Gaetano Donizetti (1797-1848) – Messa da Requiem – Rahbari, Virtuosi di Praga, Praga Kammerchoir

Postar um Requiem sempre dá um pouco mais de trabalho. Na verdade, por algum motivo, tenho certa resistência a postagens em que um instrumento chamado voz humana é o solista principal. Por isso, não posto tanta ópera quanto gostaria.
E esse Requiem que ora vos trago é fruto da mente fértil de um dos maiores compositores de ópera que já viveram sobre a Terra, e não estou falando de Verdi, e sim de um conterrâneo seu, Gaetano Donizetti. O cara compôs setenta e duas óperas !!!, em uma média de três por ano em um período de vinte e oito anos.
Porém este Requiem nunca foi concluído. E só foi estreado vinte anos após a morte do compositor. Os senhores irão verificar que falta sessões, como o “Benedictus” e o “Agnus Dei”.
Donizetti faleceu em 1848, vítima de doença mental.
O booklet do CD está em anexo ao arquivo. Ali terão maiores explicações sobre esta obra.

01. Introduzione
02. Kirie
03. Requiem
04. In Memoria aetera
05. Dies Irae
06. Tuba Mirum
07. Judex Ergo
08. Rex tremendae majestatis
09. Ingemisco
10. Praeces Meae
11. Confutatis maledictis
12. Oro Supplex
13. Lacrymosa diees illa
14. Offertorio
15. Libera me, Domine

Tiziana K. Sojat – Soprano
Vittorio Giammarrusco – tenor
Marcel Rosca – bass
Jaroslava Horska-Maxova – Mezzo Soprano
Zdenek Hlavka – baritone
Virtuosi di Praga
Prague Chamber Choir
Alexander Rahbari – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Maurice Ravel (1875-1937) – Complete Piano & Orchestral Works – Sansom François, Andre Cluytens, Orchestre de La Societé des Concerts du Conservatoire

Esta caixa foi uma de minhas principais aquisições no último ano. Traz dois excepcionais músicos franceses, Samson François e Andre Cluytens, um pianista e outro maestro, tocando exclusivamente Ravel.

O pianista francês Samson François foi um dos grandes nomes de seu instrumento na França. Suas gravações são altamente conceituadas e admiradas até hoje, mesmo passados quase cinquenta anos de sua morte, em 1970. Filho de diplomata francês , nasceu em Frankfurt e já desde os dois anos de idade já demostrava interesse pelo piano. Foi aluno de Alfred Cortot e Nadia Boulanger.

Nesta série de CDs que vou lhes trazer, o repertório é exclusivamente dedicado a Maurice Ravel. Na parte orquestral, ele está muito bem acompanhado por outro gigante francês dos palcos, Andre Cluytens. Falaremos mais sobre este maestro mais a frente.

Neste dois primeiros CDs temos a magnífica “Pavane pour une infante défunte”, talvez a mais bela obra composta por Ravel, de uma delicadeza e sensibilidade únicas as “Valses nobles et sentimentales”, “Gaspard de la nuit”. François era muito meticuloso e detalhista em suas interpretações, perfeccionista, eu diria, alguns podem achar que falta um pouco de coração e emoção em algumas obras exatamente devido a esta busca pela perfeição. Mas sabemos que nada é perfeito, por mais próximo que possa atingir deste nível.

CD 1
01. Ravel Pavane pour une infante défunte, M. 19
02. Ravel Jeux d’eau, M. 30
03. Ravel Menuet antique, M. 704.
04. Ravel Miroirs, M. 43 I. Noctuelles (Très léger)
05. Ravel Miroirs, M. 43 II. Oiseaux tristes (Très lent)
06. Ravel Miroirs, M. 43 III. Une barque sur l’océan (D’un rythme souple)
07. Ravel Miroirs, M. 43 IV. Alborada del gracioso (Assez vif)
08. Ravel Miroirs, M. 43 V. La Vallée des cloches (Très lent)
09. Ravel Sonatine, M. 40 I. Modéré
10. Ravel Sonatine, M. 40 II. Mouvement de menuet
11. Ravel Sonatine, M. 40 III. Animé
12. Ravel Ma Mère l’Oye, M. 60 I. Pavane de la Belle au bois dormant (For Piano 4-Hands)
13. Ravel Ma Mère l’Oye, M. 60 II. Petit Poucet (For Piano 4-Hands)
14. Ravel Ma Mère l’Oye, M. 60 III. Laideronnette, Impératrice des pagodes (For Piano 4-Hands)
15. Ravel Ma Mère l’Oye, M. 60 IV. Les Entretiens de la Belle et de la Bête (For Piano 4-Hands)
16. Ravel Ma Mère l’Oye, M. 60 V. Le Jardin féérique (For Piano 4-Hands)
17. Ravel Menuet sur le nom de Haydn, M. 58

CD 2

18. Ravel Gaspard de la nuit, M. 55 I. Ondine
19. Ravel Gaspard de la nuit, M. 55 II. Le gibet
20. Ravel Gaspard de la nuit, M. 55 III. Scarbo
21. Ravel Valses nobles et sentimentales, M. 61 I. Moderé et très franc
22. Ravel Valses nobles et sentimentales, M. 61 II. Assez lent et avec une expression intense
23. Ravel Valses nobles et sentimentales, M. 61 III. Moderé
24. Ravel Valses nobles et sentimentales, M. 61 IV. Assez animé
25. Ravel Valses nobles et sentimentales, M. 61 V. Presque lent, dans un sentiment intime
26. Ravel Valses nobles et sentimentales, M. 61 VI. Vif
27. Ravel Valses nobles et sentimentales, M. 61 VII. Moins vif
28. Ravel Valses nobles et sentimentales, M. 61 VIII. Épilogue (Lent)
29. Ravel Prélude, M. 65
30. Ravel À la manière de Chabrier, M. 632
31. Ravel À la manière de Borodine, M. 631
32. Ravel Le Tombeau de Couperin, M. 68 I. Prélude
33. Ravel Le Tombeau de Couperin, M. 68 II. Fugue
34. Ravel Le Tombeau de Couperin, M. 68 III. Forlane
35. Ravel Le Tombeau de Couperin, M. 68 IV. Rigaudon
36. Ravel Le Tombeau de Couperin, M. 68 V. Menuet
37. Ravel Le Tombeau de Couperin, M. 68 VI. Toccata

Sansom François – Piano

CD 1 BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 2 BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Piano Concertos – Mitsuko Uchida, Berliner Philharmoniker, Sir Simon Rattle

Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Piano Concertos – Mitsuko Uchida, Berliner Philharmoniker, Sir Simon Rattle

Amo todos os Concertos para Piano de Beethoven. Nem imagino quantas versões tenho, ou quantas já ouvi. e a pergunta se torna inevitável: com tantas versões no mercado há espaço para mais uma? Li crítica semelhante quando Alfred Brendel lançou sua terceira integral destes concertos, com o mesmo Simon Rattle, mas frente à Filarmônica de Viena. E estávamos falando de Alfred Brendel, um dos grandes pianistas do século XX.

Claro que Mitsuko Ushida tem seu lugar no Hall da Fama dos grandes pianistas do final do século XX, e ela também já havia gravado outra integral destes mesmos concertos pelo antigo selo Philips, e na época foi acompanhada pelo lendário maestro Kurt Sanderling. Já postamos esta série aqui, mas não creio que os links estejam ativos. E já se passaram uns vinte e poucos anos desde a realização daquelas gravações.

Esta edição que ora vos trago foi lançada pelo selo da própria Filarmônica de Berlim e foi gravada em 2010. É a edição mais completa a que já tive acesso. O booklet tem páginas e páginas de análises e informações e está disponível para os senhores.

Sir Simon Rattle impôs sua marca na orquestra nos anos em que esteve à sua frente, e agora cabe ao seu sucessor Kiril Petrenko a tarefa de manter o mesmo nível de qualidade.

Espero que apreciem.

Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Piano Concertos – Mitsuko Uchida, Berliner Philharmoniker, Sir Simon Rattle

01. Concerto for Piano and Orchestra No. 1 in C major, op. 15 – 1. Allegro con brio
02. Concerto for Piano and Orchestra No. 1 in C major, op. 15 – 2. Largo
03. Concerto for Piano and Orchestra No. 1 in C major, op. 15 – 3. Rondo. Allegro scherzando
04. Concerto for Piano and Orchestra No. 2 in B flat major, op. 19 – 1. Allegro con brio
05. Concerto for Piano and Orchestra No. 2 in B flat major, op. 19 – 2. Adagio
06. Concerto for Piano and Orchestra No. 2 in B flat major, op. 19 – 3. Rondo. Molto allegro
07. Concerto for Piano and Orchestra No. 3 in C minor, op. 37 – 1. Allegro con brio
08. Concerto for Piano and Orchestra No. 3 in C minor, op. 37 – 2. Largo
09. Concerto for Piano and Orchestra No. 3 in C minor, op. 37 – 3. Rondo. Allegro
10. Concerto for Piano and Orchestra No. 4 in G major, op. 58 – 1. Allegro moderato
11. Concerto for Piano and Orchestra No. 4 in G major, op. 58 – 2. Andante con moto
12. Concerto for Piano and Orchestra No. 4 in G major, op. 58 – 3. Rondo vivace
13. Concerto for Piano and Orchestra No. 5 in E flat major, op. 73 – 1. Allegro
14. Concerto for Piano and Orchestra No. 5 in E flat major, op. 73 – 2. Adagio un poco mosso
15. Concerto for Piano and Orchestra No. 5 in E flat major, op. 73 – 3. Allegro ma non troppo

Mitsuko Uchida – Piano
Berliner Philharmoniker
Sir Simon Rattle – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Claudio Monteverdi (1567-1643) – The Sacred Music I – Robert King, King´s Consort

“Para muitos amantes da música, a música da igreja de Monteverdi começa e termina com as suntuosas configurações das Vésperas que ele publicou, juntamente com uma Missa, em 1610. No entanto, as Vésperas de 1610, apesar de serem surpreendentes, formam apenas parte da produção total de música sacra de Monteverdi. Pertencem, paradoxalmente, a um período em que temos pouca evidência de seu trabalho como músico de igreja. A carreira de Monteverdi como músico profissional divide-se em dois períodos de duração quase igual. De 1590 ou 1591 a 1612, ele foi empregado como músico doméstico na corte de Vincenzo Gonzaga, governante do norte da Itália, Ducado de Mantua, e subiu para se tornar o maestro de corte da corte em 1601. A extensão do envolvimento de Monteverdi na música da igreja em Mântua não é clara. Ele não estava envolvido regularmente com o estabelecimento musical de Santa Bárbara, a capela ducal, que foi dirigida por Giacomo Gastoldi de 1582 a 1609, e a maioria de suas publicações do período de Mantua são de madrigais e ópera. No entanto, é bem provável que ele tenha escrito música sacra para ser executada nas capelas menores dentro do palácio ducal ou como música de câmara espiritual. Foi sugerido, também, que tanto os músicos da corte quanto os da capela possam ter unido forças pelo menos uma vez por ano em Santa Bárbara para celebrar o dia festivo de seu padroeiro, e que pelo menos algumas das músicas que aparecem no volume de 1610 podem foram escritos para estas ocasiões.
Igualmente, porém, a música produzida em 1610, publicada por Monteverdi em um momento de crescente insatisfação com as condições em Mântua, pode ter sido destinada simplesmente a demonstrar que ele era empregável como músico de igreja. O volume contém configurações para os dois serviços para os quais a música elaborada foi mais usada no final do Renascimento. A missa, a reencenação ritual da Última Ceia, foi a celebração central do dia da igreja, e Monteverdi fez uma grande jogada, no volume de 1610, ao escrever um cenário que imitava o estilo conservador de Palestrina e seus contemporâneos. Suas configurações de cinco salmos, hino, Magnificat e motets para as Vésperas, o principal culto noturno da Igreja Católica, são bem diferentes e usam todos os recursos da nova música do final do século XVI e início do XVII – harmonias ricas, expressivo operismo. solos e música elaboradamente ornamentada para serem interpretados por virtuosos cantores e instrumentistas.”

