Jan Sibelius (1865-1957): Obras para Piano

Sibelius era um romântico tardio. Um romântico tardio bem esquisito do qual gosto muito. Meu primeiro contato com suas obras para piano foi um belo e pesado disco de vinil. O pianista era Glenn Gould. Somando-se esquisitice com esquisitice o resultado era excelente. Heinonen, o pianista deste CD, mantém o clima preferido do finlandês: uma sintaxe à princípio pouco convidativa, fria, mas gentil e cheia de surpresas. Eu gosto. Não são obras para serem ouvidas apenas uma vez, elas custam a convencer, mas convencem. Sibelius foi um cara fundamental para a independência da Finlândia, que ficava ora em mãos russas, ora em suecas. Sua música teve importante papel na formação da identidade nacional finlandesa. Tudo aqui é nacionalismo, cada nota, apesar do jeitão intimista do moço.

A seleção inclui a Sonata Op. 12, importante obra do Siba, e um arranjo para piano de Finlândia, a música mais famosa daquela parte fria e escura do mundo. E o que dizer da língua maluca que eles falam?

Jan Sibelius (1865-1957): Obras para Piano

1. Five Characteristic Impressions, Op. 103 – 1. The Village Church Eero Heinonen (piano) 3:31
2. Five Characteristic Impressions, Op. 103 – 2. The Fiddler Eero Heinonen (piano) 2:28
3. Five Characteristic Impressions, Op. 103 – 3. The Oarsman Eero Heinonen (piano) 2:26
4. Five Characteristic Impressions, Op. 103 – 4. The Storm Eero Heinonen (piano) 1:42
5. Five Characteristic Impressions, Op. 103 – 5. In Mournful Mood Eero Heinonen (piano) 2:04

6. Kyllikki (Drei lyrische Stücke für Pianoforte), Op. 41 – 1. Largamente Eero Heinonen (piano) 3:10
7. Kyllikki (Drei lyrische Stücke für Pianoforte), Op. 41 – 2. Andantino Eero Heinonen (piano) 4:47
8. Kyllikki (Drei lyrische Stücke für Pianoforte), Op. 41 – 3. Commodo Eero Heinonen (piano) 3:18

9. Viisi luonnosta (Five Esquisses), Op. 114 – 1. Maisema (Landscape) Eero Heinonen (piano) 2:58
10. Viisi luonnosta (Five Esquisses), Op. 114 – 2. Talvikuvia (Winter Scene) Eero Heinonen (piano) 2:09
11. Viisi luonnosta (Five Esquisses), Op. 114 – 3. Metsälampi (Forest Lake) Eero Heinonen (piano) 1:36
12. Viisi luonnosta (Five Esquisses), Op. 114 – 4. Metsälaulu (Song in the Forest) Eero Heinonen (piano) 2:27
13. Viisi luonnosta (Five Esquisses), Op. 114 – 5. Kevätnäky (Spring in Vision) Eero Heinonen (piano) 1:34

14. Sonata in F major, Op. 12 – I Allegro molto Eero Heinonen (piano) 6:41
15. Sonata in F major, Op. 12 – II Andantino Eero Heinonen (piano) 7:01
16. Sonata in F major, Op. 12 – III Allegro pochettino moderato Eero Heinonen (piano) 4:23

17. Five pieces, Op. 85 (The Flowers) – 1. Bellis Eero Heinonen (piano) 1:42
18. Five pieces, Op. 85 (The Flowers) – 2. Œillet Eero Heinonen (piano) 2:00
19. Five pieces, Op. 85 (The Flowers) – 3. Iris Eero Heinonen (piano) 3:08
20. Five pieces, Op. 85 (The Flowers) – 4. Aquileja Eero Heinonen (piano) 2:14
21. Five pieces, Op. 85 (The Flowers) – 5. Campanula Eero Heinonen (piano) 2:13

22. Zwei Rondinos (Two Rondinos), Op. 68 – Rondino Nr. 1 in G sharp minor (gis-moll) Eero Heinonen (piano) 3:52
23. Zwei Rondinos (Two Rondinos), Op. 68 – Rondino Nr. 2 in C sharp minor (cis-moll) Eero Heinonen (piano) 1:56

24. Finlandia, Op. 26/7 (transcription by the composer) 8:56

Eero Heinonen, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (RapidShare)

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Pergolesi: Messa Romana; Allesandro Scarlatti: Messa per il Santissimo Natale

Sim, voltei. Agora cheio de energia.

Essa postagem era para ir ao ar no natal do ano passado, eu tinha preparado um texto muito bom, mas o perdi, então aí vai um mix do que eu li na capa do CD com as impressões que tive.

Pergolesi: Messa Romana:

O Kyrie Eleison, que era para ser em um tom de introspecção, vem festivo, quase em um Rondó. O coro canta as primeira sílaba ( Ky ) fazendo intervalos que quinta e oitava, normais e invertidas, o que aumenta o tom de ansiosidade e perspectiva. Trompetes, trompas e Violinos tocam movimentos rítmicos ascendentes, ligeiros, terminando a faixa de forma abrupta, fazendo um paralelo para a condução do Christe Eleison, que vem em modo menor, trazendo o tom de introspecção esperado para o 1º movimento. Percebe-se que em certa parte da faixa o coro canta apenas ”ELEISON” ou seja ”PIEDADE”, reforçando ainda mais o tom sombrio. A faixa termina de forma muito mais abrupta, com o coro cantado novamente ”ELEISON”, com tom raivoso. O resto da Missa Romana vem sempre obedecendo essa regra. Em uns movimentos muito rápidos, ligeiros, alegres, dançantes, e em outros, o tom depressivo, triste.
É necessário disciplina para ouvir essa missa, não ouvir por ouvir, mas para que não cair na mesmice de um New Age, ou de coisa qualquer.

