Wilhelm Friedemann Bach (1710-1784): Concertos para Cravo

E esse aí, cuja foto publico abaixo, era o filho predileto de papai. Tornou-se alcoolista e perdeu ou vendeu cerca de 100 Cantatas do velho. Ficou na história como uma espécie de vilão. Mas é um estigma injusto, pois foi um excelente compositor, como comprovam estas boas gravações antigas de Haudebourg e Redel. Tinha-as em vinil e acho que datam dos anos 60 ou 70. Redel ainda está vivo aos 94 anos e Haudebourg devia ser uma menina na época destas gravações.

Bom disco. Ah, CD duplo em um só arquivo, OK?

Wilhelm Friedemann Bach (1710-1784): Concertos para Cravo

1. Concerto n°1 en ré majeur : Allegro, Falk. 41 7:13
2. Concerto n°1 en ré majeur : Andante, Falk. 41 6:41
3. Concerto n°1 en ré majeur : Presto, Falk. 41 5:09

4. Concerto n°3 en mi mineur : Allegretto, Falk. 43 9:03
5. Concerto n°3 en mi mineur : Adagio, Falk. 43 9:44
6. Concerto n°3 en mi mineur : Allegro assai, Falk. 43 5:53

1. Concerto n°4 en fa majeur : Allegro ma non troppo, Falk. 44 9:20
2. Concerto n°4 en fa majeur : Adagio molto, Falk. 44 10:19
3. Concerto n°4 en fa majeur : Presto, Falk. 44 5:57

4. Concerto n°5 en la mineur : Allegro molto moderato, Falk. 45 5:40
5. Concerto n°5 en la mineur : Larghetto, Falk. 45 5:02
6. Concerto n°5 en la mineur : Allegro ma non molto, Falk. 45 6:27

Brigitte Haudebourg
Orchestre Pro Arte
Kurt Redel

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (RapidShare)

Meu irmão alcoolista Wilhelm Friedemann Bach

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

0 ideias sobre “Wilhelm Friedemann Bach (1710-1784): Concertos para Cravo

    • O duro é que ele tem mesmo uma cara de bêbado, fala sério… Vai ver ele aproveitava os momentos de grogue para ter ideias musicais. Ou o contrário? De qualquer jeito, boa postagem (tá inspirado hoje, hein PQP)!

  1. Pena que ser alcoolista não é exatamente garantia de ser um grande músico. Senão eu estaria feito!

    É, o WF tem mesmo um rostinho descontraído de espertalhão, rufião e alcoolista. Mas gosto muito dele, creio que é o mais personalista da prole bachiana, sem querer diminuir um CPE, é claro.

    Me atrai muito esse estilo de transição do contraponto germânico para as harmonias italianas clássicas.

    Baixando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *