Gustav Mahler (1860-1911) – Sinfonia Nº 8 “Sinfonia dos Mil”

Mahler não gostava que chamassem sua oitava sinfonia de “Sinfonia dos MIl”, mas não é nenhum absurdo. Para ser executada, ela precisa de um contingente apenas 4 vezes menor do que o número de soldados americanos mortos no Iraque e é bom que o palco esteja mais firme que o governo Bush.

É uma obra mais impressionante do que bela e nem é bem uma sinfonia, mas uma gigantesca cantata. Sua execução exige, entre orquestra e coro, mais de mil figuras. Servem como textos o hino Veni creator spiritus e o coro final da segunda parte do Fausto de Goethe. Nem todos acham que o resultado justifica os colossais recursos exigidos. Dentre estes estou eu, P.Q.P. Bach.

O que me interessa nesta sinfonia é a rica polifonia empregada, um tributo a meu pai e às estruturas criadas por ele. Abaixo, em itálico, copiado daqui, está o detalhamento do exército empregado.

SINFONIA No.8
(para 8 solistas – 3 sopranos, 2 contraltos, tenor, barítono e baixo – 2 coros mistos, coro infantil, órgão e orquestra)
Apelido: ‘Dos Mil’
Tonalidade principal: Mi bemol Maior
Composição: 1906-1907
Revisão: não houve
Estréia: Munique, 12 de setembro de 1910 (solistas: Gertrud Förstel, Marta Winternitz-Dorda, Irma Koboth, Otillie Meyzger, Tilly Koenen, Felix Senius, Nicolo Geisse-Winkel, Richard Mayr. Leipzig Riedelverein, Viena Singverein, Coro Infantil da Escola Central de Munique, Orquestra do festival, regência de Mahler)
1a.Publicação: 1911 (Viena, Universal Editions)
Instrumentação:
2 piccolos
4 flautas
4 oboés
Corne-Inglês
Clarinete em Mib
3 clarinetes em Sib e La
Clarone
4 fagotes
Contrafagote
8 trompas
8 trompetes (4 fora do palco)
7 trombones (3 fora do palco)
Tuba
Tímpanos
Triângulo
3 pares de pratos
Bombo
Tam-Tam
Sinos grandes
Glockenspiel
Celesta
Piano
Harmônica
Órgão
2 harpas
Mandolim
Quinteto de cordas (violinos I, II, violas, cellos e baixos com corda C grave)
Soprano I (Magna Peccatrix)
Soprano II (Una poenitentium)
Soprano III (Mater Gloriosa)
Contralto I (Mulier samaritana)
Contralto II (Maria Aegyptiaca)
Tenor (Doctor Marianus)
Barítono (Pater ecstaticus)
Baixo (Pater profundus)
Coro infantil
Coro Misto SCTB I
Coro Misto SCTB II

Duração: aprox. 85-90 minutos

Movimentos:
I- Hymnus: Veni, Creator Spiritus
II- Final scene from Goethe’s ‘Faust’ part II

Texto:
1) ‘Veni, creator spiritus’, atribuído ao monge medieval Hrabanus Maurus
2) Cena final do Segundo Fausto de Goethe

Programa:
É um dos mais interessantes de Mahler, uma sinfonia muito significativa em termos filosóficos e espirituais para o compositor. O primeiro movimento é um hino medieval que evoca o espírito criador, e o segundo movimento é a redenção humana através do Amor cristão, que Mahler achou, muito propriamente, nas palavras de Goethe.

Comentários:
O subtítulo ‘Dos Mil’ foi colocado contra a vontade de Mahler, por razões comerciais, já que sua estréia realmente contava com um contingente instrumental de 1023 músicos. É a única sinfonia de Mahler inteiramente cantada, como uma grande cantata sinfônica, e que transparece um grande otimismo espiritual em seus únicos 2 movimentos. No último, entretanto, há subdivisões que indicam certa ordenação próxima à forma-sonata, ainda que bastante diluída. Somente o primeiro movimento e o final do segundo (o maior de Mahler, de aprox. 50 minutos) contém grandes efeitos de massa dignos da enorme instrumentação exigida, o que lhe valeram severas críticas e também raras execuções, apesar de poder ser executada com metade deste número (na estréia a orquestra e o coro estavam duplicados).

