Louis Moreau Gottschalk (1829-1869): Grande Fantasia Triunfal Sobre o Hino Nacional Brasileiro

Que tal uma homenagem ao Hino Nacional Brasileiro feita por um compositor norte-americano?!?!

O compositor, pianista e regente norte-americano Louis Moreau Gottschalk (1829-1869) foi um dos primeiros artistas estrangeiros a empolgar o público brasileiro no tempo de D.Pedro II. Compositor dedicado a diversos gêneros e tendo se apresentado em vários países, inspirou-se notavelmente nos ambientes musicais locais, tendo escrito peças alusivas, entre outras, dedicadas a Cuba e ao Uruguai.

Sua “Grande Fantasia Triunfal com Variações sobre o Hino Nacional Brasileiro”, é de grande sucesso no repertório não só de nossos pianistas, como nos de outros países. A música, baseada no original de Francisco Manoel da Silva, foi dedicada à Condessa d”Eu , a Princesa Isabel, filha de D. Pedro II que, como todos sabem, assinou em 1888, a Lei Áurea, acabando com a escravidão no Brasil.

A estréia da “Grande fantasia Triunfal” ocorreu no Rio de Janeiro em 1869, num “concerto-monstro“, executada por 650 músicos! Segundo carta que escreveu para seus amigos nos Estados Unidos, Gottschalk afirmou :“Os meus concertos no Brasil são um verdadeiro furor… o Imperador, a família Imperial e a Corte não perderam um só dos meus concertos e a minha “Fantasia Triunfal” agradou a D. Pedro II. Cada vez que me apresento, tenho que tocar essa obra… “.

A “Grande Fantasia Triunfal com Variações sobre o Hino Nacional Brasileiro” é uma das mais empolgantes exaltações musicais de brasilidade e tem sido usada com prefixo de um determinado partido político atual no horário de propaganda política da televisão. Foi através dessa composição que o espírito polêmico de Louis Moreau Gottschalk se prolongou até os dias atuais.

Entretanto, em 1973, uma consulta de origem desconhecida à Comissão Nacional de Moral e Civismo, ameaçou por algum tempo de proibição a peça de Gottschalk. O processo rolou por alguns anos até que, graças principalmente ao parecer do musicólogo Alfredo Melo, que esclareceu devidamente a diferença entre “arranjo” e “variação”, e condenou “essa interdição como um “crime de lesa-cultura”, a “Grande fantasia Triunfal”, foi liberada. Finalmente, a 7 de setembro de 1981, junto ao Monumento do Ipiranga, ela foi executada em apoteose para 800 mil pessoas, no melhor estilo “gottschalkiano”.

Texto de Roberto Muggiati.

As Obras
Para quem não sabe, a Grande Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro é aquela música majestosa que inicia as propagandas eleitorais do PDT e que foi utilizada como fundo musical na transmissão do funeral de Tancredo Neves.
The Union é uma obra essencialmente marcial baseada em três temas norte-americanos, no Star-Splangled Banner, hino nacional norte-americano; no hino americano não-oficial Hail, Columbia e na canção patriótica Yankee Doodle.
A Marcha Solene Brasileira é uma imponente marcha para grande orquestra com banda militar e canhão, também baseada no Hino Nacional Brasileiro.
A Grande Tarantela, trata-se de uma obra vigorosa, empolgante e muito inventiva baseada nos ritmos da dança tradicional italiana. O primeiro contato, inconsciente, que tive com a obra de Gottschalk foi com essa tarantela. Era a abertura de um programa de música erudita (senão me engano chamava-se “Os Clássicos”) que passava na TV Educativa.

***

Gottschalk: Grande Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro

01. Grande Fantasia Nacional sobre o Hino Nacional Brasileiro, op. 69
Arranjo para piano e orquestra: Samuel Adler
Orquestra Sinfônica de Berlim
Eugene List, piano e Samuel Adler, regência

02. “The Union” Concerto-Paráfrase sobre Árias Nacionais Norte-Americanas, op. 48
Arranjo para piano e orquestra: Samuel Adler
Orquestra da Ópera do Estado de Viena
Eugene List, piano e Igor Buketoff, regência

03. Marcha Solene Brasileira, para orquestra e banda militar com canhão
Revista e orquestrada por: Donald Hunsberger
Orquestra Sinfônica de Berlim e Banda
Samuel Adler, regência

04. Grande Tarantela para piano e orquestra
Reconstruída e orquestrada por Hershy Kay
Orquestra da Ópera do Estado de Viena

Eugene List, piano e Igor Buketoff, regência

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Gottschalk; chatinho, na opinião de PQP.
Gottschalk; chatinho, na opinião de PQP.

