Cantata 3 Aria (soprano) “Was Gott tut,das ist wohlgetan”
BWV0100 Cantata 4 Aria (bass) “Was Gott tut,das ist wohlgetan”
BWV0100 Cantata 5 Aria (alto) “Was Gott tut,das ist wohlgetan”
BWV0100 Cantata 6 Choral (coro) “Was Gott tut,das ist wohlgetan”

BWV0101 Cantata 1 Coro “Nimm von uns,Herr,du treuer Gott”
BWV0101 Cantata 2 Aria (tenor) “Handle nicht nach deinen Rechten”
BWV0101 Cantata 3 Recitativo-Choral (soprano) “Ach- Herr Gott,durch die Treue dein”
BWV0101 Cantata 4 Aria (bass) “Warum willst du so zornig sein”
BWV0101 Cantata 5 Recitativo-Choral (tenor) “Die Sünd hat uns verderbet sehr”
BWV0101 Cantata 6 Aria (Duetto) (soprano,alto) “Gedenk an Jesu bittern Tod”
BWV0101 Cantata 7 Choral (coro) “Leit uns mit deiner rechten Hand”

BWV0102 Cantata 1 part 1 Coro “Herr,deine Augen sehen nach dem Glauben”
BWV0102 Cantata 2 part 1 Recitativo (bass) “Wo ist das Ebenbild”
BWV0102 Cantata 3 part 1 Aria (alto) “Weh der Seele”
BWV0102 Cantata 4 part 1 Arioso (bass) “Verachtest du den Reichtum seiner Gnade”
BWV0102 Cantata 5 part 2 Aria (tenor) “Erschrecke doch,du allzu sichre Seele”
BWV0102 Cantata 6 part 2 Recitativo (alto) “Beim Warten ist Gefahr”
BWV0102 Cantata 7 part 2 Choral (coro) “Heut lebst du,heut bekehre dich”

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 3, CD 2
—————————————————

BWV0103 Cantata 1 Coro-Arioso (bass) “Ihr werdet weinen und heulen”
BWV0103 Cantata 2 Recitativo (tenor) “Wer sollte nicht in Klagen untergehn”
BWV0103 Cantata 3 Aria (alto) “Kein Arzt ist außer dir zu finden”
BWV0103 Cantata 4 Recitativo (alto) “Du wirst mich nach der Angst auch wiederum erquicken”
BWV0103 Cantata 5 Aria (tenor) “Erholet euch,betrübte Sinnen”
BWV0103 Cantata 6 Choral (coro) “Ich hab dich einen Augenblick”

BWV0104 Cantata 1 Coro “Du Hirte Israel,höre”
BWV0104 Cantata 2 Recitativo (tenor) “Der höchste Hirte sorgt vor mich”
BWV0104 Cantata 3 Aria (tenor) “Verbirgt mein Hirte sich zu lange”
BWV0104 Cantata 4 Recitativo (bass) “Ja,dieses Wort ist meiner Seelen Speise”
BWV0104 Cantata 5 Aria (bass) “Beglückte Herde,Jesu Schafe”
BWV0104 Cantata 6 Choral (coro) “Der Herr ist mein getreuer Hirt”

BWV0105 Cantata 1 Coro “Herr,gehe nicht ins Gericht”
BWV0105 Cantata 2 Recitativo (alto) “Mein Gott,verwirf mich nicht”
BWV0105 Cantata 3 Aria (soprano) “Wie zittern und wanken”
BWV0105 Cantata 4 Recitativo (bass) “Wohl aber dem,der seinen Bürgen weiß”
BWV0105 Cantata 5 Aria (tenor) “Kann ich nur Jesum mir zum Freunde machen”
BWV0105 Cantata 6 Choral (coro) “Nun,ich weiß,du wirst mir stillen”

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 3, CD 3
—————————————————

BWV0106 Cantata 1 Sonatina
BWV0106 Cantata 2 Coro “Gottes Zeit ist die allerbeste Zeit”
BWV0106 Cantata 3 Arioso (tenor) “Ach,Herr,lehre uns bedenken”
BWV0106 Cantata 4 Arioso (bass) “Bestelle dein Haus”
BWV0106 Cantata 5 Coro-Arioso (soprano) “Es ist der alte Bund”
BWV0106 Cantata 6 Aria (alto) “In deine Hände befehl ich meinen Geist”
BWV0106 Cantata 7 Arioso-Choral (alto,bass) “Heute wirst du mit mir im Paradies sein”
BWV0106 Cantata 8 Coro “Glorie,Lob,Ehr und Herrlichkeit”

BWV0107 Cantata 1 Coro “Was willst du dich betrüben”
BWV0107 Cantata 2 Recitativo (bass) “Denn Gott verlässet keinen”
BWV0107 Cantata 3 Aria (bass) “Auf ihn magst du es wagen”
BWV0107 Cantata 4 Aria (tenor) “Wenn auch gleich aus der Höllen”
BWV0107 Cantata 5 Aria (soprano) “Er richts zu seinen Ehren”
BWV0107 Cantata 6 Aria (tenor) “Drum ich mich ihm ergebe”
BWV0107 Cantata 7 Choral (coro) “Herr,gib,daß ich dein Ehre”

BWV0108 Cantata 1 Aria (bass) “Es ist euch gut,daß ich hingehe”
BWV0108 Cantata 2 Aria (tenor) “Mich kann kein Zweifel stören”
BWV0108 Cantata 3 Recitativo (tenor) “Dein Geist wird mich also regieren”
BWV0108 Cantata 4 Coro “Wenn aber jener,der Geist der Wahrheit,kommen wird”
BWV0108 Cantata 5 Aria (alto) “Was mein Herz von dir begehrt”
BWV0108 Cantata 6 Choral (coro) “Dein Geist,den Gott vom Himmel gibt”

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Monumental

Monumental

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

.: Interlúdio :. BY THE THROAT

  • Repost de 17 de Abril de 2016

Muitas obras musicais são caixinhas de surpresa de sentimentos: felicidade, melancolia, nostalgia, tristeza, raiva, euforia, entre outros. A maioria se situa entre a felicidade, que geralmente (mas nem sempre) está atrelada aos tons maiores (ré maior, fá maior, etc.) e a tristeza (ré menor, dó menor, etc.).

Se navegamos pelas músicas do período clássico e romântico, é muito fácil identificar os sentimentos da música em algum lugar entre esses dois polos, felicidade e tristeza. Na virada para o século XX, isso fica mais difícil entre os românticos tardios. No início do século XX, os compositores modernos nos deleitam com novos sentimentos até então pouco explorados, o suspense na Sagração de Stravinsky, e não bem um sentimento, mas imagens nostálgicas, nas obras de Debussy.

Mas o que até então eu nunca tinha experimentado, embora trilhas sonoras de filmes já tenham chegado perto, é terror. Terror no sentido mais puro da palavra, terror de verdade, da morte, da dor, uma mistura de medo e desespero em algo muito pior. Isso puramente a partir da música, não da mistura de sensações que os filmes nos trazem.

BY THE THROAT, lançado em 2009 pelo compositor e produtor musical Ben Frost, que apesar de ser australiano vive na Islândia, é uma experiência musical ímpar. Este álbum une a beleza de uma melodia levemente nostálgica com o terror de um ambiente criado pela música.

Um internauta desreveu soberbamente essa experiência auditiva:

“(…)And with this latest [album], the chills rise up my spine and hold me, in perpetual, electric shock. The cover art alone puts into my mind the images of my final moments, lying naked on the snow, steam rising from the breath of a hungry wolf, his teeth sunk into my throat. And the track titles do not let up. Through The Glass Of The Roof, Through The Roof Of Your Mouth, Through The Mouth Of Your Eye. And the music? Dark grinding metallic strings scratched through distorted pads, deep breaths, growls, and choking melodies. The intensity of the bass and guitar riffs create instant goose bumps, tickling the inside of my ears, and clawing at my chest. White knuckled at the seat, I think I accidentally scratched a healing scab off of my back and now I’m bleeding through this white collar shirt, the tie restricting my cries. Let me out! I’ve heard some dark and terrifying ambiance in my lifetime, but Frost’s onslaught is incredible(…)”

Recomendo que os senhores ouçam sozinhos, em casa e principalmente, no escuro. Como diz no final de seu comentário o ouvinte que citei acima, após terminar, vocês vão desejar voltar à sentir a angústia da melodia do piano, e o terror de toda essa experiência.

Ben Frost (1980): BY THE THROAT

01 Killshot
02 The Carpathians
03 Ó God Protect Me
04 Híbakúsja
05 Untitled Transient
06 Peter Venkman Part I
07 Peter Venkman Part II
08 Leo Needs A New Pair Of Shoes
09 Through The Glass Of The Roof
10 Through The Roof Of Your Mouth
11 Through The Mouth Of Your Eye

Sam Amidon, Featured Artist
Amiina Cello; Featured Artist, Viola, Violin
Paul Corley; Engineer, Percussion, Prepared Piano, Programming
Russell Fawcus, Strings
Jeremy Gara, Percussion
Borgar Magnason, Bass (Upright)
Nico Muhly; Harpsichord, Prepared Piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Ben Frost congelado.

Ben Frost congelado.

Luke

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

6º Festival de Música de Juiz de Fora: Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) + Ignácio Parreira das Neves (1736-1790) + Francisco Gomes da Rocha (1746-1808) (Acervo PQPBach)

16iirvaRepostagem com novos e atualizados links.

6º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora

Os compositores
(Notas musicológicas de Harry Crowl Jr.)

O nome de Ignácio Parreiras Neves aparece pela primeira vez numa relação de membros da Irmandade de São José dos Homens Pardos, em Vila Rica, onde consta o seu ingresso em 16/4/1752. A partir de 1760, a sua atuação se deu como regente nas “Festas Oficiais do Senado da Câmara” e nas Irmandades de Nsa. Sra. das Mercês dos Perdões, entre 1776 e 1782, e na de São José. Em quase todos as documentos onde seu nome está mencionado, I.P. Neves aparece como tenor ao lado de Francisco Gomes da Rocha (contralto) e Florêncio José Ferreira Coutinho (baixo). Este conjunto foi ativo durante mais de 15 anos, em Vila Rica, onde os coros para as solenidades cotidianas eram formados apenas pelas quatro vozes solistas, sendo que a voz de soprano era normalmente cantada por um tiple, ou seja, um menino cantor, que era substituído sempre que mudava de voz.

Da obra de Ignácio Parreiras Neves pouco restou. Há uma referência a uma composição fúnebre pela morte de D. José I, regida pelo compositor na ocasião, em 1787, que teria sido concebida para 4 coros, 4 baixos (violoncelos e contrabaixos?), 2 fagotes e 2 cravos. Esta composição encontra-se perdida. Restaram-nos apenas três exemplos de sua produção que são os seguintes:

• Antífona de Nsa. Senhora: Salve Regina, sem data, para 4 vozes, violinos I e II, Trompas I e II, e Baixo instrumental.
• Credo, para 4 vozes, Violinos I e II, Viola, Trompas I e II, e Baixo instrumental, também sem data.
• Oratória ao Menino Deus Para a Noite de Natal, s. d., para vozes solistas (Soprano I, Soprano II e Baixo), Coro a 4 vozes, Violinos I e II, e Baixo instrumental.

Da última peça restam apenas fragmentos, dos quais foi possível a reconstituição somente dos coros de abertura e de conclusão da obra, pois embora existam indicações musicais suficientes para a reconstrução da obra na sua íntegra, o texto encontra-se muito incompleto tratando-se de um auto de natal anônimo desconhecido em língua vernácula.

Portanto, as duas obras apresentadas nesta gravação são os dois únicos exemplos completos de sua produção. O Credo foi reconstituido por Francisco Curt Lange e a Antífona da Nsa. Sra. foi publicada pela coleção “Música Sacra Mineira”, do INM/FUNARTE.

