J. S. Bach (1685-1750): Missa em Si Menor, BWV 232

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Céus, que coisa linda este registro da Missa em Si Menor! A maior obra já escrita por um ser humano ganha aqui uma versão arrasadora de cabo a rabo, de cima a baixo. Nesta gravação destacada pela Gramophone inglesa, o que me deixou abobado foi a profunda compreensão da utilização dos corais. Nunca tinha-os ouvido tão claros. A Missa é uma obra para solistas e coral das mais espetaculares e o desempenho do Dunedin Consort permite um nível de clareza e de expressão que não são normais. Os cinco solistas, os sopranos Susan Hamilton e Cecilia Osmond, o contralto Margot Oitzinger, o tenor Thomas Hobbs e o baixo Matthew Brook, respondem com performances prenhes de musicalidade. Também as texturas orquestrais são perfeitas, transparentes. Uma coisa de louco. É CD para se ouvir muito e demais.

J. S. Bach (1685-1750): Missa em Si Menor, BWV 232

Disc 1
1 Kyrie eleison (Chorus) 9:39
2 Christe eleison (Soprano 1 and 2) 4:33
3 Kyrie eleison (Chorus) 2:45
4 Gloria in excelsis Deo (Chorus) 1:42
5 Et in terra pax (Chorus) 4:23
6 Laudamus te (Soprano 2) 4:08
7 Gratias agimus tibi (Chorus) 3:04
8 Domine Deus (Soprano 1, Tenor) 5:10
9 Qui tollis peccata mundi (Chorus) 2:45
10 Qui sedes ad dextram Patris (Alto) 3:57
11 Quoniam tu solus Sanctus (Bass) 4:09
12 Cum Sancto Spiritu (Chorus) 3:47

Disc 2
1 Credo in unum Deum (Chorus) 1:46
2 Patrem omnipotentem (Chorus) 1:54
3 Et in unum Dominum (Soprano 1, Alto) 4:11
4 Et incarnatus est (Chorus) 2:55
5 Crucifixus (Chorus) 3:02
6 Et resurrexit (Chorus) 4:02
7 Et in Spiritum Sanctum Dominum (Bass) 5:27
8 Confiteor unum baptisma (Chorus) 3:40
9 Et expecto resurrectionem mortuorum (Chorus) 2:07
10 Sanctus (Chorus) 4:58
11 Osanna (Double Chorus) 2:38
12 Benedictus (Tenor) 4:55
13 Osanna – Da capo (Double Chorus) 2:39
14 Agnus Dei (Alto) 4:26
15 Dona nobis pacem (Double Chorus) 3:15

Matthew Brook
Susan Hamilton
Thomas Hobbs
Cecilia Osmond
Margot Oitzinger
Dunedin Consort
Dunedin Players
John Butt

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Como conseguiste isso, Butt?

Como conseguiste isso, Butt?

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J.S. Bach (1685-1750): 6 Sonatas para Violino e Piano BWV 1014-19

Um excelente álbum duplo. Surpreende um pouco a opção de Jarrett pelo piano já que ele fez diversas gravações de Bach ao cravo. Mas ficou bonito. Michelle Makarki é uma excelente violinista, profunda conhecedora de Bach e o senso rítmico das Sonatas é mantido com brilhantismo. Penso que o conjunto esteja um degrau abaixo do registro da dupla inglesa Rachel Podger e Trevor Pinnock e do pessoal do Musica Antiqua Köln. Talvez minha escolha seja ditada por minha absoluta preferência pelo cravo nestas peças, mas talvez haja mais coisas. Ouvi apenas uma vez os CDs. Então, achei uma gravação digna, mas não uma first choice.

J.S. Bach (1685-1750): 6 Sonatas para Violino e Piano

Sonata No. 1 In b Minor BWV 1014
1-1 I Adagio 4:11
1-2 Il Allegro 2:57
1-3 Ill Andante 3:08
1-4 IV Allegro 3:18

Sonata No. 2 In A Major BWV 1015
1-5 I Dolce 3:01
1-6 Il Allegro 3:05
1-7 Ill Andante Un Poco 2:54
1-8 IV Presto 4:21

Sonata No. 3 In E Major BWV 1016
1-9 I Adagio 4:36
1-10 Il Allegro 2:53
1-11 Ill Adagio Ma Non Troppo 4:56
1-12 IV Allegro 3:40

Sonata No. 4 In c Minor BWV 1017
2-1 I Largo 4:42
2-2 Il Allegro 4:19
2-3 Ill Adagio 3:06
2-4 IV Allegro 4:41

Sonata No. 5 in f Minor BWV 1018
2-5 I (Largo) 8:06
2-6 Il Allegro 4:17
2-7 Ill Adagio 3:14
2-8 IV Vivace 2:40

Sonata No. 6 In G Major BWV 1019
2-9 I Allegro 3:32
2-10 Il Largo 1:45
2-11 Ill Allegro (Cembalo Solo) 4:43
2-12 IV Adagio 3:17
2-13 V Allegro 3:10

Violin – Michelle Makarski
Piano – Keith Jarrett

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Makarski parece meio apavorada com o que faz Jarrett, não?

Makarski parece meio apavorada com a calma de Jarrett, não?

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Brahms, Bach, Ravel, Chausson, Waxman: Música para violino e piano

Este disco é bom demais, mas tem limitações, sabem? O Brahms é MESMO NOTÁVEL, o Bach é LINDO DE MORRER, o Ravel é EXTRAORDINÁRIO, mas depois o pequepiano de verdade deverá desligar o computador ou o CD Player porque a coisa fica suspeita. Após uma transição meio estranha a cargo de Chausson — um francês que achei mela-cueca — , o tal Waxman faz um medley de Carmen que é das piores coisas que ouvi ultimamente. OK, o CD tem cara de recital. Daquele gênero de recital que começa com o filé e termina com aquela concessão ao gosto do público mais vulgar. É um estilo do qual não gosto. Mas, como diz Milton Ribeiro, futebol é bola na rede e o resto é secundário. Então ouçam o que e como quiserem. Mas de uma coisa tenham certeza, esses armênios aê são bons pra caralho.

