Sofia Gubaidulina (1931): A Paixão Segundo São João

MI0001050182Ainda não conhecia esta gravação da compositora russa Sofia Gubaidulina. Assustei-me com os badalos iniciais de sinos revoltos. Toda a trascendentalidade do Evangelho segundo São João torna-se num áspero e místico grito pela revelação da alma humana. Existe uma espiritualidade latente nas composições de Gubaidulina, o que torna suas obras em confissões abstratas de fé. A compositora é praticante do cristianismo ortodoxo dos russos. Dos livros evangélicos, João é aquele que revela um Cristo místico, semelhante ao Pai em conteúdo, infinitude e substância. Faço duas menções a este fato: (1) Aquela em que o evangelista diz que “No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus; e o Verbo era Deus”; e (2) aquela passagem na qual Cristo debate com os fariseus, religiosos ortodoxos do antigo Judaísmo, e afirma: “Antes que Abraão existisse EU SOU”. Tal afirmação abriga implicações filosóficas e teológicas. Gubaidulina consegue, por meio de sua religiosidade, transpor com uma linguagem muito própria, os aspectos mais profundos do evangelho segundo João. Sendo muito mística, a compositora busca fazer uma confissão entre ela e o Absoluto. A sua música é o símbolo, a ponte, que viabiliza a ligação. Não deixe de ouvir esta impressionante gravação. Boa apreciação!

Sofia Gubaidulina (1931): A Paixão Segundo São João

DISCO 1

01 – The Word
02 – The Washing of Feet
03 – The Commandment of Faith
04 – The Commandment of Love
05 – Hope
06 – Liturgy in Heaven
07 – Betrayal, Denial, Flagellation, Condemnation

DISCO 2

01 – The Way to Golgotha
02 – A Woman Clothed with the Sun
03 – Entombment
04 – The Seven Bowls of Wrath

Orchestra de Mariinky-Theatre St. Petersburg
Valery Gergiev, regente
Natalia Korneva, soprano
Viktor Lutsiuk, tenor
Fedor Mozhalev, barítono
Genady Bezzubenkov, baixo

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Sofia Gubaidulina
Sofia Gubaidulina

Carlinus

17 comments / Add your comment below

  1. Amigos,

    como eu não tenho mais a uem recorrer, será que algum de voces poderia me dizer se a coleção da Deutsche Grammophon “Obra Completa” com 18 Cd´s do Mahler vale a pena em termos técnicos?

    Não e refiro, obviamente, ao preço, mas sim à regencia, orquestração, se as versões apresentadas são do “canone” etc e etc.

    Esses são os dados:

    CD1
    Symphony No.1 in D
    Symphonieorchester des Bayerischen Rundfunks / Rafael Kubelik, conductor

    “Blumine”
    Boston Symphony Orchestra / Seiji Ozawa

    CD2
    Symphony No.2 in C minor – “Resurrection”
    Wiener Philharmoniker / Zubin Mehta

    CD3-CD4
    Symphony No.3 in D minor
    Royal Concertgebouw Orchestra / Bernard Haitink

    CD5
    Symphony No.4 in G
    The Cleveland Orchestra / Pierre Boulez

    Symphony No.2 in C minor – “Resurrection” – Totenfeier
    Chicago Symphony Orchestra / Pierre Boulez

    CD6
    Symphony No.5 in C sharp minor
    Wiener Philharmoniker / Leonard Bernstein

    CD7
    Symphony No.6 in A minor
    Berliner Philharmoniker / Claudio Abbado

    CD8 – CD9
    Symphony No.7 in E minor
    Philharmonia Orchestra / Giuseppe Sinopoli

    CD10
    Symphony No.8 in E flat – “Symphony of a Thousand”
    Chicago Symphony Orchestra / Georg Solti

    CD11 – CD12
    Symphony No.9 in D
    Berliner Philharmoniker / Herbert von Karajan

    CD13
    Symphony No.10 in F sharp (unfinished) Ed. Deryck Cooke
    Radio-Symphonie-Orchester Berlin / Riccardo Chailly

