In memoriam Cussy de Almeida: Orquestra Armorial acompanha Duo Assad (1977)

Duo Assad e Orquestra Armorial http://i27.tinypic.com/b3wmjk.jpgBom, eis o disco sugerido pelo leitor Fausto Silva – que eu nem sabia que havia se tornado raridade. Só espero que não pensem que milagres assim são possíveis sempre: foi uma enorme “gata” que eu tivesse esse disco!

Como nosso maior interesse no momento é o trabalho de Cussy de Almeida à frente da Orquestra Armorial, coloquei no início o concerto do Radamés Gnattali (pronúncia Nhátali, para os mais novos), que no vinil ocupa o Lado B. As demais cinco faixas são apenas a dois violões.

Se me permitem… tenho a sensação de que está aí um disco que tinha tudo para acontecer e não aconteceu. A orquestra está perfeita, limpa… Os irmãos Assad são sempre grandes… e Radamés Gnattali escreve muito bem. Mas parece que faltou um clic para esses três elementos entrarem em sinergia e de fato levantarem o concerto.

Mesmo assim, concordo que não se pode deixar esse disco naufragar no olvido. No mínimo é um documento importante de certas vertentes da produção musical brasileira dos 2.º e 3.º terços do século XX.

Além disso, a gravadora Continental realmente boiou na maionese na hora de nomear: “Latino América para duas guitarras”… Por que guitarras, se o nome brasileiro consagrado dessa variante do instrumento é “violão”? E por que “Latino América”, quando quase 90% do repertório é brasileiro? Por causa das 4 Micro-Peças do cubano Leo Brouwer, que inclusive não puxam nada para o lado nacionalista ou “típico”? E onde fica o italiano Castelnuovo-Tedesco, que ocupa tanto espaço no disco quanto Brouwer?

Bom, hoje eu estou ranzinza mesmo, como vocês devem ter notado… mas de modo nenhum estou sugerindo que não valha a pena baixar e ouvir esse disco! Eu mesmo vejo mais razões para baixar que para não baixar. Ou então não o teria carregado nas 15 mudanças que já fiz desde que o tenho… (se é que não esqueci nenhuma!)
 
 
Sérgio e Odair Assad (violões) – com Moacir Freitas, da OSB (oboé)
e as cordas da Orquestra Armorial, regida por Cussi de Almeida

Edição em vinil: Continental, 1977
Digitalizado por Ranulfus, jul. 2010

Radamés Gnattali (Porto Alegre, 1909 – Rio, 1988):
Concerto para 2 violões, oboé e cordas (dedicado ao Duo Assad)
Gravado ao vivo no Conservatório Pernambucano de Música
01 Allegro moderato
02 Adagio
03 Con spirito

Heitor Villa-Lobos (1887-1959)
04 Alnilan (de “As Três Marias” – transcrição)

Francisco Mignone (1897-1986)
05 Lenda sertaneja (peça dedicada ao Duo Assad)
06 Lundu

Mario Castelnuovo-Tedesco (1895-1968)
07 Siciliana (da Sonatina Canônica para dois violões)

Leo Brouwer (*1939)
08 Cuatro Micro-Piezas

. . . . . BAIXE AQUI – download here (Megaupload)

Ranulfus

25 comments / Add your comment below

  1. Eu achava que tinha todos os discos da Orquestra Armorial – este, nem sequer sabia dele. Brigado, Ranulfus.

    Quanto à ranzinzice, abrace a campanha “Meia hora, Brasil”: a tudo que lhe enfezar, deseje meia hora e tá resolvido. Abraço.

  2. Eu acho que um ameriacano é que nomeo esse disco: “Latin America for two Guitars” e algum brasileiro traduziu: “Latino América para duas Guitarras”.
    Vou baixar assim que possível.

    Have a nice day, Ranulfus. 🙂

  3. Same to you, Rodrigo! E agora tô feliz de não ter dispensado esse (e outros discos) em nenhuma das tais 15 mudanças, e agora poder socializar. E se um especialista da área como é o CVL nem sabia da existência, então, é a glória!! rsrsrs

    Bom proveito a todos!!

  4. olá. antes de mais muitos parabéns pelo blog ao qual regularmente acedo, e onde vou descobrindo musica até agora para mim desconhecida. Dito isto gostaria de fazer um pedido à administração deste espaço. Seria possivel colocar obras de piano de um compositor brasileiro chamado Claudio Santoro. São raros os cd’s que consigo encontrar (alias resumem-se a 1). Acho que caso alguém os tenha, seria notável a publicação da obra dele neste respeitável blog. obrigado e abraços.