Francisco Gomes da Rocha nasceu em Vila Rica, provavelmente em 1754. A partir de 1766, atuou nas lrmandades da Boa Morte, na Matriz de Nsa. Sra. da Conceição de Antônio Dias e na de S. José dos Homens Pardos. Em todas elas ocupou cargos importantes como o de escrivão e tesoureiro. Apresentou-se como regente e contralto em inúmeras festividades, durante quase toda a segunda metade do século XVIII. Foi também timbaleiro da tropa de linha, conforme o recenseamento de 1804, no qual consta que o compositor teria a idade de 50 anos. Amigo de José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita, foi por ele designado para cobrar seus haveres ganhos na Ordem 3ª do Carmo, quando o compositor se mudou para o Rio de Janeiro. Vários manuscritos de Lobo de Mesquita que chegaram até os nossos dias estão com a assinatura de propriedade de Francisco Gomes da Rocha. Como no caso de Parreiras Neves, a produção de Gomes da Rocha que chegou até os nossos dias é bastante reduzida. Apenas três obras completas sobreviveram aos tempos. São elas:

• Invitatório a 4, s. d., para 4 vozes, Violinos I e II, Trompa I e II, e Baixo instrumental.
• Novena de Nsa. Sra. do Pilar, em 1789, para 4 vozes, Violinos I ell, Viola, Trompas I e II, e Baixo instrumental.
• Spiritus Domini a 8, 1795, para 2 coros a 4 vozes, Violinos I e II, Viola, Trompas I e II, e Baixo instrumental.

A obra apresentada nesta gravação é a sua composição mais elaborada. O Spiritus Domini a 8 é, na verdade, o primeiro responsório das “Matinas do Espírito Santo”, para o dia de Pentecostes. Nesta obra podemos observar que o compositor desenvolveu um estilo bastante refinado dentro do gosto da época. A orquestração é brilhante e mantém-se relativamente independente das vozes, o que representa um avanço estilístico em relação às obras de Parreiras Neves. Francisco Gomes da Rocha faleceu em 1808. A transcrição dos manuscritos utilizados na presente gravação foi realizada por Francisco Curt Lange.

O Pe. José Maurício Nunes Garcia (1765-1830) foi o mais importante compositor brasileiro do período colonial. Toda a sua trajetória como músico e compositor deu-se no Rio de Janeiro, onde nasceu. Sua obra, certamente influenciada pelos compositores mineiros que o antecederam, constitui-se no maior acervo de música religiosa do período no Brasil, apesar de uma grande quantidade de manuscritos terem desaparecido. Quando da chegada da Corte Portuguesa ao Rio, em 1808, o Pe. José Maurício ja era um compositor estabelecido com uma considerável produção, inclusive não religiosa. A partir de 1808, o seu trabalho sofre uma mudança estilística tornando-se mais operístico, conforme era o gosto da capela real portuguesa.

Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767-1830, Rio de Janeiro, RJ)
Orquestra e Coral do Festival, regente: Sérgio Dias
01. Matinas de Nossa Senhora da Conceição – 1. Primeiro Noturno
02. Matinas de Nossa Senhora da Conceição – 2. Responso Segundo
03. Matinas de Nossa Senhora da Conceição – 3. Responso Terceiro
04. Matinas de Nossa Senhora da Conceição – 4. Responso Quarto
05. Matinas de Nossa Senhora da Conceição – 5. Responso Quinto
06. Matinas de Nossa Senhora da Conceição – 6. Responso Sexto
07. Matinas de Nossa Senhora da Conceição – 7. Responso Sétimo
08. Matinas de Nossa Senhora da Conceição – 8. Responso Oitavo

Ignácio Parreira Neves (Vila Rica, atual Ouro Preto, 1736-1790)
Orquestra de Câmara e Coral Pró-Música, regente: Nelson Nilo Hack
09. Credo – 1. Patrem Omnipotentem
10. Credo – 2. Sacramentus
11. Credo – 3. Et Resurrexit
12. Credo – 4. Sanctus
13. Credo – 5. Benedictus
14. Credo – 6. Agnus Dei

Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767-1830, Rio de Janeiro, RJ)
Ars Nova – Coral da UFMG, regente: Carlos Alberto Pinto Fonseca
15. Judas Mercator Pessimus
16. Gradual para o Domingo de Ramos

Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767-1830, Rio de Janeiro, RJ)
Coral do Festival, regente: Júlio Moretzsohn
17. In Monte Olivetti
Francisco Gomes da Rocha (1746-1808, Vila Rica, MG)
Ars Nova – Coral da UFMG & Orquestra de Câmara Pró-Música de Juiz de Fora, regente: Carlos Alberto Pinto Fonseca
18. Spiritus Domini – 1. Andante vivo
19. Spiritus Domini – 2. Allegro
20. Spiritus Domini – 3. Andante

Ignácio Parreira Neves (Vila Rica, atual Ouro Preto, 1736-1790)
Orquestra de Câmara e Coral Pró-Música, regente: Nelson Nilo Hack
21. Salve Regina – 1. Largo
22. Salve Regina – 2. Andantino

6º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora – 1995
.
2jcbrlsBAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC 286,1 MB | HQ Scans 29,5 MB |

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 320 kbps – 137,8 MB – 58,4 min
powered by iTunes 10.0

.

Boa audição!

Avicenna

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

5º Festival de Música de Juiz de Fora: Manuel Dias de Oliveira (1735-1813) & Joaquim de Paula Souza “Bonsucesso” (c.1760-c.1820) – Acervo PQPBach

5%c2%ac%e2%88%ab-festival-internacional-de-mua%cc%83a%cc%8asica-colonial-brasileira-e-mua%cc%83a%cc%8asica-antiga-de-juiz-de-fora5º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora.

A música na região do Rio das Mortes

Repostagem com novos e atualizados links

Abrangendo uma considerável área da capitania das Minas no século XVIII, a região denominada ‘Rio das Mortes’ compreendia, principalmente, as vilas de São João Del Rey, São José do Rio das Mortes (hoje Tiradentes) e Prados. Estas três localidades destacaram-se não apenas pela significativa produção artística e musical, mas também pelo fato de terem feito sobreviver através dos tempos uma considerável parte desta tradição musical. Ainda hoje, em finais do século XX, estas cidades mantém um fenômeno cultural único no Brasil e somente comparável na America Latina ao dos índios ‘chiquito’, no Paraguai, que até hoje executam obras de Domenico Zípoli, compostas na primeira metade do século XVIII. No caso da região do Rio das Mortes, as orquestras bicentenarias da “Lira Sanjoanense” (fundada em 1776) e “Ribeiro Bastos” (fundada em 1791) mantém um acervo em seus arquivos de um repertório, em grandes parte de compositores locais, de fins do século XVIII e primeira metade do século XIX. Em Prados, encontra-se ainda atualmente a orquestra “Lira Ceciliana” que foi fundada em meados do seculo XIX.

Dentre os compositores que atuaram na região, podemos destacar três deles como sendo os mais importantes, tanto pela qualidade das obras encontradas quanto pela quantidade de manuscritos hoje disponíveis. São eles: Manoel Dias de Oliveira (1735-1813), Joaquim de Paula Souza (1780-1842) e Antonio dos Santos Cunha (17 …- 18 … ).

Antonio dos Santos Cunha teve importante atividade em São João Del Rey entre aproximadamente 1780 até 1815 quando, segundo documentação existente, encontrava-se “ausente para Lisboa”. Sua música, fortemente influenciada pelo virtuosismo vocal vindo da ópera italiana do inicio do sec. XIX, ainda é bastante executada pela Orquestra Ribeiro Bastos nos dias de hoje, especialmente durante a semana santa.

Na Vila de São José, Manuel Dias de Oliveira foi um importante músico e compositor. Segundo o historiador Olinto Rodrigues dos Santos Filho, Manoel Dias nasceu em 1735, tendo se casado com Ana Helaria, 19 anos mais moça que ele e teve com ela cinco filhos, sendo que um deles, Francisco de Paula Dias, também foi músico. O nome do compositor aparece associado à música litúrgica em documentos a partir de 1769, quando atuava frente a um grupo de músicos que prestava seus serviços a várias irmandades locais. O prestígio da música nas várias festas do ano, especialmente na Semana Santa, pode ser atestado pelo fato de, na década de 1780, a música chegar a receber a remuneração de 100 oitavas de ouro.

Ainda segundo a documentação levantada por Olinto Rodrigues, Manuel Dias de Oliveira atuou também em São João Del Rey, Prados e até no Arraial de Congonhas do Campo, onde compôs a música para o jubileu do Bom Jesus de Matozinhos. Várias cópias de suas obras têm sido localizadas em diversas localidades de Minas e de São Paulo atestando assim, a fama e o prestígio do compositor ao longo do sec. XIX. Sua obra, que muitas vezes tem sido objeto de grande polêmica, devido ao fato de o compositor ter sido um excelente copista e calígrafo, apresenta características bem típicas do estilo praticado em Minas no final do sec. XVIII, ou seja a homofonia coral acompanhada por um pequeno conjunto instrumental com nítida influência napolitana, via Portugal, na orquestração. No aspecto formal, suas obras são extremamente concisas quanta à duração dos trechos estróficos e a polifonia, ainda eventualmente presente na música dos compositores portugueses da época, quase inexistente.

De suas composições encontradas até o momento, de autenticidade comprovada, podemos destacar: Tractus, Paixão e Bradados de 4ª Feira Santa (1788); Liturgia de Sábado Santo, que inclui o “Magnificat” em Ré Maior; “Magnificat” em Ré Maior (obra diferente da anterior); Motetos dos Passos para 2 coros e instrumentos; Motetos de NSrª das Dores a 8; Miserere para coro, contralto solo e contínuo (órgão) e Te Deum alternado em Lá Menor.

Existem, ainda hoje, uma série de compromissos de irmandades que foram redigidos por Manuel Dias, tais como o da Irmandade de NSrª das Mercês dos Pretos Crioulos da Vila de São José e o da Irmandade de NSrª da Boa Morte de Barbacena. Há ainda uma referência de 1795, onde está mencionado que o compositor tinha 2 escravos e um agregado preto forro.

Manuel Dias de Oliveira faleceu em 1813, tuberculoso, tendo sido sepultado na Capela de São João Evangelista dos Homens Pardos, na campa de número 2, aos pés do nicho de Santa Cecília, Padroeira dos Músicos. Na ocasião, os músicos da Vila entoaram um ofício de defuntos.

O Te Deum alternado em lá menor aquí registrado apresenta características comuns à sua época. Todos os trechos compostos tratam o texto homofônicamente, com raras exceções de breves momentos limitativos. O acompanhamento instrumental consiste de VL.I, VL.II e Baixo Contínuo. Todos os “Te Deum” encontrados em Minas, até o momento, desta época apontam para uma prática alternada com gregoriano, com uma tendência de se manter uma proporçãoo de duração aproximada entre os versos cantados em gregoriano e os originalmente compostos. A escola da tonalidade de lá menor pode ser atribuída à utilização do “Te Deum” gregoriano em modo eolio, fazendo com que os compositores modulem imediatamente para o tom maior adequado.

Joaquim de Paula Souza, denominado em vários manuscritos como o “Bonsucesso”, nasceu em Prados em 1780. Os detalhes sobre a sua vida não são conhecidos. O arraial de Prados, na época, contava com uma população de cerca de 730 habitantes. A produção musical do compositor, encontrada até o momento, é a seguinte: – Missa Pequena em Dó Maior; Missa em Dó Maior (diferente da anterior); Missa Grande em Sol Maior (1823); Credo em Dó Maior (1799); Ladainha em Dó Maior; Ladainha em Fá Maior; Ladainha em Sol Maior; Responsórios Fúnebres e Antífona de São Joaquim (1833). Os manuscritos referentes a estas obras encontram-se em diversas localidades mineiras, atestando assim, que foi um compositor bastante conhecido e executado. Joaquim de Paula Souza faleceu em 1842.

A Missa grande em Sol Maior foi composta provavelmente em 1823, data constante no manuscrito existente no Museu da Música de Mariana. A obra apresenta trechos virtuosísticos que contrastam com a homofonia coral. Tanto o “Laudamus” e o “Qui sedes” para solo de soprano, quanto “Quoniam” para solo de baixo, apresentam uma estrutura formal característica das árias “da capo” e “da bravura”. O uso da orquestra segue o hábito do sec. XVIII, onde sua função era basicamente de acompanhamento. No caso da Missa em Sol maior, as partes de primeiro violino apresentam uma linha frequentemente muito ornamentada, enquanto a utilização da viola é bastante original no final do “Cum Sancto Spiritu”, onde figuras de semi-colcheias repetidas criam um clima de expectativa para os acordes finais.