Allesandro Scarlatti: Messa per il Santissimo Natale

Missa de Natal Scarlatti foi tal composição, escrita para coros totalmente independentes mais violinos I e II em obbligato que embelezam a polifonia de forma independente de qualquer coro. O humor dessa massa é serenamente comemorativo – música, como o coral de anjos poderia ter cantado. Mesmo o Agnus Dei é menor fundamento por misericórdia do que uma canção de carinho para o Menino Jesus. Tratamento de Scarlatti do espaço acústico entre os dois coros é espetacular!”

Pergolesi: Messa Romana; Allesandro Scarlatti: Messa per il Santissimo Natale

Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Kyrie eleison (1:41)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Christe eleison (3:41)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Kyrie eleison (1:58)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Gloria in excelsis Deo (3:35)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Laudamus te (2:00)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Gratias agimus tibi (4:55)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Dominus Deus (4:70)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Qui tollis peccata mundi (3:30)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Qui tollis peccata mundi (4:46)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Qui sedes ad dexteram patris (2:28)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Quoniam tu solus sanctus (2:59)
Mass (Kyrie & Gloria), for soloists, chorus & orchestra in F major (4 versions)~Cum Cancto Spiritu (3:33)

Messa per il Santissime Natale, for double chorus, 2 violins & continuo in A major~Kyrie (4:80)
Messa per il Santissime Natale, for double chorus, 2 violins & continuo in A major~Gloria (11:30)
Messa per il Santissime Natale, for double chorus, 2 violins & continuo in A major~Credo (8:38)
Messa per il Santissime Natale, for double chorus, 2 violins & continuo in A major~Sanctus (1:10)
Messa per il Santissime Natale, for double chorus, 2 violins & continuo in A major~Agnus Dei (4:28)

Concerto Italiano
Regente: Rinaldo Alessandrini

Clique aqui para fazer Download – Megaupload

Apoie os bons artistas, compre suas músicas.
Apesar de raramente respondidos, os comentários dos leitores e ouvintes são apreciadíssimos. São nosso combustível.
Comente a postagem!

Gabriel Clarinet

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

.: interlúdio :. Thelonious Monk – Underground

Vamos começar pelo que interessa:

IM-PER-DÍ-VEL !!!!

Thelonious Monk entrou no estúdio no fim de 1967 / início de 1968 com seu longevo quarteto — Charlie Rouse (sax tenor), Larry Gales (baixo) e Ben Riley (bateria) — para gravar um novo álbum, um álbum cheio de novidades. Nada menos que quatro composições novas foram estreadas por Monk neste disco, o último pela Columbia. Seu período na gravadora foi marcado pela baixa produção. Lá, lançou vários discos ao vivo, todos eles somente com músicas antigas, nenhuma inédita. A Columbia, em resposta, não renovou seu contrato. O quarteto desfez-se.

Acessível, belo, muito desigual em termos rítmicos — contando inclusive com a valsa Ugly Beauty. Underground, com sua incrível capa que nos dá saudades dos vinis, vai desde o blues melancólico de Easy Street, até a alegria de Green Chimneys, desde a simplicidade de Thelonious às complexidades de Boo Boo’s Birthday. Quando passamos a régua, o que sobra é um trabalho primoroso.

Thelonious Monk – Underground

1. Thelonious 3:19
2. Ugly Beauty 10:45
3. Raise Four 7:01
4. Boo Boo’s Birthday (Take 11) 5:57
5. Easy Street 7:52
6. Green Chimneys 13:11
7. In Walked Bud 6:50
8. Ugly Beauty (Take 4) 7:38
9. Boo Boo’s Birthday (Take 2) 5:36
10. Thelonious (Take 3) 3:12

Monk, piano
Larry Gales, bass
Charlie Rouse, tenor sax
Ben Riley on drums

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (RapidShare)

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Lutosławski – 20 Canções Natalinas Polonesas

Para ser bem honesto, como não me dou lá muito bem com canto lírico e, ainda que seja fã de carteirinha de Lutosławski, não aceito muito as coisas cantadas dele (salvo peças para coro), mas entrando em clima natalino, aqui seguem as 20 canções natalinas polonesas dele, escritas logo depois da Guerra, para voz e piano, e rearranjadas no fim da vida para voz, coro e orquestra.  Não é o Lutosławski moderníssimo das décadas de 60 e 70, mas, quando a soprano está fora da parada, a música é uma delícia (o arranjo é bem bonito e de extremo bom gosto, como costuma ser o caso ao ser falar em Lutosławski). Tristemente a soprano não costuma estar fora da parada, claro (mas creio que, se não tiverem problemas com canto lírico, será muito boa a fruição).

De lambuja, acompanham a Lacrimosa (peça de 1937) e as muito mais arrojadas Cinco Canções, escritas em 1957.