Marcelo Stravinsky, revalidado por PQP

46 comments / Add your comment below

  1. Sr P.Q.B., recentemente escutei na Radio Suisse Classique, músicas do compositor tcheco Leopold Kozeluch (1747 – 1818).As apreciei deveras e procurei mais desta coisa fina no P.Q.B Bach. Como não encontrei nadim nadim, peço-lhe postar, se possível, alguma música do tal! Segundo a Wikipedia, o Sr Leopold tem uma vasta lista de composições… Não poderia deixar de dizer-lhe que sou um imodesto apreciador do seu blog e não o deixarei de ser, se puder atender ou não ao meu pedido!
    Obrigado!

    1. CVL, meu chapa, há quanto tempo! Desculpe se antecipei uma postagem sua, mas é que eu adoro esse cd. Iria postar na copa do mundo? Eu tenho uma postagem especial para a copa de 2010.
      Abraço!

  2. HOHO! Meu pai procurou essa obra por anos. Disse que tinha ouvido na infância e lembrava que se chamava “alguma coisa triunfal sobre o hino nacional brasileiro”, mas não lembrava quem era o autor. Não sei se ainda vai lhe interessar, pois andaram ocorrendo algumas baixas: ele derivou para o Jazz e Bossa. Uma pena. Mas eu vou completar sua missão, caso não a queira mais.
    Grande Blog! Aquele abraço (xi, Tim Maia não… melhor eu tentar a Bossa, pelo menos a queda não é tão grande).
    OBS: brincadeiras a parte, tanbém gosto de Jazz, estava só tirando onda.

  3. Tenho um cd do Turíbio Santos em que ele toca essa obra num arranjo pra violão solo, acho que o arranjo é dele… Sempre quis ouvir a versão original para piano…

    Ps: O nosso hino é o mais bonito e ninguém me convence do contrário.
    E não é só por eu poder encher a boca e dizer que o compositor é bisavô da minha avó.

  4. Caros amigos, estou ainda perpelxo! há anos procuro por essa obra e aqui está ela!! Muito obrigado pqpbah!!!!
    Outra coisa: como faço para retribui tantos presentes deste site? gostaria muito de contribuir com algumas posagens tbm! entrem em contato!
    abraço a todosss!!!

  5. Respeito, mas essa obra de Gottschalk não é legal. É tipo um pastiche do pior Chopin misturado com música de salão francesa. A gente se sente obrigado a gostar e a se emocionar porque cita o hino nacional, coisa e tal, mas musicalmente o valor é bem baixo. Uma interpretação muito melhor, que até tira alguma coisa da peça, é a da Guiomar Novaes: http://www.youtube.com/watch?v=NwF-NI7C8wc

  6. é sempre interessante ouvir coisas que fazem referência a nosso país. é bom pra nossa curiosidade e nosso senso de orgulho patriota. mas afora isso, essa música de gottschalk é bem ruinzinha… me lembrou uma mistura de liszt e chopin num caldeirão enferrujado de bruxa depressiva. se ele obteve tanto sucesso na corte brasileira, então devemos admitir que nossa nobreza não entendia nada de boa arte. ficamos ouvindo a grande fantasia e as outras peças e visualizando a corte brasileira as ouvindo. é um ambiente rarefeito, as idéias musicais são previsíveis. bem ao gosto de não-iniciados. uma pergunta: algum de vocês leitores desse blog ou mesmo moderadores, sabem como brahms, beethoven, principalmente suas obras camerísticas, eram recebidos na nobreza brasileira? fiquei curioso após ouvir gottschalk.

  7. Questões de gosto, sensibilidade e apreciação, a parte.
    Obrigado por sua colaboração Dostoievski, sua opinião é muito importante para o engrandecimento deste Blog.

  8. Muito mais importante ainda do que algumas opniões, são as magníficas postagens de Marcelo Strvisnky, CVL, Avicenna FDP, PQP, CDF, Blue Dog. Isso sim engrandece cada vez mais este Blog, proporcionando-nos o privilégio de apreciarmos a música referente ao nosso próprio gosto pessoal, sem medo de sermos realmente e intimamente felizes.

