Francesco Geminiani (1687-1762) – Concerti Grossi

Ninguém mais suportava a ausência de Geminiani neste blog. As pressões eram demasiadas e fui obrigado a me curvar.

Mas, falando sério, gosto muito deste aluno de Corelli, cuja notícia bibliografica coloco abaixo. Sua música é agradável e, desde algumas antigas gravações de Hogwood, passei a admirar Geminiani, principalmente quando interpretado em instrumentos originais e sob uma orquestra com tesão como a Tafelmusik de Jeanne Lamon.

Francesco Geminiani nasceu em Lucca (Itália), em dezembro de 1687. Aluno de Corelli em Roma, foi, ao que parece, um virtuose extraordinário. Mas o seu estilo exuberante poderia parecer excêntrico se tomássemos como referência o nobre classicismo do seu professor. A grande vivacidade de seu temperamento, a falta de compasso, fecharam-lhe as portas da carreira de mestre de capela (perdeu a direção da Ópera de Nápoles, cujos músicos não conseguiam acompanhar a sua batuta fantasista).

Em 1714, fixou-se na Inglaterra, onde se apresentou com grande êxito, acompanhado por Händel. Entre 1733 e 1740 viveu em Dublin, numa casa magnífica anexa a uma sala de concertos. Aí recebia os seus alunos e dava concertos privados. Durante o resto do tempo viveu em Londres até 1749. Instalou-se então, em Paris, onde montou nas Tulherias, uma peça fantástica espetacular, La forêt enchantée (31 de março de 1754). Em 1755, voltou para Londres e Dublin (Irlanda), onde Geminiani morreu 17 de setembro de 1762.

Geminiani aperfeiçoou consideravelmente a técnica do violino. Não só tocava com à-vontade as obras de Corelli que, na época, eram consideradas difíceis, como acumulava ousadias técnicas nas suas próprias obras. Entre as suas obras teóricas encontra-se um tratado de uma importância considerável, uma vez que encontramos nele todos os princípios da técnica moderna do violino, A arte de tocar o violino: esta obra, escrita em inglês, faz dele o mestre da escola britânica de violino.

Todavia, nas suas composições, é muito menos original do que os seus grandes contemporâneos italianos, nomeadamente Vivaldi ou Tartini. Permaneceu fiel à antiga forma da sonata de igreja que Corelli lhe ensinara, mas sem nunca ter atingido a perfeição e o esplendor das obras de seu mestre. Escreveu 42 sonatas para violino, 18 concertos para violino, concertos grossos, trios, peças para cravo (arranjos de concertos) e 7 obras teóricas.

(Retirado daqui.)

P.Q.P. Bach.

1. Concerto Grosso In D Minor, Op. 2, No. 3: I – Presto
2. Concerto Grosso In D Minor, Op. 2, No. 3: II – Adagio
3. Concerto Grosso In D Minor, Op. 2, No. 3: III – Allegro

4. Concerto Grosso In C Minor, Op. 2, No. 1: I – Andante
5. Concerto Grosso In C Minor, Op. 2, No. 1: II – Allegro
6. Concerto Grosso In C Minor, Op. 2, No. 1: III – Adagio
7. Concerto Grosso In C Minor, Op. 2, No. 1: IV – Allegro

8. Concerto Grosso In A Major, Op. 2, No. 6: I – Andante
9. Concerto Grosso In A Major, Op. 2, No. 6: II – Allegro
10. Concerto Grosso In A Major, Op. 2, No. 6: III – Allegro

11. Concerto Grosso In C Minor, Op. 2, No. 2: I – Adagio
12. Concerto Grosso In C Minor, Op. 2, No. 2: II – Allegro
13. Concerto Grosso In C Minor, Op. 2, No. 2: III – Adagio
14. Concerto Grosso In C Minor, Op. 2, No. 2: IV – Allegro

15. Concerto Grosso In D Major, Op. 2, No. 4: I – Andante
16. Concerto Grosso In D Major, Op. 2, No. 4: II – Allegro
17. Concerto Grosso In D Major, Op. 2, No. 4: III – Adagio
18. Concerto Grosso In D Major, Op. 2, No. 4: IV – Allegro

19. Concerto Grosso In D Minor, Op. 2, No. 5: I – Grave
20. Concerto Grosso In D Minor, Op. 2, No. 5: II – Allegro
21. Concerto Grosso In D Minor, Op. 2, No. 5: III – Adagio
22. Concerto Grosso In D Minor, Op. 2, No. 5: IV – Allegro

23. Concerto Grosso In C Major After Corelli, Op. 5, No. 3: I – Adagio
24. Concerto Grosso In C Major After Corelli, Op. 5, No. 3: II – Allegro
25. Concerto Grosso In C Major After Corelli, Op. 5, No. 3: III – Adagio
26. Concerto Grosso In C Major After Corelli, Op. 5, No. 3: IV – Allegro

27. Concerto Grosso In G Minor After Corelli, Op. 5, No. 5: I – Adagio
28. Concerto Grosso In G Minor After Corelli, Op. 5, No. 5: II – Vivace
29. Concerto Grosso In G Minor After Corelli, Op. 5, No. 5: III – Adagio
30. Concerto Grosso In G Minor After Corelli, Op. 5, No. 5: IV – Allegro

Tafelmusik – Jeanne Lamon

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

7 comments / Add your comment below

  1. Interessante up, estou curioso…Admito que conheço pouquíssimo deste compositor, pretendo ouvir mais tarde.mas gostaria de pedir também, aproveitando esse último ”embalo haydniano”, o Concerto para Trompete do mesmo.abraços

  2. Prezado PQP Bach,Por acaso tem interesse na obra do compositor barroco Bonporti?Seus concertos a quatro são muito bons. Infelizmente são difíceis de encontrar.Um abraço e parabéns pelo blog que é excelente.

Deixe uma resposta