O Credo em Dó Maior, datado de 1799, é uma obra coral que segue os moldes do sec. XVIII. Os eventuais solos são simples e sempre altemados com o coro. O “Crucifixus’ para coro a capela,é um trecho de grande força dramática que faz-nos lembrar de práticas polifônicas que remontam ao sec. XVII.

A orquestração tanto da Missa em Sol, quando do Credo em Dó, consiste-se em Ob.I, Ob.II, Fl.I, Fl.II, Vl.I, Vl.II, Via e Baixos.

O “Te Deum” em lá menor de Manuel Dias de Oliveira e a “Missa em Sol Maior” foram reconstituídos por Sérgio Dias a partir dos manuscritos depositados no Museu da Música de Mariana e na entidade “Pão de Santo Antonio” de Diamantina. O “Credo em Dó Maior” foi reconstituído por Aluísio Viegas com base em cópias provenientes de várias fontes em Minas.
(Harry Lamot Crowl, Jr. , extraído do encarte)

Joaquim de Paula Sousa “Bonsucesso” (Prados, c. 1760 – idem, c. 1820)
01. Missa Grande em Sol Maior – 1. Kyrie
02. Missa Grande em Sol Maior – 2. Christe
03. Missa Grande em Sol Maior – 3. Kyrie
04. Missa Grande em Sol Maior – 4. Gloria
05. Missa Grande em Sol Maior – 5. Laudamus
06. Missa Grande em Sol Maior – 6. Gratias
07. Missa Grande em Sol Maior – 7. Domine Deus
08. Missa Grande em Sol Maior – 8. Qui Tollis
09. Missa Grande em Sol Maior – 9. Qui Sedes
10. Missa Grande em Sol Maior – 10. Quoniam
11. Missa Grande em Sol Maior – 11. Cum Santco Spiritu, Amen
12. Credo em Dó – 1. Credo
13. Credo em Dó – 2. Et Incarnatus Est
14. Credo em Dó – 3. Crucifixus
15. Credo em Dó – 4. Et Ressurretix
16. Credo em Dó – 5. Et Expecto
17. Credo em Dó – 6. Et Vitam Venturi Saeculi, Amen
18. Credo em Dó – 7. Sanctus
19. Credo em Dó – 8. Hosanna
20. Credo em Dó – 9. Benedictus
21. Credo em Dó – 10. Hosanna
22. Credo em Dó – 11. Agnus Dei

23. Sepulto Domino
Manoel Dias de Oliveira (São José del Rey [Tiradentes], 1735-1813)
24. Te Deum -Alternado – 1. Te Deum Laudamus
25. Te Deum -Alternado – 2. Te Aeternum Patrem
26. Te Deum -Alternado – 3. Tibi Cherubim Et Serafim
27. Te Deum -Alternado – 4. Pleni Sunt Caeli et Terra
28. Te Deum -Alternado – 5. Te Prophetarum Laudabilis Numerus
29. Te Deum -Alternado – 6. Te Per Orbem Terrarum Sancta Confititur Ecclesia
30. Te Deum -Alternado – 7. Veneradum Tuum Verum
31. Te Deum -Alternado – 8. Tu Rex Gloriae Christe
32. Te Deum -Alternado – 9. Tu ad Liberandum Suscepturus Hominum
33. Te Deum -Alternado – 10. Tu ad Dexteram Dei Sedes, in Gloria Patris
34. Te Deum -Alternado – 11. Aeterna Fac cum Sanctis Turism Gloria Numerari
35. Te Deum -Alternado – 12. Et Rege Eos et Extoille Illos Usque in Aeternam
36. Te Deum -Alternado – 13. Et Laudamus Nomem Tuum in Saeculum
37. Te Deum -Alternado – 14. Miserere Nostri Domini, Miserere Nostri

5º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora – 1994
Orquestra e Coral do Festival. Regente: Sérgio Dias – Missa em Sol Maior e Credo em Dó
Orquestra de Câmara e Coral Pró-Música. Regente: Nelson Nilo Hack – Te Deum (Alternado)
Coral Pró-Música. Regente: André Pires – Sepulto Domino
2jcbrlsBAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC 371,9MB | HQ Scans 5,3 MB |

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 320 kbps | 156,6 + 5,3 MB | 1 h
powered by iTunes 11.0.4

 

Partituras e outros que tais? Clique aqui.

Conheça o Musica Brasilis, criado em 2009 para a difusão de repertórios brasileiros de todos os tempos. Partituras, compositores, vídeos, instrumentos, escuta guiada, jogos, notícias e o esquimbau a quatro! Não deixe de visitar! IM-PER-DÍ-VEL !!

Boa audição.

 

 

 

 

 

 

 

Avicenna

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Georg Friedrich Händel (1685 -1759): Concerti Grossi Opus 6

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Eu acho que não sou um nostálgico. Ou então gosto tanto de gravações com instrumentos originais, que só vejo vantagens nesta gravação dos Concerti Grossi, Op. 6, em relação aos exageros de Karl Richter que ouvia nos anos 60-70. Fazer o quê?

Este é um imenso trabalho que abiscoitou prêmios de várias revistas por aê. E mereceu. O desempenho do Avison Ensemble, principalmente nos concertos finais desta série é realmente estupendo. Eis um disco que me deixou muito feliz.

Georg Friedrich Händel (1685 -1759): Concerti Grossi Opus 6

1. Opus 6 No. 1 in G major, HWV 319 – I. A tempo giusto 1:35
2. Opus 6 No. 1 in G major, HWV 319 – II. Allegro 1:44
3. Opus 6 No. 1 in G major, HWV 319 – III. Adagio 2:34
4. Opus 6 No. 1 in G major, HWV 319 – IV. Allegro 2:35
5. Opus 6 No. 1 in G major, HWV 319 – V. Allegro 2:52

6. Opus 6 No. 2 in F major, HWV 320 – I. Andante larghetto 4:10
7. Opus 6 No. 2 in F major, HWV 320 – II. Allegro 2:19
8. Opus 6 No. 2 in F major, HWV 320 – III. Largo 2:08
9. Opus 6 No. 2 in F major, HWV 320 – IV. Allegro, ma non troppo 2:24

10. Opus 6 No. 3 in E minor, HWV 321 – I. Larghetto affettuoso 1:05
11. Opus 6 No. 3 in E minor, HWV 321 – II. Andante 1:29
12. Opus 6 No. 3 in E minor, HWV 321 – III. Allegro 2:25
13. Opus 6 No. 3 in E minor, HWV 321 – IV. Polonaise: Andante 4:58
14. Opus 6 No. 3 in E minor, HWV 321 – V. Allegro, ma non troppo 1:20

15. Opus 6 No. 4 in A minor, HWV 322 – I. Larghetto affettuoso 2:43
16. Opus 6 No. 4 in A minor, HWV 322 – II. Allegro 2:58
17. Opus 6 No. 4 in A minor, HWV 322 – III. Largo, e piano 2:23
18. Opus 6 No. 4 in A minor, HWV 322 – IV. Allegro 2:58

19. Opus 6 No. 5 in D major, HWV 323 – I. (No marking) 1:32
20. Opus 6 No. 5 in D major, HWV 323 – II. Allegro 2:14
21. Opus 6 No. 5 in D major, HWV 323 – III. Presto 4:03
22. Opus 6 No. 5 in D major, HWV 323 – IV. Largo 2:07
23. Opus 6 No. 5 in D major, HWV 323 – V. Allegro 2:12
24. Opus 6 No. 5 in D major, HWV 323 – VI. Menuet 3:03

25. Opus 6 No. 6 in G minor, HWV 324 – I. Larghetto e affettuoso 3:18
26. Opus 6 No. 6 in G minor, HWV 324 – II. Allegro, ma non troppo 1:38
27. Opus 6 No. 6 in G minor, HWV 324 – III. Musette: Larghetto 5:01
28. Opus 6 No. 6 in G minor, HWV 324 – IV. Allegro 3:03
29. Opus 6 No. 6 in G minor, HWV 324 – V. Allegro 2:27

30. Opus 6 No. 7 in B-flat major, HWV 325 – I. Largo 0:56
31. Opus 6 No. 7 in B-flat major, HWV 325 – II. Allegro 2:58
32. Opus 6 No. 7 in B-flat major, HWV 325 – III. Largo, e piano 3:08
33. Opus 6 No. 7 in B-flat major, HWV 325 – IV. Andante 3:47
34. Opus 6 No. 7 in B-flat major, HWV 325 – V. Hornpipe 3:14

35. Opus 6 No. 8 in C minor, HWV 326 – I. Allemande 6:34
36. Opus 6 No. 8 in C minor, HWV 326 – II. Grave 1:33
37. Opus 6 No. 8 in C minor, HWV 326 – III. Andante allegro 1:55
38. Opus 6 No. 8 in C minor, HWV 326 – IV. Adagio 1:03
39. Opus 6 No. 8 in C minor, HWV 326 – V. Siciliana 3:31
40. Opus 6 No. 8 in C minor, HWV 326 – VI. Allegro 1:26

41. Opus 6 No. 9 in F major, HWV 327 – I. Largo 1:31
42. Opus 6 No. 9 in F major, HWV 327 – II. Allegro 3:53
43. Opus 6 No. 9 in F major, HWV 327 – III. Larghetto 3:20
44. Opus 6 No. 9 in F major, HWV 327 – IV. Allegro 1:46
45. Opus 6 No. 9 in F major, HWV 327 – V. Menuet 1:20
46. Opus 6 No. 9 in F major, HWV 327 – VI. Gigue 2:13

47. Opus 6 No. 10 in D minor, HWV 328 – I. Ouverture 1:29
48. Opus 6 No. 10 in D minor, HWV 328 – II. Allegro 2:12
49. Opus 6 No. 10 in D minor, HWV 328 – III. Lento 2:58
50. Opus 6 No. 10 in D minor, HWV 328 – IV. Allegro 2:13
51. Opus 6 No. 10 in D minor, HWV 328 – V. Allegro 2:45
52. Opus 6 No. 10 in D minor, HWV 328 – VI. Allegro moderato 1:49

53. Opus 6 No. 11 in A major, HWV 329 – I. Andante larghetto, e staccato 4:11
54. Opus 6 No. 11 in A major, HWV 329 – II. Allegro 1:43
55. Opus 6 No. 11 in A major, HWV 329 – III. Largo, e staccato 0:29
56. Opus 6 No. 11 in A major, HWV 329 – IV. Andante 4:27
57. Opus 6 No. 11 in A major, HWV 329 – V. Allegro 5:15

58. Opus 6 No. 12 in B minor, HWV 330 – I. Largo 1:59
59. Opus 6 No. 12 in B minor, HWV 330 – II. Allegro 2:53
60. Opus 6 No. 12 in B minor, HWV 330 – III. Larghetto, e piano 3:21
61. Opus 6 No. 12 in B minor, HWV 330 – IV. Largo 0:48
62. Opus 6 No. 12 in B minor, HWV 330 – V. Allegro 2:08

Pavlo Beznosiuk, regente e violino
The Avison Ensemble

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Parabéns à meninada do Avison Ensemble. Belo trabalho.

Parabéns à meninada do Avison Ensemble. Belo trabalho.

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): Bach 2000 – Caixa 2, CDs 13, 14 e 15

Clique aqui para todo o Bach 2000.

