Da Autobiografia de Charles Darwin

Em um aspecto minha mente mudou nos últimos vinte ou trinta anos. Antigamente, a pintura dava-me considerável prazer e a música, um prazer intenso. Mas agora perdi quase todo o gosto por música ou pintura. Minha mente parece ter se tornado uma espécie de máquina para extrair leis gerais de grandes coleções de fatos. A perda desses gostos, essa curiosa e lamentável perda pelos gostos estéticos superiores, é uma perda de felicidade, e pode talvez ser danosa ao intelecto, e mais provavelmente ao caráter moral, por enfraquecer a parte emocional de nossa natureza.

Grifos de PQP Bach.

25 comments / Add your comment below

  1. Ufa… Ainda bem que não é você (PQP Bach) a dizer isso. Já pensou ficarmos sem este blog, e suas maravilhosas indicações musicais!?

    Seria uma tragédia…

  2. Darwin estava tão obscecado pelos seus estudos naturalistas que não tinha tempo e interesse em Arte. Quando se permitiu um “relax”, escreveu isso em sua autobiografia, acreditando que havia perdido o senso de apreciação de Arte. Ele estava errado consigo. E muito neurótico tb.

  3. Com base em sua própria experiência, Darwin retratou fielmente a condição das pessoas que perderam o senso que permite apreciar a Arte. Que perderam ou nunca tiveram.

  4. Às vezes, como nos tempos atuais onde a confusão social, política, economica, psíquica, predomina as pessoas perdem mesmo o gosto pela música, pela pintura, pela POESIA. A falta de POESIA é um grave sintoma de uma sociedade doente. Como a nossa mesmo, hoje em dia. Mas como disse uma dileta comentarista – Ainda bem que o PQP Bach está fora desta nóia.
    LOVE YOU PQP. Forever and ever. Wierdesehen
    Egydio

  5. Até hoje se vê o impacto das descobertas de Darwin até hoje e ainda existem quem as queira ignorar como é o caso dos criacionistas. O impacto dos seus estudos na sua mente é relatado de forma “triste” por estudar a biologia e a botânica e sem levar em conta os seres humanos apesar de viverem no mesmo planeta. Penso que ele entendeu que a humanidade seja um conjunto de ‘máquinas biologicas’, daí a “perda de felicidade, e pode talvez ser danosa ao intelecto, e mais provavelmente ao caráter moral, por enfraquecer a parte emocional de nossa natureza.”
    Ainda bem que existem antropólogos, estes estudam a humanidade e levando em conta sua diversidade ainda fazem descobertas surpreendentes.

  6. Darwin é essencialmente a sobrevida daquele que melhor se adapta ao meio,ou seja a lei da selva, no que está certo,infelizmente! Mas sua equação não fecha sem Deus! A dos criacionistas fecha com Deus, por mais simples que seja! Sou um ex-ateu;hoje procurando rumo!
    Afinal de contas Darwin não explica, e nem quer explicar , a origem do primeiro ser vivo e do cosmo!
    A presença de Deus explica ambas! ”Quem não acredita em Deus acredita em qualquer coisa”
    Deus ex machina, a ciência , que tantos acreditam que vai nos trazer a felicidade , é excelente para a matéria, mas e o espírito? Parece ter sido este o problema de Darwin! Com a palavra os neopositivistas!

  7. Prezado Luciano: Darwin não descobriu nada, apenas constatou e relata fatos plausíveis,ele não explica por exemplo a transferência de genes! Nem a origem da vida e do cosmo!

  8. Á reflexão:

    (Prazer/Fruição : terminologicamente isto
    ainda vacila, tropeço, confundo-me. De toda
    maneira, haverá sempre uma margem de
    indecisão; a distinção não será origem de
    classificações seguras, o paradigma rangerá, o
    sentido será precário, revogável, reversível, o
    discurso será incompleto.)

    Se leio com prazer esta frase, esta história
    ou esta palavra, é porque foram escritas no prazer
    (este prazer não está em contradição com as
    queixas do escritor). Mas e o contrário? Escrever
    no prazer me assegura – a mim, escritor.
    Roland Barthes – O Prazer do Texto
    Dr. Cravinhos

  9. Quem não ama a música
    não merece ser chamado de homem;
    quem apenas a ama, não é senão homem pela metade;
    quem a pratica, porém, é homem por inteiro.

    Johann Wolfgang von Goethe.

  10. “de modo algum a música é, como as outras artes, reprodução das idéias, mas reprodução da própria vontade (…); por isso, o efeito da música é tão mais poderoso e incisivo do que o das outras artes; pois estas se referem à sombra, aquela porém à essência.”

