Arnold Schoenberg (1874 – 1951): Pierrot Lunaire, Ode To Napoleon

Após aquele disco de Glenn Gould com as deliciosas e românticas canções de Schoenberg, aqui encontramos um ciclo de canções absolutamente revolucionário – Pierrot Lunaire de 1912. O pequeno melodrama para voz feminina e grupo de câmara é composto de 21 canções ultra-expressionistas, onde Schoenberg emprega a técnica (não inédita) do falado-cantado (Sprechstimme). As sensações sobre a noite, a lua, decapitação (Enthauptung) … são narradas-cantadas por uma personagem apavorante e salientadas pelos instrumentistas de forma virtuosa e febril.

A capacidade de Boulez de dar um novo brilho as obras que rege é mesmo espantosa. Gosto de tudo que ele grava. E a falta de fervor que alguns críticos condenam, eu vejo como uma vantagem. No entanto, no caso de Pierrot Lunaire, a dupla Christine Schäfer-Boulez poderia se soltar mais no imaginário psicótico da obra. Mas a clareza e majestosa voz de Schafer compensam a ausência de alucinadas declamações que eu gostaria de ouvir (noutra oportunidade postarei o que acho adequado). Ajuda muito assistir o DVD feito pelo mesmo grupo de músicos do cd. A direção lembra muito aqueles “absurdos” geniais de David Lynch.

Cannon

Outra importante obra deste disco é Ode a Napoleão, cujo texto de Byron (escrito em 1816) poderia ser chamado de Ode a Hitler ou qualquer outro ditador. Foi escrita por Schoenberg em 1942 e é uma das grandes obras-primas do século XX. Gravação exuberante.

CDF

cd:
1. Act I, No. 1, “Mondestrunken”
2. Act I, No. 2, “Colombine”
3. Act I, No. 3, “Dandy”
4. Act I, No. 4, “Die blasse Wascherin”
5. Act I, No. 5, “Valse de Chopin”
6. Act I, No. 6, “Madonna”
7. Act I, No. 7, “Der kranke Mond”
8. Act II, No. 8, “Nacht”
9. Act II, No. 9, “Gebet an Pierot”
10. Act II, No. 10, “Raub”
11. Act II, No. 11, “Rote Messe”
12. Act II, No. 12, “Galgenlied”
13. Act II, No. 13, “Enthauptung”
14. Act II, No. 14, “Kreuze”
15. Act III, No. 15, “Heimweh”
16. Act III, No. 16, “Gemeinheit”
17. Act III, No. 17, “Parodie”
18. Act III, No. 18, “Mondfleck”
19. Act III, No. 19, “Serenade”
20. Act III, No. 20, “Heimfahrt”
21. Act III, No. 21, “O alter Duft”
22. Herzgewachse Opus 20
23. Ode To Napoleon Buonaparte Opus 41

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

10 comments / Add your comment below

  1. Adoro Choenberg, mais um CD!!!

    Olha, num sei se é pedir muito, mas a muito que procuro na net algum CD que contenha a “Verklärte Nacht” ou “Transfigured Night” em sua versão orquestrada de 1917. Se tiver ai, posta!!! Tive a oportunidade de assisti-la num prograama de TV, fiquei abismado!

  2. Caríssimos amigos,

    Logo veremos, postados aqui, Noite Transfigurada e “Peleas und Melisande” de Schoenberg interpretadas por Karajan. Gravação insuperável.

  3. Arnold Schönberg!
    Pierre Boulez!
    Dois Grandes Músicos que aqui se encontram para realizarem uma grande performance.
    O Pierrot Lunaire interpretado por Boulez tem o dom mágico dos grandes artistas.
    É pena que o mesmo não possa ser dito de Schäfer.
    Na realidade ela está não apenas insípida.
    Está, sobretudo, incômoda com a falta de justeza nos intervalos menos comuns.
    Isto se repete em todos os Sete Atos de cada um dos três Grupos que compõem a obra e, igualmente, no Op.20.
    É uma pena e realmente fico na espectativa da nova postagem do Pierrot vocalmente mais adequado que nos foi prometido.
    A sensação de alívio quando a Ode a Napoleão nos fez mudar de intérprete foi bem acentuada em mim.
    A Ode mantém as caracterísitcas de uma pintura sonora caricata e, de acordo com o meu ponto de vista, está muito bem ajustada às intenções do autor.
    Parabéns por mais esta postagem magnífica.
    Estamos esperando a outra.
    Um grande abraço a todos.
    Edson

Deixe uma resposta