  5. Muito obrigado, Ranulfus! Discos dos Assad são sempre bem vindos e esse é a raridade mais rara que já vi. Isso não é um bom proveito; é um excelente proveito. Eu estou atrás do Live in Brasil (com ‘s’ mesmo! haha) e do El Caminante do Odair, mas não encontro em nenhuma loja daqui de BH. É dose ter que ficar indo ali na Europa só pra comprar discos de músicos brasileiros.

    Proveitando tudo!

    S.

  6. Olá, ST – o especialista em música brasileira moderna e contemporânea aqui é o CVL, e ele precisou se licenciar das postagens por algum tempo.

    Por outro lado, eu tenho alguns LPs nessa área, não muitos porém significativos (como este), e então acho que vou trazer o que conseguir digitalizar deles durante a licença do CVL, adiando um pouco as outras postagens programadas.

    Por coincidência, quis aproveitar o embalo desta peça do Gnattali e já pus de molho (literalmente! tem isso no processo!) um disco de 1968 com outra obra dele, a “Sinfonia Popular” de 1956… E do outro lado desse disco tem a Sexta Sinfonia do Santoro! Dentro de alguns dias estará no ar.

    Quanto a peças para piano dele tenho muito pouca coisa – mas o pouco que tenho vou tentar postar. E acabo de ver que tenho uma peça dele para VIOLA e piano (viola de arco, não a caipira). Mais cedo ou mais tarde também acaba entrando.

  7. Agradeço muito mesmo por esta postagem. Não existe nenhuma versão integral deste Lp na Internet. Em 12 de Abril de 2006 Fábio Zanon apresentou esse concerto em seu programa O Violão Brasileiro (um programa que não existe mais!!!)na Cultura FM de São Paulo. Por outro lado, tudo de Radamés é interessantíssimo.

  8. Ôpa! Agora lembrei!! Veja se pode “repostar” “Grande missa armorial” de Capiba com Coro e Orquestra Armorial, regidos por Cussy de Almeida postado originalmente em ago.28, 2009 (link expirado)Aí teremos quase toda a dicografia. O que faltar vale procurar na rede, numa atitude de continuação das homenagens que, pelo que vi, a grande imprensa nativa se esqueceu.

  9. Ranulfus,

    que disco maravilhoso! Confesso, muito melhor do que esperava. Alias, essa não é uma das funções do blog: permitir que descubramos “novas” obras boas?

    Obrigado e parabéns pelo post, amigo.

    OBS: Ainda não fiz 15 mudanças, apenas 7 (o que já é complicado contar). Mas um dia chego lá ^^

  10. Particularmente, os dois discos regidos por Cussy de Almeida e o disco do Grupo Orange são os posts mais interessantes de 2011 até agora.

    Parabéns e mutissimoíssimo obrigado!

  11. Ranulfus denuncia a longeva idade com esse “na gata”. Fazia tempo que eu não ouvia isso. É uma expressão perfeita para definir quando se acerta por pouco algo muito difícil.

    Me lembro que quando jogávamos bolinha de gude (a chamada burquinha) pegar uma de longe, numa posição difícil, era acertar na gata. Mas isso faz tempo, lembrei “na gata”, é claro.

    Falando nisso, você estão sempre acertando aqui no PQP. Na gata ou não.

  12. Olá.
    Estou aqui me deleitando com o som desse álbum e já aproveito para pedir:
    Continuando as hoemnagens ao gande Cussy de Almeida, vocês poderiam repostar A Grande Missa Armorial? Seria outro deleite para os nosso ouvidos!

    Um abraço

  13. Heheheheh… gostei muito do seu comentário, José Pires! Na verdade, não sei o quanto essa expressão ainda é do repertório da minha própria geração. Acho, sim, que a gente usava lá no interior onde cresci. Mas pensando bem, minha lembrança dessa expressão está ligada à voz DO MEU PAI, que faria 89 este ano, se estivesse vivo. E que – advirto – casou depois dos 30, hehehe…

  14. E por falar em Duo Assad vi dia desses no Canal Brasil um pequeno documentário sobre a família Assad, incluindo a irmã, Badi, e os pais deles, que também são músicos. Muito legal, se respira música naquela família.

  15. O blog de vcs é fantástico, e as postagens sempre muito criativas e bem elaboradas… parabéns! Gostaria de saber se possuem twitter. Abraços!

  16. Agora que vejo este post… e não pude baixar, pena!!

    Por acaso algum colaborador deste maravilhoso site poderia hospedar em algum servidor de arquivos? Gostaria muito de ouvir. Não ouço este LP há mais de 20 anos…

    Obrigado desde já!

Deixe uma resposta