    SCHOPENHAUER, Arthur. O mundo como vontade e representação. Terceira Parte. Seção número 52.

    ps: recomendo a todos os melomaníacos, no intuito de devassar um pouquinho o mistério dos poderosos efeitos que a música exerce sobre nós, a leitura integral dessa seção 52, uma séria investigação filosófica de Schopenhauer sobre a música.

  11. Primo P.Q.P, primo F.D.P, também sou da família! Tenho um grande arquivo de obras de antes da época de Tio Johann até os dias de hoje, e gostaria de saber como posso contribuir com essa ilustre divulgação do patrimonio musical da humanida. Nossos grandes antepassados agradeceriam a ajuda para difundir suas músicas! Me avisem, por favor.

    Abraços!
    Väiler Tomair Und Cüster Bach

  12. Príncipe Salinas,
    o certo é que Darwin ao sistematizar a teoria da evolução n’A Origem das Espécies’ de certa forma excluiu Deus como origem ou causa da diversidade [não que ele tenha feito isso de forma deliberada], mas encontrou explicações baseadas no método científico para explicar a diversidade da flora e da fauna como adaptação e interação e ainda bem que as divulgou. Explicar a transferência de genes, nem teria como. Aliás, naquela época houvesse como analisar e manipular genes como já é e está se tornando possível, quanta coisa estranha já estaríamos vendo ou teríamos que conviver, como alimentos transgênicos, por exemplo há muito mais tempo e sofrendo as conseqüências.
    Mas voltando ao Deus excluído do mundo natural, creio que Darwin não teve uma formação humanista forte para que chegasse a entender que a ‘evolução’ na espécie humana não é, não foi e não será linear, com estágios bem definidos como uma grande lei geral que ele desenvolveu. Uniformizar e categorizar ao menos nas ciências humanas serve para definir algum ponto de partida [um modelo ideal], mas na medida em que ele não se adequa deve ser reavaliado epistemologicamente, se não terá como resistir [um exemplo deserviço à ciência foi o estudo que originou o livro The Bell Curve.
    Assim, a ciência se corrige, ao contrário de uma bíblia, al corão, bahavaghita, etc que são estanques em si mesmos em que no máximo se reavalia alguma interpretação do que está escrito sem nunca se questionar se o que está escrito [o texto sagrado] pode ou deve ser questionado. Quem o fizer será um herege, tem que morrer apedrejado, e em outras épocas exorcisado ou queimado na fogueira.
    O que ainda hoje me deixa perplexo é que ainda hoje há pessoas matando e ou morrendo por causa de crenças religiosas.
    Não sei quem ou o que é Deus, mas as intrepretações que se veêm por aí não me satisfazem.
    Já foi pior, nossa espécie viveu em cavernas, se espalhou e colonizou o planeta. Contudo, a música é uma forma prazer que nossa espécie aperfeiçoou.

  13. Desculpe Luciano, Darwin não tem nada com evolução das espécies,talvez você esteja falando de Lamarck ; Darwin é essencilamente a sobrevivência do mais forte,desculpe mas talvez vc não tenha entendido Darwin,erro muito comum em quem acha que Darwin fala de ”evolução” das espécies!
    Ninguém matou mais do que o ateismo: Veja bem: Robespierre,Hitler,Pol-pot, Mao, Lenin,Trotsky,Stalin,Fidel Castro…insuperáveis quando se fala em extermínio em massa!

  14. Preste atenção , sobre Darwin: Sabe por quê as girafas têm pescoço longo? Erronaeamente, como parece pensar alguns como você,elas não adquiriram o pescoço comprido para poder apanhar os galhos das árvores e daí transmitiram o caráter adquirido para as outras espécies,esta teoria seria de Lamarck; Não, para Darwin as girafas têm pescoço comprido porque sobreviveram apenas as que já tinham pescoço comprido e por isso puderam apanhar a comida dos arbustos;não existe girafa de pescoço curto porque impossibilitadas de apanhar seu alimento elas morreram de fome e assim esta espécie de girafa de pescoço curto foi exterminada sobrevivendo apenas as de pescoço longo que tinham como se alimentar; percebe? Sobreviveu o mais forte, ou seja aquele que se adaptou melhor ao meio ambiente!
    Diferentemente do que você pensa , Darwin não tem nada com transmissão de caráter adquirido e também não é impossível a partir disto conciliar Darwin com a crença de um criador !
    Saudações!

