Antonín Dvořák (1841-1904): Sinfonia nº 9 “do Novo Mundo”; Bedřich Smetana (1824-1884): Vltava (Karajan) [link atualizado 2017]

CD lindão, heim !

Se tem uma coisa que Herbert von Karajan fazia bem, era conduzir obras de compositores do romantismo. Creio que ele gostava mesmo daquelas orquestras enormes, do grande volume de som e do grande poder que emana da reunião de tanta gente junta para produzir uma mesma peça. Se pensarmos nisso, é uma coisa extraordinária, mesmo, não?

Nervosão, o maestro austríaco conseguia extrair da orquestra um vigor retumbante. Aqui ele comanda a Sinfonia nº 9 de Dvořák, talvez uma das sinfonias mais conhecidas do mundo, de fama merecida, pela força que emana da obra e a brilhante orquestração de Dvořák. Depois, para não ficar um CD curtinho e dar mais de uma hora de gravação, acrescentou-se do compositor conterrâneo (tcheco) contemporâneo, Smetana, a estonteantemente bela Vltava, na qual Smetana descreve o percurso do Rio Moldávia, que corta a República Tcheca, como se o rio narrasse o que vê pelo caminho que percorre.
Um passeio musical!

E como eu não poderia deixar de recomendar: Ouça, ouça! Deleite-se!

Dvořák, Smetana

Antonín Dvořák (1841-1904)
Sinfonia nº 9 em Mi menor, “do Novo Mundo”
01. I. Adagio – Allegro molto
02. II. Largo
03. III. Scherzo: Molto vivace – Poco sostenuto
04. IV. Allegro con fuoco
Bedřich Smetana (1824-1884)
05. Vltava, de Ma Vlast

Orquestra Filarmônica d eBerlim
Herbert von Karajan, regente
Berlim, 1977

CLIQUE AQUI – DOWNLOAD HERE (128Mb)

Seja legal e bonzinho com a gente!
Não nos deixe sós: comente!

Bisnaga

17 comments / Add your comment below

    1. Estranho…
      Eu conferi os arquivos e está tudo normal.
      Mas se você utilizar a função “gravar CD de música” em qualquer programa, ele deve converter os arquivos para que o CD se torne um Cd de áudio e não de dados, e tocar no seu aparelho de som…

      1. Caro Bisnaga
        Realmente cometi um equívoco e agora consegui gravá-lo. Karajan em um dos melhores momentos de sua brilhante carreira.
        Grato por tudo. Um forte abraço do Dirceu .

  1. …não sei se é por falta de costume meu não ouvir as primeiras de Dvorak, mas as 03 ultimas são incríveis. Como flautista, me arrepio toda a vez que ouço os primeiros compassos de Vltava.

  2. Tenho uma excelente gravação de MA VLAST completa com o maestro Vladimir Fedoseyev. Creio que a gravação do maestro russo passa melhor o espírito eslavo de Smetana, mas a versão do MOLDÁVIA (VLTAVIA é a parte mais bela de MA VLAST) regida por Karajan é realmente linda. Quanto a NONA de Dvorák, a versão gravada do Karajan é uma das melhores, se não for a melhor de todas, desta obra tão famosa quanto subestimada (pelo menos pela parte mais “careta” da crítica). Creio que Dvorák foi até mais importante para a música clássica norte-americana (onde se radicou) do que para a européia. Aproveito para perguntar o motivo de Fedoseyev e Andrei Anikhanov (tenho ótimas gravações deles regendo Smetana, Prokofiev e Tchaikovsky com um toque eslavo mais fiel a estes compositores do que a maioria das regências de maestros ocidentais) não estão presentes no PQP BACH? Eles não são considerados maestros excelentes? Bem, no meu julgamento pelo menos as poucas gravações que eu possuo deles são de alto nível, sendo um prazer ouvir uma música de compositor eslavo regida com brilho por um maestro eslavo. Também proponho uma singela homenagem a um maestro de 2ª linha (não poucos o tem como de 3ª). Tenho boas gravações do maestro Anton Nanut regendo obras de compositores eslavos, mas suas gravações de autores ocidentais perdem para as dos maestros de 1ª linha. Mas acho que este bom e sólido maestro merece ser homenageado pelo motivo dele ter gravado muitíssimos CD’s baratos (mas predominantemente de bom nível, sendo pelo menos mediano nos momentos menos felizes) regendo obras de uma grande variedade de grandes compositores. Estes CD’s baratos de Anton Nanut introduziram, com qualidade, a boa música clássica na vida de muitas pessoas de pouco poder aquisitivo, mas de muito bom gosto musical. Certamente todo brasileiro pobre (os que o IBGE chama de “Classe Média” só por não serem miseráveis) que gosta dos clássicos possui CD’s do maestro Nanut. Anton Nanut fez muito mesmo pela divulgação da música clássica, sendo merecedor de reconhecimento pelo meio musical. Um grande abraço.

  3. Bisnaga, não sei o que aconteceu. Reparei que acabaram aparecendo várias versões da minha resposta a este post do Karajan. Não sei se alguém de casa os enviou sem reparar ou foi erro meu mesmo. De qualquer forma, vale o último enviado realmente por mim, podendo ser deletados os anteriores. Quanto ao envio dos poucos CD’s que tenho de maestros russos regendo obras de Smetana, Prokofiev e Tchaikovsky para o seu e-mail, vou ver se eu consigo. Confesso que não sou exatamente uma sumidade em informática, embora seja bom no uso do Photoshop, sendo eu mais um autodidata interessado mas meio “bagunçado”.
    Desculpe as mensagens repetidas e um abraço.

    1. Essas repetições podem ser vírus, hackers provocando spans…
      Vou apagar e deixar uma só.
      E, se quiser/puder, me envie, sim, serei grato por isso! 🙂

  4. Por favor: Você pode validar este link? Esta gravação de Dvorak e Smetana por Karajan foi muito importante para mim, e eu quero tê-lo novamente. Não é apenas um excelente álbum; É também importante na minha história pessoal. muito obrigado, Muchas gracias, amigo

Deixe uma resposta