    CD14
    Das Lied von der Erde
    Berliner Philharmoniker / Carlo Maria Giulini

    CD15
    Songs from “Des Knaben Wunderhorn”
    Anne Sofie von Otter, Thomas Quasthoff
    Berliner Philharmoniker / Claudio Abbado

    CD16
    Lieder eines fahrenden Gesellen
    Kindertotenlieder
    Ruckert-Lieder
    Thomas Hampson, Wiener Philharmoniker / Leonard Bernstein

    CD17
    Das Klagende Lied
    Susan Dunn, Brigitte Fassbaender
    Werner Hollweg, Andreas Schmidt, Markus Baur
    Stadtischer Musikverein, Dusseldorf
    Radio-Symphonie-Orchester Berlin / Riccardo Chailly

    CD18
    Songs from “Des Knaben Wunderhorn” Orchestration: Harold Byrns
    1. Fruhlingsmorgen
    Bernd Weikl, Philharmonia Orchestra / Giuseppe Sinopoli

    2. Erinnerung
    Anne Sofie von Otter, Ralf Gothoni

    Lieder und Gesange aus der Jugendzeit (Arrangements for Orchestra by Luciano Berio)
    3. Hans und Grethe
    Thomas Hampson, Philharmonia Orchestra / Luciano Berio, conductor

    4. Serenade (from: “Don Juan”)
    5. Phantasie (aus “Don Juan” von Tirso de Molina)
    Anne Sofie von Otter, Ralf Gothoni

    Songs from “Des Knaben Wunderhorn” Orchestration: Harold Byrns
    6. Um schlimme Kinder artig zu machen
    Bernd Weikl, Philharmonia Orchestra / Giuseppe Sinopoli, conductor

    7. Ich ging mit Lust durch einen grunen Wald
    8. Aus! Aus! “Heute marschieren wir!”
    Anne Sofie von Otter, Ralf Gothoni

    Lieder und Gesange aus der Jugendzeit
    9. Starke Einbildungskraft (Des Knaben Wunderhorn)
    Thomas Hampson, David Lutz

    Songs from “Des Knaben Wunderhorn” Orchestration: Harold Byrns
    10. Zu Strasburg auf der Schanz [3:59]
    11. Ablosung im Sommer [1:32]
    Bernd Weikl, Philharmonia Orchestra / Giuseppe Sinopoli, conductor

    Lieder und Gesange aus der Jugendzeit (Arrangements for Orchestra by Luciano Berio)
    12. Scheiden und Meiden [2:08]
    Thomas Hampson, Philharmonia Orchestra / Luciano Berio, conductor

    Songs from “Des Knaben Wunderhorn” Orchestration: Harold Byrns
    13. Nicht wiedersehen [5:46]
    14. Selbstgefuhl [1:59]
    Bernd Weikl, Philharmonia Orchestra / Giuseppe Sinopoli, conductor

    Fruhe Lieder
    15. Im Lenz
    16. Winterlied
    17. Maitanz im Grunen
    Thomas Hampson, David Lutz

    Piano Quartet in A minor (1876) Quartet for piano, violin, viola and cello
    Gidon Kremer, Veronika Hagen, Clemens Hagen, Oleg Maisenberg

    Carl Maria von Weber: Die drei Pintos (completed by Gustav Mahler)
    19. Entr’acte
    Russian National Orchestra / Mikhail Pletnev, conductor

  2. Lucas, ao utilizar o termo “promissora” não quis afirmar que Gubaidulina precise de legitimidade ao 79 anos de idade. A afirmação que fiz foi mais para mim do que qualquer coisa. Queria dizer apenas que tudo aquilo que tenho escutado dela, a compositora se mostra sempre “promissora”. Ou seja, ela nunca me decepcionou. Ela é fantástica. Talvez o termo tenha sido mal empregado. Devo retificar a semântica. Obrigado por me fazer refletir sobre aquilo que escrevi.

    Abraços!