  15. Cuidado com as comparações. Você diz ningem matou mais do que o ateismo, e cita uma série de assassinos. Só que eles não mataram ‘em nome do ateismo’ enquanto que as igrejas (católica, muçulmana, etc.) sim, mataram ‘em nome da religião’, como nas cruzadas, a guerra dos 30 anos, a inquisição, etc.
    Hoje em dia se pensa que a igreja muçulmana é cheia de radicalismos enquanto os cristão já tiveram sua fase radical mas, hoje em dia, são pacíficos.
    Quem quiser pode criar um fundamentalismo cristão seguindo a Bíblia, basta escolher umas passagens do Novo Testamento (!):
    Jesus: Porquanto, quem perder a vida por minha causa, achá-la-á (Math.17-25)
    Jesus: Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada (Math.10-34).
    Pois vim causar a divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e a sogra; (Math 10-35)
    Quanto a meus inimigos, que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui e executai-os na minha presença (Lucas 19-27)
    Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que crêem em min, melhor lhe fora que se pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar (Math.18-6)
    Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo (Math. 7-19)
    Se teu irmão, ou teu filho, ou tua filha, ou a mulher do teu amor te incitar em segredo dizendo: vamos, sirvamos a outros deuses, não o pouparás, certamente o matarás. Apedreja-lo-ás até que morra. (V Livro de Moisés 13:6-10)

  16. Olha não é questão de matar em nome do ateismo;falarei lá na comparação de Dostô com Tolstói ,senão antecipo o que quero dizer;o antigo testamento judaico , talvez seja mais vingativo; o homem que somos hoje , como diz George Steiner , tem a cabeça em Atenas e a Alma em Jerusalém! Quem nos civilizou foi o cristianismo,com todos seus possíveis erros , mas certamente com muito mais acertos,até ateus reconhecem isto; o sentimento de culpa e a noção de que somos uma só raça, ”A HUMANA” , ou seja que somos iguais,estas noções nos foram dadas pelo cristianismo;certamente ocorreram erros em alguma época e foi preciso nos libertamos de algumas amarras,mas a essência da nossa alma, humana ,está lá; por isso não somos parentes dos macacos…eheheh…se é que me entendem…

  17. Mais do que Transferência de genes , eu quis dizer transferência de genes mutantes , percebo agora minha deficiência em explicar, fruto do modo como converso no dia a dia, em que algumas coisas estão implícitas ,em razão da minha profissão.
    Eu admiro muitissimo Darwin e a ciência claro,vivo dela,mas transformá-la em Deus como fazem os neo-positivistas, é errar muito, pois se ela nos traz maior conforto físico e material, na questão espiritual, como vimos com Darwin, ela não nos conforta em absoluto, e como não só de pão vive o homem….

  18. Prezado Principe,
    você diz que o cristianismo foi que nos civilizou. Você notou que das citações brutais que mandei só uma é do antigo testamento. As outras são do NOVO Testamento.
    VVocê tem certeza que o cristianismo é mais ‘civilizado’ que o budismo ou o hinduismo, p.ex. Eu tenho lá minhas dúvidas.
    Estou curioso o que vasi dizer sobre o cristianismo em Tostoi e Dostojevski.

  19. Compare as civilizações geradas por todos os reveladores e certamente saberá que o Cristianismo gerou a melhor delas da qual voc?ê desfruta no momento exato em que conversamos.Bach, Beethoven,Mozart,Michellangelo,Caravaggio,Shakespeare,Tolstói, Dante, Darwin….vai longe…foram gerados onde?Na civilização ocidental cristã, a mais perfeita que até o momento existiu,com todos seus erros, I’M SO SORRY, Nietzsche!

  20. Tolstói e Dosto, eu estou tentando preparar um gran finale, não me esqueci,apenas meu trabalho é ”meio inteiro” ingrato…ehehe…

  21. Sobre as civilizações. Salinas, você tem razão para os últimos 500 anos. Para os 2000 anos anteriores, não. Aí foram as grandes civilizaações greco-romanas, chinesas e, depois, o mundo árabe. O mundo ocidental mergulhou em uma noite de 1000 anos e foi despertar somente com o renascimento e a concorrência do protestantismo. Renascimento do que? Do mundo do pensamento liberal clássico greco-romano.
    Portant,o parece mais que estas nossas maravilhas não foram devido ao cristianismo mais apesar dele. Este reboque se mostra até hoje como, por exemplo, nas questões do uso da pílula ou nas pesquisas com células tronco.

Deixe uma resposta