Brahms, Bach, Ravel, Chausson, Waxman: Música para violino e piano

Brahms:
1. Violin Sonata No. 3 in D minor Op. 108: I. Allegro
2. Violin Sonata No. 3 in D minor Op. 108: II. Adagio
3. Violin Sonata No. 3 in D minor Op. 108: III. Un poco presto e con sentimento
4. Violin Sonata No. 3 in D minor Op. 108: IV. Presto agitato
Bach:
5. Ciaccona from Partita No.2 in D minor, BWV 1004 for violin solo
Ravel:
6. Tzigane, Rhapsodie de Concert
Chausson:
7. Poème Op. 25
Waxman:
8. Carmen Fantasie for Violin and Piano base on Themes from the Opera of Georges Bizet

Sergey Khachatryan, Violino
Lusine Khachatryan, Piano
Vladimir Khachatryan, Piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Sergey e Lusine Khachatryan, não encontramos Vladímir

Sergey e Lusine Khachatryan, não encontramos Vladímir

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Johann Sebastian Bach (1685-1750) – Violin Concertos – Jeanne Lemon, Tafelmusik Baroque Orquestra

frontEis mais um registro excelente do Tafelmusik, sob a direção competente da Jeanne Lemon, que para completar, ainda é uma baita violinista. Adoro estes concertos, sei lá quantas versões já ouvi, ou quantas tenho, só sei que adoro estes concertos.
Um CD ideal para ouvir em uma tarde chuvosa de um final de semana chuvoso. Música ideal para reflexão, para se pensar na vida. Espero que apreciem.

01. Concerto for Violin, Strings & b.c. in A minor, BWV 1041 I. (-)
02. II. Andante
03. III. Allegro assai
04. Concerto for 2 Violins, Strings & b.c. in D minor, BWV 1043 I. Vivace
05. II. Largo ma non tanto
06. III. Allegroo
07. Concerto for Violin, Strings & b.c. in E major, BWV 1042 I. Allegro
08. II. Adagio
09. III. Allegro assai
10. Concerto for 3 Violins, Strings & b.c. in D major, BWV 1064r I. Allegro
11. II. Adagio
12. III. Allegro

Jeanne Lemon – Violin & Music Director
Linda Melsted – solo violin -(4-6, 10-12)
David Greenberg solo violin (10-12)
Tafelmusik Baroque Orchestra

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Johann Sebastian Bach (1685-1750) – Sonatas para Flauta, BWV 1020, 1030-1032, Partita para Flauta Solo, BWV 1013

51oRRwQd5MLLink Revalidado a pedido do Charlles Campos. Esta postagem foi feita lá nos primórdios do blog, em 2007, há quase dez anos. O tempo passa, o tempo voa. Mas a qualidade desta gravação continua a mesma.

A PEDIDOS REUPEI O MEU CD QUE TEM 16 FAIXAS, COM A PARTITA PARA FLAUTA SOLO. QUEM QUISER, PODE BAIXAR NOVAMENTE ….

Como o final de semana está chegando, FDP Bach resolveu fazer três postagens peso-pesado para seus leitores/ouvintes, que apenas aos sábados e domingos tem tempo disponível para baixar e ouvir com mais atenção a estas pérolas…
Começarei com uma gravação antológica, e aproveitando também para fazer uma contraposição à última postagem do nosso colega Blue Dog: Algumas das mesmas sonatas para flauta de Bach postadas na versão de Jarrett/Petri nas mãos mágicas de Aurelè Nicolet e Karl Richter, dois dos maiores intérpretes do século XX da obra de nosso pai. Já a tive em vinil, aliás ainda a tenho, e quando a encontrei em cd nacional (????) quase tive um infarto de tão emocionado que fiquei..

P.S. Segundo comentário de cliente da amazon esta gravação não é apenas a melhor gravação já realizada destas obras mas a melhor gravação já realizada na história da indústria fonográfica.

Bem, vamos ao que interessa…

Johann Sebastian Bach – Sonaten für Flöte und obligates Cembalo BWV 1020, 1030-1032 e Partita a-mol für flöte solo BWV 1015

1 – Sonata in B minor BWV 1030 – Andante
2 – Sonata in B minor BWV 1030 – Largo e dolce
3 – Sonata in B minor BWV 1030 – Allegro

4 – Sonata in E flat major BWV 1031 – Allegro moderato
5 – Sonata in E flat major BWV 1031 – Siciliano
6 – Sonata in E flat major BWV 1031 – Allegro

7 – Sonata in A Major BWV 1032 – Vivace
8 – Sonata in A Major BWV 1032 – Largo e dolce
9 – Sonata in A Major BWV 1032 – Allegro

10 – Sonata in G minor BWV 1020 – Allegro
11 – Sonata in G minor BWV 1020 – Adagio
12 – Sonata in G minor BWV 1020 – Allegro

13 – Partita in A minor for flute solo, BWV 1013 – Allemande
14 – Partita in A minor for flute solo, BWV 1013 – Corrente
15 – Partita in A minor for flute solo, BWV 1013 – Sarabande
16 – Partita in A minor for flute solo, BWV 1013 – Bouree anglaise

Karl Richter – cravo
Aurelè Nicolet – Flauta

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

topelement

Aurèle Nicolet (1926-2016) – Uma singela homenagem a um dos maiores flautistas do Século XX, que faleceu no mês de Janeiro.