Boa diversão!

Witold Lutosławski (1913-1994)

1-20 Vinte Canções Natalinas Polonesas, para soprano, coro feminino e orquestra

21 Lacrimosa, para soprano, coro e orquestra

22-26 Cinco Canções, para voz feminina e 30 instrumentos solo

Olga Pasichnyk, Soprano (faixas 1-21)
Jadwiga Rappé, Alto (faixa 22-26)
Polish Radio Chorus, Kraców (faixas 1-21) (Włodzimierz Siedlik, Chorus Master)
Polish National Radio Symphony Orchestra (Katowice)
Antoni Wit

BAIXE AQUI

itadakimasu

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

.: interlúdio natalino – John Zorn :.

Não, não é preciso tirar as crianças da sala. Tio Zorn fez um disco de natal, sim, mas que é verdadeiramente cândido como um… disco de natal. Não, nada de torrentes agressivas de saxofone; na verdade nem há um saxofone nesse álbum. Mas, estranhamente, há uma guitarra havaiana, que reforça o clima de algumas canções: algo lounge, lembrando um tantinho o Beach Boys Christmas Album. Uma faixa puxa para o blues, e outras ainda são verdadeiramente peças de jazz onde se pode facilmente ignorar a temática. Apesar da mistura de estilos, o talento de Zorn se destaca exatamente na composição da banda e na sofisticação dos arranjos, que dão a uniformidade necessária. E ele ainda se sai (bem) com duas composições em meio aos standards: “Santa’s Workshop” and “Magical Sleigh Ride”.

O resultado é francamente agradável, e pra mim, uma surpresa; que quer o Zorn, judeu de quatro costados, Radical Jewish Culture series etc, tocando música de natal? Pesquisei, e deu o óbvio: lembranças de infância. A família dele celebrava o natal e esse disco é uma homenagem àqueles tempos, e uma tentativa de renovar as opções do catálogo disponível. Óbvio, justo, e possivelmente o melhor disco de natal já feito, junto com aquele do Charlie Brown.


John Zorn – A Dreamers Christmas /2011 [320]
John Zorn, producer, arranger; Cyro Baptista, percussion; Joey Baron, drums; Trevor Dunn, bass; Mike Patton, vocal; Marc Ribot, guitars; Jamie Saft, keyboards; Kenny Wollesen, vibes, chimes, glockenspiel
download – 109MB /mediafire

01 Winter Wonderland
02 Snowfall
03 Christmas Time is Here
04 Santa’s Workshop
05 Have Yourself a Merry Little Christmas
06 Let it Snow! Let it Snow! Let it Snow!
07 Santa Claus is Coming to Town
08 Magical Sleigh Ride
09 The Christmas Song

Feliz 2012!
Blue Dog

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Ludwig van Beethoven (1770-1827): Obras completas para Violoncelo e Piano

Gostei demais destes dois belos CDs dedicados à obra de Beethoven para violoncelo e piano à cargo de Daniel Müller-Schott e Angela Hewitt. A dupla entendeu-se maravilhosamente tocando tanto as obras mais conhecidas do mestre para ambos os instrumentos, mas atacando também territórios bastante perigosos… Explico: as Sonatas são verdadeiras joias do repertório clássico, mas as obras de Variações que estão aí são de matar, mesmo que sejam sobre temas de Mozart, Haydn, etc. Bem, nada grave, pois as Sonatas são muito maiores e marcantes. O CD é da Hyperion, o que já diz muito de sua qualidade, a qual é superior ao registro de Yo Yo Ma + Emanuel Ax e deve empatar com o de Rostropovich + Richter.

Sim, é IM-PER-DÍ-VEL !!!!

Beethoven: Works for Cello and Piano, vol. 1
Cello Sonata in F major Op 5 No 1
1) Adagio sostenuto [2:59]
2) Allegro [14:24]
3) Allegro vivace [6:58]
Cello Sonata in G minor Op 5 No 2
4) Adagio sostenuto ed espressivo [6:26]
5) Allegro molto più tosto presto [10:29]
6) Rondo: Alllegro [9:02]
Cello Sonata in A major Op 69
7) Allegro, ma non tanto [12:55]
8. Scherzo: Allegro molto [5:07]
9) Adagio cantabile [2:01]
10) Allegro vivace [6:55]

Beethoven: Works for Cello and Piano, vol. 2
1) Variations in G major on “See the conqu’ring hero comes” from Handel’s Judas Maccabaeus WoO45 [12:54]
Cello Sonata in G major Op 102 No 1
2) Andante [2:46]
3) Allegro vivace [5:14]
4) Adagio – Tempo d’andante [3:15]
5) Allegro vivace [4:30]
6) Variations in F major on “Ein Mädchen oder Weibchen” from Mozart’s Die Zauberflöte Op 66 [10:18]
7) Variations in E flat major on “Bei Männern, welche Liebe fühlen, from Mozart’s Die Zauberflöte WoO46 [10:00]
Cello Sonata in D major Op 102 No 2
8. Allegro con brio [6:53]
9) Adagio con molto sentimento d’affetto [10:48]
10) Allegro – Allegro fugato [4:21]

Daniel Müller-Schott, cello
Angela Hewitt, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (RapidShare)

