Missa de Nossa Senhora da Conceição: Antonio Carlos Gomes

2435dvmAntonio Carlos Gomes
(Campinas, 1836-Belém, 1896)

Missa de Nossa Senhora da Conceição (1854)

Dia desses recebo um discreto email, mais ou menos assim: “Avicenna, tenho umas músicas que acho você gostaria de ouvir.”
Sim, pode enviar, respondí.
Ô meu !! eram as Missas de Carlos Gomes !!!
Então procurei na internet algumas críticas, avaliações dessas obras, para me situar melhor…
Não tem !! Não tem !! Não tem !! Não tem !! Não tem !!
Ainda abobalhado, consultei meus botões.
O Tico falou: ” – Não seja impetuoso em escrever algo!”
O Teco falou: ” – Pede para ele escrever o texto, pede!”

Prezadas senhoras, prezados senhores, estimado público: o PQPBach tem a honra em apresentar, numa avant-prèmiere mundial blogosférica, a espetacular, gloriosa, orgasmoplástica, a IM-PER-DÍ-VEL Missa de Nossa Senhora da Conceição, composta por Antonio Carlos Gomes, com o excelente texto abaixo escrito pelo nosso hoje companheiro Bisnaga, inspirado pelos generosos ventos do oriente!

Antônio Carlos Gomes (1836-1896) teve a mesma infelicidade ou dádiva dos filhos de J. S. Bach: tinha um pai compositor e regente e mais 25 irmãos (quatro a mais que Carl Philipp e Johann Christian). Seu pai, Manoel José Gomes, mestre de capela e maestro da banda de Campinas, era importante copista de partituras, registrando e executando a música que se produzia em São Paulo e Rio de Janeiro naqueles tempos de início do Império. Além de autores italianos e portugueses, os brasileiros André da Silva Gomes, Padre José Maurício Nunes Garcia, Frei Jesuíno do Monte Carmelo e Francisco Manoel da Silva foram alguns dos compositores a cujas obras Carlos Gomes teve acesso ainda na infância.

O menino já se mostrava inclinado para a música desde cedo: tocava desde pequeno na banda e aos 11 anos apresentou suas primeiras composições. Era, aliás, com seu irmão José Pedro de Sant’Anna, uma das atrações da banda do pai, que os colocava para reger de vez em quando.

O fato de ser filho do mestre de capela também influenciou a produção Carlos Gomes. Em 1854, aos 18 anos, compôs sua primeira missa, a de São Sebastião, e aos 23, esta obra que vos é apresentada hoje: a Missa de Nossa Senhora da Conceição. Executada, provavelmente, em 08 de dezembro de 1859, dia da padroeira de Campinas, na Matriz Nova (atual catedral metropolitana, 1807-1884), uma igreja imensa ainda em obras (à época, a maior do país), cujos entalhes do interior nem haviam sido executados. Campinas, assim como a matriz, estava em constantes obras, fervilhava com a riqueza do café e já emparelhava em população com a capital, São Paulo. A cidade já se via como grande, assim como já se poderia supor do futuro do jovem Tonico, filho do Maneco Músico. Da mesma forma, a missa da padroeira deveria ser portentosa, como a fez Carlos Gomes. É bastante provável que a obra tenha sido composta na bipartição tradicional de seu tempo, em Missa (Kyrie e Gloria) e Credo (Credo, Sanctus, Benedictus e Agnus Dei), mas chegou até nós apenas a primeira parte, que não deixa de ser obra interessante que enriquece nossos ouvidos.

A Missa mostra um Carlos Gomes jovem que ainda não fincou os pés definitivamente no romantismo. Traços do classicismo podem ser percebidos nas peças mais delicadas para coro como o Kyrie, o Qui tollis e o Cum Sanctu Spiritu e não seria de assustar perceberem-se semelhanças com músicas de Nunes Garcia, grande mestre do período. Já os trechos inicial e final do Gloria, marchas com características até militarescas, deixam clara a influência da música de banda em Carlos Gomes, influência essa que será perceptível inclusive posteriormente, em suas óperas, diluindo-se ao longo do tempo. As peças com solos (Laudamus, Domine Deus e Qui Sedes) e o coro de Suscipe já mostram traços operísticos, seja nas belas melodias, quase modinhas e canções tão ao gosto do seu tempo, seja nos trechos de alternância entre orquestra e solista e entre solista e coro, bastante impactantes e dramáticos.

