Erik Satie (1866-1925) – Les Fils des Etoiles

Erik Satie foi um importante precursor dos movimentos musicais do século passado. Foi um vanguardista. Influenciou Ravel e Debussy com sua música de paisagens estáticas. A música para Satie era uma mobília, um móvel que se adequa ao ambiente. A vida continua em seu fluxo e a música fica lá, parada, sem que a percebamos. Os efeitos psicológicos são notáveis. Por exemplo, enquanto estou aqui em casa lendo, esperando o tempo passar, o compositor é minha companhia. Mas é como eu não estivesse ouvindo nada. As pessoas passam no corredor, próximo ao meu apartamento, os carros buzinam, grades tilintam, chaves penduricalham; crianças gritam. Mas parece que não ouço nada. As miniaturas musicais de Satie são como rios marulhentos. Não percebemos a sua “viagem”. Todavia, às vezes, o seu ronco suave se expressa e aí lhe damos atenção. Satie destinava essa intenção à sua música. Queria que os ouvintes encarassem dessa forma aquilo que escrevia. Enquanto as sinfonias e concertos constituem universos, “teses”, “discursos eloquentes”, as peças de Satie são pequenos quadros, crônicas doces, suaves, “vagabundas”, miniaturas semi-mortiças. Mas, como é boa essa música!

Erik Satie (1866-1925) – Les Fils des Etoiles

01. Prélude du 1er Acte – La Vocation – Thème décoratif_ La nuit de Kaldée
02 – 1er Acte – La vocation
03 – Prélude du 2e Acte – L’Initiation – Thème decoratif_ La salle basse du Grand
04 – 2e Acte – L’Initiation
05 – Prélude du 3e Acte – L’Incantation – Thème decoratif_ La terasse du palais
06 – 3e Acte – L’Incantation

Steffen Schleiermacher, piano

BAIXAR AQUI

Carlinus

6 comments / Add your comment below

  1. Obrigada! É a única obra do Satie que eu não tinha (e a Vexations, claro) mas pra essa postagem podia ter colocado a música de mobiliário. rs

  2. Olá Alessandro, já tinha visto o link no UbuWeb mas queria com piano. Sei que foi executada uma vez por vários pianistas, mas nunca consigo encontrar. Você saberia onde tem?

  3. Olá! A descrição que o Carlinus deu para a música de satie vale muito para umas obras específicas dele (justamente a chamada “música mobília”), mas não para todas. Não é tudo que ele escreveu que era pra ser simplesmente “parte do ambiente”. As três Gymnopédies, por exemplo, eram pra serem ouvidas como quem olha pra um mesmo objeto de três ângulos diferentes…

    Por fim, quero elogiar o excelente blog tbm!

Deixe uma resposta