Chick Corea (1941): Septet

Na minha opinião, este é um grande CD de autêntica música erudita. Creio que seja melhor, inclusive, que aquele outro de CC que o grande mano FDP Bach postou dia desses. Aqui, Chick Corea percorre facilmente aquele pequeno caminho que une o jazz à música erudita.

Sempre fico com um sentimento de pena quando leio aqueles comentaristas que dizem que o blog PQP Bach decaiu por este ou aquele motivo e depois tascam o verdadeiro problema: vocês postam jazz! Se há algo não nos afeta é esta pequena afirmação. Eu nem respondo a estas opiniões porque elas demonstram tanto preconceito (ou desconhecimento) e tal incompreensão da “coisa musical” que não merecem resposta.

No Septeto, Corea só retoma seu sotaque de jazz na última peça — The Temple Of Isfahan –, uma parente próxima da extraordinária La Fiesta, do disco Return to Forever, talvez ainda o melhor de Mr. Armando. Nas peças restantes, Corea sente-se inteiramente à vontade escrevendo uma peça erudita moderna e de excelente nível. Ele comprova que, assim como Mingus, é um compositor erudito que gosta de jazz. Ouçam com atenção porque este disco é de raro brilho.

Baita CD em 320 kbps!!!

Chick Corea: Septet

1. 1st Movement
2. 2nd Movement
3. 3rd Movement
4. 4th Movement
5. 5th Movement

6. The Temple Of Isfahan

Chick Corea: piano
Ida Kavafian: violin
Theodore Arm: violin
Steven Tenenbom: viola
Fred Sherry: cello
Steve Kujala: flute
Peter Gordon: French horn

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

PQP

9 comments / Add your comment below

  1. Não vejo como o blog possa “decair” apenas por oferecer mais opções.

    Aliás, já oferece opções fantásticas em ambos os gêneros.

    O único momento em que o blog deixa cair um pouco a peteca, a meu humilde ver, é quando alguns postadores menos experientes (nunca vi o PQP Bach fazer isso) resolvem interpretar as críticas às suas postagens como uma ofensa pessoal, e sentem-se vítimas de “patrulha”, mesmo quando se tratam de comentários voltados apenas à qualidade da música postada (que às vezes pode deixar a desejar e ser alvo de críticas veementes, por que não?).

    Fora isso, “viva a diferença”. A música erudita tornou-se uma espécie de culto ao antigo (aliás, o jazz também), e a ausência de renovação faz com que voltemos sempre às mesmas obras. Nem por isso devemos deixar de respeitar as novas criações, mesmo que provenientes de outros ramos da arte.

  2. Avicenna (980-1037)viveu em ISFAHAN, Iran, a última e mais produtiva fase de sua vida … “Ala el-Dowleh who had set him free from prison in Hamedan received him with open arms. He gave him a large house with the most eloquent of furniture to reside in and arranged regular philosophical discussions at his palace, inviting all the learned men of his kingdom to take part. Avicenna must have realised here that his gamble of wandering finally has paid off and at last he had found his ideal patronage under Ala el-Dowleh. Avicenna at once sets out to complete The Canon and The Book of Healing”… este Canon foi utilizado como o guia básico da medicina nas melhores universidades da Europa até o início do século XVIII … Pena que Avicenna (980-1037) não conheceu Chick Corea …

  3. Com apenas alguns minutinhos de audição já pude perceber a qualidade desse Septeto. Simplesmente empolgante! Sensacional! O meu tipo de música!
    A propósito, andei escutando os compositores paraibanos e achei muito bom o nível das composições.
    Alguém aí conhece o Grupo Syntagma aqui do Ceará? E o compositor cearense Luduíno Pitombeira?

  4. Com mais alguns minutos de audição…
    Super, hiper, ultra, mega, fucking, amazing!!!!!!!!!!!!!
    Sem palavras!!!!!
    Uma das coisas mais interessantes que já ouvi nos últimos tempos.
    Esse álbum vai para o 1º lugar na lista de mp3 para escutar enquanto dirijo. Ultimamente, andava escutando A Sagração, Turangalila, Quarteto para o fim dos tempos, Chapéu de Três Pontas, Amor Bruxo, Concerto para Cravo e 5 instrumentos, Noites nos jardins de Espanha (é que adoro Falla), Kewere, obras orquestrais de Satie, Milhaud e Poulenc, Cartoon Concerto, mas essa aqui vai para o topo.
    PQP, muito obrigado por me apresentar tal composição!

  5. Muito bom CD mesmo!
    Mesmo sem tempo de só escutá-lo, sem misturar a audição com outras tarefas, achei a “conversa” dos instrumentos deste septeto fantástica. Ainda vou ouví-lo com toda atenção!
    Obrigado pela postagem!

Deixe uma resposta