Johann Sebastian Bach (1685-1750) – The Yale Cellos of Aldo Parisot

DE-3041-2Talvez para me redimir do erro crasso que foi ignorar a gravação pioneira do decano dos violoncelistas brasileiros, o potiguar Aldo Parisot, e atribuir erroneamente a Dimos Goudaroulis a primeira gravação brasileira da integral das Suítes para violoncelo solo de J. S. Bach, apresento-lhes um belo álbum em que Parisot rege o conjunto de violoncelos da Universidade de Yale, formado por seus alunos, e que leva seu nome.

O álbum original, como vocês podem perceber pela capa rasurada, não continha somente obras de J. S. Bach, mas também outras tantas do maior dos compositores brasileiros, que se inspirou em Bach para compor um conjunto de nove obras, cujos títulos, mui apropriadamente, remetem a Bach. Duas dessas obras – a primeira e quinta da série – foram compostas para conjunto de violoncelos (acompanhados, na quinta, por uma soprano solista, que nesta gravação é a excelente Arleen Augér).

Lamentavelmente, não temos a autorização dos representantes dos direitos de tal compositor para divulgar suas obras por aqui. Assim, deixamos que as obras de Bach lhes mostrem a beleza do som do coro de violoncelos burilado por Parisot, enquanto vocês ficam imaginando como as obras do compositor-de-quem-não-se-diz-o-nome não soariam com esse conjunto.

Ou, ah sim, também podem comprar o disco. É só clicar a imagem acima.

(ou, então, escutar no YouTube – mas, shhhhhh, não espalhem!)

JOHANN SEBASTIAN BACH (1685-1750)

01 – Suíte para orquestra no. 3 em Ré maior, BWV 1068 – Ária
02 – Partita para violino solo no. 2 em Ré menor, BWV 1004 – Chaconne
03 – O Cravo bem Temperado, livro I – Prelúdio e Fuga em Mi bemol menor, BWV 853
04 – O Cravo bem Temperado, livro I – Prelúdio em Si bemol menor, BWV 867
05 – Suíte para violoncelo solo no. 6 em Ré maior, BWV 1012 – Sarabande

The Yale Cellos of Aldo Parisot
Aldo Parisot, regência
Arranjos para conjunto de violoncelos: Aldo Parisot
(os excertos d’O Cravo bem Temperado foram arranjados, parece, por um grande compositor brasileiro)

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

O maior compositor cujas obras vocês não encontrarão aqui no PQP Bach
O maior compositor cujas obras vocês não encontrarão aqui no PQP Bach

Vassily Genrikhovich

10 comments / Add your comment below

  1. Ola Vassily
    Belo post novamente. Mas que puta falta de sacanagem dos representantes dos direitos do compositor-que-nao-pode-ser-nomeado. Não consigo entender essa postura. Agir assim não ajuda o tal compositor vender mais discos, acredito mesmo que o contrário seja verdade, portanto estes FDPs estão a prejudicar a si mesmos. Muita ignorância….

    1. Obrigado, Sal!
      Pena, mesmo. O acervo das obras d’aquele-cujo-nome-não-se-diz no PQP Bach era maravilhoso. Como o PQP afirmou no seu comunicado “Curto e grosso”, é muito provável que o próprio compositor, um criador desenfreado e grande promotor do ensino da Música no Brasil, defendesse sua divulgação aqui. Concordo com você quanto ao efeito da divulgação sobre as vendas, pois adquiri várias das gravações aqui postadas. Os detentores dos direitos de suas obras pensam diferente, mas isso não ajuda, por exemplo, a divulgar discos fora de catálogo, ou a trazê-los de volta ao mercado.

  2. Incrível isso. Um meio de divulgação maravilhoso como esse site ficar impedido, pela força das trevas, a repartir a obra de “VALDEMORT”. É de extrema ignorância. Que, ao final de alguns anos, essa ignorância não o leve ao umbral do esquecimento.
    Ah, ia esqueçendo, maravilhoso o som dos violoncelos. Obrigado.

  3. Bom dia!

    Por gentileza, conhece algum local/site onde possa encontrar as obras do Villa?
    Estou fazendo um trabalho sobre ele e queria acessar as obras (tenho pouca coisa).

    Abraços e obrigado,

    Rafa

  4. A ária da Suite número 3 é muito especial para mim. Quando criança, eu a escutava todos os dias no antigo Colégio Marista Cearense, e foi ao som dela que a dona Sueli entrou na igreja há 15 anos para se tornar minha esposa.

    A propósito do compositor proibido, fui baixando tudo que foi postado sobre ele aqui, antes da interdição, inclusive uma versão supimpa do “Assovio a Jato” (citar os nomes das obrar dele pode, ou não?).

    1. Eu também enchi os cantis musicais aqui com as obras do “proibidão” antes da interdição. Não cito o nome dele aqui, claro, como uma brincadeira amargurada, pois, naturalmente, citar o nome dele e das obras [ainda] não é vedado pelos detentores de seus direitos autorais.

  5. Vassily,
    Com um atraso de 4 anos dou-lhe os parabéns pela “redenção” sobre Parisot. Tenho os LPs do violoncelista, comprados despretensiosamente num sebo, há séculos (imagine alguém comprando lps em um sebo para ouvir no próprio toca-discos…) e foi através deles que comecei a ouvir as suítes para cello de Bach. Ainda me impressiona a interpretação…
    Obrigado por mais esta bela postagem!
    🙂
    Rameau

Deixe uma resposta