Claudio Monteverdi The Sacred Music – 1

1 Dixit [Dominus] Primo à 8 voci concertato
2 Confitebor Primo à 3 voci con 5 altre voci ne ripieni
3 Beatus vir I à 6 voci concertato
4 Laudate pueri Primo à 5 concertato
5 Laudate Dominum omnes gentes à 5 concertato
6 Christe redemptor omnium Himnus unius Martyris
7 Magnificat Primo à 8 voci
Messa à 4 da Cappella
8 Kyrie
9 Gloria Credo
10 Sanctus
11 Benedictus
12 Agnus Dei

CAROLYN SAMPSON, REBECCA OUTRAM soprano
ROGERS COVEY-CRUMP, NICHOLAS MULROY, DANIEL AUCHINCLOSS high tenor
CHARLES DANIELS, JAMES GILCHRIST tenor
PETER HARVEY, ROBERT EVANS bass
CHOIR OF THE KING’S CONSORT
THE KING’S CONSORT
ROBERT KING conductor

BAIXE AQUI -DOWNLOAD HERE

.: interlúdio .: Arthur Maia (1962-2018) – Planeta Música

No último dia 15 de dezembro o Brasil perdeu aquele que provavelmente foi o melhor contrabaixista que nasceu cá por terras brasileiras.
Conheci este excepcional músico em um show de seu lendário grupo, ‘Cama de Gato’, lá nos idos dos anos 80, quando tocaram em Florianópolis, tempos bons em que tínhamos excelentes grupos e músicos se apresentando na cidade, apoiados e patrocinados por um importante grupo de comunicação que atuava no sul do Brasil até há um tempo atrás.
Arthur Maia era muito requisitado nos estúdios, gravou com todo mundo. Seu estilo era um jazz funkeado, às vezes com influência do samba, da música latina, enfim, sua música não tinha fronteiras nem limites.
Este CD que ora vos trago foi lançado em 2002, e tem um timaço de músicos tocando, que demonstra o respeito que o músico tinha no circulo musical. Mike Stern e Dennis Chambers são alguns dos músicos presentes aqui.
Jamais poderia negar o quanto Arthur Maia me influenciou em se tratando de estilos musicais. Eu era um pouco resistente quando se tratava de música brasileira. Depois deste show do Cama de Gato mudei completamente minha percepção musical.
Este CD foi convertido em MP3 em meros 192 kbp/s. Infelizmente não tenho o CD original, apenas esta versão em mp3. Ele me foi repassado por um amigo, que me emprestou o CD e também realizou a conversão.
Quem morava em Floripa lá por 2002 eve lembrar que a faixa título desse CD, Planeta Música, tocava direto na Rádio Itapema. Música atemporal, que embalou muito final de tarde à beira mar.
Descanse em Paz, Arthur Maia.  Fico devendo a lista dos músicos convidados, se alguém tiver o CD poderia fazer a gentileza de passar esta relação?

01 DEOMBRO
02 MUCHACHA
03 GOGA
04 TRILOCK
05 PLANETA MUSICA CASCAVEL
06 DEPOIS DO AMOR
07 CANTAREIRA
08 A NOITE
09 CAMA DE GATO
10 MILES STRESS

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Serguei Rachmaninov (1873-1943) – Piano Concerto nº 1 in F-Sharp, op.1, Igor Stravinsky (1882-1971) – Capriccio for Piano & Orchestra, Rodion Shchedrin (1966) – Piano Concerto nº 2,

Completando a série das gravações dedicadas a Rachmaninov pela dupla Gergiev / Matsuev,  trago para os senhores o Primeiro Concerto, que segundo consta, o jovem Sergey compôs aos dezessete anos de idade, e mais tarde veio a revisá-lo.

Dos quatro concertos que Rach talvez este seja o mais “simples”,  se o compararmos com seus outros três companheiros. Mas mesmo assim já identificamos nele alguns elementos que já mostram a assinatura do compositor.

Para aqueles que querem ampliar os seus conhecimentos da lingua russa, o libreto em anexo lhes dará essa possibilidade, para os que não tem a mínima noção daquela língua, também tem texto em inglês.

01. Rachmaninov Piano Concerto No.1 – I. Vivace
02. Rachmaninov Piano Concerto No.1 – II. Andante
03. Rachmaninov Piano Concerto No.1 – III. Allegro vivace
04. Stravinsky Capriccio – I. Presto
05. Stravinsky Capriccio – II. Andante rapsodico
06. Stravinsky Capriccio – III. Allegro capriccioso ma tempo giusto
07. Shchedrin Piano Concerto No.2 – I. Dialogues Tempo rubato
08. Shchedrin Piano Concerto No.2 – II. Improvisations Allegro
09. Shchedrin Piano Concerto No.2 – III. Contrasts Andante – Allegro

Denis Matsuev – Piano
Mariinsky Orchestra
Valery Gergiev – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Sergey Rachmaninov (1873-1943) – Piano Concerto No. 2 in C Minor, Op. 18, Sergey Prokofiev (1891-1953) Piano Concerto nº 2, in G Minor, op. 18 – Matsuev, Gergiev, Mariinsky Orchestra

Mais dois petardos, dois Concertos para Piano que não podem faltar em nenhuma CDteca, os segundos concertos para piano de Rach e de Prokofiev são muito diferentes entre si, porém igualmente complexos e de um nível de dificuldade único em suas características.
A nova geração de pianistas russos está muito bem representada aqui por Denis Matsuev, que já não é mais tão jovem assim, já que nasceu em 1975. E sua parceria com Valery Gergiev e a Orquestra do Teatro Mariinsky já nos trouxe diversas gravações de altíssimo nível de qualidade. Como diz nosso querido PQPBach quando músicos russos se reúnem para tocar compositores russos ninguém pode com eles.

01. Piano Concerto No. 2 in C Minor, Op. 18 I. Moderato
02. Piano Concerto No. 2 in C Minor, Op. 18 II. Adagio sostenuto
03. Piano Concerto No. 2 in C Minor, Op. 18 III. Allegro scherzando
04. Piano Concerto No. 2 in G Minor, Op. 16 I. Andantino
05. Piano Concerto No. 2 in G Minor, Op. 16 II. Scherzo. Vivace
06. Piano Concerto No. 2 in G Minor, Op. 16 III. Intermezzo. Allegro moderato
07. Piano Concerto No. 2 in G Minor, Op. 16 IV. Finale. Allegro tempestoso

Denis Matsuev – Piano
Mariinsky Orchestra
Valery Gergiev – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Serguei Rachmaninov – Piano Concerto nº 3, Rhapsody on a Theme of Paganini – Matsuev, Gergiev, Mariinsky Orchestra

A dupla Gergiev / Matsuev gravou há alguns anos os três concertos para piano de Rachmaninov  e hoje trago estas gravações para os senhores .

Vou começar pelo final, pois adoro terceiro concerto. Para completar o CD temos outro peso pesado do repertório pianístico de Rachmaninov, a Rapsódia sobre um tema de Paganini.

Os outros dois CDs vai vir logo em seguida, quem viver verá.

01. Piano Concerto No. 3 op.30 – I. Allegro non tanto
02. II. Intermezzo – adagio
03. III. Finale – alla breve
04 – 28 Rhapsody on a Theme of Paganini in A minor op.43

Denis Matsuev -Piano
Mariinsky Orchestra
Valery Gergiev – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Piano Sonatas – Sviatoslav Richter

Gosto muito destes registros ao vivo das Sonatas de Beethoven que Sviatoslav Richter fez já em idade avançada. No primeiro CD, ele está tocando no Concertgebow de Amsterdam, na Holanda, no segundo, está na Alemanha, em Ludwigsburg, pequena cidade no sul da Alemanha.
No primeiro CD Richter nos traz as Sonatas op. 49 e a de op. 54, três pequenas jóias da produção de Beethoven, por algum motivo desconhecido, pouco gravadas.
Estas três primeiras sonatas servem de introdução para a de op. 57, também conhecida como ‘Appassionata’, um dos grandes monumentos da leitura pianística, uma obra de extrema complexidade, e que exige do intérprete muita concentração e virtuosismo. Lembremos que Richter já estava em seus últimos anos de vida, morreu em 1995, aos 80 anos de idade, ou seja, estas gravações foram realizadas entre seus 76 – 77 anos de idade. Incrível, não?
O segundo CD traz as três últimas sonatas de Beethoven, as de op. 109, 110 e 111, creio que nem preciso falar sobre elas, né?
Enfim, dois CDs imprescindíveis, fundamentais para se conhecer o imenso talento de Sviatoslav Richter, um dos maiores pianistas do século XX.
CD 1
01. Sonata No.19 in G minor, op. 49 No. 1 – Andante
02. Sonata No.19 in G minor, op. 49 No. 1 – Rondo. Allegro
03. Sonata No.20 in G, op. 49 No. 2 – Allegro ma non troppo
04. Sonata No.20 in G, op. 49 No. 2 – Tempo di Menuetto
05. Sonata No.22 in F, op. 54 – In tempo d’un menuetto
06. Sonata No.22 in F, op. 54 – Allegretto
07. Sonata No.23 in F minor, op. 57 ‘Appassionata’ – Allegro assai
08. Sonata No.23 in F minor, op. 57 ‘Appassionata’ – Andante con moto
09. Sonata No.23 in F minor, op. 57 ‘Appassionata’ – Allegro ma non troppo

CD 1 BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

CD 2

01. Sonata nr. 30 in E, op. 109, Vivace, Adagio espressivo, Tempo I
02. Sonata nr. 30 in E, op. 109, Prestissimo
03. Sonata nr. 30 in E, op. 109, Andante molto cantabile ed espressivo
04. Sonata nr. 31 in A flat, op. 110, Moderato cantabile molto espressivo
05. Sonata nr. 31 in A flat, op. 110, Allegro molto
06. Sonata nr. 31 in A flat, op. 110, Adagio ma non troppo
07. Sonata nr. 31 in A flat, op. 110, Fuga, Allegro ma non troppo
08. Sonata nr. 32 in C minor, op. 111, Maestoso
09. Sonata nr. 32 in C minor, op. 111, Allegro con brio ed appassionato
10. Sonata nr. 32 in C minor, op. 111, Arietta, Adagio molto semplice e cantabile

Sviatoslav Richter – – Piano

CD 2 BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

.: interludio :. Nicola Conte – Other Directions

Conheço o trabalho do italiano Nicola Conte há pouco tempo, mas a cada novo CD seu a que tenho acesso, me surpreendo cada vez mais com alta qualidade de seu trabalho, de seu estilo sofisticado, muito elaborado e bem produzido, e ainda conta com excelentes músicos e cantores. Seu estilo é uma fusão entre Jazz, Música Latina, Bossa Nova, etc.
Ele compôe, faz os arranjos, produz, toca, enfim, trata-se de um músico completo. Espero que gostem, eu gostei bastante. Se for o caso, posso trazer outros trabalhos seus.
‘Other Directions’ foi lançado em 2004 e é considerado um de seus principais CDs.

