Astor Piazzolla (1921-1992): The Piazzolla Project 2009

Este CD de Piazzolla é tão bom quanto o do Kronos que postei ontem e traz obras mais conhecidas. Não conhecia nem o Artemis Quartet, nem o pianista Ammon. Mas, olha, são sensacionais. A gravação é recentíssima.

IM-PER-DÍ-VEL!!!

The Piazzolla Project 2009

1. Concierto Para Quinteto For Piano Quintet: Introduction, Allegro – Lento, Improvisando – Piu Vivo Fugato – Artemis Quartet/Jacques Ammon 9:48

2. Estaciones Portenas (Seasons In Buenos Aires) For Piano Trio: Otono Porteno – Tempo Di Tango – Artemis Quartet/Jacques Ammon 6:04
3. Estaciones Portenas (Seasons In Buenos Aires) For Piano Trio: Invierno Porteno – Andante – Artemis Quartet/Jacques Ammon 7:05
4. Estaciones Portenas (Seasons In Buenos Aires) For Piano Trio: Primavera Portena – Fuga – Artemis Quartet/Jacques Ammon 5:57
5. Estaciones Portenas (Seasons In Buenos Aires) For Piano Trio: Verano Porteno – Tempo Di Tango – Artemis Quartet/Jacques Ammon 6:40

6. Fuga Y Misterio For Piano Quintet: Movido – Lento – Artemis Quartet/Jacques Ammon 4:25

7. Suite Del Angel (Angel Suite) For String Quartet: Introduccion Al Angel – Tango, Moderato – Artemis Quartet 4:56
8. Suite Del Angel (Angel Suite) For String Quartet: Tango Del Angel – Tempo Di Tango – Artemis Quartet 4:37
9. Suite Del Angel (Angel Suite) For String Quartet: Milonga Del Angel – Melancolico – Artemis Quartet 6:45
10. Suite Del Angel (Angel Suite) For String Quartet: La Muerte Del Angel – Fuga, Movido – Artemis Quartet 3:36

Artemis Quartet
Jacques Ammon, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

PQP

9 comments / Add your comment below

  1. Gosto muito de Piazzolla! Possuo algumas gravações, incluindo o cd postado anteriormente com o Kronos. Não tinha essa gravação com Artemis e tem uma lista de faixas com obras muito interessantes, principalmente a Suite Del Angel. Muito bom!

  2. Piazzolla! Excepcional disco!
    E olha que é bem dificil encontrar boas interpretações de Piazzolla por músicos não argentinos… Incrível! Muito obrigado pela postagem!

  3. Não entrarei no mérito de discutir isso, pois seu comentário demonstra imensa falta de respeito e profundo desconhecimento da obra de Piazzolla. Conceituar Piazzolla como música “simples e enfeitada”… Ele pode não ter a complexidade harmônica ou rítimica de um Bartók, um Shostakovich ou contrapuntística de Bach, por exemplo. Mas seu inconfundível estilo tem uma boa desenvoltura e inovação em todas essas áreas e, além disso, uma profundidade emocional espantosa. Algum mérito Piazzolla deve ter, não é?

    Eu não entendo e realmente nunca entenderei por que alguns frequentadores desse glorioso blog insistem em rechaçar sem conhecimento de causa. A música, creio, é muito mais do que uma questão de complexidade ou simplicidade. Isso é coisa de pseudo-intelectual. Eu sou burro, mas pelo menos sensato e aberto a qualquer concepção, sem preconceitos. Já chega de conceitos bitolantes e arrogantes por simples arrogância. Se o amigo k não se importar de ter uma visão menos preconceituosa e resolver conhecer realmente a obra do Piazzolla, estou à disposição. Eu, se aprendi alguma coisa nesses 15 anos de vida é que não se deve criticar ou opinar sobre algo que não se conhece direito.

    Obs.: se ofendi alguém em algum momento, perdoai-me… deve ter sido um mal entendido.

    Reverências

Deixe uma resposta