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 2, CD 13
—————————————————

BWV0091 Cantata 1 Coro “Gelobet seist du,Jesu Christ”
BWV0091 Cantata 2 Recitativo-Choral (soprano) “Der Glanz der höchsten Herrlichkeit”
BWV0091 Cantata 3 Aria (tenor) “Gott,dem der Erdenkreis zu klein”
BWV0091 Cantata 4 Recitativo (bass) “O Christenheit,wohlan”
BWV0091 Cantata 5 Aria (Duetto) (soprano,alto) “Die Armut,so Gott auf sich nimmt”
BWV0091 Cantata 6 Choral (coro) “Das hat er alles uns getan”

BWV0092 Cantata 1 Coro “Ich hab in Gottes Herz und Sinn”
BWV0092 Cantata 2 Recitativo-Choral (bass) “Es kann mir fehlen nimmermehr”
BWV0092 Cantata 3 Aria (tenor) “Seht,seht- wie reißt,wie bricht,wie fällt”
BWV0092 Cantata 4 Choral (alto) “Zudem ist Weisheit und Verstand”
BWV0092 Cantata 5 Recitativo (tenor) “Wir wollen nun nicht länger zagen”
BWV0092 Cantata 6 Aria (bass) “Das Brausen von den rauhen Winden”
BWV0092 Cantata 7 Choral-Recitativo (soprano,tenor,alto,bass) “Ei nun,mein Gott,so fall ich dir”
BWV0092 Cantata 8 Aria (soprano) “Meinem Hirten bleib ich treu”
BWV0092 Cantata 9 Choral (coro) “Soll ich denn auch des Todes Weg”

BWV0093 Cantata 1 Coro “Wer nur den lieben Gott läßt walten”
BWV0093 Cantata 2 Recitativo-Choral (bass) “Was helfen uns die schweren Sorgen”
BWV0093 Cantata 3 Aria (tenor) “Man halte nur ein wenig stille”
BWV0093 Cantata 4 Aria (Duetto) (soprano,alto) “Er kennt die rechten Freudenstunden”
BWV0093 Cantata 5 Recitativo-Choral (tenor) “Denk nicht in deiner Drangsalshitze”
BWV0093 Cantata 6 Aria (soprano) “Ich will auf den Herren schaun”
BWV0093 Cantata 7 Choral (coro) “Sing,bet und geh auf Gottes Wegen”

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 2, CD 14
—————————————————

BWV0094 Cantata 1 Coro “Was frag ich nach der Welt”
BWV0094 Cantata 2 Aria (bass) “Die Welt ist wie ein Rauch und Schatten”
BWV0094 Cantata 3 Recitativo-Choral (tenor) “Die Welt sucht Ehr und Ruhm”
BWV0094 Cantata 4 Aria (alto) “Betörte Welt,betörte Welt”
BWV0094 Cantata 5 Recitativo-Choral (bass) “Wie Welt bekümmert sich”
BWV0094 Cantata 6 Aria (tenor) “Die Welt kann ihre Lust und Freud”
BWV0094 Cantata 7 Aria (soprano) “Es halt es mit der blinden Welt”
BWV0094 Cantata 8 Choral (coro) “Was frag ich nach der Welt”

BWV0095 Cantata 1 Coro-Recitativo (tenor) “Christus,der ist mein Leben”
BWV0095 Cantata 2 Recitativo (soprano) “Nun,falsche Welt”
BWV0095 Cantata 3 Choral (soprano) “Valet will ich dir geben”
BWV0095 Cantata 4 Recitativo (tenor) “Ach könnte mir doch bald so wohl geschehen”
BWV0095 Cantata 5 Aria (tenor) “Ach schlage doch bald”
BWV0095 Cantata 6 Recitativo (bass) “Denn ich weiß dies”
BWV0095 Cantata 7 Choral (coro) “Weil du vom Tod erstanden bist”

BWV0096 Cantata 1 Coro “Herr Christ,der einge Gottessohn”
BWV0096 Cantata 2 Recitativo (alto) “O Wunderkraft der Liebe”
BWV0096 Cantata 3 Aria (tenor) “Ach,ziehe die Seele mit Seilen der Liebe”
BWV0096 Cantata 4 Recitativo (soprano) “Ach,führe mich,o Gott”
BWV0096 Cantata 5 Aria (bass) “Bald zur Rechten,bald zur Linken”
BWV0096 Cantata 6 Choral (coro) “Ertöt uns durch dein Güte”

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 2, CD 15
—————————————————

BWV0097 Cantata 1 Coro “In allen meinen Taten”
BWV0097 Cantata 2 Aria (bass) “Nichts ist es spat und frühe”
BWV0097 Cantata 3 Recitativo (tenor) “Es kann mir nichts geschehen”
BWV0097 Cantata 4 Aria (tenor) “Ich traue seiner Gnaden”
BWV0097 Cantata 5 Recitativo (alto) “Er wolle meiner Sünden”
BWV0097 Cantata 6 Aria (alto) “Leg ich mich späte nieder
BWV0097 Cantata 7 Duetto (soprano,bass) “Hat er es denn beschlossen”
BWV0097 Cantata 8 Aria (soprano) “Ihm hab ich mich ergeben”
BWV0097 Cantata 9 Choral (coro) “So sei nun,Seele,deine”

BWV0098 Cantata 1 Coro “Was Gott tut,das ist wohlgetan”
BWV0098 Cantata 2 Recitativo (tenor) “Ach Gott- wenn wirst du mich einmal”
BWV0098 Cantata 3 Aria (soprano) “Hört,ihr Augen,auf zu weinen”
BWV0098 Cantata 4 Recitativo (alto) “Gott hat ein Herz,das des Erbarmens Überfluß”
BWV0098 Cantata 5 Aria (bass) “Meinen Jesum laß ich nicht”

BWV0099 Cantata 1 Coro “Was Gott tut,das ist wohlgetan”
BWV0099 Cantata 2 Recitativo (bass) “Sein Wort der Wahrheit stehet fest”
BWV0099 Cantata 3 Aria (tenor) “Erschüttre dich nur nicht,verzagte Seele”
BWV0099 Cantata 4 Recitativo (alto) “Nun,der von Ewigkeit geschlossne Bund”
BWV0099 Cantata 5 Aria (Duetto) (soprano,alto) “Wenn des Kreuzes Bitterkeiten”
BWV0099 Cantata 6 Choral (coro) “Was Gott tut,das ist wohlgetan”

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

bach peq

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Te mete!

mozart

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

4º Festival de Música de Juiz de Fora: Pe. João de Deus de Castro Lobo (1794-1832): Te Deum (Alternado) • Missa em Ré Maior • Credo em Fá Maior (Acervo PQPBach)

senn1v4º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora.

Pe. João de Deus de Castro Lobo
Te Deum (Alternado)
Missa em Ré Maior
Credo em Fá Maior

Repostagem com novos e atualizados links


João de Deus de Castro Lobo foi, sem dúvida, o último grande representante da chamada “Escola de Compositores” mineiros ligada à tradição colonial.

O nome da familia Castro Lobo esteve associada à música religiosa em Vila Rica por, pelo menos, três gerações. O avô de João de Deus, Manuel de Castro Lobo, natural do Arraial do Antônio Dias, é mencionado por Curt Lange na sua relação de músicos atuantes na Irmandade de São José dos Homens Pardos.

Nascido por volta de 1763, Gabriel de Castro Lobo, filho de Manuel e Roza Vieira dos Santos, também natural do Arraial de Antônio Dias, foi um importante músico em várias irmandades de Vila Rica. Sua atuação deu-se como trombeteiro da tropa de linha onde também serviram outros importantes músicos da época.

Seu nome também aparece como regente na Irmandade do Santíssimo Sacramento da Matriz de Nossa Senhora do Pilar a partir de 1787. Gabriel casou-se com Quitéria da Costa e Silva, filha natural de Madalena da Costa Braga, natural da Vila Real de Nossa Senhora do Sabarábussú.

Em 16 de março de 1794, nasce João de Deus, primeiro filho de Gabriel e Quitéria. Em 1804, o casal contava com três filhos, João de Deus, Gabriel e Carlos. A familia contava ainda com os agregados Antonio, de 8 anos, e Luzia, de 6 anos.

A primeira informação sobre a atuação de João de Deus como músico é de 1811, quando aos 17 anos de idade, apresenta-se à frente de dezesseis músicos na temporada teatral da Casa da Ópera de Vila Rica. O elenco de atores (cantores) era formado por vinte nomes, entre eles, alguns da familia como o de João Pinto de Castro, Gabriel de Castro, José de Castro, Antônio Angelo, Ana Serrinha, Francisca Luciana, Luisa Josefa Nova e Felicidade Vaqueta. Entre os nomes de peças teatrais ou óperas encenadas na época consta ”Zaira”, que seguramente era a de autoria de Marcos Portugal.

Em 1815 é fundada em Vila Rica a Irmandade de Santa Cecília com o objetivo de agremiar os músicos profissionais atuantes em toda a capitania das Minas, pois a decadência econômica já se encontrava bastante acentuada e as tradicionais irmandades contavam com limitados recursos para a contratação dos serviços musicais. Assim sendo, aos 29 de novembro daquele ano, João de Deus de Castro Lobo assentou como irmão e professor da arte de música. A ata é também assinada pelo violoncelista e regente, João Nunes Maurício Lisboa, amigo do compositor.

A partir de 1817, o compositor começa a atuar como organista da Ordem 3ª de Nossa Senhora do Carmo, a mais influente de todas as irmandades de Vila Rica. As Ordens 3ª do Carmo eram reservadas aos homens brancos e a sua penetração na sociedade colonial pode ser atestada não só pela suntuosidade de seus templos, mas também pela proximidade física das sedes do poder civil, no caso de Vila Rica, da casa de Câmara e Cadeia. A atuação de João de Deus junto ao Carmo durou até 1823. Nesse mesmo período, o compositor concluiu os seus estudos de latim, em 1819 e, no ano seguinte foi admitido no Seminário de Mariana. Embora a obra encontrada de João de Deus não esteja datada, com exceção do “Te Deum” e dos ”6 Responsórios Fúnebres”, tudo indica que esta fase de sua vida foi a mais produtiva, pois em Vila Rica apenas o coro da lgreja do Carmo era suficientemente amplo para abrigar todo o conjunto instrumental tanto da “Missa em Ré Maior”, como da “Missa e Credo a 8 vozes”. Ainda, os nomes do compositor e o de João Nunes Maurício Lisboa, muitas vezes arrematante da música, aparecem juntos justificando, inclusive, os frequentes solos de violoncelo incluídos nas suas obras. J.N.M. Lisboa foi certamente um excelente instrumentista, pois entre as referências encontradas a seu respeito em diversos documentos, consta na Coleção Curt Lange, um “Trio para violino, viola e violoncelo” de Luigi Boccherini (1743-1805), copiado em 1799.

Durante todo o periodo de estudos no Seminário de Mariana, o compositor viajava de volta a Vila Rica para atender as suas funções junto à Ordem 3ª do Carmo. Segundo o viajante Auguste de Saint-Hilaire, que descreveu o trajeto nesta mesma época, a distância de Vila Rica até Mariana era de duas léguas, seguindo-se pela estrada que conduzia Vila Rica ao Distrito Diamantino que, de acordo com S. Hilaire era bastante bela, sendo pavimentada nas proximidades de Mariana.

João de Deus foi ordenado padre, em 1822, pelo bispo D. Frei José da Santíssima Trindade, tendo sido julgado habilitado para receber as ordens do presbiterado em 27 de maio, do mesmo ano, pelo Arcediago Rev. Dr. Marcos Antonio Monteiro de Barros.

Ainda em 1822, a Ordem 3° do Carmo paga ao compositor a importância de 22$100 pela composição de um “Te Deum” para Sua Alteza Real, D. Pedro l, durante sua histórica visita a Vila Rica. No ano seguinte, ainda atua como organista na igreja do Carmo, antes de transferir-se definitivamente para Mariana.

Em 1825, encontramos o compositor já ligado à Ordem 3ª de São Francisco da Penitência de Mariana, quando recebe a quantia de 5$1OO pelas Novenas e festas de São Francisco e para acolitar nas missas.

João de Deus retorna a Vila Rica em 1826 onde recebe 4$000 pela composição da “Missa do Pontifical” e para acolitar na Igreja de Sao Francisco de Assis. No período em que viveu em Mariana, certamente atuou também como mestre-de-capela, pois, embora não tenhamos o documento de sua nomeação, esta atividade e título eram exclusivas das sedes de bispado, de acordo com a tradição luso-brasileira.

Em 1831, o compositor começa a trabalhar na sua última obra, os “Responsórios Fúnebres” que ficaram incompletos devido ao seu falecimento precoce em 27 de janeiro de 1832.

Segundo o cura Agostinho lsidiro do Rosário, o Rev. Pe. Mestre foi sepultado com solene ofício na Capela de São Francisco de Mariana, sob a campa de n° 37. Um curioso e importante depoimento foi dado, em 1911, por uma certa Mestra Joana, como era conhecida em Mariana. Segundo ela que, quando menina conheceu muito o Pe. João de Deus, este era dotado de uma compleição débil, devido aos incômodos que o acompanhavam desde a infância. Ela assistiu o seu funeral nesta cidade, onde gozava de grande reputação.