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Frank Bridge (1879-1941) – The Sea-Suite For Orchestra, Benjamin Britten (1913-1976) – Violin concerto, op. 15 e Witold Lutoslawski (1913-1994) – Concerto for Orchestra

null

O maestro Yan Pascal Tortelier tem um currículo respeitável. Não havia escutado nada ainda sob a sua condução. Sou sabedor de que, após os problemas com John Neschling, em 2009, Tortelier foi contratado para ser o regente titular da Osquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). Tortelier é francês de nascimento. Mas já teve a oportunidade de conduzir importantes orquestras como a de Londres, São Francisco, Montréal, Paris e São Petersburgo. Vale ressaltar que o seu principal protagonismo foi à frente da orquestra da BBC de Londres. Seu trabalho na BBC lhe rendeu um laureamento (inclusive, as peças regidas neste post estão a cargo da sinfônica inglesa). A primeira impressão foi positiva. As três peças (broadcastings) que surgem nesta postagem, deixaram-me feliz. Conhecia somente o concerto para violino de Britten, compositor que se sempre provoca admiração e surpresa quando o escuto. A suite de Bridge também provocou uma impressão de contentamento. Fato importante é que Frank Bridge foi professor de Britten, o maior compositor inglês de todos os tempos (em minha humilde opinião). Lutoslawski, por sua vez, com sua linguagem áspera, continua a ser um desafio. Não deixe de ouvir. Uma boa apreciação!

Frank Bridge (1879-1941) – The Sea-Suite For Orchestra
01. 1. Seascape (Allegro ben moderato)
02. 2. Sea-foam (Allegro vivo)
03. 3. Moonlight (Adagio ma non troppo)
04. 4. Storm (Allegro energico)

Benjamin Britten (1913-1976) – Violin concerto, op. 15
05. I. Moderato Con Moto-
06. II. Vivace-Cadenza-
07. III. Passacaglia Andante Lento (Un Poco Meno Mosso)

Witold Lutoslawski (1913-1994) – Concerto for Orchestra
08. I. Intrada: Allegro maestoso
09. II. Capriccio notturno e arioso: Vivace
10. III. Passacaglia, toccata e corale: Andante con moto

Você pode comprar na Amazon AQUI, AQUI e AQUI

BBC Symphony Orchestra
Yan Pascal Tortelier, regente
Daniel Hope, violino

BAIXAR AQUI

Carlinus

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Achile-Claude Debussy (1862-1918) – Complete Works for Piano Vol 5 – Khama (Lègende dansèe), Jeux (Poème dansée), La Boite à joujoux (Ballet pour enfants) – Jean-Efflam Bavouzet

Se os senhores fuçarem postagens antigas de Debussy verão que já postei os outro quatro volumes desta fantástica coleção da Chandos com este excepcional pianista, Jean-Efflam Bavouzet, minha nova referência quando quero ouvir a obra pianística de Debussy. O editor da amazon chama esta coleção de jóia da coroa da gravadora Chandos. E não há como discordar.
O ponto em comum destas obras é que todas elas foram compostas como música para balé e para serem tocadas por uma orquestra, e posteriormente foram transcritas para piano. Um primor de CD.
O segundo CD que vos trago é outro tesouro da Chandos, pois novamente traz Jean-Efflam Bavouzet, desta vez interpretando novamente Ravel, Debussy e um surpreendente Massenet. Começa com a infelizmente pouco interpretada “Fantasia para Piano e Orquestra” de Debussy, uma obra da juventude do compositor, belíssima, que mostra um compositor ainda tentando encontrar sua linguagem, seu caminho. Intercala momentos de grande beleza com alguns outros de tentativas de inovação técnica e melódica.
Em seguida, vem duas peças conhecidíssimas de Ravel, seu Concerto para Piano em Sol Maior, já postado inúmeras vezes aqui mesmo no PQPBach, talvez sua obra mais executada, e o genial Concerto para a Mão Esquerda, um tour de force para o intérprete, tamanha a criatividade e engenhosidade da obra.
O CD termina com algumas surpreendentes peças para piano de Massenet, um compositor mais afeito e conhecido pelas suas óperas do que pelas obras para piano. Destaque para a incrível Valse Folle.
Jean-Efflam Bavouzet vem cada vez mais se solidificando como um dos grandes nomes do instrumento da atualidade. A BBC Symphony Orchestra também dispensa comentários, e seu regente, Yan Pascal Tortelier já é nosso conhecido, principalmente por aqueles que tiveram oportunidade de vê-lo à frente da Sinfônica de São Paulo.
Baixe sem culpa e ouça com toda atenção. Depois é só correr para a galera…
Antes que esqueça, dois CDs IM-PER-DÍ-VEIS !!!

P.S. Dedico esta postagem para o nosso colega Ranulfus, que enfrenta no momento problemas de ordem pessoal, isolado que está na bela cidade de Vitória, e a quem prometi este quinto cd da coleção já há algum tempo. Força, meu caro colega.