  9. É… não gostei. Algumas missões são tão frustantes. Como bem disseram, parece um Chopin mal treinado, e o Chopin treinado já não é muito meu estilo. Claro, isso não diminui a postagem, apenas o compositor, pois essa obra possui sua importância histórica e é extremamente difícil de ser encontrada, logo, foi uma grande postagem.
    E sobre o Nepomuceno postado lá atrás, apesar de tambem não ser exatamente meu estilo, suas qualidades são inegáveis, tanto em termos harmônicos, melódicos ou de “inventividade” de um modo geral. Por enquanto, gostei mais de sua suite neo-barroca, mas sua sinfonia é muito boa também.

    1. É assim mesmo Lucas… Quando fazemos um comentário, precisamos preencher os campos NOME e E-MAIL. Os dados ficam armazenados no computador no qual você usou para fazer o comentário através de cookies, mas o seu endereço não será publicado pelo blog. Espero ter esclarecido sua dúvida.

      1. É isto mesmo! Obrigado pela explicação. Verifiquei o fato abrindo o blog em outro computador! Sou novo nessas manhas. Vivendo e aprendendo! Cadê o Leopold Kozeluch?

        1. Sr P.Q.P., recentemente escutei na Radio Suisse Classique, músicas do compositor tcheco Leopold Kozeluch (1747 – 1818).As apreciei deveras e procurei mais desta coisa fina no P.Q.P Bach. Como não encontrei nadim nadim, peço-lhe postar, se possível, alguma música do tal! Segundo a Wikipedia, o sr Leopold tem uma vasta lista de composições… Não poderia deixar de dizer-lhe que sou um imodesto apreciador do seu blog e não o deixarei de ser, se puder atender ou não ao meu pedido!
          Ps – esta é uma cópia (corrigida – confusão danada na hora de escrever P.Q.P Bach)da minha 1° tentativa de comunicar-me com o blog! Continuo sem saber se este é o caminho certo!

        2. Lucas, eu não tenho nada, aliás, como já havia dito antes, nunca tinha ouvido falar, mas os demais integrantes do blog podem ter alguma coisa. Resta ter a sorte e paciência que se alguém tiver, possa postar algum dia.
          Abraço!

  10. Repetindo um pedido pro SAC PQP: Alguma alma caridosa teria os Poemas Sinfônicos de Liszt com o Haitink? É uma das preciosidades que eu tive em vinil e nunca achei em CD…

    Alguns dos Poemas Sinfôncios eu consegui aqui no PQP com o Beecham, e outros em outros blogs com o Masur, mas me faltam ainda os nºs 1-Ce Quon Entend Sur La Montagne; 6-Mazzeppa; 7-Festklaenge; 11-Hunnenschlacht; 12-Die Ideale e 13-Von Wiege Zum Grabe

    Obrigado , Eduardo

  11. se fazemos alguma crítica à música, é exatamente isso. somente à música, nunca à postagem. certamente a crítica não invalida gostos nenhum, apenas valida a possibilidade de ouvir, discutir, falar de arte. por isso, em cada comentário nosso há os parabêns de antemão, mesmo se detestamos a música.

  12. Sou voluntario no Louisiana State Museum aqui em New Orleans e estou preparando uma apresentaco para os voluntarios do Museu sobre as relacoes de New Orleans com a America Latina. Ademais de Gottschalk, sei que Charles Lucien Lambert tambem esteve no Brasil. Voce pode recomendar uma bibliografia para melhorar a qualidade da informacao que estou usando? Ate agora, tenho o livro em ingles das Notas de Gottschalk e estas referencias em google. Obrigado antecipadamente.

    1. Olá Robert,
      Sim, com certeza, Lambert não só esteve aqui, como chegou a fixar residência.
      Achei dois links. O primeiro é uma biografia e no segundo fala do encontro de Ernerto Nazareth com Lambert e de uma rivalidade amigável entre Lambert e Gottschalk, ambos falam de sua época no Rio de Janeiro.

      http://chevalierdesaintgeorges.homestead.com/Lambertsr.html
      http://ensaios.musicodobrasil.com.br/alexandredias-ernestonazareth.htm

      Espero ter ajudado.
      Um abraço!