As obras aqui apresentadas, formam, talvez, o conjunto mais representativo da criação do Pe. João de Deus de Castro Lobo.

A Missa em Ré Maior é uma obra de grandes proporções, estrutura na forma habitual dos compositores coloniais mineiros, ou seja, “Kyrie” e ”Glória”. O “Kyrie” apresenta-se com uma introdução orquestral, seguida de três partes corais com um fugato no ”Christe”. O “Glória” inicia-se com um breve solo de baixo que antecede o coro. A estrutura deste trecho está baseada na alternância de solos de soprano e baixo com o coro. A orquestração é rica, com uma ativa participação dos instrumentos de sopro, apoiados pelos tímpanos. O “Laudamus” é um duo para soprano e contralto onde a influência do “bel canto” se faz notar, assim como um certo caráter modinheiro. No “Gratias”, o elemento dramático faz-se presente através de um escrita austera para o coro, acompanhada de uma melodia bastante ornamentada nos primeiros violinos. O “Domine Deus” traz o quarteto vocal solista no primeiro plano, seguido pelo coro. Este é um dos raros momentos em que a parte dos solistas está indicada separadamente do coro. O “Qui tollis” e o “Qui sedes” formam uma ária quase “de bravura” para tenor. O ”Quoniam” é um trecho bastante virtuosístico para o baixo solista chegando a lembrar uma ária de Rossini. O “Cum Sancto Spiritu” começa com um largo solene para o coro e em seguida um brilhante fugato é entoado pela orquestra e seguido pelas vozes. O compositor denominou este trecho de “Fuga”, porém a liberdade com a qual ele trata a forma, não poderíamos associar este trecho à chamada fuga escolástica.

O Credo em Fá Maior é uma obra de proporções bem mais modestas que a Missa. Composto seguramente em época diferente da obra anterior, este Credo é a única obra do gênero encontrada do compositor além do Credo a 8 vozes. Sua estrutura está dividida da seguinte maneira:
* Patrem omnipotentem; Et im unum Dominum; Genitum; Et incarnatus; Crucifixus; Et ressurexit
* Sanctus; Hosanna; Benedictus; Hosanna
* Agnus Dei

Em geral, a obra é bem equilibrada com predominância da escrita coral. Pelo número de cópias encontradas até agora, mais de cinco coleções de partes manuscritas, podemos constatar que trata-se de uma obra que gozou de bastante popularidade até inicio do século XX, em varias localidades de Minas.

Finalmente, o Te Deum alternado em lá menor aparece como sendo a composição provável, de 1822. Não se trata aquí de uma obra da proporção das obras vocais anteriores, mas de uma peça de ocasião. Este Te Deum tem proporções e instrumentação reduzidas e apresenta características de um “pasticcio” operístico da primeira metade do século XIX.

A abertura em Ré Maior está editada pela Universidade Federal de Ouro Preto. A Missa em Ré Maior foi reconstituida por H. Crowl especialmente para o 4° Festival de Música Colonial e Música Antiga de Juiz de Fora, a partir dos manuscritos existentes no arquivo do “Pão de Santo Antonio”, em Diamantina. O Credo em Fá Maior foi reconstituido pelo historiador Maurício Mário Monteiro e pelo regente e musicólogo Sérgio Dias, a partir de manuscritos provenientes de Airuoca, MG, hoje depositados na biblioteca da ECA/USP. O Te Deum em lá menor, reconstituido por Sérgio Dias, encontra-se no Arquivo da Orquestra Lira Sanjoanense, sendo a única versão existente. As cópias dos manuscritos foram-nos gentilmente cedidas por Aluizio Viegas. Todas as obras passaram por uma segunda revisão de Sérgio Dias.
(Harry L. Crowl, Jr., extraído do encarte)

Pe. João de Deus Castro Lobo (Vila Rica, 1794 – Mariana, 1832)
01. Te Deum (Alternado) – 1. Gregoriano: Te Deum Laudamus/Coro: Te Dominum Confitemur
02. Te Deum (Alternado) – 2. Gregoriano: Te Aeternun Patrem/Soprano e Coro: Tibi Omnes, Omnes Angeli
03. Te Deum (Alternado) – 3. Gregoriano: Tibi Cherubim Et Seraphim/Coro: Sanctus, Sanctus
04. Te Deum (Alternado) – 4. Gregoriano: Pleni Sunt Caeli Et Terra/Baixo e Coro: Te Gloriosus Apostolorum
05. Te Deum (Alternado) – 5. Gregoriano: Te Prophetarum Laudabilis Numerus/Coro: Te Martyrum Candidatus
06. Te Deum (Alternado) – 6. Gregoriano: Te Per Orbem Terrarum/Coro: Patrem Immensae Majestatis
07. Te Deum (Alternado) – 7. Gregoriano: Veneradum Tuum Verum/Coro: Quoque Paraclitum
08. Te Deum (Alternado) – 8. Gregoriano: Tu Rex Gloriae Christe/Coro: Tu Patris Sempiternum Et Filius
09. Te Deum (Alternado) – 9. Gregoriano: Tu Ad Liberandum/Tenor, Contralto e Coro: Tu Devicto Mortis Aculeo/Coro: Aperuisti Credentibus Regna Caelorum
10. Te Deum (Alternado) – 10. Gregoriano: Tu Ad Dexteram Dei Sedes/Coro: Ludex Crederis e Te Ergo Quaesumus
11. Te Deum (Alternado) – 11. Gregoriano: Aeterna Fac/Coro: Salvum Fac Populum
12. Te Deum (Alternado) – 12. Gregoriano: Et Rege Eos Et Extoille Illos/Coro e Tenor: Per Singulos Dies
13. Te Deum (Alternado) – 13. Gregoriano: Et laudamus nomen tuum/Coro: Dignare Dominus
14. Te Deum (Alternado) – 14. Gregoriano: Miserere Nostri Domini/Coro: Fiat Misericordia Tua/Coro final: In Te Domine Speravit
15. Missa em Ré Maior – 1. Kyrie (Coro)
16. Missa em Ré Maior – 2. Christe (Solistas)
17. Missa em Ré Maior – 3. Kyrie (Coro)
18. Missa em Ré Maior – 4. Gloria (Solistas e Coro)
19. Missa em Ré Maior – 5. Laudamus (Duo: Soprano e Alto)
20. Missa em Ré Maior – 6. Gratias (Coro)
21. Missa em Ré Maior – 7. Domine Deus (Solistas)
22. Missa em Ré Maior – 8. Qui tollis/Qui Sedes (Tenor)
23. Missa em Ré Maior – 9. Quoniam (Barítono)
24. Missa em Ré Maior – 10. Cum Sancto Spiritu (Coro)/Amem (Solista e Coro)
25. Credo em Fá Maior – 1. Patrem (Coro)
26. Credo em Fá Maior – 2. Et In Unum Dominum (Solistas)
27. Credo em Fá Maior – 3. Genitum (Coro)
28. Credo em Fá Maior – 4. Et Incarnatus (Solistas)
29. Credo em Fá Maior – 5. Crucifixus (Solistas e Coro)
30. Credo em Fá Maior – 6. Et ressurrexit (Solistas e Coro)
31. Credo em Fá Maior – 7. Sanctus (Coro)
32. Credo em Fá Maior – 8. Hosanna (Coro)
33. Credo em Fá Maior – 9. Benedictus (Solistas)
34. Credo em Fá Maior – 10. Agnus Dei (Solistas e Coro)

4º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora – 1993
Orquestra de Câmara e Coral Pró-Música. Regente: Nelson Nilo Hack – Te Deum (Alternado)
Orquestra e Coral do Festival. Regente: Sérgio Dias – Missa em Ré Maior & Credo em Fá Maior
.
2jcbrlsBAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC 427,7 MB | 1,2 h |

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 320 kbps – 164,8 MB – 1,2 h
powered by iTunes 12.1.0

.

Boa audição.

xc436f

 

 

 

 

 

 

 

Avicenna

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

3º Festival de Música de Juiz de Fora: José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita (1746-1805): Missa Em Mi Bemol Maior e Credo (Acervo PQPBach)

29kurufRepostagem com novos e atualizados links

3º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora.

O Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora, MG, chega ao seu 21° ano. Ao longo destas duas décadas, o evento marcou a agenda musical brasileira com uma celebração da arte durante 15 dias, sempre em julho. Nesta trajetória, promoveu cerca de 800 concertos, sempre gratuitos, unindo centenas de milhares de espectadores e milhares de artistas.

Desta festa da música têm participado as mais importantes orquestras brasileiras, além de músicos e grupos destacados no exterior na interpretação historicamente correta do acervo colonial e antigo.

Com o vasto acervo produzido de CDs, livros e DVD, trazendo à luz exemplos das composições dos séculos XVII e XVIII – algumas em primeira execução contemporânea – o evento provocou profunda mudança no cenário da cultura nacional e tem dado a um público diversificado e crescente acesso a um tipo de produção que poderia ficar restrita a iniciados. Este ano, mais uma vez, a Orquestra Barroca do Festival faz o registro, com instrumentos de época, do barroco europeu e de nossa música antiga.

Em paralelo ao esforço de popularização e formação de público, o Festival investiu na pesquisa acadêmica com a realização do Encontro de Musicologia Histórica.

O encontro é o maior evento brasileiro do gênero em número de edições bienais, número de trabalhos apresentados e impressos e duração temporal. Este ano, o Pró-Música lança os Anais do 8° encontro e prepara um novo passo com a reformatação do projeto para 2011.

Nesta 21ª edição, é retomada a parceria com o Consulado Francês – Culturesfrance, com a participação de professores. Também a Faculdade de Música da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) participa do quadro de cursos com três professores.

Premiado com as mais significativas distinções da cultura brasileira, o Festival é reconhecido como bem imaterial pela cidade de Juiz de Fora (MG), onde se realiza numa promoção do Centro Cultural Pró-Música. (http://www.promusica.org.br)

A presente postagem é um registro histórico do 3º Festival e do primeiro CD publicado pelo Festival, em 1992.

José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita (Vila do Príncipe, 1746- Rio de Janeiro, 1805) Orquestra e Coral do III Festival, regente Sérgio Dias Coro preparado por Júlio Moretzsohn
01. Missa Em Mi Bemol Maior 1. Kyrie – Largo
02. Missa Em Mi Bemol Maior 2. Kyrie – Allegro
03. Missa Em Mi Bemol Maior 3. Kyrie – Andante Moderato
04. Missa Em Mi Bemol Maior 4. Kyrie – Largo
05. Missa Em Mi Bemol Maior 5. Gloria – Allegro Molto
06. Missa Em Mi Bemol Maior 6. Laudamos – Andante
07. Missa Em Mi Bemol Maior 7. Gratias – Largo
08. Missa Em Mi Bemol Maior 8. Domine Deus – Allegro
09. Missa Em Mi Bemol Maior 9. Qui Tollis – Largo
10. Missa Em Mi Bemol Maior 10. Suscipe – Andante
11. Missa Em Mi Bemol Maior 11. Qui Sedes – Largo
12. Missa Em Mi Bemol Maior 12. Qui Sedes – Andante
13. Missa Em Mi Bemol Maior 13. Quoniam – Andante
14. Missa Em Mi Bemol Maior 14. Cum Sancto Spiritu – Largo
15. Missa Em Mi Bemol Maior 15. Cum Sancto Spiritu – Allegro

Orquestra e Coral Pro-Música de Juiz de Fora, regente Nélson Nilo Hack
16. Credo 1. Credo
17. Credo 2. Et Incarnatus
18. Credo 3. Passus
19. Credo 4. Et Resurrexit
20. Credo 5. Confiteor
21. Credo 6. Sanctus
22. Credo 7. Hosana Benedictus, Hosana
23. Credo 8. Agnus Dei

3º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga – 1992

2jcbrlsBAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC 313,1 MB | HQ Scans 42,6 MB |

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
mp3 320 kbps – 140,7 MB – 59,4 min
powered by iTunes 9.2 .

 

Boa audição.

Avicenna

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Igor Stravinsky (1882-1971): A Sagração da Primavera / Modest Mussorgsky (1839-1881): Uma noite no Monte Calvo / Béla Bartók (1881-1945): O Mandarim Miraculoso

salonen_le_sacre_du_printempsIM-PER-DÍ-VEL !!!