Achile-Claude Debussy – Complete Works for Piano Vol 5 – Khama (Lègende dansèe), Jeux (Poème dansée), La Boite à joujoux (Ballet pour enfants) – Jean-Efflam Bavouzet

1 Khamma (Légende dansée)_  Prelude
2 Khamma (Légende dansée)_  Scene 1. The Inner Temple of the Great God Amon-Ra
3 Khamma (Légende dansée)_  Scene 2
4 Khamma (Légende dansée)_  First Dance
5 Khamma (Légende dansée)_  Second Dance
6  Khamma (Légende dansée)_  Third Dance
7 Khamma (Légende dansée)_  Suddenly, Khamma notices
8 Khamma (Légende dansée)_  Scene 3
9 Jeux_ Prelude. The curtain rises
10 Jeux_ Two timid, curious girls
11 Jeux_ One of the girls dances
12  Jeux_ The young man can be seen
13 They dance together. He asks
14 Jeux_ The young man follows
15 Jeux_ Wrapped up in their dance
16 Jeux_ However, the young man
17  Jeux_ Now all three of them
18 Jeux_ A tennis ball falls at
19  La Boite à joujoux_ Prelude. The Box Sleeps. First Tableau. The Toy Shop
20 La Boite à joujoux_ Second Tableau. The Battlefield
21 La Boite à joujoux_ Third Tableau. Sheepfold for Sale
22 Jean-Efflam Bavouzet – La Boite à joujoux_ Fourth Tableau. After the Fortune Is Made. Epilogue

Jean-Efflam Bavouzet – Piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Debussy, Ravel, Massenet –  Piano and Orchestral Works – Jean-Efflam Bavouzet

1 Debussy – Fantaisie (1890) – I. Andante ma non troppo
2 Debussy – Fantaisie (1890) – II. Lent – tres expressif
3 Debussy – Fantaisie (1890) – III. Allegro molto
4 Ravel – Concerto en sol (1929–1931) – I. Allegramente
5 Ravel – Concerto en sol (1929–1931) – II. Adagio assai
6 Ravel – Concerto en sol (1929–1931) – III. Presto
7 Ravel – Concerto pour la main gauche (1932)
8 Massenet – Deux Impromptus (1896) – I. Eau Dormante
9 Massenet – Deux Impromptus (1896) – II. Eau Courante
10 Massenet – Toccata
11 Deux Pièces pour piano (1907) – I. Papillons Noirs
12 Massenet – Deux Pièces pour piano (1907) – II. Papillons Blancs
13 Massenet – Valse Folle (1898)

Jean-Efflam Bavouzet – Piano
BBC Symphony Orchestra
Yan Pascal Tortelier – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
FDPBach

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Antonio Vivaldi (1678-1741): As Quatro Estações / Concerto para Bandolim / Concerto para Alaúde (transcrições para piano)

Este CD foi recebido em nosso e-mail. Veio em partes, claro, mas inteirinho. Agradeço muito. Não dá para dizer que eu tenha amado o curioso trabalho de transcrição, mas achei engraçado e agradável. Minha mulher fez a pergunta fatal: “Para que transcrever? Será que não há repertório suficiente para teclado?” Ah, pois é. Os movimentos lentos ficaram realmente muito bons, mas faltou colorido aos rápidos, penso. Acho que é um download obrigatório para quem ama Vivaldi. Os amigos do drama e do visceral podem passar adiante.

Vivaldi: As Quatro Estações / Concerto para Bandolim / Concerto para Alaúde (transcrições para piano)

As Quatro Estações (Primavera)
1. I. Allegro 00:03:16
2. II. Largo 00:02:51
3. III. Allegro Pastorale 00:04:01

As Quatro Estações (Verão)
4. I. Allegro non molto 00:05:22
5. II. Adagio e piano – Presto e forte 00:02:02
6. III. Presto 00:02:36

As Quatro Estações (Outono)
7. I. Allegro 00:04:22
8. II. Adagio molto 00:02:16
9. III. Allegro 00:03:10

As Quatro Estações (Inverno)
10. I. Allegro non molto 00:03:30
11. II. Largo 00:02:02
12. III. Allegro 00:02:49

Mandolin Concerto in C major, RV 425 (arr. A. Gentile for piano)
13. I. Allegro 00:03:31
14. II. Largo 00:04:48
15. III. Allegro 00:02:08

Lute Concerto in D major, RV 93 (arr. A. Gentile for piano)
16. I. Allegro guisto 00:04:17
17. II. Largo 00:04:53
18. III. Allegro 00:02:38

Jeffrey Biegel, piano (e arranjo para “As Quatro Estações”)

Total Playing Time: 01:00:32

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (RapidShare)

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Edvard Grieg (1843-1907) – Sonata in F major, Op.8,Sonata in G major, Op.13 e Sonata in C minor, Op.45

De passagem apenas para postar esse baita CD. Fiquei impressionado a com a leveza e a singeleza das sonatas de Grieg – ainda não as conhecia. Outro aspecto positivo a se ressaltar é a extraordinária parceria Maria João Pires e Augustin Dumay. A dupla tem produzido CDs fantásticos. E o registro que ora posto tem essa característica. A música de Grieg possui uma fragrância diferente; uma sensibilidade que não se encontra em qualquer lugar. É como se em seu mundo encontrássemos o sussurro dos bosques, dos ventos; intervalos mágicos enormes se abrissem à nossa frente. A natureza da sua Noruega estava presente em tudo o que o compositor fazia. Não deixe de ouvir. Uma boa apreciação.