1-01 Sea And Sand
1-02 Wanin Moon
1-03 Nefertiti
1-04 Impulso
1-05 A Time For Spring
1-06 Kind Of Sunshine
1-07 Aphrodite’s Dream
1-08 Several Shades Of Dawn
1-09 The Dharma Bums
1-10 All Gone
1-11 Other Directions
1-12 The In-Between
1-13 Le Départ

CD2 – Extra Tracks

2-01 Charade
2-02 Danubian
2-03 Bohemian’s Dilemma
2-04 Nefertiti (Alternative Version)
2-05 Waltz Of The Sirens
2-06 Teardrop Painted Blue
2-07 Quiet Stars
2-08 Kind Of Sunshine (Extended Version)
2-09 Wanin’ Moon (Alternative Take)

Alto Saxophone – Rosario Giuliani
Bongos, Vibraphone – Pierpaolo Bisogno
Double Bass – Pietro Ciancaglini
Drums – Lorenzo Tucci
Flugelhorn – Fabrizio Bosso
Flute – Nicola Stilo
Guitar, Producer – Nicola Conte
Piano – Pietro Lussu
Recorded By – Tommy Cavalieri
Tenor Saxophone – Daniele Scannapieco
Trombone – Gianluca Petrella
Trumpet – Fabrizio Bosso, Till Brönner
Vocals – Bembé Segué*, Cristina Zavalloni, Lisa Bassenge, Lucia Minetti, Till Brönner

BAIXE AQUI -DOWNLOAD HERE

Serguei Prokofiev – Sonate for Flute in D, op. 94, Cesar Frank – Sonata in A (transcribed for Flute) – Martha Argerich, James Galway

A maravilhosa Sonata para Flauta de Prokofiev (creio inclusive que seja a estreia desta obra aqui no PQPBach) abre este CD, que traz dois excepcionais músicos no apogeu de suas carreiras: o flautista James Galway e a pianista Martha Argerich. Eis um encontro que foi muito proveitoso, pena que, até onde sei, trata-se da única vez em que estes dois se reuniram em estúdio. E este CD é outro daqueles casos de esquecimento, eu tinha certeza de que já o haviam postado, porém nunca apareceu por aqui. Uma pena, os senhores nem imaginam o que estão perdendo.
James Galway foi um dos grandes nomes da Flauta no século XX, que, nem precisamos lembrar, foi recheado de gênios como Rampal e Nicolet. Ou seja, a concorrência era grande, apesar de Galway ser de uma outra geração, tendo inclusive sido aluno de Rampal. Mas aprendeu com os mestres. O que temos aqui é um músico completo, com pleno e total controle, sem medo de ousar. Lembrando que a peça de Prokofiev foi originalmente escrita para Flauta, enquanto que no caso da Sonata de Cesar Franck, o que ouvimos é a nossa velha conhecida daqui do PQPBach, a Sonata para Violino, que foi transcrita para Flauta.
Creio que nossa Martha Argerich dispensa apresentações. Ela já é da casa. Lembro de que esta gravação que ora vos trago foi realizada há mais de quarenta anos, 1975 para ser mais exato … e os dois músicos estão no apogeu de sua juventude, no calor da juventude, souberam aproveitar esta ‘chama’ para nos brindar com um disco que com certeza ganha o selo de qualidade ‘IM-PER-DÍ-VEL’ daqui do PQPBach.

1. Sonata for Flute and Piano in D Major, Op. 94 / I. Moderato – James Galway / Martha Argerich
2. Sonata for Flute and Piano in D Major, Op. 94 / II. Scherzo – James Galway / Martha Argerich
3. Sonata for Flute and Piano in D Major, Op. 94 / III. Andante – James Galway / Martha Argerich
4. Sonata for Flute and Piano in D Major, Op. 94 / IV. Allegro con brio – James Galway / Martha Argerich
5. Sonata for Violin and Piano in A Major, FWV 8 / I. Allegretto ben moderato – James Galway / Martha Argerich
6. Sonata for Violin and Piano in A Major, FWV 8 / II. Allegro – James Galway / Martha Argerich
7. Sonata for Violin and Piano in A Major, FWV 8 / III. Recitativo fantasia – James Galway / Martha Argerich
8. Sonata for Violin and Piano in A Major, FWV 8 / IV. Allegretto poco mosso – James Galway / Martha Argerich

James Galway – Flute
Martha Argerich – Piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791): Piano Concertos nº24 & 25 – Moravec, Marriner, ASMF

Trago um novo link para este belo cd, que tem aquele que provavelmente é o mais belo dos concertos para Piano de Mozart, principalmente por sua introdução, o de nº 25. Uma singela homenagem a estes dois grandes músicos que aqui mostram todo o seu talento, o pianista Ivan Moravec e o maestro Neville Marriner. Duas lendas, que coincidentemente morreram com apenas um ano de diferença. Provavelmente onde quer que estejam continuam desfilando todo o seu talento. 

Um cd delicioso com dois concertos para piano de Mozart interpretados pelo pianista tcheco Ivan Moravec, que eu particularmente não conhecia até ter acesso a esse cd. O refinamento destes últimos concertos de Mozart exigem do pianista o mesmo tato em sua interpretação. Moravec já era um senhor de 66 anos de idade quando gravou com a nossa querida Academy of Saint-Martin on the Fields, dirigida pelo lendário maestro Sir Neville Marriner. E sua experiência pode ser sentida ao ouvirmos essas gravações. Marriner e sua orquestra são exímios intérpretes da obra de Mozart, e já gravaram estes mesmos concertos em outras ocasiões, sendo a mais festejada as versões com Alfred Brendel, talvez a melhor de todas as integrais já gravadas dos concertos de Mozart.

Mas Mozart é Mozart, e seus intérpretes sempre conseguem extrair aquele algo a mais de suas obras. Ainda mais com músicos do nível destes envolvidos nestas gravações que ora vos trago.

Eis um CD para ser apreciado sem moderação, para ser degustado em todos os seus detalhes. quantas vezes forem necessárias.

Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791): Piano Concertos nº24 & 25 – Moravec, Marriner, ASMF

01 – Piano Concerto No.24 KV 491 Allegro
02 – Piano Concerto No.24 KV 491 Larghetto
03 – Piano Concerto No.24 KV 491 Allegretto
04 – Piano Concerto No.25 KV 503 Allegro maestro
05 – Piano Concerto No.25 KV 503 Andante
06 – Piano Concerto No.25 KV 503 Allegretto

Ivan Moravec – Piano
Academy of Saint Martin in the Fields
Sir Neville Marriner – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Dietrich Buxtehude (c. 1637–1707) – Membra Jesu nostri, BuxWV 75 – Purcell Quartet, Fretwork

“Nos tempos modernos, as cantatas coletivamente intituladas ‘Membra Jesu nostri’ tornaram-se entre as obras vocais mais frequentemente gravadas e executadas de Buxtehude, embora pouco se saiba ao certo sobre sua origem e propósito. A principal evidência é a partitura autografada de Buxtehude, escrita em tablatura de órgão alemã e preservada na coleção Düben na Biblioteca da Universidade de Uppsala, na Suécia. É datado de 1680 na página de título e é dedicado a Gustav Düben (c. 1629–1690), diretor de música na corte sueca e organista de St Gertrude em Estocolmo, a igreja alemã e a capela da corte na época. Buxtehude descreveu Düben como seu “amigo honrado” (“Amico honorando”), e o grande número de peças dele na coleção Düben sugere que os dois homens desfrutaram de um relacionamento pessoal próximo durante vários anos. Assim, é possível que Membra Jesu nostri tenha sido comissionado para apresentação na corte sueco; conjuntos de partes de cada uma das cantatas na mão de Düben certamente sugerem que Düben as apresentou em Estocolmo.
A partir de 1680 Dietrich Buxtehude foi organista da Marienkirche em Lübeck por doze anos. Ele nasceu em 1637, filho de um organista, talvez em Oldesloe in Holstein, então parte da Dinamarca. Posteriormente, a família mudou-se para Helsingborg e Helsingør, onde seu pai realizava consultas. Dietrich foi organista das igrejas de seu pai em ambas as cidades antes de se mudar para o porto báltico de Lübeck em 1668. Pouco depois de chegar lá, ele desenvolveu a série anual de concertos conhecida como Abendmusiken, dada na Marienkirche depois das Vésperas nos cinco domingos antes do Natal. Perto do fim de sua vida, os concertos incluíam obras de oratória ampliadas, bem como peças vocais e instrumentais originalmente escritas para serviços na Marienkirche, então é possível que Membra Jesu nostri tenha sido originalmente planejado para a performance nelas. O planejamento e a composição de obras de grande porte certamente teriam fornecido a Buxtehude a experiência necessária para compor um ciclo de cantata com um design literário e musical complexo e incomum que era independente e não derivava da liturgia.
O elemento comum em todas as cantatas é o uso de linhas do poema medieval Salve mundi salutare, ou Rhythmica oratio, tradicionalmente atribuída a Bernard de Clairvaux (1090-1153), mas agora pensado ser por Arnulf de Lovaina (c. 1200-1250 ). Ele toma a forma de uma seqüência de sete meditações no corpo crucificado de Jesus, começando com os pés (‘Ad pedes’), e continuando com os joelhos (‘Ad genua’), as mãos (Ad manus ‘), o lado («ad latus»), o peito («ad pectus»), o coração («ad cor») e o rosto («ad faciem»). Assim, a perspectiva do autor é a de um penitente ajoelhado ao pé da cruz e gradualmente estendendo o olhar para cima, meditando em cada parte do corpo por sua vez. O misticismo incorporado nos escritos de, ou atribuído a, Bernard foi incorporado ao Luteranismo pelo próprio Lutero e por escritores posteriores como Paul Gerhardt, que baseava seu hino O Haupt voll Blut und Wunden (O sagrado cabeça ferida) em ‘Salve, caput cruentatum ‘, um dos vários cantos adicionais associados à oratória rítmica. Em cada uma das sete cantatas as estrofes do poema são justapostas com passagens bíblicas apropriadas, tiradas respectivamente de Naum 1: 15, Isaías 66: 12, Zacarias 13: 6, o Cântico de Salomão 2: 13 e 14, 1 Pedro 2: 2 e 3, a canção de Salomão 4: 9, e Salmos 31: 16. Os textos foram provavelmente escolhidos e reunidos pelo próprio compositor.”

