Domenico Scarlatti (1685-1757) – Sonatas para Cravo, imagina se não

Domenico Scarlatti, como sabemos, foi o amante da princesa portuguesa Maria Bárbara ou Maria Bárbara de Bragança. Clara Schumann — que já “acusou” este blog de “muito sexual” mas que possui meia dúzia de Scarlattis (ou Rameaus…) perdida e platonicamente, ao que me consta, apaixonados — costuma tradicionalmente negar tal fato histórico que pode ser comprovado pelas mais de 500 sonatas escritas para as mãozinhas reais. Sabemos que nenhum homem insistiria no mesmo formato artístico se não recebesse favores em troca. A não ser que fosse gay e desejasse o príncipe, sei lá. Afinal, era amigo de Farinelli, napolitano como ele.

O fato é Scarlatti possui admiradores de peso. Imaginem que Brahms e Bartók, além de Chopin, eram seus grandes admiradores. Eu, aqui do meu cantinho, gosto também. Ele não fazia sempre a mesma música, era inventivo a ponto de chegar à dissonâncias e à ritmos incríveis, que simulavam no teclado o que fazia com Maria Bárbara. Bobagem, esqueçam. Mas o cara é bom mesmo e Pinnock dá um show neste registro de 1981.

Scarlatti – Sonatas For Harpsichord

01 – K. 124 in G major.mp3
02 – K. 99 in C minor.mp3
03 – K. 201 in G major.mp3
04 – K. 87 in B minor.mp3
05 – K. 46 in E major.mp3
06 – K. 95 in C major.mp3
07 – K. 204a in F minor major.mp3
08 – K. 490 in D major.mp3
09 – K. 491 in D major.mp3
10 – K. 492 in D major.mp3
11 – K. 520 in G major.mp3
12 – K. 521 in G major.mp3
13 – K. 513 in C major.mp3

Trevor Pinnock, harpsichord

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

PQP

10 comments / Add your comment below

  1. Hum, eu tenho uma versão aqui com o Ivo Pogorelich, mas são 15 faixas.
    Lembro que a capa do CD era cafoooona…

    De qualquer forma, não vou deixar passar o Pinnock! 🙂

  2. Engana-se, PQP, mais do q Rameau ou Scarlatti, eu estou apaixonada por mais uma infinidade de compositores: fazer o q? Sou uma adúltera, sexualmente reprovável…Coitada da princesa Maria Bárbara,insiste em fazer dela uma Xuxa!!! 😛
    bj gd!

  3. “Ele não fazia sempre a mesma música, era inventivo a ponta de chegar à dissonância e à ritmos incríveis, que simulavam no teclado o que fazia com Maria Bárbara.”

    Mas é um safadinho esse PQP, hein?

  4. O grande nome nas gravações de Scarlatti é o ”mago” Scott Ross que teve o saco de gravar suas 555 sonatas.Mas tem um cd do Ross que adquiri pela Amazon chamado de ”As mais belas sonatas de Scarlatti” ou seja uma compilação das mais famosas.Scott é responsável por aquela que considero a mais bela gravação das Goldberg.
    O nosso Fábio Zanon tem também uma belissima transcrição das sonatas de Scarlatti para Violão e no cravo nunca é demais lembrar da ”fera” Pierre Hantai!

  5. Se Madame Schumann é tão adúltera, sou o mais feliz dos traídos…
    Pelas regras da música, melhor se dá quem mais se dá a todos.
    Quanto a mim, que melhor competidor que Scarlatti, que rouba não só o coração de minha senhora, mas também o meu?!
    Viva Scarlatti, viva Mme. Schumann, viva o PQP Bach!
    Rameau

  6. Monsieur Rameau,
    Olhe q n sou assim tão adúltera, só qdo estou agarrada às barbas de Monteverdi ou aos óculos de Schubert! 😛
    Um bocadinho de respeito pela minha pessoa:os segredos das alcovas musicais não são para ser revelados!

    abraço

  7. Mme. Schumann,

    Minha grosseria será punida: cortei minha língua, que lhe ofendeu gravemente!
    Apenas meus dedos serão úteis para expressar a mais profunda veneração que tenho pela senhora e pela doce pureza de seu bom gosto, além da alegria de ser honrado com suas ofertas musicais.
    Hoje, outro castigo será ainda mais difícil para mim: abster-me-ei do prazer de beijar suas mãos por vários dias. Vê-las e não as poder tocar, nada mais cruel!

    🙂

    Votre humble servant, comme toujours,

    Rameau

  8. Monsieur Rameau,
    Cmo vcs dizem no brasil, brincadeirinha, né? 😛
    Terá a minha atenção e os meus favores musicais! Então, seria uma lástima se deixasse de ver, diariamente, este blog… 😉

    Mes salutatuions les plus devouées,
    Clara Schumann

  9. Perdoado, volto a beijar-lhe as adoradas mãos, Mme. Schumann.
    Não se inquiete, eu também estava a brincar (jamais deixaria de visitar o PQP Bach, sobretudo ao saber que posso encontrá-la na intimidade de sua seleção musical)…
    À très bientôt,

    Hoje, ouvirei música em sua homenagem!

    Rameau

Deixe uma resposta