Edvard Grieg (1843-1907) – Sonata in F major, Op.8,Sonata in G major, Op.13 e Sonata in C minor, Op.45

Sonata in F major, Op.8
01. I. Allegro con brio
02. II. Alleggreto quasi Andatino – Più vivo – Tempo I
03. III. Allegro molto vivace

Sonata in G major, Op.13
04. I. Lento doloroso – Poco allegro – Allegro vivace
05. II. Allegretto tranquillo
06. III. Allegro animato

Sonata in C minor, Op.45
07. I. Allegro molto ed appassionato
08. II. Allegretto espressivo alla Romanza – Allegretto molto – Tempo I
09. III. Allegro animato

Augustin Dumay, violino
Maria João Pires, piano

BAIXAR AQUI

Carlinus

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Purcell, Handel e Haydn: To Saint Cecilia

Roubo? Mas é claro! E digo de onde. Foi roubado do Átila do Prato Feito, um excelente blog de belíssimo design. Tudo porque seduziu-me a ideia do CD duplo e o excelente grupo instrumental que interpreta o repertório. O estranho é que não gostei muito da amada (por mim) Ode de Handel, levada um tanto em ponto morto, sem a densidade emocional que PQP exigiria em seus sonhos. Mas pensem bem: três Cecílias, três vezes a padroeira da música, uma vez por Purcell, depois por Handel e Haydn. Não, só roubando mesmo. Leiam o post do Átila, muito melhor do que as bostas que escrevo aqui.

Purcell, Handel e Haydn: To Saint Cecilia

Hail, bright Cecilia, Z 328 “Ode on St Cecilia’s Day” by Henry Purcell
1. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (Symphony) 9:49
2. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (‘Hail! Bright Cecilia!’) 4:03
3. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (‘Hark, Each Tree’) 3:45
4. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (‘Tis Nature’s Voice’) 4:28
5. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (Soul of the World’) 2:07
6. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (Thou Tun’st this World’) 5:11
7. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (‘With That Sublime Celestial Lay’) 2:49
8. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (Wond’rous Machine’) 2:12
9. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (‘The Airy Violin’) 1:16
10. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (In Vain the Am’rous Flute’) 6:36
11. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (‘The Fife and All the Harmony of War’) 2:52
12. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (‘Let These Amongst Themselves Contest’) 2:22
13. To Saint Cecilia – Hail! Bright Cecilia (Ode À Sainte Cécile) (Hail! Bright Cecilia!’) 4:09

Ode for St Cecilia’s Day, HWV 76 by George Frideric Handel
14. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (Overture: Larghetto e staccato – Allegro – Minuetto I – Minuetto II) 5:14
15. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘From Harmony’) 0:30
16. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘When Nature’) 2:54
17. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘From Harmony’) 3:17
18. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘What Passion Cannot Music Raise’) 10:12
19. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘The Trumpet’s Loud Clangor’) 3:12
20. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (March) 1:39

Disc 2:
1. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘The Soft Complaining Flute’) 6:28
2. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘Sharp Violins Proclaim’) 3:34
3. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘But Oh! What Art Can Teach’) 5:43
4. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘Orpheus Could Lead’) 1:29
5. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘But Bright Cecilia’) 0:54
6. A Song for St Cecilia’s Day (Ode À Sainte Cécile) (‘As From the Pow’r of Sacred lays’) 7:52

Missa Cellensis in honorem, H 22 no 5 “Cäcilienmesse” by Franz Joseph Haydn
7. Cäcilienmessemissa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Kyrie I’) 3:09
8. Cäcilienmessemissa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Christe’) 3:02
9. Cäcilienmessemissa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Kyrie II’) 2:51
10. Cäcilienmessemissa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Gloria In Excelsis Deo’) 2:37
11. Cäcilienmesse|Missa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Laudamus Te’) (‘Laudamus Te’) 3:35
12. Cäcilienmesse|Missa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Gratias Agimus Tibi’) (‘Gratias Agimus Tibi’) 2:49
13. Cäcilienmessemissa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Domine Deus’) 5:03
14. Cäcilienmessemissa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Qui Tollis Peccata Mundi’) 5:15
15. Cäcilienmesse|Missa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Quoniam Tu Solus Sanctus’) (‘Quoniam Tu Solus Sanctus’) 2:53
16. Cäcilienmesse|Missa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Cum Sancto Spiritu’) (‘Cum Sancto Spiritu’) 0:27
17. Cäcilienmesse|Missa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘In Gloria Dei Patris’) (‘In Gloria Dei Patris’) 3:03
18. Cäcilienmesse|Missa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Et Incarnatus Est’) (‘Et Incarnatus Est’) 8:33
19. Cäcilienmesse|Missa Cellensis In Honorem Beatissimæ Virginis Mariæ Hob. Xxii:5 1766 (‘Et Resurrexit’) (‘Et Resurrexit’) 4:36

Anders J. Dahlin (Tenor)
Lucy Crowe (Soprano)
Richard Croft (Tenor)
Nathalie Stutzmann (Alto)
David Bates (Countertenor)
Luca Tittoto (Bass)
Neil Baker (Baritone)

Regência: Marc Minkowski
Les Musiciens du Louvre
Choeur des Musiciens du Louvre

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Antonio Carlos Gomes (1836-1896) – A Música e o Pará (box 4 CDs) [link atualizado 2017]

175 anos do nascimento de Antonio Carlos Gomes

Este é o primeiro post deste que vos fala (espero que tudo saia correto, até eu aprender a usar as ferramentas direito…) e, lendo os valorosos comentários sobre a Missa de Nossa Senhora da Conceição, vimos (toda a equipe do pqpbach se reuniu e confabulou) que seria injusto privá-los da coleção completa de A Música e o Pará. Assim, continuamos nossas comemorações pelos 175 anos de Carlos Gomes (até julho do ano que vem ainda dá pra festejar sem sair do número cabalístico) com um pouco mais deste graaaaande compositor.

