Witold Lutoslawski (1913-1994): Concerto for Orchestra / Jeux Venitiens / Livre pour Orchestre / Mi-Parti


Não há nada mais complexo e difícil que ouvir. Quando paramos de falar (um grande passo, aliás), não necessariamente paramos para ouvir. A mente continua sua tagarelice até entrar em uníssono com o interlocutor. Para os mais incontidos, frases rápidas são exclamadas para ressaltar as idéias do outro (que na verdade são também do ouvinte). No fim, tudo continua como começou. O prazer que sentimos na concordância desfaz qualquer possibilidade de aprendermos algo diferente.

A música, no entanto, nos faz aprender um bocado sobre essas deficiências. Ouvindo a música de Haydn, por exemplo, consigo ver minhas limitações, principalmente quando o mestre me prega aquelas surpresas: tudo levando a um caminho e, pronto! Dou de cara com um caminho inusitado e nunca imaginado por mim. No futebol, a experiência foi a mesma. Lembro de ter sido um jogador razoável na minha infância, mas ficava puto da vida com os dribles que um fedelho me dava. Ouvir, assim como viver, é confrontar nossas fraquezas. E quem está disposto a isso com frequência?

Outro compositor que mostra muito como é limitada minha imaginação é o polonês Witold Lutoslawski. Sua linguagem não é fácil, mas tem uma unidade e coerência que ajuda o ouvinte a seguir adiante. No fim tenho a sensação de que ganhei muito com meu silêncio.

Witold Lutoslawski (1913 – 1994): Concerto for Orchestra
/ Jeux Venitiens / Livre pour Orchestre / Mi-Parti

1. Con: I. Intrada (Allegro Maestoso)
2. Con: II. Capriccio, Notturno E Arioso (Vivace)
3. Con: III. Passacaglia, Toccata E Corale (Andante Con Moto – Allegro Giusto)
4. Jeux Venitiens
5. Livre Pour Orchestre
6. Mi-parti

Performed By Polish Radio NSO
Witold Lutoslawski

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

dsdsd
Lutoslawski: imaginativo e original

CDF

19 comments / Add your comment below

  1. Que maravilha de disco! Todas as obras são espetaculares. O Concerto para orquestra é significativo da fase inicial de Lutoslawski, ainda meio neo-clássico, muito ligado ao modo de Bartók. Os “Jogos venezianos” são o ponto de mutação na carreira de Lutoslawski, quando ele abraça o princípio aleatório. E as demais peças são da plena maturidade do compositor, com experiências aleatórias e harmonia bem instável (até flertes com microtonalidade). O “Livro para orquestra” é maravilhoso, um fluxo único recortado em “capítulos” contrastantes. E “Mi-Parti” representa muito bem a técnica lutoslawskiana de obra binária, uma parte indecisa, estática, e outra plenamente desenvolvida e dinâmica, elástca. É genial. Lutoslawski está entre os gigantes da segunda metade do século 20, sem sombra de dúvida.

  2. Sr. PQPbach.
    Â um ano e pouquino venho a participar( e a comprar mais dois HD’s) e a conhecer melhor o seu blog. Percebi que muitos aqui não são fães de Dvorak nem de Poulenc.
    É uma pena que eu não tenha disponível tempo para fazer comentários, pois passo o dia inteiro na rua, aliás que faz os downloads para mim é minha sobrinha. e eu quando chego a noite passo para o meu iPod e fico escutando as postagens do dia anterior, mais tudo bem, vamos ao que interessa.
    Gostaria de pedir encarecidamente se vc tem as famosas Sonatas de Poulenc. A sonata para clarineta, sonata para oboé, para clarineta e fagote, para duas clarinetas e enfim……( aliás a sonata para clarineta e piano é a prova para a faculdade de música da UFRJ da qual eu estou estudando para ingressar rs)
    A algum tempo tenho procurado essas gravações e não acho, será que vossa majestade ( risos ) tem como postar elas aqui no blog ?
    Desde já fico agradecido por ter esse blog que faz um tremendo bem a sociedade brasileira.

    Atenciosamente
    Gabriel dela Clarimbeta

  3. Que blog incrível!!! Conheci seu pai aqui e através do violino de Akiko Suwanai num post anterior… Jamais onde moro teria oportunidade de acesso a tamanho tesouro!
    Estarei sempre aqui me alimentando. Chega de ração barata!
    Vida longa ao PQP Bach e família!

    Lion Dudic.

  4. Consta que Austregésilo de Ataide, já presidente da Academia Brasileira de Letras, muito atrasado para uma cerimônia na ABL, resolveu pegar um táxi já devidamente paramentado, para não perder tempo no vestiário da ABL.

    No meio do caminho o taxista, já muito curioso com aquela figura toda paramentada, pergunta:

    – Sois rei?

  5. Muito obrigado Sr. PQPbach e ao Stravinsky, caso não conheçam, tem essas obras no youtube, mais a qualidade do som do youtube é uma bosta, convenhamos

  6. Sim vossa majestade P.Q.P.Bach 😀 (risos)
    Pode deixar, vou avisar que o pessoal aqui é linha dura, da pesada – eauiheiauheiuaheiuaheiuaheiuaheiauheai.
    Realmente acho que elogios a esse blog, são infinitamente associáveis, mais realmente acho que o sr.PQP mais os seu colaboradores fazem um bem para a sociedade, só pelos simples fato de oferecerem ao mundo todo a oportunidade de conhecer o mundo mágico e fascinante da musica.
    Obrigado a todos vcs por me fazerem comprar mais dois HD’s e por me proporcionarem um pouco de cultura todo santo dia. Obrigado mesmo.

Deixe uma resposta