Anton Bruckner (1824-1896): Sinfonia Nº 7 (em transcrição para órgão)

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Eu sei que Bruckner foi um grande organista e não deveria surpreender que suas sinfonias se adaptassem ao instrumento, mesmo assim tomei um susto ao ver minha amada sétima transcrita. Pois gostei. Achei que Stender saiu-se muito bem, apesar da estranheza com alguma falta de ênfase em momentos que os regentes atuais estão em paroxismo balançando os braços e a cabeça como os bonecos de ar dos postos de gasolina. Como sou um autêntico extra-terrestre, a 7ª é minha sinfonia preferida de Bruckner ao lado da 5ª (assim como minha sinfonia preferida de Mahler é a enorme 3ª…). É claro que Stender não chega nem próximo da impressão causada por uma gravação como a de Haitink, mas sua versão é quase tese. Será que Bruckner compunha pensando no órgão? Refiro-me, claro, ao órgão instrumento, não ao outro órgão, centro e razão de nossas vidas, até a de Bruckner, embora ele não soubesse. Não resisto a qualificar este humilde registro de uma obscura gravadora como IM-PER-DÍ-VEL !!!, mas apenas para quem gosta do estranho Anton Bruckner.

Bruckner: Sinfonia Nº 7 (em transcrição para órgão)

1. Allegro moderato 17:53
2. Adagio (Sehr feierlich und sehr langsam) 15:15
3. Scherzo (Sehr schnell) 9:38
4. Finale (Bewegt, doch nicht zu schnell) 13:05

Ernst-Erich Stender, transcrição e órgão

Ernst-Erich Stender an der Großen Orgel der St. Marienkirche zu Lübeck

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Mexendo no órgão de Bruckner

PQP

7 comments / Add your comment below

  1. As sinfonias de Bruckner são maravilhosas, veja o adagio miraculosus con expressione divinae da setima no youtube:

    http://www.youtube.com/watch?v=5FRUmI89-IE

    Não sei se pqp e os demais admiradores de Bruckner já escutaram a gravação de Haitink com a concertgbow da Oitava:

    http://oidofino.blogspot.com/2009/08/bruckner-sinfonia-n-8-haitink-rco-120.html

    escutei e pensei em ir lá comentar do milagre que ficou esta gravação. Li os comentários no blog e preferi ficar quieto. Estupenda versão.

  2. Grande PQP!

    MUITO OBRIGADO!

    Não conhecia esta versão para órgão da 7ª Sinfonia de Bruckner. Realmente Sensacional!

    Agora não entendi por que você se chamou de ET por dizer que as suas sinfonias preferidas de Bruckner são a 5ª e a 7ª.

    Acho perfeitamente normal. Cara, a 7ª é de um lirismo impressionante. Impossível não se comover com aquele Adágio. Dá até para entender o sentimento que Bruckner teve quando soube da morte de Wagner.

    Quanto a 5ª, camarada, que aula de contra-ponto. Para mim a mais cerebral das sinfonias. Não me admira que a sua preferida de Mahler seja a 3ª. Já escutou com o Gunther Wand e Berlim?

    Um abraço! E valeu de novo!

  3. http://www.youtube.com/watch?v=5FRUmI89-IE Eis o Adagio que comove ao piano.

    ainda no youtube, procurando ‘bruckner piano’, é possivel encontrar o 1 mov da divina maravilhosa e demais 7° sinfonia adaptada ao piano. Dois outros usuarios aparecem tocando (piano) alguns fragmentos da terceira e também da oitava.

    Como amo mesmo Bruckner, não deixem, aqueles que gostam evidente, de procurar no youtube ‘bruckner brass'(procurem por ‘annamia siegfried’ se gostar de wagner… porque da Annamia voce vai gostar) O link que deixo abaixo não tem a tuba, sniiffsss, e parece estar fora do tempo em relação ao (imaginário) som da orquestra. Mas é bom:

    http://www.youtube.com/watch?v=ilJvLCQUyzc&feature=related

    com tuba: http://www.youtube.com/watch?v=-SJA7ERoyT4&NR=1

    Em tempo: já ouviram a versão comemorativa da Oitava com Haitink e a Concertgebow??? Baixei faz um tempo sem ler os comentários, então ouvi uma duas e continuo ouvindo. Pensei em voltar ao blog para comentar sobre a versão, e ao ler os outros comentários resolvi ficar calado. Caso pqp e demais admiradores não conheça hmmmm, faz sentido conhecer esta interpretação. Estupenda

    http://oidofino.blogspot.com/2009/08/bruckner-sinfonia-n-8-haitink-rco-120.html

    Agora um pedido: não me recordo qual de voces irmãos disse que subiria os quartetos de cordas de Hindemith… Nós que aqui estamos por eles esperamos.

  4. Achei sensacional, a sinfonia ficou perfeita no órgão, a única coisa que estranhei foi a falta de ênfase em alguns movimentos que PQP disse, ainda mais que estava acostumado com a gravação do Celibidache, mas, excelente o post.

  5. Tanto essa transcrição como a gravação são muito interessantes. Evidente a orquestração de Bruckner tem lá seus traços organísticos – acho que é isso que a torna tão original, diferente da vala comum wagner-lizstiana em que se costuma atirar Bruckner.

    Há um CD bem curioso do organista Erwin Horn tocando a obra organística completa de Bruckner (que é pequena, apesar de Bruckner ter sido um formidável e célebre organista), mais algumas transcrições. Vale conhecer. Há uma peça chamada “Improvisação Bad Ischl” que nada mais é que o Finale da Primeira Sinfonia. De tirar o fôlego!

Deixe uma resposta