14º Festival de Música de Juiz de Fora: André da Silva Gomes (1752-1844): Missa a 8 Vozes e Instrumentos + J. S Bach: Cantata BWV 97 + Handel: Concerto Grosso Op.3 N.4 (Acervo PQPBach)

2rz3yvd14º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora
2003

Com instrumentos de época. On period instruments.

 

A instauração de bispado em São Paulo e a fundação e construção da Sé no lugar da antiga matriz impulsionaram a atividade musical, com Alvará do Rei, de 6 de maio de 1746, criando ali os cargos de mestre-de-capela, organista e moços do coro. André da Silva Gomes, quarto mestre-de-capela da Sé de São Paulo, nasceu em Lisboa no mes de dezembro de 1752, como consta do assento de seu batismo realizado na freguesia de Santa Engrácia, daquela cidade, sendo filho legítimo de Francisco da Silva Gomes e Inácia Rosa. A documentação portuguesa não nos ofereceu nenhuma trilha para estabelecermos o local ou instituição em que Silva Gomes pudesse ter desenvolvido seus estudos musicais, já que seu nome não consta da documentação que restou do Seminário Patriarcal de Lisboa, onde lecionou o compositor José Joaquim dos Santos com quem Silva Gomes afirma, em seu Tratado da Arte Explicada de Contraponto, ter estudado.

André da Silva Gomes veio para Sao Paulo, em março de 1774, com o terceiro bispo da cidade, Dom Manuel da Ressurreição, que o trouxe como mestre-de-capela em sua comitiva. Teve como antecessores no cargo, Matias Álvares Torres, Antonio de Oliveira e Antonio Manso da Mota e, como eles, sua função era compor, ensaiar e executar a sua música nos ofícios da Sé e ensinar a juventude. De fato, Silva Gomes aplica-se ao ensino mantendo agregados que inicia na arte musical, sendo por eles assessorado, secundado e depois sucedido. Sua vida e trabalho em São Paulo prolongam-se de 1774 a 1823, sendo dessa última data sua composição mais recente, por nós reconhecida, a Missa de Natal, em sol maior, para ser executada na igreja da Freguesia de Cotia, constante do acervo de obras da antiga Sé, e por nos editada e executada inúmeras vezes a partir de 1978.

O período áureo da produção musical em São Paulo colonial coincide com as atividades de André da Silva Gomes na Sé. Seu brilhantismo e nível artístico absorvem, sem concorrência o que apresenta um quadro sui-generis os serviços musicais mais importantes da capital, como as da Sé, as festas oficiais da Câmara, e as das irmandade do Santíssimo Sacramento, de São Francisco e do Carmo. A “Missa a 8 vozes e instrumentos“, em Mi-bemol, integra, sob o nº 031, o Catálogo de obras de André da Silva Gomes, de aproximadamente 1785, e é composta de Kyrie e Gloria. É um manuscrito original autógrafo, com os frontispícios assinados pelo autor, e do qual não encontramos nem uma cópia, nem no todo nem nas partes, contemporânea ou posterior. O documento integra o arquivo da Cúria Metropolitana de Sao Paulo e suas partes solistas, desgastadas, parecem ter sido executadas, na época, com mais frequência do que o restante da obra.

Restauramos e editamos essa Missa em 1966, pela Universidade de Brasília e foi gravada e executada pela primeira vez no selo Festa, em 1970, produzido por Irineu Garcia. Composta de Kyrie e Gloria, com duração aproximada de 45 minutos e requerendo a participação de cantores solistas, essa Missa é solidamente estruturada, com escritura clara e economia de meios, riqueza de vocabulário e resultados sonoros incisivos. Nos seus 12 segmentos o autor explora uma fórmula cadencial de nove tonalidades e cultiva o estilo contrapontístico (Kyrie II: fuga a 8; Cum Sancto Spiritu: fugado), a escritura alternada de dois coros e o tratamento instrumental não concebido como mero reforço tímbrico das partes vocais; a riqueza harmônica que lhe é peculiar atinge no Et in terra, complexa elaboração nas notas de passagem, antecipações e retardos, e no cruzamento das vogais fechadas e abertas entre os dois coros, com resultados tímbricos fortemente expressivos.

O contínuo caminha de forma barroca, com cifrado abundante, ainda que não ausente da peça, o baixo de Alberti nos momentos em que o cantabile requer uma escritura mais ligeira. A presença dos trompetes confere à peça um barroco brilhantismo, especialmente no Gloria. A versatilidade melódica é até exuberante (Laudamus, Qui tollis e Quoniam) e, a par da contrapontística empresta à obra grande variedade, secundada pela diversificação tonal das unidades que a compõem. A alternância e contraste de caráter (Christe entre os dois Kyrie; Gratias, largo, seguido pelo Domine Deus, caminhante, vivo, triunfante, seguido pelo lânguido e “troppo afectuozo” Qui tollis), integra-se também na exploração tímbrica das vozes onde os baixos têm destacado temperamento. Aquela alternância está presente da mesma forma em certas seções em que dinâmica e articulação são manuseadas com imaginação, criatividade e efeito. Esta missa, de feitura irreprochável, é, seguramente, uma das obras mais monumentais escritas no período colonial brasileiro.

