P. I. Tchaikovski (1840-1893): Abertura Romeu e Julieta & Suíte Quebra-Nozes

Olha, eu não gostava de Tchaikovski, eu chegava a desprezá-lo. Talvez fosse por influência de Otto Maria Carpeaux, lido há milênios, ou por desconhecer a obra do russo. Porém, sempre fui tarado pela música de Shostakovich. Quando FDP Bach postou todas as sinfonias do Tchai, ouvi-as por uma simples razão:

Eu confio no gosto de FDP Bach,
FDP Bach gosta de Tchaikovski,
Será que esse negócio de não gostar de Tchai não é uma pose adquirida por aí?

E o fenômeno aconteceu, deu-me o estalo. Ouvindo atentamente as sinfonias de Tchai, eu reconheci nelas várias sementes, várias idéias que seriam desenvolvidas nas sinfonias de Shosta nelas. Ou seja,

Eu amo Shosta
Shosta ama Tchai
Deveria eu amar Tchai?

Hum… A resposta hoje é: sim! Ouçam a Abertura de Romeu e Julieta. Há ali todo um Shostakovich a ser amadurecido, ali está a alma russa e as melodias russas segundo Shostakovich. Resultado: não falo mais mal de Tchaikovski. Confiram! Ouçam a Abertura Romeu e Julieta e digam-me se não há nela um Shosta mais meloso, mais delicado. Hein? Hein? Ah, e Shostakovich adorava Tchaikovski, há comprovações por todo lado. Porém, tal amor nunca foi tão tangível para mim antes de ouvir a citada Abertura.

Tchaikovsky: Abertura Romeu e Julieta & Suíte Quebra-Nozes

01 Romeo and Juliet – Fantasy Overture after Shakespeare

The Nutcracker

02 Suite from the ballet Op.71
03 Marche – Tempo di marcia viva
04 Danse de la Fee Dragee – Andanate non troppo
05 Dance de Trepak – Tempo di Trepak, molto vivace
06 Dance arabe – Allegretto
07 Dance chinoise – Allegro moderato
08 Dance des mitlitons – Moderato assai
09 Valse des fleurs – Tempo de valse

Berlin Philharmonic Orchestra
Herbert von Karajan

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

PQP

23 comments / Add your comment below

  1. Faço minhas as suas palavras, caro PQP. Carpeaux tem um poder de persuasão que às vezes é perigoso. Quando Tchaikovsky acerta a mão, como no caso de Romeu e Julieta, fica evidente porque os russos amam tanto seu compositor favorito. Ouça também a Marcha eslava op.31 e Francesca da Rimini, é o Shostakovich do século XIX.

  2. Amigo PQP

    Realmente se fossemos pelo Otto, acharíamos que Beethoven criava suas obras com esforço extremo pois não tinha inspiração, era um “operário” que moldava sua arte à força, francamente não?
    Aproveito caro amigo para sugerir que ouça a serenata para cordas ou o trio piano OP.50 de tchaikovsky, são fantásticos.

    abraço

  3. Relembrei os velhos tempos, Tchaikovsky foi o primeiro compositor depois de Bach que me fascinou, foram muitas audições de um albúm discreto achado no 4 Shared pelo nome de: “Album pour Enfants 0q cantosencantos 1” era um disco rápido apresentando apenas 19 minutos de duração mais o sulficiente para procurar mais e mais as obras de Tchakóvsky.
    Belo post caro P.Q.P, seu blog é responsável pelo boa trilha sonora de minha vida; Muito Obrigado.

  4. Francesca da Rimini é o poema dele que mais gosto, é sensacional.

    1812 é perigosa, tem muita gravação tosca dela, eu só gosto das gravações de Paavo Järvi e principalmente Colin Davis. O hino cantado pelo coro da um ‘clima’ de vitória muito mais convincente.

  5. O Stravinsky disse ao Robert Craft que decidiu que iria ser compositor quando foi assistir ao Quebra-Nozes, isso quando tinha uns sete anos. Definitivamente Tchaikovsky é tudo o que a época pedia, o romantismo à flor da pele – uma pena ter sido vítima da homofobia, pois está comprovado que cometeu suicídio para não ser enviado à Sibéria por ser homossexual, ou como cvl diria, um donzelo.
    Lembro da Suite Quebra Nozes compartilhar A Sagração da Primavera no filme Fantasia, de 1940, de Walt Disney, com Leopold Stokovsky na frente – muitos músicos, assim como Stravinsky, assistiram Tchaikovisky aos sete anos e ficaram sensibilizados. AAAAAHH!, e outra: Esta abertura de Romeu e Julieta tem uma versão para piano digna de ser escutada.

    1. Não ponha palavras em minha boca. “Donzelo” só quer dizer homossexual em sua cabeça afetada, porque como pilhéria “donzelo” quer dizer homem imaturo. Porém, se você se sente ofendido, recomendo procurar amparo na Lei Maria da Penha.

