Grandes Aberturas Francesas

Este é um cd importado cujo encarte não possui simplesmente nenhuma informação além da lista de músicas e compositores, a orquestra e o regente, ou seja, não se trata de uma grande produção, mas muito interessante para quem gosta de música clássica ligeira.

Na gravação a seguir temos oitos aberturas francesas com sete compositores românticos, com destaque para Louis Herold, Daniel Auber, Adolphe Adam, Luigi Cherubini e Etienne Mehul, esse último já postado aqui no blog . Talvez a mais popular dessas aberturas seja Zampa de Herold. Lembro-me de ter ouvido trechinhos de Zampa em alguns desenhos animados como Pica-Pau com o Andy Panda e um antigo da Turma do Mickey Mouse.

Bon appétit, mes amis!

.oOo.

Grandes Aberturas Francesas

1. Louis Herold – Zampa
2. Daniel Auber – La Muette De Portici
3. Adolphe Adam – La Poupee De Nuremberg
4. Adolphe Adam – Si J’Etais Roi
5. Etienne-Nicolas Mehul – La Chasse Du Jeune Henri
6. Francois Boieldieu – Le Calife De Bagdad
7. Luigi Cherubini – Medea
8. Andre Gretry – La Magnifique

Münchener Rundfunkorchester
Kurt Redel

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Segundo o Google Images, Abertura Francesa é isso aí acima.
Segundo o Google Images, Abertura Francesa é isso aí acima.

Marcelo Stravinsky

25 comments / Add your comment below

  1. A Abertura da Flauta Mágica pode ser considerada uma “Overture francesa”? (introdução lenta num ritmo marcado, seguida de um vivo movimento em estilo fuga.) Perdoem-me se a pergunta foi muito pueril, mas é que adoro a seção em estilo fuga dessa abertura.

  2. Desculpa, o post está todo equivocado. Distoa do nível do blog. “Abertura francesa” é o modelo formal dos movimentos iniciais das suítes barrocas. É o que está descrito no trecho da Wikipedia: A-B, sendo A um trecho lento de ritmo pontuado e B um trecho fugado.

    Não tem absolutamente nada a ver com as aberturas românticas aqui descritas. Elas são aberturas de ópera no estilo “grand opéra” francês, moldadas estritamente em forma-sonata acadêmica. Nenhuma relação com a abertura francesa barroca!

    (Lisztiano, a abertura da Flauta Mágica é em forma-sonata também.)

      1. O Eduardo tá certo mesmo, Marcelo. Mas de novo elogio você pelo post. Nunca haviam sido postadas aberturas de óperas e operetas francesas.

        Tenho outro CD do gênero muito bom aqui, pra postá-lo algum dia.

    1. Aí já acho um pouco de rabugice. “Abertura francesa” pode ter muitos sentidos. No caso do CD, refere-se a aberturas de obras francesas. É como reclamar que é um equívoco aplicar o nome “sonata” a um movimento de sinfonia, afinal, é sinfonia, não é sonata. Imagine só se o título desse CD, que claramente se pretende popular, fosse “Aberturas-de-obras-francesas-que-não-podem-ser-confundidas-com-as-aberturas-francesas-do-barroco”…

      1. É que o post original foi alterado, por isso meu comentário deixou de fazer sentido. Não me refiro ao título do post, que é perfeitamente adequado, mas ao texto original.

        O texto original pegava um pedaço do verbete da Wikipedia sobre “abertura francesa” (se referindo à forma barroca) e o usava para contextualizar o CD, que é composto por aberturas compostas na França (sem nenhuma ligação com o modelo formal de “abertura francesa” mencionado na Wikipedia citada pelo post).

  3. Dei uma olhada na enciclopédia e parece que destes compositores todos, o único que talvez mereceça algo como “uma menção honrosa” seria Cherubini.

  4. Saudações Pessoal do PQP, gostaria humildemente de saber se vcs tem o Brazilian String Quartet interpretando as overtures de Bach, o Jacques Loussier Trio com aquelas versões espetaculares de Scarlatti, Bach, etc, e o maestro Leopold StoKowski com as obras orquestradas de Bach. Se vcs souberem onde me indicar para baixar eu agradeço de coração. Abraço

    1. Eu tenho o cd Bach Transcriptions com o Salonen e a LAP. Arranjos de obras de Bach por alguns compositores, incluindo Stokowski. Você conhece?