(Régis Duprat, julho de 2003 – extraído do encarte)

Johann Sebastian Bach (1685-1750)
Cantata BWV-97 – In Allen Meinen Taten (Em Todas As Minhas Ações) 1. Coro
Cantata BWV-97 – In Allen Meinen Taten (Em Todas As Minhas Ações) 2. Aria
Cantata BWV-97 – In Allen Meinen Taten (Em Todas As Minhas Ações) 3. Recitativo
Cantata BWV-97 – In Allen Meinen Taten (Em Todas As Minhas Ações) 4. Aria
Cantata BWV-97 – In Allen Meinen Taten (Em Todas As Minhas Ações) 5. Recitativo
Cantata BWV-97 – In Allen Meinen Taten (Em Todas As Minhas Ações) 6. Aria
Cantata BWV-97 – In Allen Meinen Taten (Em Todas As Minhas Ações) 7. Duetto
Cantata BWV-97 – In Allen Meinen Taten (Em Todas As Minhas Ações) 8. Aria
Cantata BWV-97 – In Allen Meinen Taten (Em Todas As Minhas Ações) 9. Choral
Georg Freidrich Händel (1685 – 1759)
Concerto Grosso Op.3 N.4 – 1. Ouverture
Concerto Grosso Op.3 N.4 – 2. Andante
Concerto Grosso Op.3 N.4 – 3. Allegro
Concerto Grosso Op.3 N.4 – 4. Allegro
André da Silva Gomes (Lisboa, 1752 – São Paulo, SP, 1844)
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 1.Kyrie
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 2. Christie
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 3. Kyrie
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 4. Gloria
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 5. Et In Terra
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 6. Gloria
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 7. Laudamus
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 8. Gratias
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 9. Domine Deus
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 10. Qui Tollis
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 11. Quoniam
Missa a 8 Vozes e Intrumentos – 12. Cum Sanctu Spiritu

14º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora – 2003
Orquestra Barroca
Regente: Luis Otávio Santos

.
memoriaBAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC 466,1 MB | HQ Scans 19,7 MB |

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 320 kbps – 182,4 + 19,7 MB – 1,2 h
powered by iTunes 11.0.2

 

 

Partituras e outros que tais? Clique aqui

.Boa audição.

La-invencion-de-la-rueda

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

Avicenna

14 comments / Add your comment below

  1. Hi Avicenna, Thank you for continuing to post high quality flac files of Brazilian, colonial-era music performed on period instruments. You site is the only place available for me to acquire such music. I love the performances of the orquestra borroca. These are impossible to find elsewhere.

  2. Oba! Esse festival no 14 eu não tinha! Está parecendo coleção de figurinhas, a gente quer ter o album inteiro… valeu mesmo. Esse venezuelano postado também parece bem interessante, também vou pegar já. Cheguei meio atrasada para a postagem da segunda-feira, mas estou aqui. Obrigada por toda essa maravilha.

  3. Caros PQP Bach, Avicenna e seus colaboradores,

    Descobri seu site esta semana, em pesquisa Google sobre Gottschalk e sua Grande Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro. Desde então tenho me deliciado com o farto e bom material que contém. Ávido, fui ao box “Categorias” à procura do quarto mestre de capela da Sé de São Paulo, André da Silva Gomes, e sua Missa a Oito Vozes e Instrumentos. Decepção. André não consta da lista. Fucei um pouco mais e achei o dito cujo, em seu Acervo de Música Clássica Brasileira, em interpretação de 2003 da Orquestra Barroca (sob Luís Otávio Santos) no 14º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora. Boa interpretação da linda peça.
    No entanto, o que realmente procuro é recuperar algo que me foi furtado por algum amigo, uma magistral interpretação do Coral Vozes de São Paulo e da Orquestra de Cordas de São Paulo, sob a regência do maestro Julio Medaglia, com base na recém-restaurada obra do mestre André. A gravação, histórica, de 1969, em vinil, com a tecnologia da época, foi distribuída gratuitamente a alguns felizardos, entre os quais me incluí, acho que pela Secretaria da Cultura de São Paulo. Sou também torneiro mecânico e sei que ferramenta é algo a não emprestar. Mas compartilhar cultura, o que vocês fazem no site, é outra coisa. E, afinal, emprestei o disco de vinil, que jamais me foi devolvido.
    Será que terei a felicidade, através de seu site, de recuperar tão importante obra?
    Grato

    1. Elcio, meu jovem,

      Em ‘Categorias’ procure Gomes, André da Silva, e lá você encontrará 15 obras postadas.
      A Missa a Oito Vozes e Instrumentos que você procura está em:
      http://pqpbach.sul21.com.br/2012/12/10/andre-da-silva-gomes-1752-1844-missa-a-oito-vozes-instrumentos-c-1785/

      Um grande abraço,

      Avicenna

      Em tempo: aproveite e baixe também a Missa a cinco vozes, para solistas, coro e orquestra, do André da Silva Gomes, em:
      http://pqpbach.sul21.com.br/2011/07/11/andre-da-silva-gomes-missa-a-cinco-vozes-claudio-santoro-orquestra-sinfonica-do-teatro-nacional-de-brasilia/

      Avicenna

  4. Permite-me ficar corado? É como estou. Não sou bom enxadrista, por primeiro porque não sei mesmo jogar bem, e por segundo, porque amiúde sofro da tal cegueira do xadrez, que acomete raramente os mestres e frequentemente os medíocres no jogo. Ocorreu algo do tipo, ao não localizar na lista do site o mestre Gomes, André da Silva.
    Resta-me pedir desculpas e parabenizar, louvar o site por ter tal acervo de boas obras, bem como, especialmente, agradecê-lo pela resposta e pela presteza com que a deu. Agradeço também pelo “meu jovem”, minha juventude que já se faz longe há tempos. : o )
    Grato, e um grande abraço
    Elcio

Deixe uma resposta