  3. Guilherme, se fores comprar, pode comprar de olhos fechados. Só tem feras aí. Alguém até pode ter alguma implicância com alguma gravação dessas, mas no conjunto da obra, com certeza vale a pena. Tenho três integrais de Mahler com alguns destes regentes acima, Kubelik, Sinopoli e Bernstein, e todas elas tem seus altos e baixos, mas volto a repetir, no conjunto da obra, são gravações excelentes. Até eu fiquei interessado, não conheço essa versão do Boulez para a segunda sinfonia.
    Para concluir, dia desses estava assistindo o novo filme do Scorcese, o excelente “Ilha do Medo”, e na trilha sonora tem este Quarteto de Cordas.

  4. Guilherme, eu tenho essa coleção e é bem boa. Tenho implicância só com a “Wunderhorn” do Abbado e com a Quarta do Boulez (FDP, a Segunda é a clássica do Mehta, o Boulez faz só a “Totenfeier”, que é a versão original – e meio chata – do primeiro movimento da Segunda). As demais gravações – Nona do Karajan, Oitava do Solti, Quinta do Bernstein, Primeira do Kubelík etc – são incríveis.

  5. Então não estou ficando maluco, José Eduardo, pois nunca tinha ouvido falar de uma gravação da Segunda Sinfonia com o Boulez. Por falar nela, o que você me diz da versão do Solti? Já li comentários de que é uma das melhores. Tenho a versão do Bernstein em DVD, e ele toca em uma igreja, mas com a Sinfônica de Londres, e também é muito boa. Já comentei isso em outra ocasião, mas meu primeiro contato com o Mahler foi com o Mehta tocando a Quinta Sinfonia, com a Filarmônica de Nova York. Se duvidar, ainda tenho o LP.

  6. Quando vi esta postagem da Gubaidulina e o selo da gravadora Hanssler pensei imediatamente que a regência era do Helmuth Riling, mas qual a minha surpresa quando vi o nome do Gergiev!

  7. Caro Carlinus:

    Baixei há pouco estes CDs (fiz um arquivo único em meu PC) e estou ouvindo-os. Esta obra faz-me lembrar a Liturgia de São João Crisóstomo, de Tchaikovsky. Como gosto muito desta a ora postada também despertou minha simpatia. Tenho curiosidade em conhecer mais obras influenciadas pelo Cristianismo Ortodoxo.

    Saudações Musicais!

  8. como os comentarios fazem referencia aos tradicionais sinos russos, achei que poderia ser interessante colocar os comentarios que encontrei quando fiz o tag do cd… talvez sejam comentario do libreto, nao sei.

    “The pealing bells that open Sofia Gubaidulina’s St. John Passion immediately announce not only its importance, but also its place firmly in the Russian musical tradition. The work is full of declamatory, hieratic solo passages and rich choral contributions, along with references to Russian Orthodox chants. Gubaidulina’s text combines the Passion story with the Last Judgment, using excerpts from the Gospel According to Saint John interspersed with selections from other Books, including Revelations. It’s a grim work, brilliantly inventive throughout, with original touches, such as a dialogue between baritone and timpani, and a Day of Wrath featuring menacing percussion and truly terrifying brass yowls and rumblings. Along with these and many other personal visions are echoes of Mussorgsky, as well as the Stravinsky of Les Noces. Gergiev leads a deeply moving performance, intensely dramatic, never flagging in interest or tension, and his soloists are all outstanding. This must be heard by anyone interested in modern music that’s both accessible and challenging. Part of a series of commissioned oratorios on the Passion story for the Bach Year, it’s a worthy tribute to the Bach Passions that inspired it. –Dan Davis”

  9. O tipo de religiosidade em sua obra me lembra aquela presente em Olivier Messiaen…ou estaria delirando?

    Bela postagem, Carlinus! Obrigado!

  10. Minha nossa! Vou precisar de alguns dias para assimilar e outros tantos para me acostumar com essa paixão…mas obrigado pela postagem.
    abraços

Deixe uma resposta