Amaral Vieira (1952): Te Deum in stilo barocco e Missa Choralis [link atualizado 2017]

te-deum-missa-choralisAmaral Vieira
Te Deum in stilo barocco
Missa Choralis

Ouvir Amaral Vieira e descobrir quais foram os compositores que inspiraram a concepção de cada obra – da estruturação à orquestração, do contraponto à temática – é um saudável e complexo exercício que recomendo aos mais bem aventurados fazê-lo. Aqui vão duas das melhores obras coral-sinfônicas do compositor paulistano. A Missa Choralis em particular é um primor de majestade musical, valendo-se apenas de três instrumentos para dar suporte ao coral: duas trompas e um piano.

***

Amaral Vieira – Te Deum in stilo barocco e Missa Choralis

Te Deum
1. Abertura
2. Te Deum laudamus
3. Te ergo quaesumos
4. Aeterna fac
5. Salvum fac populum
6. In te Domine speravi

Missa
7. Kyrie
8. Gloria
9. Credo
10. Sanctus
11. Post elevationem (Benedictus)
12. Agnus Dei

Orquestra Filarmônica da Eslováquia e Coro, regidos por Mario Kosik e Jan Rozehnal

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 kbps | 110,4 MB |51 min

Já viu nossos mais de 100 endereços para baixar partituras? Clique aqui

Escreve, Amaral, escreve
Escreve, Amaral, escreve

CVL
Repostado por Avicenna
Trepostado por Bisnaga

24 comments / Add your comment below

  1. Que maravilha CVL, tinhas me falado a algumas semanas que postaria Amaral Vieira, aguardei silenciosamente e como apaixonado que sou pelas obras sacras em especial as missas a postagem não poderia ter sido melhor, mais uma obra de Vieira unindo-se a que tú postou mês passado fazendo um belo gol de placa, e o meu tricolor já está em quinto(não resisti)
    Abraço

  2. Mais um post sensacional! Por que um compositor da envergadura de Amaral Vieira é ainda tão pouco conhecido em seu próprio país? Deve ser um músico inteiramente devotado ao seu trabalho e com pouco tempo e interesse, ao contrário de tantos outros, em pavonear o seu talento nos meios de comunicação. Escutei primeiro a Missa Choralis, por ter ficado curioso em saber como soaria o acompanhamento de somente duas trompas e piano ao trabalho do coro – o comentário de CVL me deixou bem interessado – e caramba, a obra é muito consistente. CVL foi feliz em descrever a composição como um primor de majestade musical. Essa frase define perfeitamente bem essa missa. O Te Deum in stilo barocco é uma prova da habilidade de Amaral Vieira em recriar sonoridades, linguagem e texturas de outras eras com absoluta credibilidade. Nada tem a ver com um pasticho. É uma obra sólida, escrita com surpreendente domínio do contraponto e que revela um compositor autoconfiante, muito seguro do seu ofício. A instrumentação é também bastante engenhosa e refinada. As interpretações parecem igualmente impecáveis. Passarei este final de semana escutando e re-escutando essas gravações, pelo que sou desde já profundamente agradecido a CVL e à equipe de P.Q.P. Bach. Um ótimo final de semana a todos! Leonardo

  3. Cheguei à conclusão de que o que conhecemos da música clássica brasileira é somente a ponta de um iceberg. Sou cearense e somente conhecia Amaral Vieira como grande pianista, renomado intérprete das obras de Liszt. Depois de baixar as obras para banda e agora as obras sacras, descobri que é também um compositor de primeiríssima categoria. Dei uma olhada nos comentários deixados pelos frequentadores do site e vi que estão pedindo para postar um Stabat Mater, um Requiem e fiquei bem interessado nas obras para orquestra gravadas no Japão. Será que nosso santo padroeiro cvl poderá postar esses cds no site? obrigado e saudações fortalezenses, Laerte Ferreira Malaguti

  4. Obrigado, CVL, por amenizar os desatinos corintianos! Maravilhosa postagem!
    O Brasil precisa conhecer o que de melhor tem e você fez um gol de placa!
    Valeu! Parabéns!! Obrigado!