Esta magnífica gravação do Purcell Quartett com o Fretwork é IM-PER-DÍ-VEL !!! para os fãs e admiradores da música sacra barroca. Lembro que temos aqui Dame Emma Kirkby, uma das maiores sopranos do século XX.

I. Ad pedes
1 1 Sonata
2 2 Tutti. Ecce super montes
3 3 Aria. Salve mundi salutare
4 4 Tutti. Ecce super montes
5 5 Tutti. Salve mundi salutare 0:59

II. Ad genua
6 Sonata in tremulo
7 7 Tutti. Ad ubera portabimini
8 8 Aria. Salve Jesu, rex sanctorum
9 9 Tutti. Ad ubera portabimini

III. Ad manus
10 10 Sonata 0:56
11 11 Tutti. Quid sunt plagae istae 1:58
12 12 Aria. Salve Jesu, pastor bone
13 13 Tutti. Quid sunt plagae istae

IV. Ad latus
14 14 Sonata
15 15 Tutti. Surge, amica mea, speciosa mea
16 16 Aria. Salve latus salvatoris 4:40 17 17 Tutti. Surge, amica mea, speciosa mea

V. Ad pectus
18 18 Sonata
19 19 Voci. Sicut modo geniti infantes rationabiles
20 20 Aria. Salve, salus mea, Deus
21 21 Voci. Sicut modo geniti infantes rationabiles

VI. Ad cor
22 22 Sonata
23 23 Doi Soprani è Basso. Vulnerasti cor meum
24 24 Aria. Summi Regis cor, aveto
25 25 Doi Soprani è Basso. Vulnerasti cor meum 2:28

VII. Ad faciem
26 26 Sonata
27 27 Tutti. Illustra faciem tuam super servum tuum
28 28 Aria. Salve, caput cruentatum 3:51 29 29 Tutti. Amen

Emma Kirkby soprano
Elin Manahan Thomas soprano
Michael Chance counter-tenor
Charles Daniels tenor
Peter Harvey bass

The Purcell Quartet
Catherine Mackintosh violin
Catherine Weiss violin
Richard Boothby bass violin
Robert Woolley organ

with

Fretwork
Susanna Pell treble viol • bass viol
Richard Boothby tenor viol
William Hunt bass viol
Reiko Ichise bass viol
Asako Morikawa bass viol
Richard Campbell great bass viol

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Johann Sebastian Bach (1685-1750): Cantatas pour Alto BWV 35, 53 & 82 – Rene Jacobs, Chiara Banchini, Ensemble 415

Este é  mais  um daqueles casos de CDs que temos certeza de que já foram postados, de tão batidos e conhecidos que são, ao menos por mim, FDPBach e por PQPBach, mas as opções são tantas e tão boas que acabamos o deixando de lado.

E como não poderia deixar de ser, este aqui, gravado lá nos idos de 1987-88, também é espetacular. E tem uma curiosidade: traz o grande René Jacobs, o contra-tenor, e não o grande René Jacobs como um dos principais maestros da atualidade. Claro, 30 anos se passaram, e Jacobs provavelmente não consegue mais realizar os milagres que realizava com sua voz nos dias de hoje. Então, para a nossa sorte, foi dedicar-se também à regência. De qualquer maneira, temos mais um daqueles óbvios casos de CDs IM-PER-DÍ-VEIS !!! da Harmonia Mundi.

O espetacular site www.bach-cantatas.com traz todos os detalhes referentes a esta gravação, aliás, trata-se do site mais completo que existe sobre a obra de Bach, não apenas sobre as suas cantatas. Acessem lá e deliciem-se.

Johann Sebastian Bach (1685-1750): Cantatas pour Alto BWV 35, 53 & 82 – Rene Jacobs, Chiara Banchini, Ensemble 415

01. Cantata Bwv 35, ‘Geist Und Seele Wird Verwirret’ – 1. Concerto
02. Cantata Bwv 35, ‘Geist Und Seele Wird Verwirret’ – 2. Aria ‘Geist und Seele wird verwirret
03. Cantata Bwv 35, ‘Geist Und Seele Wird Verwirret’ – 3. Recitativo ‘Ich wundre mich’
04. Cantata Bwv 35, ‘Geist Und Seele Wird Verwirret’ – 4. Aria ‘Gott hat alles wohlgemacht’
05. Cantata Bwv 35, ‘Geist Und Seele Wird Verwirret’ – 5. Sinfonia
06. Cantata Bwv 35, ‘Geist Und Seele Wird Verwirret’ – 6. Recitativo ‘Ach, Starke
07. Cantata Bwv 35, ‘Geist Und Seele Wird Verwirret’ – 7. Aria ‘Ach, starker Gott, lass mich’
08. Cantata Bwv 82, ‘Ich Habe Genug’ – 1. Aria ‘Ich Habe Genug’
09. Cantata Bwv 82, ‘Ich Habe Genug’ – 2. Recitativo ‘Ich Habe Genug’
10. Cantata Bwv 82, ‘Ich Habe Genug’ – 3. Aria ‘Schlummert Ein, Ihr Matten Augen’
11. Cantata Bwv 82, ‘Ich Habe Genug’ – 4. Recitativo ‘Mein Gott!’
12. Cantata Bwv 82, ‘Ich Habe Genug’ – 5. Aria ‘Ich Freue Mich Auf Meinen Tod’
13. ‘Schlage Doch, Gewьnschte Stunde’ -Funeral Cantata For Voice, Bells, Strings

René Jacobs – Contra-Tenour
Ensemble 415
Chiara Banchini – Violin, Direction

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDP

Robert Schumann – Piano Quintet in E-flat major, Op.44, Piano Quartet in E-flat major, Op.47 – Beaux Arts Trio

71MMtb3vkUL._SL1087_

O TEMPO PASSA, O TEMPO VOA, E ESSA GRAVAÇÃO CONTINUA IMBATÍVEL E IMPERDÍVEL !!! NOVOS LINKS !!!

Mais uma vez vos trago uma gravação histórica do Beaux Arts Trio. Começa com o magnífico Quinteto op. 44, que considero uma das mais belas obras escritas para esta formação, e logo em seguida encaram outra obra prima, o Quarteto op. 47. Em seguida, os três encaram os três trios que Schumann escreveu. Lhes garanto que vale cada minuto dedicado à audição destes CDs.
Já comentei anteriormente que provavelmente o Op. 44 foi a primeira obra de câmara que ouvi em minha vida, há pelo menos uns quarenta anos, em uma rádio que só tocava música clássica. Claro que não vou me lembrar de quem eram os intérpretes, mas a música ficou gravada em minha cabeça, principalmente a marcha do segundo movimento. Um primor de concisão e explosão emocional, em um dos momentos mais criativos da vida de Schumann. Podem-se ouvir ecos de Brahms se refletindo neste movimento, ou vice versa.

01. PIANO QUINTET in E-flat major, Op.44 I. Allegro brillante
02. II.  In modo d’una marcia. Un poco largamente
03. III. Scherzo. Molto vivace
04. IV. Allegro, ma non troppo
05. PIANO QUARTET in E-flat major, Op.47 I. Sostenuto assai–Allegro ma non troppo
06. II.  Scherzo. Molto vivace
07. III. Andante cantabile
08. IV.  Finale. Vivace
09. PIANO TRIO No.1 in D minor, Op.63 I. Mit Energie und Leidenschaft
10. II.  Lebhaft, doch nicht zu rasch

Beaux Arts Trio
Dolf Betelheim, Samuel Rhodes

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

CD 2

01. (cont.) PIANO TRIO No.1 in D minor, Op.63 III. Langsam, mit inniger Empfindung
02. IV.  Mit Feuer
03. PIANO TRIO No.2 in F major, Op.80 I. Sehr lebhaft
04. II.  Mit innigem Ausdruck
05. III. In M..iger Bewegung
06. IV.  Nicht zu rasch
07. PIANO TRIO No.3 in G minor, Op.110 I. Bewegt, doch nicht zu rasch
08. II.  Ziemlich langsam
09. III. Rasch
10. IV.  Kr.ftig, mit Humor

Beaux Arts Trio

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Clara Schumann (1819-1896) – Piano Concerto A Moll, op. 7, Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Piano Concerto nº 4, G Dur,, op. 58 – Ragna Schirmer, Staatskapelle Halle, Ariane Mattiakh

Não consigo me lembrar de onde foi que consegui este CD, mas trata-se de uma grata surpresa. Claro que estou falando do Concerto para Piano de Clara Schumann, a eterna sra Robert Schumann. Aqui, apesar do peso do nome de Beethoven no CD, é ela quem dita as regras.
No booklet em que apresenta o CD, a pianista Ragna Schirmer explica o por que de seu interesse e sua dedicação e esta pessoa tão impar e tão talentosa, mas que resolveu viver à sombra de seu eterno amor, o compositor Robert Schumann.
Ai fica a curiosidade: mas por que temos Beethoven Nesse CD? Em um primeiro momento, podemos pensar, ah, é para completar o CD, mas queridos, as cadenzas desta gravação foram escritas por Clara, simples assim.  Entenderam?
Eu particularmente conhecia Ragna Schirmer como excelente intérprete de Bach e Haendel, e fui surpreendido nesta sua incursão no romantismo.  Vale a pena ouvirmos este CD para podermos conhecer mais um pouco desta grande mulher, a grande Clara Schumann.

01. Piano Concerto in A Minor, Op. 7 I. Allegro Maestoso
02. Piano Concerto in A Minor, Op. 7 II. Romanze. Andante non troppo, con Grazia
03. Piano Concerto in A Minor, Op. 7 III. Finale. Allegro non troppo-Allegro Molto
04. Piano Concerto No.4 in G Major, Op. 58 I. Allegro Moderato
05. Piano Concerto No.4 in G Major, Op. 58 II. Andante con Moto
06. Piano Concerto No.4 in G Major, Op. 58 III. Rondo. Vivace

Ragna Schirmer – Piano
Sttatskapelle Halle
Ariane Matiakh – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (flac)

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (mp3)

 

 

Sol Gabetta – Schumann

Eu aguardava ansioso o momento em que  a violoncelista argentina Sol Gabetta iria encarar o maravilhoso Concerto para Violoncelo de Schumann. Acompanho há algum tempo sua carreira, e sei que cada gravação sua é muito bem pensada, elabora, articulada, produzida e tremendamente bem interpretada, e em cada novo CD podemos acompanhar e identificar sua evolução e maturidade enquanto instrumentista.
Este CD foi recém lançado pelo selo Sony, e aqui ela vem muito bem acompanhada de dois velhos amigos e parceiros, o pianista Bertrand Chamayou e o maestro Giovanni Antonini, que aqui dirige a Orquestra de Câmara da Basiléia.

