Béla Bartók (1881-1945) – Concerto para Orquestra / Cantata Profana

Quando me perguntam de quais compositores eu mais gosto, sempre respondo:

– Gosto de uns duzentos.

Porém, um dia, sonhei que me amarraram numa árvore e um implacável algoz me açoitou até que eu dissesse o nome de meus três preferidos.

– Bach, Brahms e Bartók. Mas prefiro morrer a ficar sem os últimos quartetos e sonatas de Beethoven…

E o chicote voltou a explodir sobre minhas costas.

– Diga um que não comece pela letra “B”, seu imbecil!
– Um quarto?
– O quarto você já disse, animal; ou não ouvi o nome de Beethoven? – e mais uma terrível chicotada. Pobre de mim.

– Está bem. Escolho Shostakovich ou Mahler.

Meu algoz deu a volta na árvore, olhou bem dentro de meus olhos e questionou asperamente:

– Por que não disseste Mozart? E por que há dois socialistas na tua lista?
– Não sei. Talvez porque Mozart em excesso me cause enjôo.
– Enjôo???

Neste momento meu algoz caiu desfalecido, vítima de um enfarto fulminante, e eu acordei. Era um homem sensível.

Meu sonho serve para que nossos quatorze leitores saibam o respeito que este bastardo bachiano guarda pelo húngaro Bartók e o motivo de sua pressa nessa repostagem. (Pois o antigo link foi para o espaço.)

A postagem anterior do Concerto para Orquestra apresentava outra gravação. Acho que esta é melhor. Tenho várias…

Obs.: A partir de 16 de maio, nossas postagens não expiram mais, OK? Só os links anteriores são passíveis de sumiço.

P.Q.P. Bach.

1. Cantata Profana, BB 100, “A kilenc csodaszarvas” (The 9 Enchanted Stags) (19min35)

Jozsef Reti, tenor
Andras Farago, baritone
Janos Ferencsik, conductor
Coro: Budapest Chorus
Budapest Symphony Orchestra

Concerto para Orquestra, BB 123
2. I. Introduzione (9min53)
3. II. Giuoco delle coppie (6min33)
4. III. Elegia (7min02)
5. IV. Intermezzo interrotto (3min49)
6. V. Finale (9min36)

Janos Ferencsik, Conductor
Hungarian State Orchestra

BAIXE AQUI – DOWNLOAD

12 comments / Add your comment below

  1. Foi um sonho e tanto, hein? Faz pensar que tenha sido mais um conto que um sonho. Ou um sonho que virou conto. Contou e pronto! E ainda nos presenteia com Bartok! Fiquei só curioso com o número: 14 leitores? Como sabe? Ah, os segredos dos assessores, dos mediadores e dos fundadores! Quem poderá sabê-los?Longa vida e prosperidade, PQP! Viva seu site!

  2. Olá irmãos Bach, Sra. Schumann e Blue Dog.Antes de encontrar este blog de vocês, nesta sexta feira, minha audição de Bartók estava limitada aos trinta segundos (sessenta, quando muito) disponibilizados por sites onde se vende on-line discos com suas obras. É indiscutivelmente muito pouco para se ter uma boa noção de sua música, mas foi o suficiente para me deixar morto de vontade de ouvir o restante! Às dezenove horas de ontem terminei de baixar tudo o que o blog tem para oferecer da música Bartók. Gostaria muito de comprar os discos originais, mas infelizmente – e acredito que vocês talvez também partilhem deste meu “drama” – não disponho de recursos financeiros para comprar todos os CD’s que desejo de uma só vez – sou apenas um pobre estudante de música…!Tudo isso que escrevi no parágrafo anterior serve apenas de prelúdio ao que vem a seguir: os meus agradecimentos. Gostaria de agradecer-lhes pelo grande serviço prestado por vocês por meio deste blog. Como já disse, sou estudante de música. É de suma importância para minha formação ouvir bastante música de boa qualidade – o que tem de sobra por aqui.Bem, é isso =) Obrigado mais uma vez e continuem postando!

  3. Victor, um comentário desses faz com que a gente saiba que nosso pequeno trabalho de polinização de beleza, de cultura, de prazer ou apenas de entrenimento de bom nível vale a pena.Vou postar mais uns Bartókzinhos por aí. PQP Bach

  4. Primo, que sonhos estranhos.Porém, acho que acabaria sentindo tédio se tudo fosse como Mozart, uma música perfeita demais.E preciso também estas maravilhosas zoeiras de Bartok.S. O. B. Bach

Deixe uma resposta