Gerardo Dirié (1958) – Waiting for the Sound

Aqui está um compositor que me parece muito acessível, apesar da linguagem contemporânea, para estrear minha seção de autores latino-americanos. Dirié nasceu em Córdoba, na Argentina, e tem circulado pelo mundo desde então. Estudou e trabalhou na Universidade de Indiana e, mesmo vivendo atualmente na Austrália, parece manter vínculos com o Centro de Música Latina daquela instituição. Embora lance mão de recursos eletroacústicos e de técnicas típicas de música contemporânea, sua música é sempre muito delicada, muito envolvente e melodiosa. Talvez essa suavidade acabe por ser até um entrave para que sua música galgue a um patamar ainda mais significativo, mas, em seus melhores momentos, é uma delícia (e sempre que fica mais áspera, perco um pouco o interesse). Destaco neste cd as duas primeiras peças, Villancico al Nacimiento e Ti xiuhtototl, e o último movimento de La Espera, um daqueles momentos de delicadeza suprema.

Boa audição!

PS: um detalhe que sempre me intrigou é o fato de meus compositores argentinos prediletos (que julgo os mais significativos), Ginastera, Kagel e Dirié (sem falar de alguns raros mas interessantes momentos do Golijov) terem passado boa parte de suas vidas no exterior, abandonando a Argentina em geral para nunca mais voltar a morar. Se pensamos bem, é o contrário do que ocorreu no Brasil, onde mesmo um Villa-Lobos só passou pequenas temporadas no exterior, sempre tendo seu país como referência.

Gerardo Dirié (1958)

Waiting for the Sound

1. Villancico al Nacimiento (2000), acousmatic
2. Ti xiuhtototl (1997), for soprano, female chorus, harp, and electronics
3. Cinco canciones debajo del ladrillo (1988), for alto recorder, clarinet, violin, and 2 percussionists
4. Nocturno de la luna en tu frente (1996), for violin and harp
5. Swamp music (1994), for chorus and instrumental ensemble
6. Tu casa o este océano (1990), electronic

La Espera (1998), for chamber vocal and instrumental ensemble
07 I. Sinfonía
08 II. Recitativo del tiempo
09 IV. Canto nocturno
10 VII. The Rain in Woodstock
11 VIII. A Shroud for Laertes
12 IX. Bajo la luna
13 XI. Movimiento final

BAIXE AQUI (mediafire)

itadakimasu

5 comments / Add your comment below

  1. E exatamente pelo fato dos grandes compositores argentinos viverem ou terem vivido no exterior eles circulam melhor pelo jet set mundial, mas esse fator é – ao mesmo tempo – o preço que pagam pelo provincianismo portenho, muito sufocante para quem pensa alto. Pense num povo pra brigar pelo que ACHAM certo (só ACHAM).

  2. Rapazes,

    Cumprimentando-os pelo blog que visito religiosamente, pergunto: e as homenagens ao pai dos bastardos Bach? Hoje foi o aniversário dele… Passou o dia e nada vi do patriarca fecundo! Mandem este recado para PQP e FDP, os mais ilustres bastardos que conheço!

  3. Pois é, rapaz… talvez tenha a ver com o caso real de uma conhecida venezuelana que havia se juntado a um brasileiro, e se queixava com uma amiga de que o companheiro recusava terminantemente suas sugestões de viverem na Venezuela. Ao que a amiga respondeu (não escrevo na ortografia espanhola e sim tentando representar aproximadamente a pronúncia, por me parecer parte do sabor da coisa): “Ay mi hirrita, se te cassas con brassilenho, o bibes en Brassil o te divôrcias”.

  4. Pois é, vou ver se posto alguma coisa dele logo. Há um cd do Alexandre Tharaud que acho muito bom. Há também um de música de câmara que tem uma Serenade para 3 instrumentos que eu adoro. Além do Kagel, quero ver se dou uma incrementada no Ginastera. Tenho uma gravação do primeiro concerto para piano com o João Carlos Martins que faz as outras gravações parecerem piada (peninha ele não ter gravado o segundo tb!!) e o concerto para cordas precisa estar por aqui. E pensando bem, de repente até posto a Bomarzo só para mostrar o Ginastera colecionando técnicas de vanguarda, ainda que eu não goste muito da ópera.

Deixe uma resposta