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J.S. Bach (1685-1750): Sonatas & Partitas para Violino Solo, BWV 1001-1006, arranjadas para Violoncelo

Markku Luolajan-Mikkola é um homem de técnica, sensibilidade e coragem. Simplificou os trechos que eram absolutamente impossíveis para o violoncelo, deixou a coisa mais lenta que o habitual, alterou as tonalidades e foi em frente, gravando as Sonatas e Partitas de Bach, originalmente escritas para o leve violino. É uma gravação estranha e maravilhosa. Os tempos das performances de Luolajan-Mikkola são os mais lentos que eu já ouvi. Mas não pense que tudo é uniformemente lento. A Chacona, por exemplo, dura cerca de 15 minutos, o que é a duração comum em violino. Markku Luolajan-Mikkola é um músico sensível e escrupuloso. Trata-se de um mestre de uma série de instrumentos de cordas. Aqui, ele toca um violoncelo barroco feito por Barak Norman em Londres por volta de 1700. O som é impressionante — rústico e forte, muito ressonante. A ideia maluca de transcrever do violino solo de Bach para o violoncelo não é nova, parece ter nascido com o próprio autor. Existem manuscritos do século 19 com tentativas de transcrições e, de acordo com Johann Friedrich Agricola, o próprio compositor costumava improvisar essas peças ao cravo, violoncelo e órgão. A transcrição de Luolajan-Mikkola é muito fiel ao original. Ele afirmou que os abusos eram absolutamente desnecessários, pois a idiomática para todos os instrumentos de cordas é a mesma…

OK. Divirtam-se com o finlandês. É um país incrível. A Finlândia e a Estônia são para a música clássica assim como a Irlanda está para a literatura. Há uma desproporção notável entre o tamanho da população e a excelência artística.

J.S. Bach (1685-1750): Sonatas & Partitas para Violino, BWV 1001-1006, arranjadas para Violoncelo

Disc 1:
Violin Partita No. 2 in D Minor, BWV 1004 (Arr. in G Minor for Cello):
1 I. Allemanda 4:42
2 II. Corrente 3:09
3 III. Sarabanda 4:16
4 IV. Gigue 4:29
5 V. Ciaccona 15:15

Violin Sonata No. 2 in A Minor, BWV 1003 (Arr. in D Minor for Cello):
6 I. Grave 3:43
7 II. Fugue 10:38
8 III. Andante 5:13
9 IV. Allegro 7:02

Violin Partita No. 3 in E Major, BWV 1006 (Arr. in A Major for Cello):
10 I. Preludio 4:47
11 II. Loure 4:22
12 III. Gavotte en rondeau 3:15
13 IV. Menuets I & II 4:54
14 V. Bourrée 1:40
15 VI. Gigue 2:09

Disc 2
Violin Partita No. 1 in B Minor, BWV 1002 (Arr. in E Minor for Cello):
1 I. Allemanda 5:31
2 II. Double 3:56
3 III. Corrente 4:13
4 IV. Double. Presto 3:53
5 V. Sarabanda 4:59
6 VI. Double 3:22
7 VII. Tempo di bourrée 3:54
8 VIII. Double 4:13

Violin Sonata No. 1 in G Minor, BWV 1001 (Arr. in C Minor for Cello):
9 I. Adagio 4:05
10 II. Fugue. Allegro 6:47
11 III. Siciliana 3:27
12 IV. Presto 4:10

Violin Sonata No. 3 in C Major, BWV 1005 (Arr. in F Major for Cello):
13 I. Adagio 4:28
14 II. Fugue 12:41
15 III. Largo 2:57
16 IV. Allegro assai 5:34

Markku Luolajan-Mikkola, violoncelo barroco

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Markku Luolajan-Mikkola

Markku Luolajan-Mikkola

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): As Sonatas e Partitas para Violino Solo

IM-PER-DÍ-VEL !!!!

Um grande disco! Uma das melhores versão das Sonatas e Partitas de Bach para violino solo. E uma bela e surpreendente gravação da ECM. Em todos os níveis — estético, emocional, técnico — , as interpretações de John Holloway convencem. Sua articulação está limpa, maleável e o timbre de seu violino barroco garante desde o Adagio da abertura do Sonata Nº 1, o brilho que os contrapontos de Bach exigem serem abordados com clareza. Inteligência, intensidade e drama estão presentes em igual medida.

É uma música muito familiar a mim, mas que aqui é ouvida como se fosse nova. O violinista inglês, um astro da música em instrumentos de época, extrai Bach de seu violino como se o estivesse reesculpindo.

J. S. Bach – The Sonatas and Partitas for Violin Solo

CD 1
1. Sonata No.1 in G minor BWV 1001 – I. Adagio
2. Sonata No.1 in G minor BWV 1001 – II. Fuga – Allegro
3. Sonata No.1 in G minor BWV 1001 – III. Siciliana
4. Sonata No.1 in G minor BWV 1001 – IV. Presto

5. Partita No.1 in B minor BWV 1002 – I. Allemanda
6. Partita No.1 in B minor BWV 1002 – II. Double
7. Partita No.1 in B minor BWV 1002 – III. Corrente
8. Partita No.1 in B minor BWV 1002 – IV. Double. Presto
9. Partita No.1 in B minor BWV 1002 – V. Sarabande
10. Partita No.1 in B minor BWV 1002 – VI. Double
11. Partita No.1 in B minor BWV 1002 – VII. Tempo di Borea
12. Partita No.1 in B minor BWV 1002 – VIII. Double

