Antonio Salieri (1750-1825) – Concerto para pianoforte em Si bemol maior, Concerto para flauta e oboé em Dó maior (REVALIDADO)

617birm6BaLREVALIDADO POR VASSILY  EM 4/8/2015

Em mais uma ação surpreendentemente ágil de nosso SAC, eis o CD com obras de Antonio Salieri cujos links tinham sido perdidos no naufrágio do Megaupload. A verve de Claudio Scimone e seus Solisti Veneti valoriza as obras desse bom compositor. Paul Badura-Skoda, como esperado, brilha ao pianoforte e mostra que merece outras aparições aqui no PQP Bach. Lembro, aliás, duma aparição sua com a Orquestra Sinfônica de Dogville, nos idos anos 80: uma ave-do-paraíso solando com javalis.

Ah, o tal Francesco Salieri que compõs a Tempesta del Mare que completa o álbum foi o irmão mais velho de Antonio e, também, seu primeiro professor.

Vassily

POSTAGEM ORIGINAL DE CARLINUS EM 30/8/2010

Salieri foi um importante músico à sua época. Cabe ainda ao compositor a honra de ter sido professor de Liszt, de Schubert e Beethoven. Reinou absoluto em seus dias. Suas peças tomaram os salões da Europa. Foram reverenciadas, apreciadas. Era o compositor oficial da Corte do príncipe José II da Áustria. Hoje, não se dá o mesmo crédito a Salieri como se dá a Mozart ou a Haydn, por exemplo. Em torno do compositor gravitam as mais questionáveis fábulas. Após o filme Amadeus (1984), que ganhou 7 oscares, há a retratação de um Salieri invejoso do génio de Mozart e medíocre musicalmente. Tal imagem é resultante da liberdade ficcional dos realizadores do filme, não correspondendo à figura histórica do compositor. Potocas à parte, o fato é que ainda não conhecia as obras deste delicioso CD. Aparece ainda o desconhecido Francesco Salieri. Boa apreciação!

Antonio Salieri (1750-1825) – Concerto para pianoforte e Orquestra in B flat major, Concerto para flauta, oboé e orquestra em C maior

Concerto for Fortepiano and Orchestra, B-flat major
1. Allegro moderato
2. Adagio
3. Tempo di Minuetto

Concerto for Flute, Oboe, and Orchestra, C major
4. Allegro spirituoso
5. Largo
6. Allegretto

Francesco Salieri (1741-?) – Sinfonia “Tempesta di Mare” em B flat maior

Sinfonia “La Tempesta di Mare”, B-flat major

7. Allegro
8. Andante
9. Allegro assai

I Solisti Veneti & Claudio Scimone, Director
Paul Badura-Skoda, pianoforte
Clementine Hoogendoorn, flute
Pietro Borgonovo, oboe

BAIXAR AQUI – DOWNLOAD HERE

Carlinus

18 comments / Add your comment below

  1. Curiosamente o Vivaldi também compos uma tempesta di mare. Será que tem relação? nao ouvi a obra ainda, como estou baixando outra obra de brahms no site, vou ter que esperar um cadinho, mas assim que ouvir espero poder ver se há relação…

    abraços

  2. tinha um conceito muito diferente em relação a Salieri, mas depois de hoje..pois é, é o que dá quanod ficamos enfadados a ver e aceitar coisas q a midia coloca como visão propria e talvez até por conveniencia ou algo pessoal…

  3. Pois é, Sidney, como fomos influenciados pelo filme… confesso que acreditei naquela versão e ignorei Salieri por muito tempo, mas depois de ler algumas críticas mais sérias, fui atrás e encontrei um compositor muito compenetrado, técnico, e que tem muito a nos mostrar. Paul Badura-Skoda é um grande intpérprete, suas gravações em pianoforte das sonatas de Mozart e de Beethoven são referência. Qualquer hora destas posto aqui.

