Paul Hindemith (1895-1963): Quartetos de Cordas Nros 2 e 3

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Na minha opinião, Paul Hindemith é uma espécie de rei de um gênero raro — o música de câmara moderna contrapontística. Guardadas as proporções, é um barroco no século XX. Adoro suas composições, cada vez mais gravadas e presentes no repertório da música erudita do hemisfério norte. Ele escreveu sete Quartetos de Cordas, os quais refletem a experiência e a segurança prática de um grande violinista e, mais tarde, violista. Coisa ainda mais rara, ele encarou a viola não como um castigo. O Quarteto No 2 foi escrito em 1918, enquanto ele era um soldado na ativa. Sim, participou da 1ª Guerra Mundial. É uma música dinâmica e enérgica, com uma engenhosa série de variações que parodiam os excessos românticos. Claro, tem um final virtuosístico. O Quarteto No 3 é de 1920 e foi muito bem sucedido quando de seu lançamento. É um exemplo emocionante da imaginação concisa de Hindemith. Este quarteto apaixonado, com seu riquíssimo material, é uma das suas obras-primas de sua música de câmara.

Paul Hindemith (1895-1963): Quartetos de Cordas Nros 2 e 3

String Quartet No. 2 in F Minor, Op. 10
1. I. Sehr lebhaft, straff im Rhythmus 00:06:15
2. II. Thema mit Variationen: Gemachlich 00:10:32
3. III. Finale: Sehr lebhaft 00:16:26

String Quartet No. 3 in C Major, Op. 16
4. I. Lebhaft und sehr energisch 00:10:28
5. II. Sehr langsam – Ausserst ruhige Viertel 00:13:09
6. III. Finale: Ausserst lebhaft 00:07:49

Amar Quartet

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Outra raridade: uma foto de Hindemith com cabelo, em 1923, aos 28 anos.
Outra raridade: uma foto de Hindemith com cabelo, em 1923, aos 28 anos.

PQP

2 comments / Add your comment below

  1. Prezado PQPBach,
    Muitíssimo obrigado pela MAGISTRAL postagem.

    Deve ser lembrado que a música de compositores como Stravinsky, Hindemith, Martinu, Milhaud, Villa-Lobos, Shostakovich, Weinberg, Britten, Honneger, os sinfonistas norte-americanos, como Roy Harris, Willian Schuman, Walter Piston, foi chamada, e é conhecida como ‘neoclássica’; entretanto um termo mais abrangente e lógico seria ‘neotonal’.
    O mais sistemático dos novos estilos tonais, foi justamente desenvolvido por Hindemith. Sua obra emerge da linha da Europa Central , essencialmente da tradição de Max Reger (não devemos nos esquecer que em uma carta à Zemlisky em outubro de 1922, Schoenberg disse considerar Reger um gênio).
    A obra de Hindemith segue a tradição de Reger, que ampliou a faixa cromática com uma incrível sabedoria contrapontística; nesse sentido Hindemith pode ser considerado um herdeiro direto de Reger.
    Até o fim de sua vida Hindemith permaneceu um contrapontista.
    Mais uma vez, muitíssimo obrigado!
    Ouso fazer um pedido: se possível, não deixe de postar o restante dos quartetos!

Deixe uma resposta