Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Symphonies n 4, in B Flat Major, op. 60, nº 7 in A Major, op. 92

Serei breve, pois quero aproveitar o belo feriado ensolarado que está fazendo hoje. Típico dia de uma primavera atípica (nesta semana até caiu uma geada em uma conhecida cidade da serra).
Temos agora duas sinfonias, a de nº 4, e a de nº 7. A de nº 4 é quase um anúncio do que virá pela frente. Tem movimentos fortes e rápidos, e novamente Beethoven utiliza o recurso da escola clássica de começar o movimento com um adágio que irá se transformar em um Allegro vivace vibrante, cheio de energia. E a sinfonia é toda assim. Até pode ser considerada uma sinfonia menor, dentre outras do repertório, mas tem suas qualidades. E não são poucas.
A de nº 7, em Lá Maior, é uma de minhas favoritas. Postei logo no começo no blog a versão considerada por muitos imbatível, a de Carlos Kleiber. Inclusive cheguei a postar os links do Youtube para uma melhor apreciação daquela interpretação, fantástica em todos os sentidos. Harnoncourt tem uma outra abordagem, não tão intensa, eu diria, mas destaca elementos que na grande orquestra de Kleiber acabam sendo escondidos, devido ao grande número de instrumentistas. Acredito que Harnoncourt, com sua paixão pelas chamadas interpretações de época, optou por uma orquestra menor exatamente para ressaltar estes elementos.
O que sempre me chamou a atenção nesta sinfonia foi que Beethoven optou em não colocar um movimento mais lento, o mais próximo a que ele chega é o poco sustenuto inicial, que vai se transformar num vivace pulsante. A sinfonia inteira, portanto, é cheia de ritmo, força, energia. Faz bem ao espírito, e não nos dá tempo de uma pausa, um respiro. Nos enche de alto astral (desculpe a expressão tão anos 80).
Vamos à elas, portanto.

Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Symphonies n 4, in B Flat Major, op. 60, nº 7 in A Major, op. 92

1 Symphonie N°4 – B Flat Major – Adagio – Allegro Vivace
2 Symphonie N°4 – B Flat Major – Adagio
3 Symphonie N°4 – B Flat Major – Allegro Vivace
4 Symphonie N°4 – B Flat Major – Allegro ma non troppo
5 Symphonie Nº7- A Major – Poco Sustenuto – Vivace
6 Symphonie Nº7- A Major – Allegretto
7 Symphonie Nº7- A Major – Presto
8 Symphonie Nº7- A Major – Allegro con brio

The Chamber Orchestra of Europe
Nikolaus Harnoncourt

BAIXE AQUI

16 comments / Add your comment below

  1. Caros amigos, nobre PQP Bach,inicialmente gostaria de parabenizar este magnífico trabalho que vocês vêm fazendo em prol de um mundo mais belo.Sei que este não é um espaço para pedidos, mas gostaria muito que alguém me ajudasse:Realizei o download da obra Flötenquartette do Telemann, mas quando o download estava acabando, houve um erro. As 23 primeiras faixas foram salvas. Vocês fariam uma obra muito caridosa, se possível, me enviando ou upando as 5 faixas que faltaram, evitando, assim, que eu realizasse todo o download novamente.Por favor, vai? ;DDesde já agradecida,Karyna.Meu e-mail: xrfz.mx@hotmail.com

  2. A minha preferida é a sétima, e depois a nona, claro.É incrível como TODAS são diferentes uma da outra. São nove compositores! O que têm a ver a sexta e a sétima, por exemplo?Nada.PQP Bach.P.S.- Belas postagens, FDP.

  3. Estou gostando muito desta integral das sinfonias de Beethoven. Quem sabe depois poderiam pensar em postar uma das de Brahms? Ah, e só pra ser chato, tem uma crase sobrando ali no final… =)

  4. Mas eles já postaram quase todas as sinfonias de Bramhs… só falta a No. 2…Eu sugiro a postagem das sinfonias de Schubert (nehuma foi postada até agora :P)…

  5. Ensolarado? Aqui em Porto Feliz estava caindo o céu há meia hora!Olha, não sei se vi errado, mas acredito que na integral dos concertos para piano de Beethoven, vocês não postaram os de número 3 e 4: pularam direto para o 5, dizendo “Para completar a série, eis o cd 3, da integral dos concertos para piano de Beethoven. Eis, finalmente, o tão aclamado Concerto nº5, intitulado com razão ‘Imperador’.”Há chances de colocarem no blog os dois que faltaram?

  6. Essa série é do FDP e sei que ele a tem completa. Procurem manter a calma, pois nossas postagens são boêmias e lentas. Somos completistas ma non troppo.PQP Bach

  7. karina, Por favor, aguarde chegar o sábado que resolverei este problema do Telemann. Aliás, tem mais Telemann à caminho… mau, realmente, não postei os concertos para piano nº 3 e 4… que mancada… mas é como PDP falou: funcionamos lentamente… no final de semana corrigirei esta falha… A seu dispor, FDP Bach,.

  8. Como assim não postaram os concertos para Piano 3 e 4 se eu os baixei aqui? ii Tá até aqui ó: http://pqpbach.blogspot.com/2007/08/ludwig-van-beethoven-1770-1827.htmlAcho que FDP esqueceu-se de fazer a psotagem aparecer na label “Beethoven”.E PQP poste logo a Nona Sinfonia! Essa, não é só minha sinfonia preferida de Beethoven, como a primeira no meu top =D. Tou muito ansioso para ver a interpretação da nona com Nikolaus Harnoncourt!

  9. josé daniel, Nem sei como agradecer… muito obrigado.. eu realmente tinha esquecido de botar o label, por isso não aparece na relação.. E pela sua gentileza de nos lembrar o link, estarei postando amanhã a nona sinfonia… A seu dispor, FDP Bach.

  10. Caro PQP, colegas… Saudações!

    Só li este post bem muito tempo depois que foi escrito. Quero dizer que Harnoncourt é mesmo impressionante. Este mortal que vos escreve agora teve a oportunidade de ver Harnoncourt ao vivo regendo a 4a. e a 5a. de Beethoven com a Filarmônica de Berlim em Berlim. Consegui ingressos na fileira de bancos do coral, que não cantava (obviamente) naquela noite. Fiquei a uns dois metros da orquestra. A diferença (pra quem não é rico e tinha orçamento limitado) é ver as costas dos músicos. Sem problema! Harnoncourt me encarou… ou melhor dizendo, estava de frente para nós, do banco. Foi tudo extraordinário. Eu e um amigo fomos depois ao camarote e, pasmem, consegui falar com o próprio Harnoncourt. “Mr. Harnoncourt. We came from Brazil. Congratulations for this superb performance!” E ele, respondendo firme meu aperto de mão, me surpreendeu: “These musicians are very good, don’t you think?” Gente, o cara não é daqueles que levita, intocável, não! Gente fina! Foi num sábado, 10 de janeiro de 1998.

  11. Herr Altewerk
    Uma curiosidade sobre Harnoncourt que não sei se é de seu conhecimento: a mãe dele era uma Habsburg, ou seja, o cara tem sangue real… se não fossem as viradas que a História dá, ele até poderia ser Imperador.

Deixe uma resposta