  4. Estou tendo problemas ao descompactar o arquivo, só consigo extrair os dois primeiros movimentos do concerto. Alguem mais teve problemas?
    De qualquer modo, ouvi os dois movimentos e achei a música de Salieri deliciosa. Confesso que não esperava muito dele depois que o vi tão jocoso em Amadeus. Vejo que me enganei por muito tempo. Isso é para eu aprender a não confiar demasiadamente em filmes que prometem revelar a biografia de alguém, mas a distorce com o fim de torna-la um pouco mais engraçada! Afinal, já vi filmes sobre vida de compositores que a música foi deixada para segundo plano! Como se compositor e obra fossem seres separados!

    Obrigado fdpbach pela sua postagem!

  5. Ivan, tente descompactar o arquivo com o 7-Zip.

    Se o erro persistir, baixe o arquivo mais uma vez. Esses mensagens de erros às vezes acontecem por ter se dado algum problema no processo de donwload do arquivo.

    Abraços!

  6. fdp, se brincar, bem capaz de dizermos que o proprio salieri copiu mozart devido essa influencia pesada que recebemos, mas claro, quem foi apresentado como foco pricipal foi o amadeus, então… tanto que se vc reparar, não mozart baseado em salieri, mas salieri em mozart, vc percebe até uma frase do concerto pra violino e orquestra logo no primeiro minuto, não recordo o qual exatamente, mas se não me engano é o concerto em ré, num lembro agora, enfim se percebe isso no 1ºconcerto pra piano forte… nota-se também e muito de quem beethoven recebeu aulas.

  7. Sempre gostei do Salieri, embora ache Mozart e Haydn superiores. Mas para mim ele foi um compositor acima da média, entretanto a história penalizou-o muito. Como disse Napoleão (eu acho que foi ele 🙂 ): “A História é feita de muitas mentiras juntas”.

  8. Vanderson, obrigado. Minha internet é via rádio e às vezes da umas falhadas, creio que aconteceu isso mesmo, foi erro durante o download. O jeito é baixar novamente.

    grato, Vanderson

  9. Para mim Salieri foi um grande compositor. O filme “Amadeus” retratou-o, injustamente, como uma compositor medíocre e invejoso, inimigo de Mozart. O próprio Mozart fez algumas variações de suas músicas mais famosas na época…

  10. Eu também tinha a idéia de Salieri que o filme Amadeus passou.
    Mas já estou tratando de mudar isso.
    Muito bom compositor, em nada lembrando o sem-talento invejoso e falso amigo de Mozart que o filme retrata.

    Valeu pelo post, Carlinus.

  11. Amei o filme Amadeus! O filme é envolvente e a trilha sonora é suprema (pq será…?). Pena não tratar da realidade… rsrs Realmente, o filme induz à repulsa a Salieri, pois o retrata como um monstro!!! Mas, vai saber o q aconteceu nakela época… Pelo menos do compositor posso saber algo, apreciando as obras deles.
    “Burrei” julgando Salieri somente a partir de um filme.

  12. Se ele fosse um compositor medíocre ele não teria a reputação de seus dias. Esse filme d´uma idéia até que Mozart era racista com os latinos. A figura dele realmente sombreava o Mozart tanto que isso atrapalhava o sucesso do outro, quando Mozart morreu o acusou de assassinato.

  13. Na autobiografia de Lorenzo Da Ponte fica evidenciada a inveja da qual Mozart era alvo, mas a mesma atribuída a Salieri – pobre injustiçado – decerto começou com o drama poético de Pushkin, Mozart e Salieri, que sendo depois reciclado na peça Amadeus e consequentemente no filme, pintaram o pobre, bom e talentoso maestro como o diabo em pessoa. Não há dúvidas que ele tivesse inveja, mas que compositor do período não teria? do seu estrelato na infância por toda Europa e a evidente qualidade de suas obras, a facilidade com que compunha e tocava… Todavia sabe-se que foram amigos e se admiravam, chegando a partilhar moradia durante certo tempo e mutuamente disponibilizando coches para as estreias de suas óperas. Ademais, Salieri foi mestre de grandes nomes, como sabemos, respeitadíssimo, mesmo pelo irascível Grão Mongol – como chamava Haydn a Beethoven; que lhe dedicou suas Sonatas para violino de opus 12. Separemos pois os Salieris: o verdadeiro, mestre de mestres, do magnificamente interpretado pelo soberbo F. Murray Abraham nas telas.

Deixe uma resposta