1 5 Stücke im Volkston, Op. 102: I. Mit Humor
2 5 Stücke im Volkston, Op. 102: II. Langsam
3 5 Stücke im Volkston, Op. 102: III. Nicht schnell, mit viel Ton zu spielen
4 5 Stücke im Volkston, Op. 102: IV. Nicht zu rasch
5 5 Stücke im Volkston, Op. 102: V. Stark und markiert
6 Adagio und Allegro, Op. 70: I. Adagio
7 Adagio und Allegro, Op. 70: II. Allegro
8 Fantasiestücke, Op. 73: I. Zart und mit Ausdruck
9 Fantasiestücke, Op. 73: II. Lebhaft leicht
10 Fantasiestücke, Op. 73: III. Rasch und mit Feuer
11 Cello Concerto in A Minor, Op. 129: I. Nicht zu schnell
12 Cello Concerto in A Minor, Op. 129: II. Langsam
13 Cello Concerto in A Minor, Op. 129: III. Sehr lebhaft

Sol Gabetta – Cello
Bertrand Chamayou – Piano
Kammerorchester Basel
Giovanni Antonini

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Johann Sebastian Bach – Weihnachts Oratorium – Münchener Bach-Orchester – Karl Richter

Covers WeinachtLINK REVALIDADO PELA QUARTA VEZ !! UM CLÁSSICO ABSOLUTO, IMPRESCINDÍVEL EM QUALQUER CDTECA !!!

Postei este cd pela primeira vez no Natal de 2010, porém como os links eram do Megaupload, foram para o espaço, juntamente com o mesmo.
Não posso admitir nem aceitar que tal gravação esteja fora do PQPBach. Trata-se de uma gravação histórica, e a considero obrigatória em qualquer cdteca. Eu, FDPBach, enquanto filho bastardo de Johann Sebastian, não posso aceitar tal falha em nosso acervo. Acervo modesto, porém honesto, lhes garanto. 
Fica aqui meu desejo de Feliz Natal e um excelente 2019 para todos vocês que nos acompanham fielmente !!!

De todas as versões que já tive a oportunidade de ouvir do Oratório de Natal de Bach esta ainda é a minha favorita, apesar do peso que Richter imprime à obra. Sua abertura, o magnífico coro “Jauchzet, frohlocker, auf, preiser die Tage” já mostra a que veio. Pauleira pura… e os solistas são excelentes, no apogeu de suas carreiras.
Já discutimos bastante sobre Karl Richter aqui no blog. O mano PQP tem suas ressalvas com relação às suas interpretações, ainda mais depois que grandes maestros se especializaram na obra de papai e mostraram coisas até então desconhecidas, como Harnoncourt, e mais atualmente, Jacobs e Herreweghe.
Mas a importância de Richter é enorme na história da música. O simples fato de dedicar-se tanto tempo à obra de Bach, criando inclusive uma orquestra especializada no repertório já nos dá uma prova do fato.
Muito se fala e se comenta, e vários são os lançamentos da indústria fonográfica com gravações de época, ou históricas. Existem inclusive selos exclusivos com gravações feitas a partir de pesquisas históricas sobre a instrumentação, estilo de interpretação, etc. Todas são belíssimas, e todas tem suas qualidades. Eu particularmente sou fã de alguns destes selos, e de alguns destes intérpretes. Mas por algum motivo, é esta gravação do Oratório de Natal do Richter, realizada em 1965, ano de meu nascimento, a que mais me emociona. Creio que seja a favorita porque é a que ouço há mais tempo. Foi ela quem me ajudou a definir os parâmetros de interpretação para esta obra. Meu cérebro assimilou suas nuances, suas sutilezas, enfim, enquanto para alguns Richter é um romântico inveterado tocando música barroca, para mim até pouco tempo atrás era exatamente este o Bach que eu queria ouvir.
Só depois de conhecer aqueles intérpretes citados acima foi que reparei que haviam diferenças, e elas não são poucas, nem pequenas. E as ouço, até que com certa frequência, porém sempre retorno ao bom e velho Karl Richter.
Com esta postagem só posso desejar a todos os nossos amigos, leitores-ouvintes, e colaboradores um Feliz Natal e um 2019 cheio de realizações. E espero continuar este nosso trabalho de formiguinha, de trazer música de qualidade para vocês, sempre primando pela qualidade e não pela quantidade.

Agora recolham-se à sua poltrona favorita, abram uma garrafa de um bom vinho, e apreciem a magnificiência da obra de Johann Sebastian Bach com um de seus melhores intérpretes. Se quiserem, podem se ajoelhar, e dependendo de suas crenças religiosas, rezem ao céus agradecendo por terem existido estas pessoas únicas, geniais que, dotadas de um talento único, nos proporcionam tanto prazer e emoção.

FELIZ NATAL PARA TODOS !!!!!!!!!

Johann Sebastian Bach – Weihnachts Oratorium – Münchener Bach-Orchester – Karl Richter

CD 1

1.No.1 Chorus: “Jauchzet, frohlocket” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
2. No.2 Evangelist: “Es begab sich aber zu der Zeit” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
3.No.3 Rezitativ (Alt): “Nun wird mein liebster Bräutigam”
4. No.4 Aria (Alto): ” Bereite dich, Zion” Christa Ludwig, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
5.No.5 Choral: “Wie soll ich dich empfangen” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
6.No.6 Evangelist: “Und sie gebar ihren ersten Sohn” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
7.No.7 Chorale: “Er ist auf Erden kommen arm”, Recitativ (Bass): Wer will die Liebe recht erhöhn” Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Members of the Münchener Bach-Chor
8.No.8 Aria (Baß): “Großer Herr, o starker König” Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
9. No.9 Choral: “Ach mein herzliebes Jesulein” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor

Part Two – For the second Day of Christmas

10. No.10 Sinfonia Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
11. No.11 Evangelist: “Und es waren Hirten in derselben Gegend” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
12. No.12 Chorale: “Brich an, o schönes Morgenlicht” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
13. No.13 Evangelist, Engel: “Und der Engel sprach zu Ihnen” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
14. Rezitativ (Baß): “Was Gott dem Abraham Verheißen”
15. No.15 Aria (Tenor): “Frohe Hirten, eilt, ach eilet”
16. No.16 Evangelist: “Und das habt zum Zeichen” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
17. No.17 Chorale: “Schaut hin, dort liegt im finstern Stall” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
18. No.18 Rezitativ (Baß): “So geht denn hin, ihr Hirten, geht” Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
19. No.19 Aria (Alto): “Schlafe, mein Liebster, geniesse der Ruh” Christa Ludwig, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter

CD 2:

Part Two – For the second Day of Christmas

1.No.20 Evangelist: “Und alsbald war da bei dem Engel” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
2.No.21 Chor: “Ehre sei Gott in der Höhe” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
3.No.22 Rezitativ (Baß): “So recht, ihr Engel, jauchzt und singet” Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
4.No.23 Chorale: “Wir singen dir in deinem Heer”

Part Three – For the third Day of Christmas

5. No.24 Chor: “Herrscher des Himmels, erhöre das Lallen” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
7.No.26 Chor: “Lasset uns nun gehen gen Bethlehem” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
8. No.27 Rezitativ (Baß): “Er hat sein Volk getröst” Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
9.No.28 Choral: “Dies hat er alles uns getan” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
10. No.29 Duett (Sopran, Baß): “Herr, dein Mitleid, dein Erbarmen” Gundula Janowitz, Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
11. No.30 Evangelist: “Und sie kamen eilend” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
12. No.31 Aria (Alt): “Schließe, mein Herze, dies selige Wunder”
13. No.32 Recitativ (Alt): “Ja, ja, mein Herz soll es bewahren” Christa Ludwig, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
14. No.33 Choral: “Ich will dich mit Fleiß bewahren” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
15. No.34 Evangelist: “Und die Hirten kehrten wieder um” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
16. No.35 Choral: “Seid froh dieweil”
17. No.24 Chor (da capo): “Herrscher des Himmels, erhöre das Lallen”

Part Four – For New Year’s Day

18. No.36 Chor: “Fallt mit Danken, fallt mit Loben” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
19. No.37 Evangelist: “Und da acht Tage um waren” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
20. No.38 Rezitativ (Baß): “Immanuel, o süßes Wort” Arioso (Chor-Sopran, Baß): “Jesu, du mein liebstes Leben”-“Komm ich will dich mit Lust umfassen” Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Members of the Münchener Bach-Chor
21. No.39 Aria (Soprano, Echo-soprano): “Flösst, mein Heiland, flösst dein Namen” Gundula Janowitz, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
22. No.40 Rezitativ (Baß): “Wohlan, dein Name soll allein” Arioso (Chor-Sopran): “Jesu mein Freud und Wonne” Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Members of the Münchener Bach-Chor
23. No.41 Aria (Tenor): “Ich will nur dir zu Ehren leben” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
24. No.42 Choral: “Jesus richte mein Beginnen” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor

CD 3: Bach: Christmas Oratorio

Part Five – For the 1st Sunday in the New Year

1. No.43 Chor: “Ehre sei dir, Gott, gesungen” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
2. No.44 Evangelist: “Da Jesu geboren war zu Bethlehem” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
3. No.45 Chor: “Wo ist der neugeborne König der Juden?” – Rezitativ (Alt): “Sucht ihn in meiner Brust”Christa Ludwig, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
4. No.46 Choral: “Dein Glanz all Finsternis verzehrt” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
5. No.47 Aria (Bass): “Erleucht auch meine finstre Sinnen” Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
6. No.48 Evangelist: “Da das der König Herodes hörte” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
7. No.49 Rezitativ (Alt): “Warum wollt ihr erschrecken?” Christa Ludwig, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
8. No.50 Evangelist: “Und ließ versammeln alle Hohepriester” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
9. No.51 Terzetto (Soprano, Alto, Tenor): “Ach, wann wird die Zeit erscheinen?” Gundula Janowitz, Christa Ludwig, Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
10.No.52 Rezitativ (Alt): “Mein Liebster herrschet schon” Christa Ludwig, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
11.No.53 Choral: “Zwar ist solche Herzensstube”