13. Sonata No.2 in A minor BWV 1003 – I. Grave
14. Sonata No.2 in A minor BWV 1003 – II. Fuga
15. Sonata No.2 in A minor BWV 1003 – III. Andante
16. Sonata No.2 in A minor BWV 1003 – IV. Allegro

CD 2
1. Partita No.2 in D minor BWV 1004 – I. Allemanda
2. Partita No.2 in D minor BWV 1004 – II. Corrente
3. Partita No.2 in D minor BWV 1004 – III. Sarabanda
4. Partita No.2 in D minor BWV 1004 – IV. Giga
5. Partita No.2 in D minor BWV 1004 – V. Ciaccona

6. Sonata No.3 in C major BWV 1005 – I. Adagio
7. Sonata No.3 in C major BWV 1005 – II. Fuga
8. Sonata No.3 in C major BWV 1005 – III. Largo
9. Sonata No.3 in C major BWV 1005 – IV. Allegr assai

10. Partita No.3 in E major BWV 1006 – I. Preludio
11. Partita No.3 in E major BWV 1006 – II. Loure
12. Partita No.3 in E major BWV 1006 – III. Gavotte en rondeau
13. Partita No.3 in E major BWV 1006 – IV. Menuet I
14. Partita No.3 in E major BWV 1006 – V. Menuet II
15. Partita No.3 in E major BWV 1006 – VI. Bourrée
16. Partita No.3 in E major BWV 1006 – VII. Gigue

John Holloway: violino barroco

ECM New Series 1909/10

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

John Holloway, nada rotineiro

John Holloway, nada rotineiro

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J.S.Bach (1685-1750): Partitas BWV 825-831

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Trata-se de verdadeiro crime cultural o fato destes LPs com as Partitas para teclado de Bach, com Tatiana Nikolayeva (1924-1993), serem tão raros que nem se encontram completos em CD na Amazon. São gravações que não ficam nada a dever a qualquer pianista ocidental, tais como Schiff, Gould ou malufista Martins. Talvez ela perca apenas para a inacreditável Angela Hewitt. Resquícios da guerra fria, a qual nos deixou sem o fraseado peculiar desta grande pianista, aliás, a preferida de Shostakovich. Em 1993, ela foi finalmente reconhecida ao vencer o Gramophone Award por sua terceira gravação dos 24 Prelúdios e Fugas de Shosta. Encontrei estas joias convertidas para mp3 — muito bom mesmo, com poucos ruídos — aí pela rede e elas merecem receber tranquilamente o galardão de IM-PER-DÍ-VEIS !!!!.

J.S.Bach – Partitas BWV 825-831 – Tatiana Nikolayeva [LP1 of 5]

Side 1
Partita No.1 in B-flat, BWV 825
1. Praeludium
2. Allemande
3. Courante
4. Sarabande
5. Menuet I & II
6. Gigue
Side 2
Partita No.2 in C minor, BWV 826
1. Sinfonia
2. Allemande
3. Courante
4. Sarabande
5. Rondeau
6. Capriccio
Tatiana Nikolayeva, piano
Recorded in 1980

-=-=-=-

J.S.Bach – Partitas BWV 825-831 – Tatiana Nikolayeva [LP2 of 5]

J.S.Bach (1685-1750)
Side 1
Partita No.3 in A minor, BWV 827
– 1. Fantasia
– 2. Allemande
– 3. Courante
– 4. Sarabande
– 5. Burlesca
Side 2
– 6. Scherzo
– 7. Gigue
Partita No.4 in D, BWV 828
– 1. Overture
– 2. Allemande
Tatiana Nikolayeva, piano
Recorded in 1980

-=-=-=-

J.S.Bach – Partitas BWV 825-831 – Tatiana Nikolayeva [LP3 of 5]

J.S.Bach (1685-1750)
Side 1
Partita No.4 in D, BWV 828
3. Courante
4. Aria
5. Sarabande
6. Menuett
7. Gigue
Side 2
Partita No.5 in G minor, BWV 829
1. Praeambulum
2. Allemande
3. Courante
4. Sarabande
5. Tempo di Minuetto
6. Passepied
7. Gigue
Tatiana Nikolayeva, piano
Recorded in 1980

-=-=-=-

J.S.Bach – Partitas BWV 825-831 – Tatiana Nikolayeva [LP4 of 5]

J.S.Bach (1685-1750)
Side 1
Partita No.6 in E minor, BWV 830
1. Toccata
2. Allemande
3. Courante
4. Air
Side 2
5. Sarabande
6. Tempo di Gavotta
7. Gigue
Tatiana Nikolayeva, piano
Recorded in 1980

-=-=-=-

J.S.Bach – Partitas BWV 825-831 – Tatiana Nikolayeva [LP5 of 5]

J.S.Bach (1685-1750)
Side 1
French Overture (Partita No.7) in B minor BWV 831 <— Sete? Tá bom…
1. Ouverture
2. Courante
3. Gavotte I & II
4. Passepied I & II
Side 2
5. Sarabande
6. Bourree I & II
7. Gigue
8. Echo
Tatiana Nikolayeva, piano
Recorded in 1980

-=-=-=-

LP Conversion | Melodija 1981

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

A notável Tatiana Nikolayeva

A notável Tatiana Nikolayeva

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J.S.Bach (1685-1750): Sinfonia da Cantata BVW 42, Concerto para 2 violinos, Concerto de Brandenburgo Nº 1 / Felix Mendelssohn (1809-1847): Sinfonia Nº 5 “Reforma”

Koopman exalta os músicos finlandeses. Justo.

Koopman exalta os músicos finlandeses. Justo.