A revalidação desta postagem é uma cortesia com chapéu alheio feita por Ranulfus, que não quer deixar de participar das comemoração dos 100 anos de Sagração de Primavera. Como esta realização pelo regente finlandês mexeu especialmente comigo quando o PQP postou em 15/11/2009, tomo a liberdade de trazê-la para a boca do palco sem nem perguntar ao proprietário. Noto que apesar de gostar muito de Mussorgski e de Bartók, não gosto das duas peças deles incluídas aqui, em particular. Ouvi-las ou não, é com vocês. Mas essa Sagração… ouçam e depois digam se não vale mesmo o atrevimento! (Ranulfus)

Esta gravação ao vivo é a estréia de Esa-Pekka Salonen no Walt Disney Concert Hall como regente titular da Filarmônica de Los Angeles. Foi em 2003. A obra central do concerto é a A Sagração da Primavera. O registro é um verdadeiro milagre na versão original, pois a acústica do teatro é impecável. A gravação capta a energia e a beleza deste trio de músicas agitadas e poderosas.

O finlandês Salonen (1958) dá, é claro, um show. É um grande regente. Certamente ficará, se me entendem.

Mussorgski: Uma noite no Monte Calvo / Bartók: O Mandarim Miraculoso / Stravinski: A Sagração da Primavera

1. Mussorgsky: Night on Bald Mountain (original version)
2. Bartók: The Miraculous Mandarin, op. 19, Sz. 73 (concert version)
3-16. Stravinsky: Le Sacre du printemps (version 1947)

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Salonen: esse é bom!

Salonen: eu emprestaria meu cachorro para ele passear

Apoie os bons artistas, compre sua música!

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): Bach 2000 – Caixa 2, CDs 10, 11 e 12

Clique aqui para todo o Bach 2000.

Este grupo de Cantatas não é normal, em absoluto. Na minha opinião, aqui está a maior Cantata de Bach, a BWV 80, e algumas outras qie chegam perto desta em qualidade, como a Cantata-solo BWV 82, Ich habe genug. Informação utilíssima: vocês poderão reconhecer PQP Bach na rua quando seu telefone tocar. O toque é a ária Mit unser Macht. E quem dormir com PQP Bach será acordado pelo coral Und wenn die Welt voll Teufel wär. Eu não disse que eram informações de grande utilidade?

Este é, certamente, o melhor “Grupo de Cantatas” postado até aqui.

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 2, CD 10
—————————————————

BWV0079 Cantata 1 Coro “Gott,der Herr,ist Sonn und Schild”
BWV0079 Cantata 2 Aria (alto) “Gott ist unsre Sonn und Schild”
BWV0079 Cantata 3 Choral (coro) “Nun danket alle Gott”
BWV0079 Cantata 4 Recitativo (bass) “Gottlob,wir wissen den rechten Weg”
BWV0079 Cantata 5 Aria (soprano,bass) “Gott,ach Gott,verlaß die Deinen nimmermehr”
BWV0079 Cantata 6 Choral (coro) “Erhalt uns in der Wahrheit”

BWV0080 Cantata 1 Coro “Ein feste Burg ist unser Gott”
BWV0080 Cantata 2 Aria (soprano,bass) “Mit unser Macht”
BWV0080 Cantata 3 Recitativo (bass) “Erwäge doch,Kind Gottes”
BWV0080 Cantata 4 Aria (soprano) “Komm in mein Herzenshaus”
BWV0080 Cantata 5 Choral (coro) “Und wenn die Welt voll Teufel wär”
BWV0080 Cantata 6 Recitativo (tenor) “So stehe denn bei Christi blutgefärbten Fahne”
BWV0080 Cantata 7 Duetto (alto,tenor) “Wie selig sind doch die”
BWV0080 Cantata 8 Choral (coro) “Das Wort sie sollen lassen stahn”

BWV0081 Cantata 1 Aria (alto) “Jesus schläft,was soll ich hoffen”
BWV0081 Cantata 2 Recitativo (tenor) “Herr- warum trittest du so ferne”
BWV0081 Cantata 3 Aria (tenor) “Die schäumenden Wellen von Belials Bächen”
BWV0081 Cantata 4 Arioso (bass) “Ihr Kleingläubigen,warum seid ihr so furchtsam”
BWV0081 Cantata 5 Aria (bass) “Schweig,aufgetürmtes Meer”
BWV0081 Cantata 6 Recitativo (alto) “Wohl mir,mein Jesus spricht ein Wort”
BWV0081 Cantata 7 Choral (coro) “Unter deinen Schirmen”

BWV0082 Cantata 1 Aria (bass) “Ich habe genung”
BWV0082 Cantata 2 Recitativo (bass) “Ich habe genung- Mein Trost ist nur allein”
BWV0082 Cantata 3 Aria (bass) “Schlummert ein,ihr matten Augen”
BWV0082 Cantata 4 Recitativo (bass) “Mein Gott- wann kommt das schöne- Nun”
BWV0082 Cantata 5 Aria (bass) “Ich freue mich auf meinen Tod”

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 2, CD 11
—————————————————

BWV0083 Cantata 1 Aria (alto) “Erfreute Zeit im neuen Bunde”
BWV0083 Cantata 2 Aria-Recitativo (bass) “Herr,nun lässest du deinen Diener in Friede fahren”
BWV0083 Cantata 3 Aria (tenor) “Eile,Herz,voll Freudigkeit”
BWV0083 Cantata 4 Recitativo (alto) “Ja,merkt dein Glaube noch viel Finsternis”
BWV0083 Cantata 5 Choral (coro) “Er ist das Heil und selig Licht”

BWV0084 Cantata 1 Aria (soprano) “Ich bin vergnügt mit meinem Glücke”
BWV0084 Cantata 2 Recitativo (soprano) “Gott ist mir ja nichts schuldig”
BWV0084 Cantata 3 Aria (soprano) “Ich esse mit Freuden mein weniges Brot”
BWV0084 Cantata 4 Recitativo (soprano) “Im Schweiße meines Agnesichts”
BWV0084 Cantata 5 Choral (coro) “Ich leb indes in dir vergnüget”

BWV0085 Cantata 1 Aria (bass) “Ich bin ein guter Hirt”
BWV0085 Cantata 2 Aria (alto) “Jesus ist ein guter Hirt”
BWV0085 Cantata 3 Choral (soprano) “Der Herr ist mein getreuer Hirt”
BWV0085 Cantata 4 Recitativo (tenor) “Wenn die Mietlinge schlafen”
BWV0085 Cantata 5 Aria (tenor) “Seht,was die Liebe tut”
BWV0085 Cantata 6 Choral (coro) “Ist Gott mein Schutz und treuer Hirt”

BWV0086 Cantata 1 Aria (bass) “Wahrlich,wahrlich,ich sage euch”
BWV0086 Cantata 2 Aria (alto) “Ich will doch wohl Rosen brechen”
BWV0086 Cantata 3 Choral (soprano) “Und was der ewig gütig Gott”
BWV0086 Cantata 4 Recitativo (tenor) “Gott macht es nicht gleich wie die Welt”
BWV0086 Cantata 5 Aria (tenor) “Gott hilft gewiß”
BWV0086 Cantata 6 Choral (coro) “Die Hoffnung wart’ der rechten Zeit”

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 2, CD 12
—————————————————

BWV0087 Cantata 1 Aria (bass) “Bisher habt ihr nichts gebeten in meinem Namen”
BWV0087 Cantata 2 Recitativo (alto) “O Wort,das Geist und Seel erschreckt”
BWV0087 Cantata 3 Aria (alto) “Vergib,o Vater,unsre Schuld”
BWV0087 Cantata 4 Recitativo (tenor) “Wenn unsre Schuld bis an den Himmel steigt”
BWV0087 Cantata 5 Aria (bass) “In der Welt habt ihr Angst”
BWV0087 Cantata 6 Aria (tenor) “Ich will leiden,ich will schweigen”
BWV0087 Cantata 7 Choral (coro) “Muß ich sein betrübet”

BWV0088 Cantata 1 part 1 Aria (bass) “Siehe,ich will viel Fischer aussenden”
BWV0088 Cantata 2 part 1 Recitativo (tenor) “Wie leichtlich könnte doch der Höchste uns entbehren”
BWV0088 Cantata 3 part 1 Aria (tenor) “Nein,Gott ist allezeit geflissen”
BWV0088 Cantata 4 part 2 Recitativo-Aria (tenor,bass) “Jesus sprach zu Simon”
BWV0088 Cantata 5 part 2 Duetto (soprano,alto) “Beruft Gott selbst,so muß der Segen”
BWV0088 Cantata 6 part 2 Recitativo (soprano) “Was kann dich denn in deinem Wandel schrecken”
BWV0088 Cantata 7 part 2 Choral (coro) “Sing,bet und geh auf Gottes Wegen”

BWV0089 Cantata 1 Aria (bass) “Was soll ich aus dir machen,Ephraim”
BWV0089 Cantata 2 Recitativo (alto) “Ja,freilich sollte Gott”
BWV0089 Cantata 3 Aria (alto) “Ein unbarmherziges Gerichte”
BWV0089 Cantata 4 Recitativo (soprano) “Wohlan- mein Herze legt Zorn”
BWV0089 Cantata 5 Aria (soprano) “Gerechter Gott,ach,rechnest du”
BWV0089 Cantata 6 Choral (coro) “Mir mangelt zwar sehr viel”

BWV0090 Cantata 1 Aria (tenor) “Es reißet euch ein schrecklich Ende”
BWV0090 Cantata 2 Recitativo (alto) “Des Höchsten Güte wird von Tag zu Tage neu”
BWV0090 Cantata 3 Aria (bass) “So löschet im Eifer der rächende Richter”
BWV0090 Cantata 4 Recitativo (tenor) “Doch Gottes Auge sieht auf uns als Auserwählte”
BWV0090 Cantata 5 Choral (coro) “Leit uns mit deiner rechten Hand”

BAIXE AQUI -DOWNLOAD HERE

Ele

Ele

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Johannes Brahms (1833-1897) – Piano Concertos – Kovacevich, Davis, LSO

818bvhc79ol-_sl1500_Já declarei inúmeras vezes serem estas gravações do então jovem Stephen Kovacevich com o Colin Davis regendo a Sinfônica de Londres as minhas favoritas dentre as dezenas de gravações já realizadas destas obras e que já tive a oportunidade de ouvir. Kovacevich explora as nuances e detalhes destas complexas e dificílimas obras como poucos. Colocaria talvez no mesmo patamar dois gigantes do nível de Emil Gilels e Sviatoslav Richter que também realizaram gravações históricas destes concertos. Posso estar exagerando, pois tenho meus motivos particulares e pessoais para gostar tanto delas, e que não vem ao caso discutir, mas reforço, trata-se de gosto pessoal e particular.

Amo estes concertos, talvez ainda mais o segundo, e com certeza eles estão entre as maiores obras já compostas para esta formação piano / orquestra.

Então para os que não conhecem, sugiro sentarem-se em suas melhores poltronas, abrirem uma garrafa de um bom vinho e apreciarem a música.

01. Piano Concerto No. 1 in D minor, Op. 15, 1. Maestoso – Poco più moderato
02. Piano Concerto No. 1 in D minor, Op. 15, 2. Adagio
03. Piano Concerto No. 1 in D minor, Op. 15, 3. Rondo (Allegro non troppo)
04. Piano Concerto No.2 In B Flat, Op.83, 1. Allegro non troppo
05. Piano Concerto No.2 In B Flat, Op.83, 2. Allegro appassionato
06. Piano Concerto No.2 In B Flat, Op.83, 3. Andante – Più adagio
07. Piano Concerto No.2 In B Flat, Op.83, 4. Allegretto grazioso – Un poco più presto

Stephen Kovacevich – Piano
London Symphony Orchestra
Colin Davis – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Coral Altivoz – Desenredos – 1999: (Acervo PQPBach)

30jlpbcCoral Altivoz

Regente: Mário Assef (desde 1996)
Acompanhadora: Bianca Malafaia

Repostagem com novos e atualizados links

Fundado em 1993, o Coral Altivoz é composto, atualmente, por quarenta integrantes, entre alunos de diversos cursos, professores, funcionários e pessoas da comunidade em geral. O Altivoz participa frequentemente de eventos acadêmicos nos diversos campi regionais da UERJ e de acontecimentos externos à Universidade, tendo sua agenda repleta durante todo o ano, cumprindo uma média de 35 apresentações anuais.