      1. Não conheço mas fiquei muito interessado… Salonen é aquele finlandês? (Esa-Pekka Salonen?) Mais interessante ainda. Conheço ele de um cd q eu tenho onde ele interpreta, junto com a LAP, Sibelius (Lemminkäinen Legends op. 22 e En Saga op.9). Adoro esse cd… Como eu poderia ter contato com essas Transcriptions? Em relação aos outros artistas q eu citei, vc os conhece? Obrigado e um abraço

        1. Sim. Salonen é esse mesmo, gosto muitos de suas interpretações, principalmente quando se trata de Stravinsky e Messiaen. Não conheço os intérpretes que você citou, mas também não sou um grande conhecedor e quanto as Transcriptions, posso postá-la aqui logo, logo.
          Abraço!

  5. E por falar em cartoon erudito… Estou pensando em uma postagem bem interessante que una música erudita e desenhos animados. Gosto muito das trilhas sonoras de Scott Bradley, o compositor por trás dos desenhos antigos de Tom e Jerry. As trilhas dos episódios Cue Ball Cat (sem trocadilhos, por favor) e Flying Cat (música incidental, Grande Valsa Nº 1 de Chopin) de Tom e Jerry, também usadas nos desenhos da Turma do Pernalonga nas dublagens clássicas da Cinecastro, são as minhas favoritas.

  6. Falando em trilhas de desenho animado, o anime Digimon tinha o Bolero de Ravel como trilha de alguns episódios. Foi nele que conheci essa peça, lá pelos 10, 11 anos de idade.

  7. E Samurai X tem outras tantas, da Patética de Beethoven à BWV 565, passando por Vivaldi (o onipresente 1ºmov da Primavera e o 3ºdo Outono), e a inesquecível cena de Sayo ao piano interpretando a Ao Luar de Beethoven. E há outros exemplos que não me lembro agora; os supracitados foram os que mais me marcaram.

    1. Interessante! Esses são desenhos que não tive muita oportunidade de assistir. Mas o que gosto mesmo são das músicas originais feitas especialmente para cada um dos desenhos da Turma do Pica-Pau, Tom e Jerry e Turma do Pernalonga. Músicas rápidas, muito burlescas, muitos metais, sons sutis de clarinetas e geralmente beirando o jazz das big bands.

      1. É verdade, também curto algumas. É também memorável o episódio de Tom e Jerry onde o aquele toca a Hungarian Rhapsody No.2. Se não me engano o nome do episódio era Cat Concert (ou seria Cat Recital?) Foi meu 1º contato com a música de Liszt, o compositor que mais amo atualmente, principalmente por seu colorido orquestral. Vocês poderiam postar uma integral dos Poemas Sinfônicos, seria muito bem vinda para muitos leitores/ouvintes acredito. E também a Sonata em Si menor, que ainda não deu as caras neste magnífico blog :O (sugiro uma postagem dupla com as versões de Horowitz e Pollini – seria um confronto e tanto)

        1. Sim, lembro desse episódio. A Rapsódia Hungara Nº 2 é campeã nos desenhos animados. Quanto a sugestão de postagens, espero que um dos nossos colaboradores veja essa mensagem e se sensibilize, pois, eu, não possuo essas gravações.

  8. O nome do episódio com a Rapsódia Húngara nº2 é “The Cat Concerto” e ganhou o Oscar de desenho animado em 1946.

    Qué ótimo, o link com as “Grandes Ouvertures Françaises” ainda está ativo!

  9. Cheguei tarde aqui devido a problemas com o servidor, mas bem que a conversa está interessante. Talvez pudesse chegar a uns 200 trilhões de comentários (rsrsrs brincadeira, lógico). Fazia tempo, hein Strava! O camarada que me ajudou a descobrir algumas músicas!
    Sobre esse negócio de “aberturas francesas”, o José Eduardo, como sempre está certo, diria eu. Agora, sobre os desenhos, intrigante sua declaração, Strava, mesmo porque as músicas que você me ajudou a encontrar os nomes foram de desenhos animados. Acho que esqueceram de falar daquele “Pernalonga Maestro”, aquele lá que o Pernalonga vai no concerto dum cantor de ópera. Muito legal. Se você puder passar um e-mail, Strava, talvez eu te passe alguns desenhos.

Deixe uma resposta