L. V. Beethoven (1770-1827) The Consecration of the House, Op. 124, Concerto para violino in D, Op. 61 e Abertura Leonora No. 3, Op. 72a (LINK REVALIDADO)

Como hoje o dia está nublado e indeciso, reverberando efeitos impressionáveis em minha alma, resolvi postar algo do meu compositor predileto – Beethoven. Tomei o intento de postar o concerto para violino em ré, opus 61. Ao meu modo de ver, este é um dos concertos para violino mais belos que já foram escritos. O opus 64 de Mendelssohn é belíssimo também; semelhante é o opus 35 de Tchaikovsky. Semelhantemente, o opus 61 de Beethoven é um espetáculo. Possui momentos de profundo lirismo, algo que é comum em Beethoven. Distigue-se dos concertos de Mendelssohn e Tchaikovsky pelo pessimismo, mas o final é um triunfo. Escolhi dois magos para interpretar esta maravilha: Menuhin ao violino e Klemperer na regência. É simplesmente uma das melhores gravações que já ouvi para este concerto. Aparecem ainda neste registro a The Consecration of the House e Abertura Leonora No. 3. Bom deleite!

Ludwig van Beethoven (1770-1827) The Consecration of the House, Op. 124, Concerto para violino in D, Op. 61 e Abertura Leonora No. 3, Op. 72a

The Consecration of the House, Overture, Op. 124
1. The Consecration of the House [8:06]

Concerto para violino em D, Op. 61*
2. Allegro ma non troppo [24:24]
3. Larghetto [10:23]
4. Rondo (allegro) [10:07]

Yehudi Menuhin, violino

Leonore No. 3, Overture, Op. 72a
5. Leonore No. 3, Overture [14:35]

Total: 67′ 59”

Philharmonia Orchestra
*New Philharmonia Orchestra
Otto Klemperer, regente

BAIXAR AQUI

Carlinus

23 comments / Add your comment below

  1. Como assim 132 obras, Vanderson??? Por que você não quer saber das outras?

    Seu catálogo numerado com Opus atinge o número 138, mas a quantidade de obras é bem maior. Só alguns exemplos: op.1 = 3 Trios, op.2 = 3 Sonatas, op.18 = 6 Quartetos, op.33 = 7 Bagatelas, op.48 = 6 Canções e por aí vai.

    Você também não pode esquecer o índice WoO, que consiste de obras publicadas após sua vida, como a popular Pur Elise (WoO 59). O catálogo WoO vai até 205!

    Há também o catálogo publicado por Willy Hess em 1957, que inclui alguns índices WoO e outras peças descobertas depois. O catálogo Hess tem 335 números, mas muitos deles não se tem plena certeza que se tratam de composições de Beethoven.

    Em 1968, Giovanni Biamonti publicou outro índice, interessante também, que vai do Biamonti 1 = Variações Dressler, do menininho Beethoven de 12 anos, até o Biamonti 849 que são fragmentos para piano datado de 1827, ano de sua morte.

    Vários desses números, tanto Opus, como WoO, Hess ou Biamonti, contém peças de autoria duvidosa, mas anote aí que Beethoven compôs mais de 600 obras!

    E não se deixe enganar. Beethoven é um universo que você ainda não faz ideia!

    Grande Abraço!

  2. Amigo Vanderson, em termos de volume, realmente ninguém pode competir com Mozart. É possível a gente colocar tudo que Brahms produziu dentro de uns 45 CDs. Beethoven em uns 90 CDs. Bach morreu com 65 anos e sua integral engloba 155 discos. Mozart viveu até os 35 anos e tudo que ele fez atinge a marca de 170 discos. Dá pra competir? Não dá.

  3. Em termos de tamanho da produção musical, Telemann é um hors concours – sua obra é maior que as obras de Bach e Haendel juntas e certamente supera o tamanho da obra colossal de Mozart.

  4. Só pra lembrar: a 9ª sinfonia é o opus 125; a missa solene é o 123. Sempre quis ouvir essa obra, ou melhor: sempre quis saber qual era a obra que tinha a honra de ter essas duas tão ilustras vizinhas.
    Estou me segurando pra não baixar AGORA porque estou no trampo. Quando sair, pego.

    Valeu, Carlinus.

  5. Interessante o desaparecimento das mensagens de Vanderson. E também interessante o comentário de RN sobre Telemann, eu não sabia disso.

    Carlinus: não me leve a mal, mas de onde você tirou a ideia de que o Concerto para Violino de Beethoven seja uma obra pessimista. Eu não conheço nenhuma obra pessimista de Beethoven. Muito pelo contrário: toda a sua obra artística é um exemplo de superação, confiança e amor à vida e à música.

  6. Wotan, a versão do Perlman já foi postada aqui no PQP, nos primórdios do blog. Dê uma procurada. Se o link estiver off, me avise, vou tentar achar o cd no meio da bagunça.

Deixe uma resposta