Ludwig van Beethoven (1770-1827): Sonatas para Piano – Igor Levit – 7 de 9 – BTHVN250

 

BTHVN

Op. 78 ◦ Op. 79 

Op. 81a ‘Les Adieux’ ◦ Op. 90

 

 

Mais um passo nesta série de postagens das Sonatas para Piano de Ludwig van Beethoven, parte das nossas comemorações de 250 anos de seu nascimento.

Após as duas monumentais sonatas postadas no volume anterior, a Waldstein e a Appassionata, temos uma série de pequenas sonatas. É como se o inovador e inesgotável Ludovico precisasse tomar um fôlego e mostrar para a sua audiência também ser capaz de criar lindas e charmosíssimas peças para piano.

A sonata de maior extensão neste disco é a intitulada ‘Les Adieux’ e como muitas outras de suas obras, foi dedicada ao Arquiduque Rodolfo. A sonata tem um caráter programático, fazendo alusão à ocasião na qual o Arquiduque e boa parte da nobreza deixaram Viena por uma temporada, devido ao cerco da cidade pelas tropas de Napoleão. Os movimentos da sonata são intitulados Liebewohl, Abwesenheit e Wiedersehen – Adeus, Ausência e Reunião. A palavra Le-be-wohl foi escrita com as sílabas assim separadas sobre as três primeiras notas da sonata.

As três primeiras sonatas foram escritas por volta de 1809 e 1810. A última sonata do disco, escrita em apenas dois movimentos, é de 1814 e dedicada ao Conde Moritz Lichnowsky. Neste período Beethoven estava usando alemão para deixar as indicações de andamentos dos movimentos de suas obras.

Ludwig van Beethoven (1770-1827)

Sonata para piano No. 24 em fá sustenido maior, Op. 78

  1. Adagio cantábile – Allegro ma non troppo
  2. Allegro vivace

Sonata para piano No. 25 em sol maior, Op. 79

  1. Presto alla tedesca
  2. Andante
  3. Vivace

Sonata para piano No. 26 em mi bemol maior, Op. 81a – ‘Les Adieux’

  1. Das Lebewohl. Adagio – Allegro
  2. Das Wiedersehen. Andante expressivo
  3. Das Wiedersehen. Vivacissimamente

Sonata para piano No. 27 em mi menor, Op. 90

  1. Mit Lebhaftigkeit und darchaus mit Empfindung und Ausdruck
  2. Nicht zu geschwind und sehr singbar vorgetragen

Igor Levit, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FLAC | 125 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

MP3 | 320 KBPS | 111 MB

Aproveite bem esta beleza de disco e prepare-se para as duas últimas postagens da série e que já estão a vir!

René Denon

2 comments / Add your comment below

  1. René,

    Muito obrigado por compartilhar esta integral. Você tem alguma informação sobre o piano usado, se é um Steinway ou outro, em que sala foram as gravações e tal?

    P.ex., Pollini gravou quase todo seu Beethoven em Steinways na Herkulesaal de Munique, já Brautigam gravou em uma igreja cuja acústica casa perfeitamente com suas réplicas de pianos antigos.

    Ouvindo a Sonata Tempestade, algo me diz que não se trata de um Steinway… ou talvez sejam truques da acústica e microfonia… o fato é que gostei muito dos timbres de Levit ao piano, um som com caráter, que foge do trivial, nota 10, enquanto as escolhas interpretativas (andamentos etc) merecem um 8 pelo pouco que ouvi.

  2. Olá, Pleyel!
    Fico feliz em saber que você está acompanhando esta série de postagens com as Sonatas para Piano do Ludovico. Eu tenho gostado muito.
    Suas observações fazem coro com a maioria das críticas ao ciclo, que tendem a ser favoráveis, com algumas reservas. O site da Presto Music tem um resumo de algumas destas críticas e temos ali um razoável panorama de como o ciclo tem sido recebido. Este resumo pode ser visto aqui: https://www.prestomusic.com/classical/products/8649970–beethoven-the-piano-sonatas#reviews
    Uma crítica completa pode ser vista aqui: https://www.audiophilia.com/reviews/2020/1/27/beethoven-the-complete-piano-sonatasigor-levit
    Eu não tenho os detalhes técnicos desta gravação, mas o que eu sei é o seguinte. Os dois últimos discos, com as últimas sonatas, foram gravados em 2013, em Berlim, e foram lançados separadamente como o primeiro álbum do pianista.
    As sonatas restantes foram gravadas entre 2017 e 1019 e três diferentes locações foram usadas para todo o ciclo, em Hanover, Neumarket e Berlim. Acredito que foram em estúdios, mas não sei ao certo. Eu apostaria no Studio Teldex, em Berlim. http://www.teldexstudio.de/
    Quanto ao piano, a aposta no Steinway & Sons parece ser uma barbada! Nos filmezinhos de divulgação da Sony ele sempre aparece tocando um destes monstros. Por exemplo, a 2’31 deste aqui: https://www.youtube.com/watch?time_continue=15&v=2xSpGxAMGKs&feature=emb_logo
    Neste aqui também dá para perceber, se olharmos com cuidado… https://www.youtube.com/watch?v=5q72vXcAW0o
    Enfim, não vou deixar de ouvir Kovacevich ou Richard Goode, dois dos que eu gosto muito, mas o Levit está lá junto com eles, pelo menos na prateleira virtual…
    É espetacular poder desfrutar de tantas opções e Levit certamente oferece uma bastante especial.
    Abração!
    RD

Deixe uma resposta