Part Six – For the Feast of Epiphany

12. No.54 Chor: “Herr, wenn die stolzen Feinde schnauben” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor
13. No.55 Evangelist: “Da berief Herodes die Weisen heimlich” – Herodes: “Ziehet hin und forschet fleißig” Fritz Wunderlich, Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
14. No.56 Rezitativ (Sopran): “Du Falscher, suche nur den Herrn zu fällen”
15. No.57 Aria (Sopran): “Nur ein Wink von seinen Händen” Gundula Janowitz, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
16. No.58 Evangelist: “Als sie nun den König gehöret hatten” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
17. No.59 Chorale: “Ich steh an deiner Krippen hier” Münchener Bach-Chor, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
18. No.60 Evangelist: “Und Gott befahl ihnen im Traum”
19. No.61 Rezitativ (Tenor): “So geht! Genug, mein Schatz geht nicht von hier” Fritz Wunderlich, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
20. No.62 Aria (Tenor): “Nun mögt ihr stolzen Feinde schrecken” Fritz Wunderlich, Karl Richter, Münchener Bach-Orchester
21. No.63 Rezitativ (Sopran, Alt, Tenor, Baß): “Was will der Hölle Schrecken nun?” Gundula Janowitz, Christa Ludwig, Fritz Wunderlich, Franz Crass, Münchener Bach-Orchester, Karl Richter
22. No.64 Choral: “Nun seid ihr wohl gerochen” Münchener Bach-Orchester, Karl Richter, Münchener Bach-Chor

Gundula Janowitz – Soprano
Christa Ludwig  – Contralto
Fritz Wunderlich – Tenor
Franz Crass – bass
Münchener Bach-Chor
Münchener Bach-Orchester
Karl Richter – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
FDPBach

 

Ludwig van Beethoven (1770-1827): Violin Sonatas – Henryk Szeryng, Ingrid Haebler

Das diversas gravações que já tive a oportunidade de ouvir destas sonatas, esta aqui com a dupla Szeryng / Haebler está entre as minhas favoritas. Desde a primeira vez que a ouvi, tive imediata compreensão que aqui a coisa era muito séria, que esta dupla funcionava tão bem junta que até pareciam estar fundidos em um só. Adoro a dinâmica destes dois juntos, da profunda compreensão que eles tem da música de Beethoven, da coesão em sua interpretação.
Existem diversas gravações destas sonatas, inclusive o próprio Henryk Szeryng tem outra gravação desta integral, com a pianista Clara Haskil, considerada por muitos a melhor gravação já realizada destas obras. Questão de opinião e gosto, claro.

P.S. Como bônus, temos nestes CDs os ‘Romances para Violino’, e Henryk Szeryng está muito bem acompanhado pela Royal Concertgebow Orchestra, dirigida pelo imortal Bernard Haitink. Vamos combinar, que baita presente de Natal que estou lhes trazendo, não acham?

CD 1

01. Sonata No.1 in D, Op.12 No.1 – 1. Allegro con brio
02. Sonata No.1 in D, Op.12 No.1 – 2. Tema con variazioni. Andante con motto
03. Sonata No.1 in D, Op.12 No.1 – 3. Rondo. Allegro
04. Sonata No.2 in A, Op.12 No.2 – 1. Allegro vivace
05. Sonata No.2 in A, Op.12 No.2 – 2. Andante piu tosto allegretto
06. Sonata No.2 in A, Op.12 No.2 – 3. Allegro piacevole
07. Sonata No.3 in E flat, Op.12 No.3 – 1. Allegro con spirito
08. Sonata No.3 in E flat, Op.12 No.3 – 2. Adagio con molt’ espressione
09. Sonata No.3 in E flat, Op.12 No.3 – 3. Rondo. Allegro molto

CD 10

01. Sonata No.4 in A minor Op.23 – 1. Presto
02. Sonata No.4 in A minor Op.23 – 2. Andante scherzoso, piu allegretto
03. Sonata No.4 in A minor Op.23 – 3. Allegro molto
04. Sonata No.5 in F, Op.24 ‘Spring’ – 1. Allegro
05. Sonata No.5 in F, Op.24 ‘Spring’ – 2. Adagio molto espressivo
06. Sonata No.5 in F, Op.24 ‘Spring’ – 3. Scherzo. Allegro molto
07. Sonata No.5 in F, Op.24 ‘Spring’ – 4. Rondo. Allegro ma non troppo
08. Violin Romance No.1 in G, Op.40
09. Violin Romance No.2 in F, Op.50

CD 3

01. Sonata No.6 in A, Op.30 -1, I – Allegro
02. II – Adagio
03. III – Allegretto con variazioni
04. Sonata No.7 in C minor,Op. 30-2, I – Allegro con brio
05. II – Adagio cantabile
06. III – Scherzo. Allegro
07. IV- Finale. Allegro
08. Sonata No.8 in G, Op.30-3, I-Allegro assai
09. II – Tempo di menuetto ma molto moderato e grazioso
10. III – Allegro vivace

CD 4

01. Sonata No.9 in A, Op.47 -Kreutzer I – Adagio sostenuto – Presto
02. II – Andante con variazioni
03. III – Finale, Presto
04. Sonata No.10 in G, Op.96, I – Allegro moderato
05. II – Adagio espressivo
06. III – Scherzo. Allegro
07. IV Poco allegretto

Royal Concertgebow Orchestra
Bernard Haitink – Conductor
Ingrid Haebler – Piano
Henryk Szeryng – Violin

CD 1 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 2 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 3 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 4 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Serguei Prokofiev – Sinfonias 5 & 7 – Klaus Tenstedt, SOBR

Problemas técnicos tem deixado minha internet instável, por isso tenho realizado minhas postagens meio que apenas de vez em quando. Acho que vai demorar mais alguns dias para o problema ser resolvido.

Klaus Tenstedt foi um dos grandes maestros alemães do final do século XX e encara neste CD aqui duas obras primas de Prokofiev, as sinfonias de nº 5 e 7, frente à poderosa Orquestra da Rádio Bávara. Pesquisei  e descobri que este CD está esgotado, é difícil de encontrar. Então resolvi trazer para os senhores um grande maestro, frente a uma orquestra espetacular e interpretando compositor genial … é um CD para se apreciar com calma, tranquilidade, afinal, trata-se de Prokofiev, e sabemos que ele não é compositor fácil.
Espero que apreciem.

Serguei Prokofiev – Sinfonias 5 & 7 – Klaus Tenstedt, SOBR

1.01. Symphony No. 5 in B-Flat Major, Op. 100 I. Andante
1.02. Symphony No. 5 in B-Flat Major, Op. 100 II. Allegro marcato
1.03. Symphony No. 5 in B-Flat Major, Op. 100 III. Adagio
1.04. Symphony No. 5 in B-Flat Major, Op. 100 IV. Allegro giocoso
1.05. Symphony No. 7 in C-Sharp Minor, Op. 131 I. Moderato
1.06. Symphony No. 7 in C-Sharp Minor, Op. 131 II. Allegretto
1.07. Symphony No. 7 in C-Sharp Minor, Op. 131 III. Andante espressivo
1.08. Symphony No. 7 in C-Sharp Minor, Op. 131 IV. Vivace

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Symphonieorchester des Bayerischen Rundfunk
Klaus Tenstedt – Conductor

 

 

Christoph Willibald Gluck – Orfeo ed Euridice – Sylvia McNair & Cyndia Sieden & Derek Lee Ragin & The Monteverdi Choir & English Baroque Soloists & John Eliot Gardiner

Ainda não consigo acreditar que esta ópera nunca havia sido postada aqui no PQPBach. Provavelmente foi por esquecimento. Todos achavam que ela já havia aparecido por aqui, porém nunca nenhum dos colegas postou.
Vamos suprir esta falha. Uma obra prima desta envergadura é obrigatória na CDteca de qualquer fã da boa música. E como ando bonzinho ultimamente por ter conseguido consertar meu computador, vou lhes antecipar o presente de Natal, com direito a libreto e tudo.
O verbete sobre Gluck em português na Wikipedia é um dos mais completos que já tive a oportunidade de ler. Bem pesquisado, amparado em boa bibliografia, pode-se identificar que quem o escreveu conhece o assunto. Por isso lhes passo o link. O texto abaixo foi tirado de lá:

A ocasião para levar à cena a sua primeira ópera reformada ocorreu em 5 de outubro de 1762 por ocasião dos festejos em homenagem ao imperador Francisco I. A coreografia foi de Gasparo Angiolini e a cenografia de Giovanni Maria Quaglio. O libreto de Calzabigi para Orfeo ed Euridice era radical. Ao contrário de todas as versões anteriores da lenda grega levadas aos palcos, a ação começa com Euridice já morta. Os personagens são reduzidos a três: Orfeu, que domina a cena na maior parte do tempo, Euridice e o deus Amor, além de um coro que assume várias funções. A poesia é simples, leve e nobre e o coro desempenha papel fundamental em toda a trama. A inspiração principal do libretista foi o teatro clássico; dizia: “Reduzido à forma da tragédia grega, o drama [cantado] tem o poder de despertar a piedade e o terror e atuar sobre a alma da mesma forma que as tragédias faladas”. Apesar disso, ele rejeitou o cânone aristotélico da unidade de ação e deu liberdade ao desenvolvimento. Em termos musicais, Gluck baniu a ária da capo (AABBAA), inibindo os excessos de virtuosismo dos cantores. Não há espaço para improvisações e os recitativos acompanhados se tornaram tão importantes para a evolução do enredo quanto as árias, bailados e coros. A história dos amantes é narrada muito direta e intensamente, inserida em uma arquitetura integrada e contínua, sem as repetições e interrupções que caracterizavam a ópera italiana. Foi essencial para o sucesso a extraordinária performance do castrato Gaetano Guadagni no papel de Orfeu. Dono de uma voz poderosa e treinado pelo ator David Garrick, levou para a caracterização do personagem um profundo entendimento da proposta de Gluck e um vasto repertório de movimentos e gestos que enfatizavam o texto e aproveitavam a dinâmica da música.[12][13]
Na versão francesa de 1774, estreada em 2 de agosto no Palais Royal e intitulada Orphée et Eurydice, várias coisas importantes foram modificadas. Orfeu foi cantado por um tenor e teve sua parte rearranjada, a orquestração mudou e foram acrescentadas várias árias e cenas de dança. O efeito não se perdeu: artigos na imprensa parisiense louvaram a obra entusiasticamente dizendo que ela exibia o poder prodigioso que a Antiguidade atribuía à Música: o poder de tocar as almas, e registros do público se multiplicavam dizendo-se “transportados para o coração de um templo grego”, ou “imersos no tempo das antigas tragédias”. Outros diziam-se perturbados e iam às lágrimas, “tomados das mais violentas emoções”.
Embora no mito original Orfeu no fim perca sua Eurídice para sempre por violar um voto feito aos deuses, e ao contrário de outras versões de outros autores, na sua ópera o final é feliz, o erro de Orfeu é perdoado pelo Amor e o herói é recompensado por sua fidelidade à amada, que lhe é restituída, encerrando a obra com um alegre bailado. Após as dificuldades o bem é recompensado e o equilíbrio é restaurado. Isso significava que o destino não era pré-determinado, ou pelo menos não tão absolutamente como no drama grego, e sua música inovadora provava que a mudança era possível, apelando a uma sensibilidade emergente em um público novo, que buscava uma âncora para anseios difusos. A proposta de Gluck e seus amigos era a proposta de uma revolução moral e social, tanto quanto estética, como foi reconhecido ainda em sua geração, especialmente pelos franceses. Orfeo é a obra mais popular de Gluck, uma de suas realizações mais importantes e um marco na história da música ocidental. Berlioz fez uma adaptação pesadamente rearranjada da versão francesa, muito estimada no século XIX e ainda executada.”