  5. Dei uma busca no Google e fiquei sabendo que o Te Deum in stilo Barocco de Amaral Vieira já foi apresentado até no imponente Aram Khatchaturian Concert Hall em Yerevan pelo Coro e Orquestra Filarmônica da Armênia! Acho que somente nós, brasileiros, é que ficamos a ver navios. Acho que a obra nunca foi tocada na cidade natal do compositor, São Paulo, e indago silenciosamente quais seriam os motivos dessa lacuna. O Teatro Municipal dispõe de ótima orquestra sinfônica e dois importantes corais. A Osesp conta com uma belíssima orquestra e com o Coro SinfÕnico. Bem diz o ditado que santo de casa não faz milagre… Ainda bem que temos P. Q. P. Bach para nos salvar da mediocridade desses filisteus que estão à frente de nossas instituições culturais. Tudo aquilo que não nos permitem escutar nas salas de concertos, ouvimos através do site. Se eu puder colaborar de algum modo, conte comigo! Eduardo Oliveira Salles

  6. Dei uma busca no Google e fiquei sabendo que o Te Deum in stilo Barocco de Amaral Vieira já foi apresentado até no imponente Aram Khatchaturian Concert Hall em Yerevan pelo Coro e Orquestra Filarmônica da Armênia! Acho que somente nós, brasileiros, é que ficamos a ver navios. Acho que a obra nunca foi tocada na cidade natal do compositor, São Paulo, e indago silenciosamente quais seriam os motivos. O Teatro Municipal dispõe de ótima orquestra sinfônica e dois importantes corais. A Osesp conta com uma belíssima orquestra e com o Coro SinfÕnico. Bem diz o ditado que santo de casa não faz milagre… Ainda bem que temos P. Q. P. Bach para nos salvar da mediocridade desses filisteus que estão à frente de nossas instituições culturais. Tudo aquilo que não nos permitem escutar nas salas de concertos, ouvimos através do site. Se eu puder colaborar de algum modo, contem comigo! Eduardo Oliveira Salles

    1. Acho que é porque ele não quis se meter na panelinha dominante… E a punição para isso, bem sabemos, é o ostracismo. Ou, no caso dele, desterro. Mas o pessoal é tão babaca que o desterro do Amaral, para ele, foi muito mais uma bênção do que uma pena. Quem se ferrou fomos nós… 🙁

  7. Obrigado pela dica, Rodrigo – encontrei mais de 20 vídeos do Vieira no Youtube, diversos deles com composições próprias, mas também com interpretações como pianista feitas em turnês no Japão. Há vídeos com o ciclo completo de Tchaikovsky “As Estações” e a “Fantasia” opus 49 de Chopin, entre muitos outros. Mas o que eu queria mesmo é agradecer ao grande CVL por disponibilizar as gravações de A. Vieira neste blog. Os cds com suas obras e com suas interpretações desapareceram das lojas. Um amigo me trouxe de Nova Iorque o CD com a Fantasia-Coral e um outro com obras de Liszt tocadas por Vieira. Mas a discografia dele é imensa. Sem querer abusar da boa vontade, ficamos à espera de novos posts que possam suprir essas lacunas. Muito obrigado e um abração a todos. Claudio.

  8. Obras e interpretações realmente extraordinárias. Parece que estamos no primeiro mundo! Depois de ler os comentários dos amigos internautas fiquei curioso e procurei gravações das obras de Amaral Vieira. De fato há pouca coisa disponível por aqui. Mas encontrei o CD mencionado por Maria Cristina Câmara no comentário que ela fez sobre a Fantasia-Coral. O CD chama-se Vieira’s World e foi gravado no Japão pela Filarmônica de Tóquio. Já escutei uma dez vezes e cada vez gosto mais. Mas não encontrei o CD com o Stabat Mater e o Requiem citado pelo Moacyr. Agradeço se puder posta-lo. Gostaria de retribuir com o Vieira’s World, se gostarem da ideia. Muito obrigado.

  9. Não há mais possibilidade de baixar o Te Deum in stilo baroco,Missa choralis, Requiem in memoria e outras do Amaral Vieira, postadas mais no começo ?
    Obrigado,
    Benedito Brito

    1. Repostei o que eu tinha aqui, Benedito. Foi uma boa parte, mas vou ficar te devendo “Vieira’s World”, “The Snow Country Prince” e “Te Deum/Requiem”… Outras 7 postagens de Amaral Vieira, inclusive esta, estão com os links valendo agora.
      Abração

  10. Parece que só estão funcionando os links das obras para órgão (2), obras para piano (3), Stabat mater/Missa pro defunctis (1) e Canções de Neruda (1). Não consegui baixar o Vieiras World, nem este Te Deum Barroco. Continua dando mensagem de erro no rapidshare.

    1. Olá, Marco. Aqui é o Bisnaga (não é o CVL)
      Repostei o que eu tinha aqui. Foi uma boa parte: 7 postagens. No entanto, vou ficar te devendo “Vieira’s World”, “The Snow Country Prince” e “Te Deum/Requiem”… Essas eu não tenho.

Deixe uma resposta