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Certamente, este não é um CD regular, desses que você encontra na loja e compra. É um pirata da mais alta qualidade. É o registro de um concerto ao vivo no qual o grande Ton Koopman rege um repertório extraordinariamente bem bolado. O som — excelente, se considerarmos a situação — deve ter sido capturado através da Rádio Estatal Finlandesa, uma das mais ouvidas por PQP Bach em seu micro. Uma joia. Ao lado de obras de Bach, Koopman programou a Sinfonia Nº 5 de Mendelssohn, composta para as comemorações dos 300 anos da Reforma Protestante (1832).

Assim como Bach fazia em suas Cantatas, a Sinfonia de Mendelssohn está cheia de citações a hinos luteranos. Por exemplo, no primeiro movimento, a introdução lenta e solene, que alterna metais e cordas em pianíssimo, apresenta o Amen de Dresden, tema retirado da liturgia luterana do século XVIII da região da Saxônia. É contrastado por um vigoroso Allegro con fuoco e ao final é reapresentado o Amen de Dresden, que termina em grande agitação com um acorde menor se transformando em maior. E o último movimento é uma fantasia sobre o coral de Lutero Ein’ feste Burg ist unser Gott, o chamado Hino da Reforma, utilizado por Bach em sua maior Cantata, a BWV 80.

Minha opinião diverge cordialmente da de meu colega Carlinus: esta é a maior e mais importante Sinfonia de Mendelssohn e não a preferida dele, a de Nº 4, “Italiana”. Mas não vamos brigar por isso, de modo algum. É questão de gosto. Também não brigaremos sobre a competência de Ton Koopman, notável cravista, organista e regente.

J.S.Bach (1685-1750): Sinfonia da Cantata BVW 42, Concerto para 2 violinos, Concerto de Brandenburgo Nº 1 / Felix Mendelssohn (1809-1847): Sinfonia Nº 5 “Reforma”

Johann Sebastian Bach (1685-1750)
1. Sinfonia from Cantata BWV 42

2. Concerto in D Minor for Two Violins, BWV 1060
Allegro
Adagio
Allegro

3. Brandenburg concerto No. 1 in F major, BWV 1046
(Without tempo indication)
Adagio
Allegro
Menuetto – Trio I – Polacca – Trio II

Felix Mendelssohn Bartholdy (1809-1847)
4. Sinfonia No. 5 em Ré maior, Op. 107 – “Da Reforma”
Andante – Allegro com fuoco
Allegro vivace
Andante
Andante com moto – Allegro vivace – Allegro maestoso

Finnish Radio Symphony Orchestra
Ton Koopman, regente
Taija Kilpiö, violino
Emma Vähälä, violino

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Koopman calando a boca de todos.

Koopman calando a boca de todos.

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): Oratório de Natal (Weihnachts-Oratorium / Christmas Oratorio)

IM-PER-DÍ-VEL !!!

O Natal está chegando e já estou montando uma árvore em meu coração para abrigar meus amigos e presentes, principalmente os últimos. Esta data — que é uma verdadeira e bela conspiração de amor — sempre me deixa, bem , muito irritado…

Até porque o Natal é uma festa de origem pagã que nos foi roubada pelos religiosos. A história do Natal começa, na verdade, pelo menos 7 mil anos antes do nascimento de Jesus. No hemisfério norte, o solstício de inverno era comemorado por marcar a noite mais longa do ano. No dia seguinte, ela seria paulatinamente mais curta, encaminhando o final do período ruim para as lavouras. Então, no solstício de inverno era festejada a melhoria das perspectivas. Era um tempo em que o homem deixava de ser caçador errante e começava a dominar a agricultura; então a volta dos dias mais longos significava a certeza de novas colheitas no ano seguinte. Na Mesopotâmia a celebração era enorme, com mais de dez dias de festa. Já os gregos cultuavam Dionísio no solstício, o deus do vinho e do prazer. Na China, as homenagens representavam a harmonia da natureza. Os povos antigos que habitavam a atual Grã-Bretanha criaram Stonehenge, monumento que começou a ser erguido em 3100 a.C. para marcar a trajetória do Sol ao longo do ano. Então, em 221 d.C., o historiador cristão Sextus Julius Africanus propôs à Igreja a fixação do nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro. Aceita a proposta, a partir do século IV o Solis Invictus começou sua mutação. Ficou convencionado que Jesus nascera em 25 de dezembro e que as celebrações eram em sua honra. Ora, e meu pai caiu nessa.

Mas tergiverso.

Meus amigos, que Cantatas, que gravação, que belo trabalho de Jacobs com a Akademie für alte Musik Berlin. Quando digo que são Cantatas, não estou fazendo uma figura de linguagem: o Oratório de Natal foi escrito para o 25 de dezembro de 1734. Talvez por falta de tempo — o que era raro em Bach — , o compositor juntou algumas de suas Cantatas,  inclusive a música de três cantatas seculares (profanas), escritas entre 1733 e 1734, e a de uma cantata extraviada por meu irmão mais velho, aquele puto, que seria a BWV 248a.

Então, o oratório tem seis partes, sendo cada uma delas destinadas a apresentação em um dia das festas principais do período natalino. Modernamente, a peça é geralmente apresentada como um todo, ou dividida em duas partes iguais. A duração total da obra é aproximadamente três horas. De modo similar aos outros oratórios, um tenor Evangelista narra a história. A primeira parte (para o dia de Natal) descreve o nascimento de Jesus; a segunda (para o dia 26 de dezembro), a anunciação aos pastores; a terceira (para 27 de dezembro), a adoração dos pastores; a quarta (para o Ano Novo), a circuncisão (ui!) de Jesus; a quinta (para o domingo após o Ano Novo), a jornada dos Reis Magos, e a sexta (para a Epifania), a adoração dos Reis Magos.