  13. Senhores, eu tenho um LP do Gottschalk pela Berliner por Samuel Adler, 1ª gravação mundial, com Marcha Solemne Bras., Sinfonias 1 e 2, e Marcha Triunfal. Há obras em CD ou DVD?

  14. Não existem muitas mídias sobre Gottschalk, mas a gente encontra alguma coisa por aí. Tem um arquivo de imagem com um álbum duplo com obras dele no torrent, mas não há fontes suficientes. Já faz um tempão que tento terminar de baixar, mas estacionou em 90%.
    E você, não tem como digitalizar esse material e mandar pra gente?

  15. Excelente postagem: vi uma referência a este compositor na obra O Ateneu, de Raul Pompéia, e desde então fiquei curioso para ouvir (capítulo XII). Finalmente encontrei por aqui! Parabéns pelo site!!

  16. Já fiz isto, passei para um CD, vou pedir a meu neto para te mandar, não estou familiarizado com a tecnologia. Ele deve saber como anexar. Mas será um prazer te mandar.

  17. Cláudio, se você quer realmente colaborar, precisa pedir para o seu neto para transformar o cd em MP3 de 320kbps, fazer um arquivo de texto com os nomes das faixas, orquestra, etc, compactar tudo em um único arquivo, fazer o upload deste arquivo para um servidor tipo, 4shared, Mediafire ou outro, e disponibilizar o link aqui nos comentários.
    Desde já agradeço a sua colaboração!
    Abraço!

  18. Guri, isto é que é linguajar apropriado, não aquele do meu tempo da bolacha e agulha. Seguramente vai ser uma odisséia até para o meu neto. Mas vou fazer tudo o q puder p colaborar. Forte abraço!!!

  19. kkkk, não foi nada,ele até que é, mas todo adolescente é um kick no asshole, então eu mesmo fui tentar pelo email, e parece que consegui right now, vê se chegou bem aí. Aliás, por coincidência, ou não, como diria Caetano, parece que o cara que passou p CD o fez em MP3. Está anexado em winrar.

    Abraço,
    Cláudio

  20. Cláudio, deve ter havido algum equívoco. Este arquivo que você menciona no link: http://www.sendspace.com/file/oxn00w é exatamente igual ao arquivo que postei logo acima em um link do Rapidshare, com minhas iniciais, mesma qualidade de áudio (192kbps) e tudo mais. Mas me diga, o vinil é idêntico a este cd postado? Porque este arquivo que você me enviou é o mesmo arquivo, ripado e compactado por mim.

  21. Olhe, as músicas do vinil q tenho são as mesmas no cd q mandei copiar e t mandei por email. E estão no mesmo arquivo zipado q tentei mandar conforme tuas instruções pelo sendspace.

  22. Cláudio, agradeço muito a sua disposição em colaborar, mas veja só:
    O arquivo compactado, cujo link você disponibilizou aqui, referem-se, exatamente, ao mesmo arquivo que, eu mesmo, disponibilizei há mais de um ano atrás. Como é que eu sei disso? Elementar. O seu arquivo está exatamente com o mesmo nome (incluindo as minhas iniciais MS), mesmo tamanho, mesma qualidade de áudio e pra que não haja mais nenhuma dúvida, a mesma data de modificação dos arquivos em MP3 (25/06/2009, ou seja, a mesma data da postagem).
    Mas vamos imaginar que eu não tivesse constatado todas essas coisas… Ainda assim, sendo em VINIL ou CD, você estaria me oferecendo, exatamente, a mesma gravação que já está disponível aqui.
    Abraço!

  23. Olhe, cara, é um mistério; como eu não entendo destas coisas, e não tinha interesse algum a não ser colaborar, vamos deixar as coisas como estão.
    Tudo começou qdo eu reencontrei meu vinil lá no fundo com outros tambem interessantes, mas não tinha toca-disco. Quis ouví-lo. Fui à loja e pedi para digitalizar em cd. Agora, tenho ouvido sempre, mas o som não é lá essas coisas, então fiz meu primeiro contato com vc.

    Obrigado pelo bom papo, forte abraço,
    Cláudio

  24. A esperança em nosso país pode estar baixa hoje e por isso mesmo muito oportuna esta repostagem mostrando um estrangeiro que prestou atenção no que havia de bom por aqui e provavelmente deixou para lá o resto. Aprendamos a fazer o mesmo. Viva o Brasil.

Deixe uma resposta