Esta é uma pequena caixa de 4 CDs.
O 1º CD, sobre as obras da juventude, mostra que Carlos Gomes (chamado lá nas terras campineiras de Nhô Tonico, assim íntimo, quase como um parente próximo para seus habitantes) já se destacava desde moçoilo. Suas obras iniciais não podem ser consideradas simples: percebe-se nas aberturas e prelúdios deste álbum um compositor completo, antenado com movimentos do exterior, especialmente da música italiana (que, como se pode ver nas peças de outros compositores brasileiros da Colônia, sofria-se certa influência do Lácio). Enquanto muitos ainda estavam ligados ao classicismo, Carlos Gomes arriscava elementos do romantismo, com uma orquestração mais limpa e dramática. A belíssima missa, composta aos 23 anos, também guarda seus traços românticos e operísticos.

O 2º CD, dedicado às canções, perpassa toda a existência de Tonico, mostrando várias fases do compositor. Carlos Gomes compôs cavatinas e modinhas durante toda a sua vida, com um pé na música erudita e outro em músicas mais populares de seu tempo, o mesmo que ocorreu a vários compositores posteriores a ele e contemporâneos seus, como Radamés Gnattali (que compunha choros e peças orquestrais ao mesmo tempo) e Schubert… Eram músicas de salão, geralmente executadas em festas da alta sociedade, mas, diferentemente da forma simples das modinhas daquele tempo, as de Carlos Gomes apresentam estruturas um pouco mais complexas e coloraturas mais difíceis para o intérprete, saindo do lugar-comum e aproximando-as de árias operísticas. Além disso, o rapaz era poliglota: há peças em português, italiano e francês.

o 3º CD da coleção “A Música e o Pará” busca fazer um panorama dos vários tipos de peças que o compositor produziu para piano. Cabe aqui uma reflexão: os longos anos de execução radialística diária da abertura d’O Guarani em “A Voz do Brasil” solidificaram no imaginário brasileiro (que a ouve todo santo dia às 19 horas desde 1934) uma ideia errônea e simplista de que Carlos Gomes é daqueles compositores de uma só obra ou, no máximo, o autor de apenas uma ópera importante que fez sucesso no exterior. A massificação da Protofania difundiu, com certeza, seu nome pelos grotões do país mas, por outro lado, associou-o tão unicamente àquela obra que acabou por prejudicar a imagem de Gomes como compositor completo que era. E ele foi muito mais que um compositor de óperas: teve expressiva produção de canções, modinhas, polcas, hinos, cantatas, missas e peças instrumentais para banda, cordas e piano. As obras pianísticas são, depois das canções, as que ele compôs em maior número. Aqui se poderáouvir marchas, hinos, polcas, valsas, etc. Carlos Gomes não foi, como se poderá ver, nenhum Chopin: não elaborou estudos nem explorou as técnicas e possibilidades do instrumento ao seu extremo, pois nem era esse seu intuito. Suas obras de piano são mais leves e menos engajadas na exploração do intrumento em si como expressão. Nove das 14 peças aqui selecionadas se prestavam a apresentações em festas e recepções da alta sociedade, mais intimistas, da mesma forma as canções do CD 2 desta coleção. Foram compostas para momentos de confraternização e congraçamento. Há ainda 5 marchas e hinos-marchas, mais sérias e ligadas a eventos maiores. Se vê, aí, que o mesmo Carlos Gomes que fazia música para pequenos acontecimentos e festas de amigos estava também presente com seu trabalho em grandes obras (óperas), acontecimentos públicos e missas, denotando sua habilidade e versatilidade compossitiva.

Já o 4º CD, e último volume deste box A Música e o Pará (tá certo, não é um box, mas é mais elegante dizer que é), finalmente traz excertos de peças que tornaram o compositor campineiro célebre: as óperas. Como vimos tentando deixar bem explícito, Nhô Tonico não foi apenas um compositor operístico, foi muito mais que isso, mas, admitamos, nessa categoria que ele mais se destacou. No fim, todos os quatro CDs do conjunto foram muito bem organizados, abarcando as vertentes nas quais ele mais se dedicou (peças orquestrais, religiosas, canções, peças para piano e… óperas) e dão um panorama bastante justo do que Carlos Gomes produziu de música durante sua vida e este CD, o derradeiro, vai, como não se poderia deixar de mostrar do compositor, apresentar várias árias (e um coro) que abrangem toda sua produção operística. Das nove óperas que compôs (se considerarmos o oratório Colombo dentro dessa categoria), seis estão aqui representadas. É, então, possível ver como Gomes era bom melodista: suas árias são muito bonitas: o belíssimo dueto de Ceci e Peri, Sinto uma força indômita, fica ecoando na mente por dias, e não são menos tocantes as belas Foram os anos de infância, ou Oh, come splendido e Pavera il primo fior, além do dramático coro em Morte.
As peças apresentadas não estão com acompanhamento orquestral, mas com o piano se desdobrando em muitos instrumentos e, claro, solistas de alta categoria nas melodias.