J. S. Bach (1685-1750): Oratório de Natal

CD 1
1. Am 1. Weihnachtstag – Chor : “Jauchzet, Frohlocket, Auf, Preiset Die Tage”
2. Rezitativ – Evangelist : “Es Begab Sich Aber Zu Der Zeit”
3. Rezitativ – Alto : “Nun Mird Mein Liebster Brautigam”
4. Air – Alto : “Bereite Dich, Zion, Mit Zartlichen Trieben”
5. Choral : “Wie Soll Ich Dich Empfangen”
6. Rezitativ – Evangelist : “Und Sie Gebar Ihren Ersten Sohn”
7. Choral – Soprano : “Er Ist Auf Erden Kommen Arm”
8. Air – Basse : “Groser Herr Und Starker Konig”
9. Choral : “Ach Mein Herzliebes Jesulein”
10. Am 2. Weihnachtstag – Sinfonia
11. Rezitativ – Evangelist : “Und Es Waren Hirten In Deselben Gegend”
12. Choral : “Brich An, O Schones Morgenlicht”
13. Rezitativf : “Und Der Engel Sprach Zu Ihnen”
14. Rezitativf – Basse : “Was Gott Dem Abraham Verheisen”
15. Air : “Frohe Hirten, Eilt, Acht Eilet”
16. Rezitativ – Ange : “Und Das Habt Zum Zeichen”
17. Choral : “Schaut Hin, Dort Liegt Im Finstern Stall”
18. Rezitativ – Basse : “So Geht Denn Hin, Ihr Hirten, Geht”
19. Air – Alto : “Schlafe, Mein Liebster, Geniese Der Ruh”
20. Rezitativ – Evangelist : “Und Alsobald War Da Bei Dem Engel”
21. Chor : “Ehre Sei Gott In Der Hohe”
22. Rezitativ – Basse : “So Recht, Ihr Engel, Jauchzet Und Singet”
23. Choral : “Wir Singen Dir In Deinem Heer”
24. Am 3. Weihnachtstag – Chor : “Herrscher Des Himmels, Erhore Das Lallen”
25. Rezitativf – Evangelist : “Und Da Die Engel Von Ihnen Gen Himmel Fuhren”
26. Chor : “Lasset Uns Nun Gehen Gen Bethlehem”
27. Rezitativ – Basse : “Er Hat Sein Volk Getrost”
28. Choral : “Dies Hat Er Alles Uns Getan”
29. Duo – Soprano, Basse : “Herr, Dein Mitleid, Dein Erbarmen”
30. Rezitativ – Evangelist : “Und Sie Kamen Eilend Und Fanden Beide”
31. Air – Alto : “Schliese, Mein Herze, Dies Selige Wunder”
32. Rezitativ – Alto : “Ja, Ja, Mein Herz Soll Es Bewahren”
33. Choral : “Ich Will Dich Mit Fleis Bewahren”

CD 2
1. Choral : “Seid Froh”
2. Chor (Da Capo) : “Herrscher Des Himmels, Erhore Das Lallen”
3. Am Fest der Beschneidung Christi – Chor : “Fallt Mit Danken, Fallt Mit Loben”
4. Rezitativ -Evangelist : “Und Da Acht Tage Um Waren”
5. Rezitativ – Basse : “Immanuel, O Suses Wort”
6. Air – Soprano : “Flost, Mein Heiland, Flost Dein Namen”
7. Rezitativ – Basse : “Wohlan, Dein Name Soll Allein”
8. Air – Tenor : “Ich Will Nur Dir Zu Ehren Leben”
9. Choral : “Jesu Richte Mein Beginnen”
10. Am Sonntag nach Neujahr – Chor : “Ehre Sei Dir, Gott, Gesungen”
11. Rezitativ – Evangelist : “Da Jesus Geboren War Zu Bethlehem”
12. Choeur : “Wo Ist Der Neugeborne Konig Der Jude ?”
13. Choral : “Dein Glanz All Finsternis Verzehret”
14. Air – Basse : “Erleucht Auch Meine Finstre Sinnen”
15. Rezitativ – Evangelist : “Da Das Der Konig Herodes Horte”
16. Rezitativ – Alto : “Warum Wollt Ihr Erschrecken ?”
17. Rezitativ – Evangelist : “Und Lies Versammlen Alle Hohepriester”
18. Trio : “Ach, Wenn Wird Die Zeit Erscheinen ?”
19. Rezitativ – Alto : “Mein Liebster Herrschet Schon”
20. Choral : “Zwar Ist Solche Herzensstube”
21. Am Epiphaniasfest – Choeur :”Herr, Wenn Die Stolzen Feinde Schnauben”
22. Rezitativ – Evangelist : “Da Berief Herodes Die Weisen Heimlich”
23. Rezitativ – Soprano : “Du Falscher, Suche Nur Den Herrn Zu Fallen”
24. Air – Soprano : “Nur Ein Wink Von Seinen Handen”
25. Rezitativ – Evangelist : “Als Sie Nun Den Konig Gehoret Hatten”
26. Chor : “Ich Steh An Deiner Krippen Hier”
27. Rezitativ – Evangelist : “Und Gott Befahl Ihnen Im Traum”
28. Rezitativ – Tenor : “So Geht ! Genug, Mein Schatz Geht Nicht Von Hier”
29. Air – Tenor : “Nun Mogt Ihr Stolzen Feinde Schrecken”
30. Rezitativ : “Was Will Der Hollen Schecken Nun”
31. Choral : “Nun Seid Ihr Wohl Gerochen”
34. Am 3. Weihnachtstag – Rezitativ – Evangelist : “Und Die Hirten Kehreten Wieder Um”

