Joseph Haydn (1732-1809): Sinfonias 22 ● 26 ● 67 ● 80 – BBC Philharmonic ● Nicholas Kraemer

Haydn

Sinfonias 22 ● 26 ● 67 ● 80

BBC Philharmonic 

Nicholas Kremer

Imagine a alegria de um entusiasmado jornalista instalado na seção de música clássica de uma enorme emissora de rádio ao receber sua tarefa: ouvir a cada uma das sinfonias de Haydn e colocá-las em ordem de grandeza ou brilho, como melhor lhe aprouver.

Acredito que a tarefa o deixou um pouco lelé por uns dias. Mas foi levada a cabo e o resultado você pode conferir aqui, mesmo que lembremos do adágio “gosto não se discute”!

Realmente, eu mesmo não ouvi a todas as sinfonias escritas por Haydn, mesmo se considerarmos, como o fez o jornalista, apenas as “oficialmente” numeradas.

Há um projeto já em curso – Haydn 2032 – que refere-se ao ano no qual comemorar-se-á os 300 anos de nascimento de Haydn, de gravar todas as sinfonias por ele escritas, inclusive as que serão descobertas até lá. O projeto envolve mais do que uma orquestra e os discos (alguns já lançados) trazem além das sinfonias de Haydn, peças de compositores seus contemporâneos, para colocar suas obras em alguma perspectiva.

Ah, as efemérides! Se não fosse por elas, o que seria dos marqueteiros? Bom, acredito que eles inventariam algo…

Bem, deixemos de digressões e vamos ao disquinho da postagem: quatro sinfonias de Haydn gravadas ao vivo pela BBC Philharmonic sob a regência de Nicholas Kraemer entre os anos de 2007 e 2009, reunidas neste álbum lançado em 2009 como parte das homenagens a Haydn na ocasião da passagem de 200 anos desde a sua morte. As sinfonias foram compostas entre os anos 1764 e 1784 e formam um pequeno painel da produção sinfônica de Haydn no seu período intermediário.

Decidi postar o disco pois a seleção é ótima, a interpretação se beneficia do senso de ocasião e o conjunto da obra é excelente.

Quem não estaria feliz ao reger tão lindas sinfonias?

Nicholas Kraemer, o regente, não é nome totalmente estranho aqui no PQP, mas é mais associado ao universo barroco. Este disco mostra que ele é ótimo também em outras circunstâncias e trataremos de convidá-lo mais vezes às nossas paragens.

As duas primeiras sinfonias recendem a incenso e poeiras de igreja. A Sinfonia No. 22 em mi bemol maior, com apelido “O Filósofo”, é de 1764 e destaca-se pelo uso de cornes-ingleses no lugar de oboés. Além disso, lembrando a estrutura da sonata da chiesa, seus movimentos são lento-rápido-lento-rápido. Você poderá saber mais sobre esta sinfonia aqui.

A Sinfonia No. 26, em ré menor, de apelido “Lamentatione”, é uma das primeiras do chamado grupo Sturm und Drang, e também uma das primeiras sinfonias de Haydn escrita em tom menor. O apelido se deve ao uso no adagio de uma melodia de um antigo cantochão sobre a Paixão de Cristo.

Em seguida a Sinfonia No. 67 em fá maior , composta em 1767 e bastante experimental. O grande musicólogo e expert em Haydn, H.C. Robbins Landon disse sobre essa sinfonia: one of the most boldly original symphonies of this period, ressaltando sua originalidade. Desde a sua abertura, até o uso de um violino diferenciado no minueto, temos sempre a presença do inesperado.

Para terminar a lista, a Sinfonia No. 80, em ré menor, que fazia parte de um grupo de três sinfonias, com as de números 79 e 81. Elas foram compostas em 1784 a pedido do Príncipe Nikolaus para serem apresentadas nos Lent Concertos – Concertos da Quaresma, em Viena, em março de 1785. Esta sinfonia está a um passo dos grupos de grandes sinfonias que viriam a seguir, as Sinfonias de Paris e as Sinfonias de Londres, e mostra como Haydn havia se preparado para esta última fase de sua carreira de compositor de (grandes) sinfonias.

Joseph Haydn (1732-1809)

Sinfonia No. 22 em mi bemol maior – O Filósofo

  1. Adagio
  2. Presto
  3. Menuetto e Trio
  4. Presto

Sinfonia No. 26 em ré menor – Lamentatione

  1. Allegro assai con spirito
  2. Adagio
  3. Menuetto e Trio

Sinfonia No. 67 em fá maior

  1. Presto
  2. Adagio
  3. Menuetto e Trio
  4. Finale: Allegro di molto – Adagio e cantábile

Sinfonia No. 80 em ré menor

  1. Allegro spiritoso
  2. Adagio
  3. Menuetto e Trio
  4. Finale: Presto

BBC Philharmonic

Nicholas Kraemer, regente

Produção: Mike George

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FLAC | 297 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

MP3 | 320 KBPS | 170 MB

 

Aposto como você não deixará de ler o artigo escrito pelo audaz jornalista e verificar em que posições ele ranqueou as sinfonias deste disco delicioso. Veja lá se você concorda com as escolhas dele. Basta ouvir as sinfonias e ir tomando notas. Pode começar com estas quatro aqui…

Aproveite!

René Denon

6 comments / Add your comment below

  1. Ola René, grande postagem. Muito bom ouvir Haydn tocado com elegância e bom gosto, o Nicholas Kraemer seguro e honesto na interpretação.
    Valew

  2. Caro René,
    além de agradecer pela postagem, saliento a classificação feita pelo jornalista e que você me fez descobrir: polêmica e provocante, para dizer o mínimo. Eu tenho o meu ranking, não de todas, mas das quinze que tomo como as melhores sinfonias do mestre; salvo uma e outra exceção, nenhuma das minhas prediletas se encontra no top 15 da referida lista. Vou lê-la com mais atenção, para aprender com ela e fazer as devidas conferências. Abraço

  3. Olá, Pedro!
    Eu confesso que também não encontrei no topo da lista algumas das minhas preferidas… Como se diz, cada cabeça, uma sentença! Mas essas coisas de listas e classificações são interessantes quando levadas só um pouquinho a sério. Tenho a impressão que se o jornalista fizesse a tarefa novamente, talvez usando outras gravações, acabaria resgatando algumas das nossas ‘favoritas’ e condenando outras que enalteceu.
    O mais importante é aproveitar a música!
    Eu simplesmente não canso de ouvir a Sinfonia do Filósofo, a primeira do disco.
    Abração!!
    René Denon

  4. Compartilho com você, René, meu Top 15:
    31 (Hogwood); 44 (Koopman); 45 (Pinnock); 48 (Pinnock); 52 (Kuijken); 70 (Hogwood)
    82 (Goodman); 86 (Christophers); 88, 92, 97, 98, 101, 102 e 104 (todas com Kuijken). Só para apimentar o papo. Verei se consigo avançar para abranger mais sinfonias nesta minha classificação.
    Abraço

  5. Olá, Pedro!
    Mandou bem na escolha!
    Eu gosto muito das gravações do Hogwood regendo a AAM nas Sinfonias 94, 96, 100 e 104, que já postei aqui.
    Gosto muito da gravação do Bernstein regendo a Wiener Philharmoniker nas Sinfonias 92, 94 e 88. Acho o último movimento da Sinfonia 88 muito bonito.
    Gosto do Pinnock nas Sinfonias Sturm und Drang, das quais você indicou algumas…
    Que tal, escolhi bem?
    Ah, é claro, este disquinho do Kraemer é ótimo..
    Abração!
    René Denon

Deixe uma resposta