Dmitri Shostakovich (1906-1975) – Violin Concerto No. 1 in A minor, Op. 99 e Violin Concerto No. 2 in C sharp minor, Op. 129

Achei por bem postar este maravilhoso CD, porquanto desde o momento em que pude ouvi-lo, fiquei absurdamente satisfeito. Traz os dois concertos para violino de um dos meus compositores favoritos – Shostakovich. A música de Shosta sempre foi geradora de um intenso mistério em mim. Existe um profundo senso trágico, de lamento, de dor velada, de angústia represada, talvez fruto de suas emoções incotidas; de seu silêncio aflito. Quiça eu possua um pouco do compositor soviético em mim. Shosta seria quem foi em qualquer lugar do universo. Li isso uma vez num texto escrito pelo Milton Ribeiro. Verifiquei que ele foi muito feliz nessa assertiva. De fato, em se tratando de Shostakovich, o regime soviético serviu apenas como um aspecto contigente em seu amâgo como ser histórico. O compositor se portaria como essa figura introvertida, silenciosa e de alma vulcânica, mesmo em outro país. Gosto muito dessas gravações da Naxos. A Naxos possui um charme curioso. Sinto-me compelido a postar tudo o que consigo dela. Um bom deleite!

Dmitri Shostakovich (1906-1975) – Violin Concerto No. 1 in A minor, Op. 99 e Violin Concerto No. 2 in C sharp minor, Op. 129

Violin Concerto No. 1 in A minor, Op. 99
01. I. Nocturne
02. II. Sherzo
03. III. Passacaglia
04. IV. Burlesque

Violin Concerto No. 2 in C sharp minor, Op. 129
05. I. Moderato
06. II. Adagio
07. III. Adagio – Allegro

Polish National Radio Symphony Orchestra (Katowice)
Antonio Wit, regente
Ilya Kaler, violino

BAIXAR AQUI

Carlinus

0 comments / Add your comment below

  1. “Em se tratando?”…

    Tens toda a razão, Carlinus. Também amo Shostakovich, é uma das melhores músicas que já ouvi. Não sei, a música dele tem tanto mistério, tanto sentimento, que chega a ser absolutamente mágica. O início da oitava sinfonia, por exemplo, é eletrizante, nos prende. Nem consigo descrever a minha sensação ao ouvir sua música. Ótima postagem! Ah, não se irrite que eu te corrija, às vezes eu não consigo me segurar. Talvez eu seja muito detalhista.

  2. Eu sei que não tem a ver com a postagem (nem um pouquinho), mas eu comprei um cd do Fausto Romitelli que tava difícil de achar na internet e é SENSACIONAL, principalmente se você gosta de guitarra (o que eu sei não ser o caso de muita gente por aqui, mas enfim). Romitelli, que estudou com Franco Donatoni e no IRCAM, é um compositor que abraçou o rock em toda sua agressividade e o mundo “digitalizado, filtrado e distorcido”* sem perder o controle do seu artesanato espectral de altíssima qualidade. Destaco Professor Bad Trip III (ensemble amplificado) e Trash Tv Trance (guitarra solo). O resultado é DO CACETÍSSIMO.

    Professor Bad Trip:
    http://www.4shared.com/zip/WRkcQp0M/Fausto_Romitelli_-_Professor_B.html

    Do encarte: “Ever since I was born, I have been immersed in digitalised images, synthetic sounds, artefacts. Artificial, distorted, filtered – this is the nature of man today.”

  3. Caracas, parentada do Bach, vcs me viciaram em shosta!!!!!! estou baixando tudo, na sequencia, e abandonando minha verve francesa. adieu, satie. preciso de carne, sangue e vodka, vou aos russos!

Deixe uma resposta