Dorothea Röschmann: soprano
Andreas Scholl: alto
Werner Güra: tenor
Klaus Häger: bass

René Jacobs (cond.)
RIAS-Kammerchor
Akademie für alte Musik Berlin

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

René Jacobs, gênio total

René Jacobs, gênio total

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): Concertos de Brandenburgo e Suítes Orquestrais – Masaaki Suzuki / Bach Collegium Japan

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Nota inicial de Ranulfus: Há um mês o mesmo repertório deste CD (Brandenburgos e Aberturas) voltou à baila executado pelos canadenses da Taffelmusik, em postagem do colega FDP Bach. Ouvi, gostei e recomendo – mas para meu gosto pessoal esta realização de Masaaki Suzuki continua campeã absoluta. Baste dizer que eu sempre havia considerado o 1º Brandenburgo um tanto massudo em comparação com os demais, até chato… mas ao arrancá-lo do salão para o galpão, recuperando a energia e rusticidade das trompas não sem razão chamadas “de caça”, Mr Suzuki conseguiu transformá-lo para mim, de golpe, em uma das peças mais excitantes e queridas do velho Bach!

Daí o meu choque ao descobrir que os links desta postagem estavam vencidos há anos. Inconformado, tomei a postagem de assalto e renovei os links, com ligeira reformulação da apresentação, sem nem pedir licença ao autor da postagem, nosso Grão-Mestre PQP Bach – esperando que ele abrevie em pelo menos dois anos minha condenação às galés pelo fato de preservar a seguir o seu texto original:

É óbvio que as pessoas que mantêm o PQP Bach têm vários parafusos soltos. Em primeiro lugar pela constância e absoluto saco de fazer os ups, em segundo lugar (há vários outros “lugares”) por inventar efemérides onde não há. E a moda do momento é fazer o 200º post de Bach. Nós simplesmente adotamos o desafio do “Raphael – Cello” de chegar JÁ ao post 200 e entramos num alucinado tour de force. Pois agora eu respondo ao Carlinus com o mesmo repertório de seu post de ontem, só que na interpretação de Masaaki Suzuki e do Bach Collegium Japan. Acho que ninguém vai reclamar de novos Concertos de Brandenburgo e Suítes Orquestrais, né? As duas versões que apresentamos hoje são esplêndidas, o que destrói qualquer tentativa de encontrar um registro mais correto, pois ambas são NOTÁVEIS e MUITO DIFERENTES.

Comprovem dando uma ouvida com que fez Suzuki no 2º movimento do 3º Brandenburguês. Sim, cinco minutos onde não há nada (na minha gravação da Orq. de Freiburg este movimento tem 13 segundos !!!).

Ah, e UM FELIZ DIA DOS PAIS A JOHANN SEBASTIAN !!! ESTEJA ONDE ESTIVER, ELE É VERDADEIRO PAI DE TODOS OS QUE AMAM A MÚSICA !!!

ARQUIVO I: OS 6 BRANDENBURGOS
Brandenburg Concerto No. 1 in F major, BWV 1046
1.1. (No tempo indication)
1.2. Adagio
1.3. Allegro
1.4. Menuet – Trio – Menuet – Polonaise – Menuet – Trio – Menuet

Brandenburg Concerto No. 2 in F major, BWV 1047
2.1. (No tempo indication)
2.2. Andante
2.3. Allegro

Brandenburg Concerto No. 3 in G major, BWV 1048
3.1. (No tempo indication)
3.2. Adagio
3.3. Allegro

Brandenburg Concerto No. 4 in G major, BWV 1049
4.1. Allegro
4.2. Andante
4.3. Presto

Brandenburg Concerto No. 5 in D major, BWV 1050
5.1. Allegro
5.2. Affettuoso
5.3. Allegro

Brandenburg Concerto No. 6 in B flat major, BWV 1051
6.1. (No tempo indication)
6.2. Adagio ma non tanto
6.3. Allegro

. . . . . . . Brandenburgs: BAIXE AQUI – download here

ARQUIVO II: AS 4 ABERTURAS (SUÍTES ORQUESTRAIS)
Orchestral Suite No. 1 in C major, BWV 1066
1.1. Ouverture
1.2. Courante
1.3. Gavotte 1/2
1.4. Forlane
1.5. Menuet 1/2
1.6. Bourrée 1/2
1.7. Passepied 1/2

Orchestral Suite No. 2 in B minor, BWV 1067
2.1. Ouverture
2.2. Rondeau
2.3. Sarabande
2.4. Bourrée 1/2
2.5. Polonaise – Double
2.6. Menuet
2.7. Badinerie

Orchestral Suite No. 3 in D major, BWV 1068
3.1. Ouverture
3.2. Air
3.3. Gavott 1/2
3.4. Bourrée
3.5. Gigue

Orchestral Suite No. 4 in D major, BWV 1069
4.1. Ouverture
4.2. Bourrée 1/2
4.3. Gavotte
4.4. Menuet 1/2
4.5. Réjouissance

. . . . . . . Suites: BAIXE AQUI – download here

Suzuki-Masaaki-15[Marco-Borggreve]Bach Collegium Japan
Conductor: Masaaki Suzuki (2009)
Flute on Orchestral Suite No.2: Liliko Maeda

Apoie os bons artistas, compre suas músicas!

Apesar de raramente respondidos, os comentários dos leitores e ouvintes são apreciadíssimos. São nosso combustível. Comente a postagem!