34fm9h3Coral Altivoz

Desenredos
Autor desconhecido
01. Bumba-Meu-Boi
Ernst Mahle (Alemanha, 1929-hoje em Piracicaba, SP) sobre poema de Cassiano Ricardo Leite (S J dos Campos, SP, 1895-R de Janeiro, 1974)
02. Categiró
Ivan Lins (1945) e Gonzaguinha (Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior )(Rio de Janeiro, 1945-Renascença, PR, 1991)
03. Desenredo
Cláudio Nucci (Jundiaí, SP, 1956) e Juca Filho (Rio de Janeiro, 1956)
04. Dos Rios
Sérgio Oliveira de Vasconcellos Corrêa (São Paulo, 1934) – fuga baseada em tres temas indígenas: Dança dos Coroados; Canide Ioune e Nozani-na
05. Moacaretá
Antífona para Domingo de Ramos, Manuscrito do Piranga, MG, 1ª metade do séc. XVIII. Autor desconhecido, transcrição Paulo Castagna
06. Pueri Hebraeorum
Osvaldo Costa de Lacerda (São Paulo, 1927-2011)
07. Ofulú Lorêrê
Francisco Mignone (S. Paulo, 1897-Rio de Janeiro, 1986)
08. Congada
Ernst Mahle (Stuttgart, Germany 1929-hoje em Piracicaba, SP)
09. Quatro Maracatus
Heitor Villa-Lobos (Rio de Janeiro, 1887-1959), sobre poema de Ferreira Goulart (São Luiz, MA, 1930)
10. Trenzinho Caipira
Caio Senna (Rio deJaneiro, 1959) sobre poema de Manuel Inácio da Silva Alvarenga (Vila Rica, 1749-Rio de Janeiro, 1814)
11. Madrigal 1
Moraes Moreira (Ituaçu, BA, 1947) e Armandinho
12. Davi Licença
Gilberto Gil (Salvador, BA, 1942) e Torquato Neto (Teresina, PI, 1944-Rio de Janeiro, 1972)
13. Geléia Geral
Ernani Aguiar (Petrópolis, RJ, 1950) sobre poemas de Carlos Drummond de Andrade (Itabira, MG, 1902- Rio de Janeiro, 1987) e Mário de Andrade (S. Paulo, 1893-1945)
14. Cantos Pro Rio
Sérgio Oliveira de Vasconcellos Corrêa (São Paulo, 1934)
15. Moacaretá (A Capella)

Desenredos – 1999
Coral Altivoz
Regente: Mário Assef (desde 1996)
Acompanhadora: Bianca Malafaia


.
BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC 272,4 MB |

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 320 kbps – 127,4  – 48,8 min
powered by iTunes 10.7

.

Mais outro CD do acervo do musicólogo Prof. Paulo Castagna. Não tem preço !!!

Boa audição.

Avicenna

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Creator Alme – Pe. José Maurício Nunes Garcia & Manoel A. de M. Senra & Francisco Gomes da Rocha & José R. D. de Meirelez & Jerônimo de Souza Lobo & José Joaquim da Paixão & Manoel Dias de Oliveira (Acervo PQPBach)

2agugqcRepostagem com novos e atualizados links.

.
O Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767-1830, Rio de Janeiro, RJ) apresenta o inspiradíssimo, maravilhoso Moteto ao Pregador escrito para solista e orquestra, em duas versões: Te Christe solum novimus e Creator Alme siderum. Ambas versões possuem estrutura musical e de texto semelhantes. A musical do Creator Alme siderum é mais desenvolvida, possui longa introdução instrumental e escrita virtuosística para o solista.

A partitura da Ave Maria, de Manoel Augusto de Medeiros Senra (Séc. XIX, Coimbra, MG), é destinada a uma voz de soprano solo com acompanhamento instrumental com flauta, clarineta, piston, ophecleid, violinos I e II e contrabaixo. Para esta gravação foram incluídos violoncelo e trompa.

O Invitatorium, de Francisco Gomes da Rocha (1746-1808, Vila Rica, MG), apresenta uma escrita coral de clara textura homofônica. Os violinos realizam um contraponto elaborado à base de semicolcheias apoiadas por notas harmônicas das trompas. O baixo instrumental realiza um apoio com variantes ao baixo vocal. Obra editada por Harry Lamott Crowl, Jr.

Ária escrita para soprano solo acompanhada de conjunto de cordas, a peça Lingua benedicta de José Rodriguez Dominguez de Meirelez (séc. XIX, Pitanguí, MG), não apresenta alterações de andamento e o estilo é bastante influenciado pela ária de ópera italiana. A parte do solista tem uma escrita refinada com coloraturas de ligeiro virtuosismo.

Jerônimo de Souza Lobo (17xx-1803, Vila Rica, MG), além de compositor, atuava como violinista, organista e regente na antiga Vila Rica, atual Ouro Preto. Sua obra O Patriarcha Pauperum possui clara influência da ópera, tanto na escrita como no conteúdo.

José Joaquim da Paixão (Lisboa, c. 1770 – Funchal, c. 1820), de quem se tem poucas referências, teve algumas de suas obras circulado em terras brasileiras nos séculos XVIII e XIX. O Vere Christe possui momentos de virtuosismo percebendo-se influências do italianismo que predominou na época. O Tremit mundus muito se assemelha à obra anterior e conserva a mesma organização estrutural apresentando lirismos na voz solista apoiada pelo conjunto instrumental.

Tractos, Missa e Vésperas, de Manoel Dias de Oliveira (São José del Rey [Tiradentes], 1735-1813), é música para o Sábado Santo. Para a Vigília são quatro os tratos, versículos que se cantam nas épocas de penitência logo após o gradual em substituição à Aleluia. Para a Missa da Tarde foram especialmente compostos todos os cânticos, exceto os que, como o Kyrie e o Glória, fazem parte do ofício ordinário.
(texto adaptado do encarte)

Palhinha: Ouça 1. Te Christe solum novimus (Moteto ao Pregador) na inspirada voz de Katya Oliveira

Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767-1830, Rio de Janeiro, RJ)
1. Te Christe solum novimus (Moteto ao Pregador)
2. Creator alme siderum (Moteto ao Pregador)

Manoel Augusto de Medeiros Senra (Séc. XIX, Coimbra, MG)
3. Ave Maria
Francisco Gomes da Rocha (1746-1808, Vila Rica, MG)
4. Invitatorium
José Rodriguez Dominguez de Meirelez (séc. XIX, Pitanguí, MG)
5. O lingua benedicta
Jerônimo de Souza Lobo (17xx-1803, Vila Rica, MG)
6. O Patriarcha pauperum (Moteto ao Pregador para a festa de São Francisco de Assis)
José Joaquim da Paixão (Lisboa, c. 1770 – Funchal, c. 1820)
7. O vere Christe (Moteto ao Pregador)
8. Tremit mundus

Manoel Dias de Oliveira (São José del Rey [Tiradentes], 1735-1813)
9. Tractos, Missa e Vésperas de Sábado Santo 1. Cantemus Domino
10. Tractos, Missa e Vésperas de Sábado Santo 2. Vinea facta est
11. Tractos, Missa e Vésperas de Sábado Santo 3. Attende Caelum
12. Tractos, Missa e Vésperas de Sábado Santo 4. Sicut servus – Alleluia
13. Tractos, Missa e Vésperas de Sábado Santo 5. Confitemini
14. Tractos, Missa e Vésperas de Sábado Santo 6. Laudate Dominum
15. Tractos, Missa e Vésperas de Sábado Santo 7. Vespere autem
16. Tractos, Missa e Vésperas de Sábado Santo 8. Magnificat

Creator Alme – 2005
Coro e Orquestra Domine Maris, regente: Modesto Flávio
Soprano solo: Katya Oliveira
Mezzo-Soprano: Edinea Pacheco Stikan
Baixo (convidado): Lício Bruno
Tenor: Fabrício Miyakawa

.

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 – 320kbps – 159,7 MB – 1,1 horas
powered by iTunes 8.2

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MAX RIP | FLAC 693,3 MB | HQ Scans 31.0 MB |

.

Boa audição!

Avicenna

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Antônio Vivaldi (1678-1741): 8 Concerti Solenni – First Recording

Vivaldi, Vivaldi, Vivaldi… escrevo este nome envolto em coraçõezinhos. Sim. Paixão assumidíssima de séculos. O barroco musical não tem fim e dentro deste infinito outro infinito se desdobra: a música do Padre Ruivo. Uma das maiores asneiras já proferidas no mundo da música veio do velho gafanhoto Stravinsky, quando pontificou que Vivaldi escrevera dezenas de vezes o mesmo concerto. Já vi maestros reafirmando isso, e com isso asseverando a própria ausência de conhecimento e o que é pior, falta de gosto, pois que a beleza e a variedade na música de Vivaldi afloram constantes e em assustadora profusão. É inesgotável. Qualquer audição minimamente atenta de As Estações e dos Concertos do Opus 10 para flauta evidenciará a variedade das criações de Vivaldi – guardadas, naturalmente, as similaridades estilísticas próprias; afinal, é o mesmo compositor! Mas podemos encontrar uma desculpa para a asneira do velho gafanhoto, afinal, quando ele ouviu Vivaldi, este ainda estava em fase de descoberta pelo mundo da música europeia; ouviu dois ou três concertos, decerto com evidente má vontade. Ademais, é preciso considerar que Stravinsky, ainda jovem, devia estar de tal forma envolvido no afã de suas novas ambições estéticas que jamais iria parar para saber melhor sobre um obscuro padreco veneziano com fama de libertino, regente de uma orquestra de garotas talentosas. Tenho centenas de discos de Vivaldi e vez por outra ainda me aparecem novidades. Este que vos trago é um disco soberbo. Interpretação serena, porém intensa. Não tem o ímpeto do grupo Giardino Armonico, nem a grandiloquência do I Musici, mas também está longe das interpretações asmáticas de Fabio Biondi. Um disco honestíssimo, e que escolha de repertório! Concertos de absoluta beleza e engenho, alguns me surpreenderam, afinal, eram novidades, mas também pela riqueza da escrita. Movimentos lentos arrasadores, lembrando um detalhe importante na história da música, pelo qual Vivaldi foi o primeiro compositor a conferir importância e intensidade melódica aos movimentos lentos. Antes tínhamos algo tipicamente corelliano e linear, um xaropinho de alface. Em lugar disso Vivaldi nos traz o mais encorpado e capitoso dos vinhos. O disco é de 2010 e promete obras inéditas: “Otto Concerti Solenni, first recordings”. Um deles, porém traz um tema conhecido, da série Il Pastor Fido (faixa 11); aqui reaparece desenvolvido e com uma relevante particularidade: é um concerto cíclico, o motivo melódico reaparece em todos os movimentos. Não é somente isso que encontramos nas obras de Vivaldi e que mais tarde seria atribuído aos períodos clássico e posteriores. Muito do arsenal composicional do período clássico, por exemplo, já se encontrava em Vivaldi e não sou eu que digo, mas autores como Roland de Candé e Michael Talbot. A gravação é excelente, nos permite perceber cada detalhe das criações do Reverendíssimo – para mim, Sua Santidade. A orquestra se denomina La Magnifica Comunità, regida por Enrico Casazza, também violino solista. Que mais dizer para exaltar a beleza desses concertos? Ouçamo-los, pois!