A Missa de Nossa Senhora da Conceição mostra um compositor complexo, em transição, que já se mostrava diferenciado, apontando para o Antônio Carlos Gomes que seria futuramente considerado o maior compositor operístico brasileiro. Seu talento, aqui, já desponta. Vale muito conhecer a obra.

[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/193452897″ params=”color=ff5500&auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false” width=”100%” height=”166″ iframe=”true” /]

A Música e o Pará – 1996 (parte)
Antonio Carlos Gomes (Campinas, 1836-Belém, 1896)
Missa de Nossa Senhora da Conceição 1. Kyrie
Missa de Nossa Senhora da Conceição 2. Gloria
Missa de Nossa Senhora da Conceição 3. Gloria – Laudamus te
Missa de Nossa Senhora da Conceição 4. Gloria – Domine Deus
Missa de Nossa Senhora da Conceição 5. Gloria – Qui tollis peccata mundi
Missa de Nossa Senhora da Conceição 6. Gloria – Suscipe
Missa de Nossa Senhora da Conceição 7. Gloria – Qui sedes ad dexteram Patris
Missa de Nossa Senhora da Conceição 8. Gloria – Cum sancto Spiritu
Missa de Nossa Senhora da Conceição 9. Gloria

Leila Guimarães, soprano
Alpha de Oliveira, soprano
Jean-Paul Franceschi, tenor
Piero Marin, barítono
Orquestra do Festival do Centenário de Carlos Gomes
Andi Pereira, regente
Teatro da Paz, Belém, 1996.

Material espetaculosamente cedido pelo nosso companheiro Bisnaga. Não tem preço !

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 128 kbps VBR – 36Mb – 40,2 min

Partituras e outros que tais? Clique aqui

Boa audição.

e8mr6q

 

 

.

.

Avicenna

20 comments / Add your comment below

  1. Eu já havia encontrado a coleção completa em http://musicaparaense.blogspot.com/2007/04/carlos-gomes-msica-e-o-par.html , mas o link está vencido, é uma pena, não se acha mais nem em sebo. E ando loucamente atrás da Missa de São Sebastião, também de Carlos Gomes, mas o link foi retirado do site http://musicasacrabrasileira.blogspot.com/ . Parece que alguém quer que Carlos Gomes seja esquecido e desapareça completamente. Saudações a todos.

  2. Maravilha de achado, obrigado Avicena e Bisnaga, valiosa contribuição.
    Ao se falar de Campinas muita, mas muita gente, se lembra de Carlos Gomes. Esta cidade sabe valorizar o que teve de bom. É uma pena que no Brasil isto não é regra, afinal quem conhecia esta peça? Temos que valorizar mais os brasileiros, de hoje e de sempre.
    Boa a missa, muito boa, valeu para conhecer e valeu pela qualidade.
    Um abraço e aguardo novidades desta dupla Avicena e Bisnaga.
    Hélio.

  3. Amigos do PQP BACH, quero saber como faço pra doar um vinil raro do mozart: “Salve regina” obra composta aos 16 anos de idade E também um vinil do Bach com as cantatas BWV46 e BWV65; gostaria muito de ver essas obras publicadas para Download, mas infelismente não tenho aparelhagem para isso… por favor ajudem-me a ajudar…

  4. Realmente, a peça é maravilhosa. E acompanho um pouco e vejo que a Sinfônica de Campinas tem feito ao longo de sua história um bom resgate da música de Carlos Gomes, justissimo orgulho de sua terra.
    Rendo elogios aqui também à iniciativa deste álbum, executado no Pará, local que acolheu o compositor no fim de sua vida.

