Anton Bruckner (1824-1896): Sinfonia Nº 9

IM-PER-DÍ-VEL !!!

O famoso e já citado Manual do Blefador ensina-nos a respeito de Bruckner:

É costume dizer que Bruckner foi um homem muito simples — praticamente um menino natural, falam alguns. Se, depois de ouvir uma de suas sinfonias, você ainda achar que ele era simples, então você não é o tipo de pessoa que deveria estar lendo este livro. De fato, Bruckner era profundo como o oceano. Era também organista e organistas estão longe de ser homens simples. Outro erro comum a seu respeito é equipará-lo a Mahler. A única coisa que tinham em comum era o gosto pelas sinfonias longas. Enquanto Mahler queria realmente que as pessoas gostassem e desfrutassem de suas sinfonias, Bruckner não poderia ter se importado menos com isso. Em meio a toda a grana que rolava em Viena no meio musical em fins do século XIX, Bruckner silenciosamente gostava de escrever sinfonias imensas e inacessíveis, e não poupava esforços para não parecer artista — usava cabelo curto e bigodinho. Só Elgar conseguia parecer menos músico.

(E segue, terminando assim…)

Desista, Bruckner simplesmente não compôs pequenas peças recomendáveis.

Lembro de como meu filho, aos três anos de idade, dançava loucamente com o Scherzo desta 9ª Sinfonia. Eu dizia a meus amigos músicos:

– Ele não ouve Xuxa nem Eliana, só quer saber de Bruckner…

Abraço, filho!

Imperdível esta gravação menos intensa e marcada de  Yannick Nézet-Séguin. Vale a pena ouvir.

E aumente BASTANTE o volume, senão não funciona! Se os vidros não tremerem com os baixos, ainda não estará no volume adequado, OK?

Symphony No. 9 em Ré Menor de Anton Bruckner (Ed. Nowak)

1. Symphonie Nr. 9 d-moll: 1. Feuerlich, misterioso 26`50
2. Symphonie Nr. 9 d-moll: 2. Scherzo. Bewegr, lebhaft – Trio, Schnell 10`25
3. Symphonie Nr. 9 d-moll: 3. Adagio. Langsam, feierlich 29`48

Orchestre Métropolitain du Grand Montréal
Yannick Nézet-Séguin

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Otto Bohler: silhueta de Anton Bruckner

PQP

8 comments / Add your comment below

  1. Thiago Zuk… já eu não consigo ficar 1 semana sem ouvir algumas sinfonias deste tremendo compositor; que em certos aspectos nenhum se comparava. Esculte (num bom volume) a sin.1, 4 (minha favorita) e pelo menos os 2 ultimos mov. da 8. Melhor ainda, ouça uma orquestra ao vivo tocando Bruckner.

    Em muitos aspectos, ele é meu favorito.

  2. Mas Bruckner tem uma coisa, só dá para ouvir prestando muito atenção, você tme que parar com tudo, deixar de se distrair com qualquer e apenas prestar atenção na música… há momentos que ela mesmo te sugere fechar os olhos; caso contrário, apenas irá virar um monte de sons, barulhos…

  3. Minha história com as sinfonias de Bruckner tem algo de curioso. Em 99 comprei um lote de LPs com a maioria delas em pela Orkestgebouw com Haitink. Por uns três anos os discos ficaram na estante, sem audição. Foi só em 2002, com mais tempo disponível para lazer, que eu me propus a passá-los para CD e prestar atenção na obra sinfônica do compositor. Desde então ouço suas sinfonias com a paixão de uma criança e com a compenetração de um monge ao mesmo tempo. Alto, bem alto sempre que posso, e sempre me arrepio, por vezes vertendo lágrimas e sentindo minha respiração alterada de tanto que me envolve. Ouvir suas sinfonias é uma experiência íntima, individual, e pronto. As gravações de Haitink são, aliás, minhas favoritas. Faz pouco tempo adquiri estas em CD. Gosto de todas, algumas em especial, mas a verdadeira emoção aflora em mim quando ouço os primeiros compassos da sétima. Em tempo, excelente blog!E bem aventurado seu filho em poder ter esse estímulo em ouvir música clássica! Eu lembro que era fascinado pelo Bolero de Ravel desde os dois anos de idade,mas isso já é outra história. Um abraço!

  4. Broder, para mim, Bruckner ainda era desconhecido, porém lendo a resenha, acredito que valerá a pena conhece-lo! No geral além dos já consagrados pela mídia, estava a ouvir Carulli, Cambini, Ernst Eichner, Quantz, entre outros, mas curiosamente Bruckner ainda não!

    Parabéns pela qualidade do site!

  5. Bruckner é muito bom. As sinfonias 7, 8 e 9 dele sao obras primas. O Adágio da sinfonia 9 é das melhores coisas que já ouvi na vida.

Deixe uma resposta