W. A. Mozart (1756-1791) – Concertos para Piano Nº 15, 16, 17 e 18

É impressionante pensar que em um ano, Mozart compôs seis concertos e, mais ainda, se pensarmos que não havia uma receita de bolo a seguir: foram concertos inovadores em comparação com os anteriores. Como estamos indo de trás pra frente, hoje o dia é do 15º ao 18º, todos compostos em 1784.

O Concerto nº 15 já começa quebrando paradigmas, com o oboé e o fagote tocando sozinhos, para só no terceiro compasso os violinos e violas entrarem. As partes das madeiras nos concertos de Mozart, a partir deste 15º, ganham independência em relação às cordas. É um concerto com uma atmosfera bucólica, pastoral, um pouco como um dos quadros de Watteau (1684-1721),  pintor francês que representa como poucos o Antigo Regime naquelas cenas campestres onde os aristocratas se divertiam sem se preocupar com o dia de amanhã. As paisagens campestres bucólicas de Watteau são palco de festas e encontros, formando retratos vivos de uma época considerada decadente mas extremamente elegante e requintada.

A flauta em “Accord Parfait” de Watteau

O Concerto 17 é outro que também combina com essa elegância bucólica do mundo pré-Revolução. Flauta, oboé e fagote fazem uma entrada surpresa no 4º compasso, algo que seria impensável nos concertos de juventude de Mozart. Como escreveu Aaron Copland, o oboé tem um som algo pastoral, enquanto o fagote, nos seus registros mais graves, é capaz de um staccato bem-humorado, que tem um efeito quase cômico.

Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791)
Concerto para piano e orquestra n. 15 em Si Bemol Maior, KV. 450
1. Allegro
2. Andante
3. Allegro

Concerto para piano e orquestra n. 16 em Ré Maior, KV. 451
1. Allegro
2. Andante
3. Allegro di Molto

Concerto para piano e orquestra n. 17 em Sol Maior, KV. 453
1. Allegro
2. Andante
3. Allegretto – Finale (presto)

Concerto para piano e orquestra n. 18 em Si Bemol maior, KV. 456
1. Allegro Vivace
2. Andante un poco sustenuto
3. Allegro Vivace

Academy of St. Martin in the Fields
Alfred Brendel, Piano
Sir Neville Marriner, regência

BAIXE AQUI (DOWNLOAD)

Baixe aqui o 1º mov. do Concerto 15, que faltou no link que estava até dia 24/9.

Pleyel

5 comments / Add your comment below

  1. cara, eu adoro o caráter estritamente cultural desse blogue.será que você poderia tornar disponível para nós carmen, de bizet, na voz de callas?

  2. Possuo a coleção inteira do Brendel com o Marrimer, nem sei dizer quantos cds são… na verdade, o Brendel se responsabiliza pelos concertos a partir do de nº8, se não me engano. Outros nomes como Ingrid Haebler e as irmãs Katia e Marielle Labeque se encarregam dos restantes. De qualquer forma, essa coleção vale todos os minutos investidos nela… Brendel é um pianista experiente e não deixa a bola cair em nenhum momento. A ASMF com seu eterno diretor, Neville Marriner também possui experiência suficiente para conseguir um resultado maravilhoso, com uma suavidade única. Ponto para o colega Ricardo por disponibilizá-la. Caso alguém se interesse pelas outras 15, posso me colocar a disposição para liberá-la. No final destas postagens, a nível de comparação, como sempre fazemos aqui, me proponho a liberar a gravação do concerto nº 27 com o pianista russo Emil Gilels… será com certeza uma batalha de gigantes. O seu FDP Bach

Deixe uma resposta