  5. Bom dia ! Por favor não publiquem esta mensagem, ninguém vai entender nada. Ontem enviei uma mensagem que não foi publicada, creio que devido a ter mencionado outros blogs que visito. Já vi em outras mensagens publicadas a citação de outros locais, mas de qualquer forma quero pedir desculpas se desrespeitei alguma regra, não foi minha intenção, e não tenho nenhuma ligação com nenhum blog. Apenas fico chateada com casos assim como desses 4 cds de Carlos Gomes, isso vai desaparecer, já que nem em sebo se encontra. Agradeço muito o trabalho que todos voces fazem, é mesmo uma maravilha a gente abrir o computador de manhã e encontrar tanta música boa.

  6. É muito visto que, Carlos Gomes é bem mais valorizado em sua cidade final, Belém do Pará, do que em sua cidade natal, Campinas. É muito efusivo o movimento por suas obras em Belém, sendo tocadas em quase todos os festivais e concertos, tendo parte de sua obra já executada e as mais significativas já gravadas, fora os diversos monumentos e instituições que o homenageiam. Em Campinas, isso é meio morno, parecendo até que ele é um compositor estrangeiro. Em sua decadência, os paraenses souberam valorizar e ainda valorizam sua música!

  7. Vivelo,

    Por gentileza, entenda que jamais bloquearíamos um comentário por ele mencionar outro blog!!!!!! É com nossos ouvintes que também aprendemos.

    Alguns comentários demoram a serem exibidos por motivos funcionais internos. Desculpe-nos

    A Missa de São Sebastião está programada para ser publicada, assim que o Bisnaga disponibilizá-la.

    Um grande abraço e obrigado pela sua presença.

    Avicenna

  8. Bom dia ! Que boa notícia, sobre a futura postagem da Missa de S. Sebastião! Já agradeço de antemão ao novo colaborador Bisnaga, sem esquecer dos muitos anos de dedicação e árduo trabalho dos outros todos, com postagens maravilhosas e ótimos comentários. Um beijo na bochecha de todos!

  9. São raríssimas as oportunidades de acesso a esta obra. Belíssima e fundamental pra se compreender a obra do compositor, que pra maioria dos brasileiros não vai além de Il Guarany…Valeu! Abraços musicais

  10. Queridos,
    Me agrada muito ver a disputa dos campineiros e belenenses para provar quem ama mais ao Carlos Gomes. O bonito disso é ver que as duas cidades tem tido iniciativas para valorizar e manter viva a memória desse que é, sem dúvida, o maior compositor brasileiro do segundo reinado.
    Em ambas as cidades temos festivais em sua memória, monumentos e suas orquestras executam com alguma regularidade suas obras.
    Estamos em negociação com o Avicenna novos posts do Nhô Tonico, para difundir mais sua obra.

    Abraços e obrigado pelos comentários

  11. Já que o interesse pelo Nhô Tonico está em alta, gostaria de oferecer as gravações de Salvator Rosa, realizada na Itália, em 2005, de Colombo, pela ORSEM, regida pelo Ernani Aguiar e a Fosca e Maria Tudor, realizadas em Sófia, sob a regência do maestro Malheiro.

    Um grande abraço a todos!

    Harry Crowl

  12. Honrados com a sua presença, Harry, de pronto aceitamos a sua esplendorosa oferta!

    Por gentileza, envie os links para avicenna@uol.com.br, se possível com os respectivos encartes.

    O Bisnaga vai ter muito trabalho, hehehe!!!

    Um abraço!

    Avicenna

    PS. Meu estoque de música sacra brasileira está no fim!
    Help me, pls!

  13. Carlos Gomes tem dois episodios que acho que ainda preciso de mais informaçoes (que peço ajuda aos conhecedores deste site):
    1- o imperador desejava que ele fosse para a Alemanha e a imperatriz, sendo italiana, ‘sugeriu’ que fosse para a Italia… o espirito nacionalista de Wagner certamente o teria levado a escrever mais sobre uma mitologia brasileira ou pelo menos, das americas (?) fugindo do dominante estilo italiano (nao apenas da musica, mas dos temas amorosos).
    2- sendo fiel ao imperador, nao teria aceitado cargo algum, oferecido pelos republicanos. (?)

Deixe uma resposta