Gosto muito dos regentes russos (ou soviéticos). São exatos, rigorosos e é difícil superá-los quando está presente a polifonia que se faz ouvir aqui. Dentre as gravações modernas, as de Bernstein e de Solti são normalmente as mais elogiadas, mas quando procurei por gravações de Kondrashin (1914-1981), Mravinsky (1903-1988) e Svetlanov (1928-2002), encantei-me pela do último realizada em 1994 por obra e graça da Harmonia Mundi France.

P.Q.P. Bach.

Composer: Gustav Mahler
Regente: Evgeny Svetlanov
Regente do Coro: Viktor Popov
Coro e Orchestra da Russian State Symphony Orchestra

Disc: 1
1. Sym No.8 in E flat: Part I. Hymnus ‘Veni, Creator Spiritus’: Allegro Impetuoso

BAIXE AQUI – DOWNLOAD

Disc: 2
1. Sym No.8 in E flat: Part II. Scene Finale Du ‘Faust II’ De Goethe: Poco Adagio/Piu Mosso

BAIXE AQUI – DOWNLOAD

13 comments / Add your comment below

  1. Muito obrigado,vocês acataram o meu pedido. É bastante democrático de sua parte PQP postar uma solicitação de seus apreciadores, muito embora você não goste tanto da peça, como me pareceu no texto introdutório.A minha estima por este oasis da net, que já era imensa, aumentou de tamanho.Novamente, muito obrigado.Ranieri Carli.

  2. Essa Sinfonia me emociona…Comecei a adorar a densa música de Mahler por esta obra…Maravilhosa!Explêndida!Se não for pedir muito, e, nem sei se este é o melhor lugar para isso, eu gostaria de que aqui fosse postada a Cantata “Alexander Nevsky” de Prokofiev…Obrigado pela atenção!

  3. Ranieri, estamos num patamar tão alto que é difícil falar em “não gostar tanto”. Certo, gosto mais de outras obras de Mahler, mas tenho imensa admiração pela oitava que quase ouvi de joelhos ontem à noite.Um grande abraço, meu amigo.P.Q.P. Bach

  4. PQP,eu também faço reverência a esta maravilha. Você tem razão: é um patamar muito alto da criação humana. Abraços do seu fã,Ranieri Carli.

  5. oi, tbém gostaria de agradecer por esta soberba versão da 8ªainda não escutei na íntegra, e já foi muito bom rememorar esta música monumental, que nós (OSPA)tivemos a oportunidade de tocar no Rio, ano passado, junto à OPPMpor motivos que desconheço, a produção não veio a Porto Alegre, privando assim nosso público de ter tbém esta experiência – o que seria apenas justo, uma vez que o Estado do RS ‘forneceu’ a OSPA para os concertos no Rionossa versão tupiniquim não era de se jogar fora, o Isaac é um grande mahleriano[ ] do a.__________________

  6. Kondrashin! Que ótimo ler um comentário citando este grande maestro russo. Para mim, as sinfonias de Brahms são imbatíveis na mão deste maestro sensacional.E quanto a 8a de Mahler… Veni Creator Spiritus!

  7. fico contente o comentario da 8 de mahler q de fato e uma formidavel sinfonia, gostaria q comentasse sobre a 6 de mahler q em um sentido tecnico e espiritual e a mais bela obra de um compositor maravilhosaaaaaa!!!!!

  8. Mahler
    Evgeny Svetlanov
    Russian State Symphony

    Fantástico, este site!!!
    Parabéns!!!
    Maravilha!
    Gostaria apenas de sugerir que os arquivos fossem publicados na medida do possível “in lossless” WAV em rip por EAC com cue sheet para que se obtenha boa sonoridade e pistas separadas.
    Neste Mahler, temos um arquivo “Single” em mp3. Assim, gravamos uma única pista. Se preferem mp3, sugiro que façam-no em pistas separadas, que para mim servem para estudos em classe de aula para análise auditiva. Pessoalmente, para ouvir e sentir as altas gamas freqüencias, prefiro “WAV”, sem dúvida…

    Muitíssimo obrigado!!!

    Lazaro65

    Visitem: http://www.eliteclasica.com
    Visitem: http://www.meloomaniacos.com.br

  9. Que obra maravilhosa, o primeiro movimento é maravilhoso e o segundo estou sem palavras para expressar, é algo estupendo, meus parabens

  10. Não há nada no mundo que se chegue aos pés da oitava sinfonia de Mahler… sei que serei criticado por dizer isto, mas tenho que o dizer. Esta sinfonia é o mundo… esta sinfonia é tudo! Já a ouvi perto de umas mil vezes e estou sempre a descobrir coisas novas… homens como Mahler não deveriam morrer… nunca!!!

Deixe uma resposta