  6. Me parece que existe dois Tchaykoskis, primeiro, o alegre e superficial que nos é apresentado através da mídia e das orquestras americanas e um segundo, profundo, com inúmeras camadas de beleza e significado, que me parece ser o Tchaykoski verdadeiro, como os russos o sentem, e Shostakovish o sentiu.
    Às vezes, demoramos para conhecer o Tchaykoski profundo, ainda mais se escutarmos frequentemente gravações de orquestras americanas que tratam Tchaykovski como um alegre compositor russo romântico.

  7. Hola! (soy nuevo)(aquí)
    Tampoco a mi me gustaba Tchaikovski, por prejuicio-snobismo-inmadurez, y sobre todo por ignorancia, porque apenas habia oido más que el Cascanueces (las setas bailando en la peli de Disney) y doscientasmil veces el mismo trocito de el lago de los cisnes. Ahora nunca me defrauda, y uno de los momentos que nunca olvidaré (mientras conserve la memoria) y aún me ponen los pelos de punta es el final de una Patética dirigida por Gergiev, en directo.

    He descubierto este blog hace poco, y estoy acabando de repasarlo-expoliarlo de fin a principio. Debo decir tres cosas, de menos a mas:
    1.- Creo que las Goldberg de Hantai a que remite el link de Amazón corresponden a una version nueva, distinta
    2.- No pretendo discutir la filiacion del autor de este blog, pero no sé como hacerla coincidir con mi convicción:
    Bach (JS) = Dios Padre
    Beethoven = Dios Hijo
    Una legión inmensa y difusa = Dios Espíritu Santo
    3.- Este es el blog más divertido, entretenido, instructivo y hasta emocionante, es decir, el más artístico, que he visto nunca. Felicidades y Gracias

    Traduccion (lo siento: reclamaciones al Sr. Google.)

    Traducción (sorry: Sr. Google créditos.)

    Olá! (Sou novo) (aqui)
    Também não gosto de Tchaikovsky, de viés-esnobismo-imaturidade, ignorância e, acima de tudo, só porque ele tinha ouvido mais do que o quebra-nozes (cogumelos dança no filme da Disney) e doscientasmil vezes a mesma peça do Lago dos Cisnes . Nunca me desilude, e um desses momentos que eu nunca esquecerei (mantendo a memória) e eu ainda ficar horripilante patético é o final de uma corrida por Gergiev, viver.

    Descobri este blog recentemente, e estou a esgotar-se de ir sobre-exploração de um final de partida. Digo, em menos de três coisas:
    1 .- Eu acho Goldberg Hantai encaminhando o link para a Amazônia é uma nova versão, diferente
    2 .- Não se nega a paternidade do autor deste blog, mas eu não sei como fazer isso coincidir com a minha convicção:
    Bach (JS) = Deus o Pai
    Beethoven = Deus o Filho
    Uma legião grande e difuso = Deus o Espírito Santo
    3 .- Este é o blog mais engraçado, divertido, instrutivo e emocionante, mesmo, isto é, o mais arte que eu já vi. Parabéns e obrigado

  8. O maior perigo deste livro do Carpô é que ele mistura as informações fundamentadas com as opiniões, de modo que as opiniões dele passam por fatos objetivos sobre o compositor. E o cara escrevia bem que nem o diabo. Daí, a gente termina de ler o livro achando que Händel, Tchaikovsky, Strauss e até Shostakovich foram um bando de retardados que, salvo raríssimas exceções, só produziram lixo.

    Tenho um amigo na mesma situação – ele abomina Tchai por causa do Carpeaux.

    Mas tem 2 capítulos de que gosto bastante: o que fala deHaydn, em que Carpô o põe no seu devido lugar (ao lado de Beethoven, e não embaixo); e o sobre Schönberg.

    Ah, sim: sugiro também, PQP, que você ouça o sexteto de cordas “Souvenir de Florence”, de preferência em versão para sexteto mesmo (quase impossível de achar). Eu só escutei nessa versão duas vezes: no rádio e naquele festival de música de câmara que o Alex Klein organizou em Sampa.

  9. Venho por meio deste comentério informar que o download está bloqueado. Peço encarecidamente que se possível for, que tentem resolver pois estou muito ancioso pra baixar esteá cd. Obrigado !!!

  10. Amo Tchai.
    Aliás, o chamo assim desde pequeno, lá em casa (é sério). Tchai tem o dom de fazer melodias tão perfeitas que se tornou conhecido e pop demais pelo mundo afora e, por isso, muitos torcem o nariz quando se fala dele, como se sua música fosse menor.
    Tchaikovsky é de uma imponência e de uma envolvência que poucos conseguem e é, com toda certeza, a porta de muitos que se enveredam pela música erudita, o início para os que se jogam em drogas mais pesadas, densas e viciantes (como Shosta, por exemplo).
    Tchai semeia o campo…
    E como sua música é boa…

  11. Já eu sempre gostei de Tchaikovsky (ou Tchai, como queiram). O seu concerto para piano n. ° 1, então, aquele primeiro movimento… Me dá até arrepios pela beleza. Taneyev, postado e estreado aqui uns tempinhos atrás, era discípulo de Tchaikovsky, e sua música também é boa como a dele. Os russos são mesmo exímios orquestradores, isso li aqui mesmo em um dos comentários uma vez e assino embaixo.

Deixe uma resposta