Vivaldi — Otto Concerti Solenni
Concerto For Strings And Basso Continuo In C Minor, RV 197
1 I. Allegro 3:31
2 II. Largo 2:39
3 III. Allegro 1:44
Sinfonia For Strings And Basso Continuo In A, RVAnh. 85
4 I. Allegro 2:07
5 II. Andante 2:47
6 III. Allegro 3:50
Concerto For Two Violins, Strings And Basso Continuo In G Minor, RV 155
7 I. Adagio 2:19
8 II. Allegro 3:49
9 III. Largo 3:38
10 IV. Allegro 4:19
Concerto For Strings And Basso Continuo In G Minor, RV 316
11 I. Allegro 2:31
12 II. Adagio 1:12
13 III. Fuga Da Capella: Allegro Alla Breve 1:53
Concerto For Strings And Basso Continuo In C, RV 185
14 I. Andante Molto E Spiccato 1:05
15 II. Allegro 2:28
16 III. Largo 1:27
17 IV. Allegro Non Molto 2:20
Concerto For Two Violins, Strings And Basso Continuo In D Minor, RV 247
18 I. Allegro 2:46
19 II. Grave 3:12
20 III. Allegro 3:01
Concerto For Strings And Basso Continuo In F, RV 292
21 I. Largo 2:28
22 II. Allegro 2:13
23 III. Adagio 0:49
24 IV. Allegro 4:13
Concerto For Strings And Basso Continuo In E Minor, RV 134
25 I. Allegro 2:46
26 II. Largo 1:30
27 III. Allegro 2:34

La Magnifica Comunità
Enrico Casazza – violin and diretor

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Caricatura do Padre ruivo, por Pier Leone Ghezzi. Nem só de beleza vivia o homem.

Caricatura do Padre ruivo, por Pier Leone Ghezzi. Nem só de beleza vivia o homem.

Wellbach

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): Bach 2000 – Caixa 2, CDs 8 e 9

Clique aqui para todo o Bach 2000.

E segue o baile bachiano. Atenção para o dueto “Wir eilen mit schwachen,doch emsigen Schritten” da Cantata BWV 78. É incrível.

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 2, CD 8
—————————————————

BWV0074 Cantata 1 Coro “Wer mich liebet,der wird mein Wort halten”
BWV0074 Cantata 2 Aria (soprano) “Komm,komm,mein Herze steht dir offen”
BWV0074 Cantata 3 Recitativo (alto) “Die Wohnung ist bereit”
BWV0074 Cantata 4 Aria (bass) “Ich gehe hin und komme wieder zu euch”
BWV0074 Cantata 5 Aria (tenor) “Kommt,eilet,stimmet Sait und Lieder”
BWV0074 Cantata 6 Recitativo (bass) “Es ist nichts Verdammliches an denen”
BWV0074 Cantata 7 Aria (alto) “Nichts kann mich erretten”
BWV0074 Cantata 8 Choral (coro) “Kein Menschenkind hier auf der Erd”

BWV0075 Cantata 01 part 1 Coro “Die Elenden sollen essen”
BWV0075 Cantata 02 part 1 Recitativo (bass) “Was hilft des Purpurs Majestät”
BWV0075 Cantata 03 part 1 Aria (tenor) “Mein Jesus soll mein alles sein”
BWV0075 Cantata 04 part 1 Recitativo (tenor) “Gott stürzet und erhöhet”
BWV0075 Cantata 05 part 1 Aria (soprano) “Ich nehme mein Leiden mit Freuden auf mich”
BWV0075 Cantata 06 part 1 Recitativo (soprano) “Indes schenkt Gott ein gut Gewissen”
BWV0075 Cantata 07 part 1 Choral (coro) “Was Gott tut,das ist wohl getan”
BWV0075 Cantata 08 part 2 Sinfonia
BWV0075 Cantata 09 part 2 Recitativo (alto) “Nur eines kränkt ein christliches Gemüte”
BWV0075 Cantata 10 part 2 Aria (alto) “Jesus macht mich geistlich reich”
BWV0075 Cantata 11 part 2 Recitativo (bass) “Wer nur in Jesu bleibt”
BWV0075 Cantata 12 part 2 Aria (bass) “Mein Herze gläubt und liebt”
BWV0075 Cantata 13 part 2 Recitativo (tenor) “O Armut,der kein Reichtum gleicht”
BWV0075 Cantata 14 part 2 Choral (coro) “Was Gott tut,das ist wohlgetan”

—————————————————
Bach 2000 – Caixa 2, CD 9
—————————————————

BWV0076 Cantata 01 part 1 Coro “Die Himmel erzählen die Ehre Gottes”
BWV0076 Cantata 02 part 1 Recitativo (tenor) “So läßt sich Gott nicht unbezeuget”
BWV0076 Cantata 03 part 1 Aria (soprano) “Hört,ihr Völker”
BWV0076 Cantata 04 part 1 Recitativo (bass) “Wer aber hört”
BWV0076 Cantata 05 part 1 Aria (bass) “Fahr hin,abgöttische Zunft”
BWV0076 Cantata 06 part 1 Recitativo (alto) “Du hast uns,Herr,von allen Straßen”
BWV0076 Cantata 07 part 1 Choral (coro) “Es woll uns Gott genädig sein”
BWV0076 Cantata 08 part 2 Sinfonia
BWV0076 Cantata 09 part 2 Recitativo (bass) “Gott segne noch die treue Schar”
BWV0076 Cantata 10 part 2 Aria (tenor) “Hasse nur,hasse mich recht”
BWV0076 Cantata 11 part 2 Recitativo (alto) “Ich fühle schon im Geist”
BWV0076 Cantata 12 part 2 Aria (alto) “Liebt,ihr Christen,in der Tat”
BWV0076 Cantata 13 part 2 Recitativo (tenor) “So soll die Christenheit”
BWV0076 Cantata 14 part 2 Choral (coro) “Es danke,Gott,und lobe dich”

BWV0077 Cantata 1 Coro “Du sollt Gott,deinen Herren,lieben”
BWV0077 Cantata 2 Recitativo (bass) “So muß es sein”
BWV0077 Cantata 3 Aria (soprano) “Mein Gott,ich liebe dich von Herzen”
BWV0077 Cantata 4 Recitativo (tenor) “Gib mir dabei,mein Gott- ein Samariterherz”
BWV0077 Cantata 5 Aria (alto) “Ach,es bleibt in meiner Liebe”
BWV0077 Cantata 6 Choral (coro) “Du stellst,Herr Jesu,selber dich”

BWV0078 Cantata 1 Coro “Jesu,der du meine Seele”
BWV0078 Cantata 2 Aria (Duetto) (soprano,alto) “Wir eilen mit schwachen,doch emsigen Schritten”
BWV0078 Cantata 3 Recitativo (tenor) “Ach- ich bin ein Kind der Sünden”
BWV0078 Cantata 4 Aria (tenor) “Das Blut,so meine Schuld durchstreicht”
BWV0078 Cantata 5 Recitativo (bass) “Die Wunden,Nägel,Kron und Grab”
BWV0078 Cantata 6 Aria (bass) “Nun,du wirst mein Gewissen stillen”
BWV0078 Cantata 7 Choral (coro) “Herr,ich glaube,hilf mir Schwachen”

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Johann Sebastian Bach

Johann Sebastian Bach

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Franz Schubert – Symphonies 1, 2, 3, 4 & 8 – Claudio Abbado, Chamber Orchestra of Europe

81ak6y9jql-_sl1170_Andava com saudades de ouvir Claudio Abbado, então fui fuçar meu acervo e encontrei essa bela série com as sinfonias de Schubert, belamente interpretadas pela Chamber Orchestra of Europe.

Espero que apreciem … são cinco cds … para começar, trago os dois primeiros.

CD 1

01. Symphony No.1 in D Major, D.82, 1. Adagio – Allegro vivace
02. Symphony No.1 in D Major, D.82, 2. Andante
03. Symphony No.1 in D Major, D.82, 3. Allegro
04. Symphony No.1 in D Major, D.82, 4. Allegro vivace
05. Symphony No.2 in B Flat Major, D.125, 1. Largo – Allegro vivace
06. Symphony No.2 in B Flat Major, D.125, 2. Andante
07. Symphony No.2 in B Flat Major, D.125, 3. Menuetto (Allegro vivace)
08. Symphony No.2 in B Flat Major, D.125, 4. Presto
09. Symphony No.3 in D Major, D.200, 1. Adagio maestoso – Allegro con brio
10. Symphony No.3 in D Major, D.200, 2. Allegretto
11. Symphony No.3 in D Major, D.200, 3. Menuetto (Vivace)
12. Symphony No.3 in D Major, D.200, 4. Presto. Vivace

Chamber Orchestra of Europe
Claudio Abbado – Conductor

CD 1 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

CD 2

01. Symphony No.4 in C Minor, D.417 – ‘Tragic’, 1. Adagio molto – Allegro vivace
02. Symphony No.4 in C Minor, D.417 – ‘Tragic’, 2. Andante
03. Symphony No.4 in C Minor, D.417 – ‘Tragic’, 3. Menuetto (Allegro vivace)
04. Symphony No.4 in C Minor, D.417 – ‘Tragic’, 4. Allegro
05. Symphony No.8 in B Minor, D.759 – ‘Unfinished’, 1. Allegro moderato
06. Symphony No.8 in B Minor, D.759 – ‘Unfinished’, 2. Andante con moto

CD 2 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Chamber Orchestra of Europe
Claudio Abbado – Conductor

claudio-abbado-morto_784x0

Esse faz falta !

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Arvo Pärt (1935): Symphony No. 4 “Los Angeles”

  • Repost de 27 de Março de 2016

Trinta e sete anos foi o intervalo entre a composição da terceira sinfonia de Arvo Pärt e a quarta. Aqui temos o famoso tintinnabuli de Arvo Pärt em seu ápice: a forma orquestral.

Se vocês ouviram bem a Terceira Sinfonia, puderam notar que certos elementos hoje tão presentes na música de Pärt já eram perceptíveis lá, durante sua fase de transição. Mas é aqui que aquele sabor tão inconfundível do tintinnabuli de hoje fica inconfundível.

Recomendo que os senhores prestem atenção em cada detalhe desta música. Pensem nela como a pele de uma mulher a quem fazemos um carinho deliciosamente delicado, cada movimento, cada pausa, cada cabelo tocado é um estímulo a mais. Da mesma forma, aqui cada corda, cada madeira, triângulo, marimba, sino que é tocado é um novo estímulo. É a percussão que mais chama nossa atenção. É como se a orquestra de cordas fizesse o papel objetivo da música. O tom, melodia, harmonia, etc. Enquanto que os instrumentos de percussão trouxessem o aspecto subjetivo, introspectivo, e, quem sabe, talvez até espiritual desta sinfonia.

Se o ouvinte chegar a ela esperando a “bagunça” das duas primeiras sinfonias ou a “grandeza sentimental” da terceira não encontrará isso tão facilmente aqui. Ao invés de Los Angeles eu teria a chamado de Delicata.

Arvo Pärt (1935): Symphony No. 4 “Los Angeles”

Symphony No. 4 “Los Angeles”
01 I. Con Sublimita
02 II. Affannoso
03 III. Deciso

Los Angeles Philharmonic
Esa-Pekka Salonen, conductor

04 Fragments from Kanon Pokajanen

Estonian Philharmonic Chamber Choir

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Eai baixinho, dando um rolê de bike?

Eai baixinho, dando um rolê de bike?

Luke

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

.: Interlúdio :. Dinah Washington – Ballads

hswfivDinah Washington morreu em 1963 aos 39 anos. Viveu o suficiente para se casar 8 vezes, divorciar 7 vezes, ter um montão de amantes (até Quincy Jones, segundo as más línguas), e deixar um legado musical formidável, inclusive o título de “Queen of the Blues”. No Brasil foi lançado este álbum com as suas melhores e inesquecíveis baladas que posto agora, culpa do Blue Dog.

Ouça e sonhe! Unforgettable …

Repostagem com novo e atualizado link.

01. Unforgettable
02. Harbor Lights
03. Mad About The Boy
04. I Won’t Cry Anymore
05. If I Loved You
06. I’m Lost Without You Tonight
07. Love Walked In
08. It Could Happened To You
09. Cold, Cold Heart
10. Our Love Is Here To Stay
11. Cry Me A River
12. When I Fall In Love
13. The Song Is Ended, But The Melody Lingers On
14. There Goes My Heart
15. Heart
16. Smoke Gets In Your Eyes
17. With A Song In My Heart
18. Love Is A Many Splendored Thing
19. Don’t Explain
20. Love Letters
21. Am I Blue
22. If I Should Lose You
23. September In The Rain

Dinah Washington – Ballads – 2002

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 320 kbps – 144,6 MB – 1 hora
powered by iTunes 9.0

f9dueg

 

 

 

 

 

 

 

Avicenna

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!