1. Orfeo ed Euridice, Wq. 30 – Overtura
2. Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 1 – “Ah, se intorno a quest’urna funesta”
3 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 1 – “Basta, basta, o compagni!”
4 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 1 – Ballo (Larghetto)
5 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 1 – “Ah, se intorno a quest’urna funesta”
6 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 1 – “Chiamo il mio ben così”
7 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 1 – “T’assiste Amore!”
8 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 1 – “Gli sguardi trattieni”
9 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 1 – “Che disse? che ascoltai?”
10 Orfeo ed Euridice, Wq. 30 / Act 2 – Ballo (Maestoso) – “Chi mai dell’Erebo”
11 Orfeo ed Euridice, Wq. 30 / Act 2 – “Deh! placatevi con me”
12 Orfeo ed Euridice, Wq. 30 / Act 2 – “Misero giovane”
13 Orfeo ed Euridice, Wq. 30 / Act 2 – Ballo (Andante)
14 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 2 – “Che puro ciel, che chiaro sol”
15 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 2 – “Vieni a’ regni del riposo”
16 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 2 – Ballo (Andante)
17 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 2 – “Anime avventurose”

Disc 2
1 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 3 – “Vieni, segui i miei passi”
2 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Sung in Italian/Vienna version (1762) – Act 3 – “Vieni, appaga il tuo consorte!”
3 Orfeo ed Euridice, Wq. 30 / Act 3 – “Qual vita è questa mai”
4 Orfeo ed Euridice, Wq. 30 / Act 3 – “Che fiero momento”
5 Orfeo ed Euridice, Wq. 30 / Act 3 – “Ecco un nuovo tormento”
6 Orfeo ed Euridice, Wq. 30 / Act 3 – “Che farò senza Euridice?”
7 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 3 – “A finisca e per sempre”
8 Orfeo ed Euridice (Orphée et Euridice) – Act 3 – Maestoso – Ballo: 1. (Grazioso) 2. Allegro 3. Andante 4. Allegro
9 Orfeo ed Euridice, Wq. 30 / Act 3 – “Trionfi Amore!”

Derek Lee Ragin (mez) Orfeo
Sylvia McNair (sop) Euridice
Cyndia Sieden (sop) Amore
Monteverdi Choir
English Baroque Soloists
John Eliot Gardiner Conductor

CD 1 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 2 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Gaetano Donizetti – Le Fille du Régiment – Sutherland, Pavarotti, Bonynge, Orchestra & Chorus of The Royal Opera House, Convent Garden

‘La fille du régiment” (A Filha do Regimento) é uma ópera cômica em dois atos de Gaetano Donizetti. Escrita enquanto o compositor estava vivendo em Paris, o libretto em francês é da autoria de Georges Henri Vernoy de Saint-Georges e Jean-François Bayard.
Detalhes sobre o enredo podem ser encontrados na WIKIPEDIA. O Libretto também está disponível em diversos sites na internet.
Como não poderia deixar de ser, o elenco é espetacular, destacando-se Luciano Pavarotti e Joan Sutherland. A regência impecável de Richard Bonynge frente à Orquestra e Coro da Royal Opera House também ajudou a tornar esta gravação histórica e com certeza leva o selo de IM-PER-DÍVEL do PQPBach.

Deliciem-se … é de se ouvir de joelhos e agradecer pelo fato de termos acesso a esta jóia da indústria fonográfica.

CD 1

01. I. Ouverture
02. AKT 1 – L’Ennemi S’Avance
03. Pour Une Femme De Mon Nom
04. Sacre Nom D’Une Pipe!
05. Au Bruit De La Guerre
06. Allons, Allons, March’, March’
07. La La La… Chacun Le Sait, Chacun Le Dit
08. Des Que L’Appel Sonne
09. Ils L’Ont Emmene Brutalement
10. Quoi! Vous M’Aimez
11. Rataplan, Rataplan, Rataplan
12. Ah! Mes Amis, Quel Jour De Fete!
13. Le Camarade Est Amoureux!
14. Je Suis Soldat

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

CD 2

01. Entr’acte
02. Act Two – La romance perdue, on l’a retrouvee
03. Le jour naissait dans le bocage
04. C’en est donc fait
05. Tous les trois reunis
06. Ecoutez – moi, de grace!
07. Ah! c’est elle!
08. Oui! Quand le destin, au milieu de la guerre

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Marie – Joan Sutherland
Tonio – Luciano Pavarotti
La Marquise de Berkenfield – Monica Sinclair
Hortensius – Jules Bruyère
Sulpice – Spiro Malas
Le Caporall – Eric Garrett
La Duchesse de Crakentorp – Edith Coates
Un paysan – Alan Jones
Un Notaire – Omar Gorde

 

.: interlúdio :. Sarah Vaughan – The Best Of The Roulette Years 1960-1963

Ai vai meu presente de Natal para os fãs da Divina Sarah Vaughan: três cds com o melhor de suas interpretações no começo dos anos 60, pelo selo Roulette. Só fico lhes devendo a ficha técnica dos cds, para saber quem a acompanha: Orquestra, maestro, solistas … enfim, creio que uma busca mais atenta pela internet os senhores conseguem estas informações.
De qualquer forma, são três finíssimos CDs, de altíssimo nível, como não poderia deixar de ser, em se tratando de Sarah Vaughan.
Divirtam-se, curtam, deliciem-se… trata-se de papa finíssima …

CD 1

Sarah Vaughan – 01 – The More I See You
Sarah Vaughan – 02 – My Favorite Things
Sarah Vaughan – 03 – Call Me Irresponsible
Sarah Vaughan – 04 – Star Eyes
Sarah Vaughan – 05 – Perdido
Sarah Vaughan – 06 – I Got Rhythm
Sarah Vaughan – 07 – Baubles, Bangles And Beads
Sarah Vaughan – 08 – Great Day
Sarah Vaughan – 09 – I’m Gonna Live ‘Til I Die
Sarah Vaughan – 10 – Lover Man
Sarah Vaughan – 11 – I Believe In You
Sarah Vaughan – 12 – Ev’ry Time We Say Goodbye
Sarah Vaughan – 13 – Always On My Mind
Sarah Vaughan – 14 – Sophisticated Lady
Sarah Vaughan – 15 – In A Sentimental Mood
Sarah Vaughan – 16 – The Lady’s In Love With You
Sarah Vaughan – 17 – You Stepped Out Of A Dream
Sarah Vaughan – 18 – A Garden In The Rain
Sarah Vaughan – 19 – Moonglow
Sarah Vaughan – 20 – Fly Me To The Moon
Sarah Vaughan – 21 – Maria
Sarah Vaughan – 22 – Falling In Love With Love
Sarah Vaughan – 23 – On Green Dolphin Street
Sarah Vaughan – 24 – If I Had You
Sarah Vaughan – 25 – As Long As He Needs Me

CD 2

Sarah Vaughan – 01 – Honeysuckle Rose
Sarah Vaughan – 02 – I Can’t Give You Anything But Love
Sarah Vaughan – 03 – These Foolish Things
Sarah Vaughan – 04 – Solitude
Sarah Vaughan – 05 – Nobody Else But Me
Sarah Vaughan – 06 – I Could Write A Book
Sarah Vaughan – 07 – The Lonely Hours
Sarah Vaughan – 08 – You’re Driving Me Crazy
Sarah Vaughan – 09 – Mama He Treats Your Daughter Mean
Sarah Vaughan – 10 – ‘Round Midnight
Sarah Vaughan – 11 – Moanin’
Sarah Vaughan – 12 – What Kind Of Fool Am I
Sarah Vaughan – 13 – The Man I Love
Sarah Vaughan – 14 – The Good Life
Sarah Vaughan – 15 – Easy Street
Sarah Vaughan – 16 – I Guess I’ll Hang My Tears Out To Dry
Sarah Vaughan – 17 – Gravy Waltz
Sarah Vaughan – 18 – Baby Won’t You Please Come Home
Sarah Vaughan – 19 – Midnight Sun
Sarah Vaughan – 20 – I Hadn’t Anyone ‘Til You
Sarah Vaughan – 21 – Look To Your Heart
Sarah Vaughan – 22 – I Remember You
Sarah Vaughan – 23 – Dreamy

CD 3

Sarah Vaughan – 01 – I Fall In Love Too Easily
Sarah Vaughan – 02 – Oh You Crazy Moon
Sarah Vaughan – 03 – Serenata
Sarah Vaughan – 04 – Have You Met Miss Jones
Sarah Vaughan – 05 – I Cried For You
Sarah Vaughan – 06 – Snowbound
Sarah Vaughan – 07 – When Lights Are Low
Sarah Vaughan – 08 – The Best Is Yet To Come
Sarah Vaughan – 09 – Blah Blah Blah
Sarah Vaughan – 10 – The Second Time Arround
Sarah Vaughan – 11 – One Mint Yulep
Sarah Vaughan – 12 – This Cant Be Love
Sarah Vaughan – 13 – Wonder Why
Sarah Vaughan – 14 – Vanity
Sarah Vaughan – 15 – All Or Nothing All
Sarah Vaughan – 16 – My Reverie
Sarah Vaughan – 17 – Moonlight Love
Sarah Vaughan – 18 – Till The End Of Time
Sarah Vaughan – 19 – None But The Lonely Heart
Sarah Vaughan – 20 – Wrap Your Troubles In Dreams
Sarah Vaughan – 21 – I Cover The Waterfront
Sarah Vaughan – 22 – Dont Blame Me
Sarah Vaughan – 23 – A Ghost Of A Chance
Sarah Vaughan – 24 – Time After Time
Sarah Vaughan – 25 – Body And Soul

CD 1 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 2 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 3 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Franz Joseph Haydn (1732-1809): Symphonies Nº 92 “Oxford” & 91

Franz Joseph Haydn (1732-1809): Symphonies Nº 92 “Oxford” & 91

FDP traz nessa postagem as sinfonias de Nº 91 e de Nº 92, de Joseph Haydn. A interpretação estará a cargo da Orquestra do Concertgebouw de Amsterdam, regida por Sir Colin Davis. Trata-se aqui de uma grande orquestra, com grande massa sonora, ao contrário de outras gravações que até agora postei, sempre com orquestras menores. A leitura de Colin Davis é como sempre correta, e essa Orquestra possui uma sonoridade maravilhosa e que sempre atraiu a todos os grande regentes.

