Leonard Bernstein (1918-1990) – Sinfonia No. 1 – "Jeremias" e Gustav Mahler (1860-1911) – Sinfonia No. 4 em Sol

null

A Sinfonia No. 1 de Bernstein – “Jeremias” – estreou no mundo da música em 1944. Foi considerado o melhor trabalho daquele ano nos Estados Unidos. Particularmente, eu gosto bastante deste trabalho de Bernstein. É uma obra programática feita a partir da história do profeta judeu Jeremias. Bernstein utiliza o drama vivido pelo profeta, bem como textos do livro de Lamentações de Jeremias, um poema acróstico, narrando a destruição de Jerusalém pelos babilônicos, 6 séculos antes de Cristo, e as desventuras do referido profeta. Entre os profetas judeus, Jeremias certamente seja um dos que mais sofreram. Sujeito de emoções à flor da pele, Jeremias absorve todas as dores de Jerusalém quando a cidade é completamente sitiada e queimada. Antes disso, passara 40 anos advertindo o povo para que se voltasse para o Deus de Israel sem que tivesse qualquer êxito. Vale a pena conferir o trabalho de Bernstein. Aparece ainda no post a maravilhosa Sinfonia no. 4 de Mahler. Não é natural que vejamos, mas a regência fica com Marin Alsop, uma mulher (sic.). Em alguns dias postarei o próprio Bernstein regendo a Sinfonia Jeremias. Uma boa apreciação!

Leonard Bernstein (1918-1990) – Sinfonia No. 1 – “Jeremias”
01. I. Profecia
02. II. Profanação
03. III. Lamentação

Gustav Mahler (1860-1911) – Sinfonia No. 4 em Sol
04. I. Bedächtig. Nicht eilen
05. II. In gemächlicher Bewegung. Ohne Hast
06. III. Ruhevoll
07. IV. Das himmlische Leben. Sehr behaglich

Bournemouth Symphony Orchestra
Marin Alsop, regente
Lisa Milne, soprano

BAIXAR AQUI

Carlinus

8 comments / Add your comment below

  1. Pessoal. eu comprei um CD do Gilberto Mendes lançado pelo SESC agorinha, muito bem executado e com obras inéditas inclusive. Fiquei com vontade de dividir e divulgar, mas como não tem nem uma semana que foi lançado, fiquei com dó de já sair espalhando pela internet, mas não sei, o que vocês acham? Interessa pra ser postado aqui será?

  2. Oi Vanderson

    Dá pra explicar os pontos negativos que vc vê em Berstein. Como vc referiu m dos maiores maestros da história da música, um dos maiores compositores e um dos maiores gênios ?

  3. Hummm, talvez um dos pontos negativos de Bernstein é não ter sido alemão ou então ter se “prostituído” no show busines e no cinema fazendo coisas do tipo “West Side Story”. Ou, quem sabe, ter sido um dos maiores difusores de Gershwin…vai saber né!?

  4. PQP, por favor reposte o link!!!

    Me tornei apaixonado, ontem, pela regência de Marin Alsopp, atual regente titular da Osesp. A regência executada por ela da Op. 104 de Dvorak e do Kaddish de Bernstein foi inefável… A plateia não se rogou a bater diversas palmas ritmicas e consonantes para pedir o bis do solista de celo (Antonio Meneses) em Dvorak e da própria orquestra no Kaddish.

    Assim sendo, estou muitissimo ansioso para ouvir novas regências (sobretudo de Bernstein) de Marin Alsopp.

    POR FAVOR!!!!

    Ps: muito obrigado por todo o serviço que seu blog faz para a música erudita!

Deixe uma resposta