É importante que se tenha em conta que a captação de som não é das melhores, ainda mais em se tratando de apresentações ao vivo (pode-se perceber gente tossindo em alguns trechos), mas o time de intérpretes é muito bom e garante a fiel qualidade de execução das obras. E ainda, dada a dificuldade de encontrarmos gravações de Carlos Gomes, esta se torna ainda mais valorosa.

Bom, chega de bla-bla-blá! Conheçamos mais um pouco do Nhô Tonico!

A Música e o Pará
Antonio Carlos Gomes (Campinas, 1836-Belém, 1896)

CD 1 – Peças da Juventude
01. Prelúdio original da ópera Il Guarany
02. Abertura da ópera A noite do castelo
03. Intermezzo da ópera Joanna de Flandres
04. Prelúdio da opereta Se sa minga
05. Missa de Nossa Senhora da Conceição – 1. Kyrie
06. Missa de Nossa Senhora da Conceição – 2. Gloria
07. Missa de Nossa Senhora da Conceição – 3. Laudamus
08. Missa de Nossa Senhora da Conceição – 4. Domine Deus
09. Missa de Nossa Senhora da Conceição – 5. Qui tollis peccata mundi
10. Missa de Nossa Senhora da Conceição – 6. Qui sedes ad dexteram Patris
11. Missa de Nossa Senhora da Conceição – 7. Cum Sancto Spiritu
12. Missa de Nossa Senhora da Conceição – 8. Gloria

Leila Guimarães, soprano
Alpha de Oliveira, soprano
Jean-Paul Franceschi, tenor
Piero Marin, barítono
Orquestra do Festival do Centenário de Carlos Gomes
Andi Pereira, regente
Teatro da Paz, Belém, setembro de 1996.

CD 2 – Canções
01. Lo Sigaretto
02. Giulietta mia
03. Tu m’ami
04. Io ti vidi
05. Lontana
06. Fra cari genitori
07. Rondinella
08. Realtà
09. Addio
10. Canta ancor
11. La preghiera dell’orfano
12. Qui pro quo
13. Dolce Rimprovero
14. La regata
15. Suspiro d’alma
16. Bela ninfa de minh’alma
17. Quem sabe?
18. Mon bonheur
19. Foi meu amor um sonho (da ópera Joanna de Flandres)

Reginaldo Pinheiro, tenor
Paulo José Campos de Melo, piano
Teatro da Paz, Belém, setembro de 1996.

CD 3 – Peças raras para Piano
01. Llalayü (polka caratteristica) – Piano: Eliana Cutrim
02. Storiella Marinaresca – Piano: Lenora Menezes de Brito
03. Hymn for the first Centennial of the American Independence – Piano: Lenora Menezes de Brito, Flauta: Harley Rayol Rodrigues
04. Angelica (Schottisch) – Piano: Lenora Menezes de Brito
05. Bilboquet – Piano: Eliana Cutrim
06. L’orioulo (galope) – Piano: Eliana Cutrim, Sinos: Maria José Moraes
07. Piccola Polka – Piano: Lenora Menezes de Brito
08. La Stella brasiliana (valtz brillante) – Piano: Lenora Menezes de Brito
09. Spagnoletta – Piano: Eliana Cutrim, Castanholas : Vanildo Monteiro
10. Natalizio (Marcia Festosa) – Piano: Eliana Cutrim
11. Inno Marcia – Piano: Eliana Cutrim, Lenora Menezes de Brito
12. Marcha Nupcial – Piano: Eliana Cutrim, Lenora Menezes de Brito
13. Marcha Militar – Piano: Eliana Cutrim, Lenora Menezes de Brito
14. Hino Triunfal a Camões – Piano: Eliana Cutrim, Lenora Menezes de Brito

Eliana Cutrin, piano
Lenora Menezes de Brito, Piano
Teatro da Paz, Belém, setembro de 1996.

CD 4 – Trechos Líricos
01. Fosca – A miei disegni +Tu La vedrai negli impeti
02. Lo Schiavo – Sospettano di me + Sogni d’amore
03. Lo Schiavo – Alba dorata + O ciel di Parahyba
04. Colombo – Era um tramonto d’oro + Pavera Il primo fior
05. Salvator Rosa – Di stupore ho l’alma ripiena + L’accento Dell amor inebria
06. Joanna de Flandres – Foram-me os anos de infância
07. Lo Schiavo – Oh, come splendido + Come serenamente
08. Fosca – Orfana e Sola
09. Il Guarany – Sinto uma Força Indômita (transcr. para português)
10. Il Guarany – Morte

Leila Guimarães, soprano
Alpha de Oliveira, soprano
Adriana Queiroz, Soprano
Jean-Paul Franceschi, tenor
Piero Marin, barítono
Paulo José Campos de Melo, piano
Coro do Centenário
Teatro da Paz, Belém, setembro de 1996.

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (349Mb – 4CD)

Boa audição.

Bisnaga.

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!