Franz Joseph Haydn – Symphony nº 92 “Oxford” in G Major e nº 91, em F Flat

1 – Symphony nº 92 “Oxford” – Adagio – Allegro spirituoso
2 – Symphony nº 92 “Oxford” – Adagio
3 – Symphony nº 92 “Oxford” – Menuet (Allegretto)
4 – Symphony nº 92 “Oxford” – Presto

5 – Symphonie nº 91 – Largo – Allegro assai
6 – Symphonie nº 91 – Andante
7 – Symphonie nº 91 – Menuet (un poco allegretto)
8 – Symphonie nº 91 – Finale (Vivace)

Concertgebow Orchestra, Amsterdam
Sir Colin Davis – Conductor

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Haydn divertindo-se em quarteto.

FDP Bach

Domenico Gaetano Maria Donizetti (1797-1848): L’elisir d’amore ´Pavarotti, Battle, Nucci, Dara, Upshaw, Levine, Metropolitan Orchestra & Chorus

Começando a semana com ópera. Que tal? Donizetti, Pavarotti, Kathleen Batthle, Metropolitan Orchestra … quer mais o que, cara pálida? Corre para baixar …

Ato I

Nemorino, um pobre camponês, está apaixonado por Adina, uma bela proprietária de terras, que o atormenta com sua indiferença. Quando Nemorino ouve Adina lendo para seus trabalhadores a história de Tristan e Isolda, ele está convencido de que uma poção mágica irá ajudá-lo a conquistar o amor de Adina. O sargento Belcore aparece com seu regimento e imediatamente começa a cortejar Adina na frente de todos. Nemorino fica ansioso (apesar de Adina secretamente ridicularizar a complacência de Belcore) e, sozinho com Adina, revela seu amor por ela. No entanto, Adina o rejeita, dizendo que ela quer um amante diferente a cada dia e seguisse seu exemplo faria Nemorino melhor. Nemorino declara que seus sentimentos nunca vão mudar. O charlatão ambulante médico, Dulcamara (o autoproclamado Dr. Encyclopedia), chega, vendendo sua bebida engarrafada para as pessoas da cidade. Nemorino inocentemente pergunta a Dulcamara se ele tem alguma poção de amor de Isolda. Apesar de não reconhecer o nome “Isolda”, os talentos comerciais de Dulcamara permitem-lhe vender uma garrafa da cura-tudo – na realidade apenas vinho barato – a Nemorino, retirando todas as suas economias.
Para poder fugir com mais segurança, Dulcamara diz a Nemorino que a poção precisa de 24 horas para entrar em vigor – quando o médico já terá ido embora. Nemorino bebe a poção com pressa para assistir ao efeito amanhã. Encorajado pelo “elixir” (na verdade, bêbado), Nemorino finge indiferença quando encontra Adina, pois espera que o elixir facilite sua conquista de Adina no dia seguinte. Ela fica cada vez mais irritada; talvez ela tenha sentimentos por Nemorino afinal de contas? Belcore retorna e propõe casamento para Adina. Ainda irritada por Nemorino e desejando dar-lhe uma lição, Adina promete falsamente se casar com Belcore em seis dias. No entanto, Nemorino apenas ri em resposta: tal confiança é sustentada na crença na poção mágica. No entanto, quando Belcore descobre que seu regimento deve sair na manhã seguinte, Adina promete casar com ele antes de sua partida. Isso, é claro, entra em pânico para Nemorino, que clama pelo Dr. Dulcamara para ajudá-lo. Adina, enquanto isso, convida todos para o casamento.
Ato 2
A festa de casamento de Adina e Belcore está em pleno andamento. Dr. Dulcamara encoraja Adina a cantar um dueto com ele para entreter os convidados. O notário chega para oficializar o casamento. Adina fica aborrecida ao ver que Nemorino não apareceu, pois o negócio todo se destina apenas a puni-lo. Enquanto todo mundo vai para testemunhar a assinatura do contrato de casamento, Dulcamara fica para trás, ajudando-se a comida e bebida. Tendo visto o notário, Nemorino aparece deprimido, pois acredita que perdeu Adina. Ele vê Dulcamara e implora freneticamente por um elixir mais poderoso e de ação mais rápida. Embora Dulcamara se orgulhe de se orgulhar de sua filantropia, ao descobrir que Nemorino agora não tem dinheiro, ele muda de tom e se afasta, recusando-se a fornecer-lhe qualquer coisa. Belcore emerge, refletindo sobre o motivo pelo qual Adina adiou o casamento e assinou o contrato. Ele vê Nemorino e pergunta ao seu rival por que ele está deprimido. Quando Nemorino diz que precisa de dinheiro, Belcore sugere que se junte ao exército, pois ele receberá fundos no local. Belcore tenta empolgar Nemorino com contos de vida militar, enquanto Nemorino só pensa em conseguir a poção e, assim, ganhar Adina, mesmo que apenas por um dia antes da partida. A Belcore produz um contrato, que a Nemorino assina em troca do dinheiro. Nemorino promete em particular se apressar e comprar mais poção, enquanto Belcore reflete sobre como o envio de Nemorino para a guerra despachou tão facilmente seu rival.
Depois que os dois homens foram embora, Giannetta fofoca com as mulheres da aldeia. Jurando-os todos ao sigilo, ela revela que o tio de Nemorino acabou de morrer e deixou uma grande fortuna para o sobrinho. No entanto, nem Nemorino nem Adina ainda estão cientes disso. Nemorino entra, tendo gasto seu bônus de assinatura militar em – e consumido – uma grande quantidade do falso elixir do Dr. Dulcamara. Esperando compartilhar sua fortuna, as mulheres se aproximam de Nemorino com saudações excessivamente amistosas. Portanto, fora do personagem é isso que Nemorino toma como prova da eficácia do elixir. Adina vê Nemorino com as mulheres, está abalada com sua recém descoberta popularidade e pede uma explicação ao Dr. Dulcamara. Sem saber que Adina é o objeto do carinho de Nemorino, Dulcamara explica que Nemorino gastou seu último centavo no elixir e se juntou ao exército para conseguir mais dinheiro, tão desesperado era ganhar o amor de alguma beleza cruel sem nome. Adina imediatamente reconhece a sinceridade de Nemorino, lamenta seu comportamento e percebe que ela amou Nemorino o tempo todo. Embora Dulcamara aproveite a oportunidade para tentar vender-lhe um pouco de sua poção para reconquistar Nemorino, Adina declara que tem plena confiança em seus próprios poderes de atração.
Nemorino aparece sozinho, pensativo, refletindo sobre uma lágrima que viu nos olhos de Adina quando a ignorou mais cedo. Apenas baseado nisso, ele se convence de que Adina o ama. Ela entra e pergunta por que ele escolheu se juntar ao exército e deixar a aldeia. Quando Nemorino explica que ele estava buscando uma vida melhor, Adina responde que ele é amado e que ela comprou de volta seu contrato militar com o sargento Belcore. Ela oferece o contrato cancelado para Nemorino e garante que, se ele ficar, ele ficará feliz. Enquanto ele aceita o contrato, Adina se vira para sair. Nemorino acredita que ela está abandonando-o e voa para um ataque desesperado, prometendo que, se ele não for amado, ele também poderia sair e morrer como soldado. Profundamente movido por sua fidelidade, Adina finalmente declara que vai amar Nemorino para sempre. Nemorino está em êxtase. Adina implora a ele para perdoá-la, o que ele faz com um beijo. Belcore retorna para ver Nemorino e Adina em um abraço. Quando Adina explica que ela ama Nemorino, o sargento leva a notícia no tranco, observando que há muitas outras mulheres no mundo. Adina e Nemorino aprendem sobre a herança de seu tio. Dulcamara retorna e se vangloria do sucesso de seu elixir: Nemorino é agora não apenas amado, mas também rico. Ele exulta no impulso que isso trará para as vendas de seu produto. Enquanto ele se prepara para sair, todo mundo faz fila para comprar o elixir e elogia Dulcamara como um grande médico.

A tradução do resumo acima foi feita pelo Google Tradutor e foi ‘emprestado’ da Wikipedia inglesa. Existem diversos sites que oferecem o link do Libretto, basta procurar.

A dupla Luciano Pavarotti e Kathleen Battle está perfeita aqui, com a sempre e correta direção de James Levine, que dirige a Orquestra e o Coral do Metropolitan, principal casa de Ópera de Nova York. Eis o comentário do editor da amazon.com sobre esse CD:
“It would be hard to imagine a better performance of Donizetti’s comic masterpiece. If there was one role that ideally suited Luciano Pavarotti’s voice and stage personality, it was Nemorino, the impoverished and not-very-bright peasant who worships the village’s prettiest and richest young woman from a distance, is swindled by a traveling vendor of “miracle” medicines, but wins her hand by dumb luck. The story has comedy, pathos, and a put-down of Wagner’s Tristan und Isolde (or at least the Tristan story) written long before Wagner composed it.
Kathleen Battle is not only a wonderful singer and convincing actress; as Adina, she is pretty enough to make Nemorino’s infatuation totally credible. Juan Pons struts convincingly as Belcore, Nemorino’s self-important rival, and Enzo Dara is properly spectacular as Dr. Dulcamara, who sells Nemorino the magic potion guaranteed to improve his love life, or at least to get him drunk. The melodies in this opera include some of the best ever written, and James Levine, his extraordinary orchestra, and his wonderful chorus know exactly what to do with them. Everything comes together in this production to make it one of the best opera DVDs available”. –Joe McLellan

Libretto em Italiano

CD 1

01. Preludio
02. Bel conforto al mietitore
03. Quanto e bella, quanto e cara!
04. Benedette queste carte!…Della crudele Isotta
05. Marziale
06. Come Paride vezzoso
07. Una parola, o Adina
08. Chiedi all’aura lusinghiera
09. Che vuol dire codesta suonata
10. Udite, udite, o rustici
11. Ardir! Ha forse il cielo mandato
12. Voglio dire, lo stupendo elisir
13. Caro elisir! sei mio!
14. Lallarallara…Esulti pur la barbara
15. Tran, tran, tran
16. Signor sargente, di voi richiede la vostra gente
17. Adina credimi, te ne scongiuro
18. Andiam, Belcore

CD 2

01. Andiam, Belcore
02. Poiche cantar vi alletta
03. Io son ricco e tu sei bella, Silenzio!…, Le feste
04. La donna e un animale stravagante, Venti scudi!
05. Qua la mano, giovinotto
06. Saria possible
07. Dell ‘elisir mirabile
08. Come sen va contento!
09. Quanto amore! Ed io, spietata!
10. Una tenera occhiatina
11. Una furtiva lagrima
12. Eccola. Oh! qual le accresce belta
13. Prendi, per me sei libero
14. Alto! Fronte!
15. Ei corregge ogni difetto

CD 1 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 2 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE