Aaron Copland (1900-1990) – Concerto For Clarinet, Leonard Bernstein (1918-1990) – Prelude, Fugue & Riffs, Morton Gould (1913-1996) – Derivations For Clarinet And Band, Artie Shaw (1910-2004) – Concerto For Clarinet, George Gershwin (1898-1937) – Summertime, They all Laughed, The Man I Love, I Got Rythm – Sharon Kam, LSO, Gregor Bühl

411Lrl-pL3LNeste quarto cd da coleção, Sharon Kam mostra seu talento e versatilidade em um repertório exclusivo de compositores norte-americanos do século XX. Uma belezura, nem precisaria dizer mais.
Começando com o belo Concerto for Clarinet & String Orchestra, de Aaron Copland e terminando com arranjos de canções de Gershwin para o clarinete, Kam nos deixa encantados com sua versatilidade, sensibilidade e delicadeza nas passagens mais delicadas, como o primeiro movimento da obra de Copland, e ainda nos brinda com toda a sua técnica e maestria em todo o cd. Uma musicista completa, sem dúvida alguma.

01 – Aaron Copland – Concerto For Clarinet and String Orchestra, with Harp and Piano
02 – Leonard Berstein – Prelude
03 – Leonard Berstein – Fugue
04 – Leonard Berstein – Riffs
05 – Morton Gould – Derivations For Clarinet And Band – Warm-Up
06 – Morton Gould – Derivations For Clarinet And Band – Contrapontual Blues
07 – Morton Gould – Derivations For Clarinet And Band – Rag
08 – Morton Gould – Derivations For Clarinet And Band – Ride-Out
09 – Artie Shaw – Concerto For Clarinet
10 – George Gershwin – Summertime (arr. Gregor Bühl)
11 – George Gershwin – They All Laughed (arr. John Cameron)
12 – George Gershwin – The Man I Love (arr. John Cameron)
13 – George Gershwin – I Got Rythm (arr. John Cameron)

Sharon Kam – Clarinet
London Symphony Orchestra
Gregor Bühl – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

3 comments / Add your comment below

  1. E o quinto CD, com a primeira gravação mundial do concerto para clarinete do Penderecki, regido por ele? E mais Penderecki, e ainda o Lutoslawski… Tá recém chegando? Tu não podes deixar teu primo gaúcho na mão…
    Buenas,
    C.H.E. Bach
    P. S. – Mas bach, tchê, teu saite é flor de bom!

      1. P.Q.P., bagual, mil gracias! Não te apoquentes por ter-me arriado pra cima de ti, foi de arreganho. Campeio os pagos da rede e não tem paradeiro como a tua querência. Estás patrão, tchê, barbaridade!
        Lo más de bueno
        C. H. E. Bach

Deixe uma resposta