Originalmente em 08/08/2010
PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Johann Sebastian Bach (1685-1750): A Oferenda Musical, BWV 1079

Um bom jantar pode ser estragado por um mau café, assim como podemos esquecer um repasto insosso em razão de um bom café colombiano. É no intento de fazer esquecer aquela péssima versão patchy daquela Oferenda Musical tanque-de-guerra, regida por Karl Richter, que coloco este excelente café servido pelos irmãos Kuijken com o importante auxílio de Robert Kohnen. Pois, apesar de Bach não ter estabelecido em que instrumentos a Oferenda deva ser tocada, trata-se indiscutivelmente de música de câmara. Quatro pessoas é o número mínimo e bom para interpretar a sacanagem de Frederico II, muitíssimo bem descrita no delicioso livro Uma Noite no Palácio da Razão, de James R. Gaines (Record, 334 páginas).

Uma Noite conta a vida de Frederico e de Bach antes e depois de seu único encontro de uma noite. Durante a reunião, Bach foi desafiado a improvisar sobre um tema escrito por Frederico — mas que provavelmente era de autoria de um dos muitos compositores da corte. O tema era dificílimo, uma evidente sacanagem, porém Bach improvisou uma fuga a três vozes sobre o mesmo. Diante da admiração incontida dos ouvintes, Frederico, um notório sádico, propôs uma fuga a seis vozes. Agastado, Bach respondeu-lhe que era impossível fazê-lo assim de improviso. Ficou furioso com a derrota, porém, duas semanas depois, enviou a Frederico uma partitura com a fuga a três vozes, outra a seis, acompanhadas de diversos cânones e de uma sonata-trio, totalizando treze movimentos cuja ordem correta, se há, é até hoje um desafio para os musicólogos. Ou seja, enviou-lhe a chamada Oferenda Musical (Das Musikalische Opfer), uma das mais importantes composições de todos os tempos. Frederico não deu a menor importância, o jogo já tinha sido jogado. E não mandou nenhuma nota de agradecimento ao “Velho Bach”.

Gaines poderia ter escrito uma narrativa curta, porém faz um longo, documentado e por vezes cômico relato da vida de seus dois personagens. Recomendo tudo. O livro e esta gravação que ora apresento. É assim que deve ser: música de câmara.

Johann Sebastian Bach (1685-1750): A Oferenda Musical, BWV 1079

01 – Ricercar a 3
02 – Canon perpetuus super Thema Regium
03 – Canones diversi sopra Thema Regium – Canon a 2, cancrizans
04 – Canones diversi sopra Thema Regium – Canon a 2, Violin- in Unisono
05 – Canones diversi sopra Thema Regium – Canon a 2, per Motum contrarium
06 – Canones diversi sopra Thema Regium – Canon a 2, per Augmentationem, contrario Motu
07 – Canones diversi sopra Thema Regium – Canon a 2, per Tonos
08 – Fuga canonica in Epidiapente
09 – Ricercar a 6
10 – Quaerendo invenietis – Canon a 2
11 – Quaerendo invenietis – Canon a 4
12 – Sonata sopr’ il Sogetto Reale a Traversa, Violino e Continuo – I. Largo
13 – Sonata sopr’ il Sogetto Reale a Traversa, Violino e Continuo – II. Allegro
14 – Sonata sopr’ il Sogetto Reale a Traversa, Violino e Continuo – III. Andante
15 – Sonata sopr’ il Sogetto Reale a Traversa, Violino e Continuo – IV. Allegro
16 – Canon perpetuus (a Traversa, Violino e Continuo)

Barthold Kuijken, transverse flute
Sigiswald Kuijken, violin
Wieland Kuijken, viola da gamba
Robert Kohnen, harpsichord

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Sigiswald, Wieland and Barthold Kuijken

Sigiswald, Wieland and Barthold Kuijken há 2000 anos atrás

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): Violin & Voice

Este é um CD apenas OK, nada mais. A ideia foi boa, mas a escolha das árias parece ter passado por cima do conceito de beleza para abraçar o comercial. Como filho de Bach, tenho coleções de árias na minha cabeça e acho que este CD apenas acertou em 50% das tentativas. Ah, o disco é uma seleção de árias de Cantatas e Paixões que incluem voz e violino, certo? Pois é como ia dizendo, há centenas delas, mas a escolha foi assim assim. Quem rouba o disco é Matthias Goerne, que é um barítono alemão realmente maravilhoso.

O disco costuma ser elogiado. Vai ver estou errado…

J. S. Bach (1685-1750): Violin & Voice

1. St. Matthew Passion, BWV 244 / Part Two – No.51 Aria (Bass): ”Gebt Mir Meinen Jesum Wieder” 2:59
2. Wachet Auf, Ruft Uns Die Stimme Cantata, BWV 140 – Arie (Duett): ”Wann Kommst Du, Mein Heil?” 5:44
3. Cantata, BWV 204 ”Ich Bin Vergnügt” – Aria ”Die Schätzbarkeit Der Weiten Erde” 4:13
4. Liebster Jesu, Mein Verlangen Cantata, BWV 32 – 3. Aria: Hier, In Meines Vaters Stätte 7:09
5. Zerreißet, Zersprenget, Zertrümmert Die Gruft Dramma Per Musica, BWV 205 – 9. Aria Soprano: ”Angenehmer Zephyrus” 3:29
6. Mass In B Minor, BWV 232/Gloria – Laudamus Te 3:50
7. Ich Lasse Dich Nicht, Du Segnest Mich Denn (Cantata BWV 157) – Ja, Ja Ich Halte Meinen Jesum Fest 6:18
8. Cantata ”Wer Mich Liebet, Der Wird Mein Wort Halten” BWV 59 – 4. Aria: ”Die Welt Mit Allen Königreichen” 3:06
9. Cantata, BWV 58 ”Ach Gott, Wie Manches Herzeleid” – Aria ”Ich Bin Vergnügt In Meinem Leiden” (Soprano) 3:44
10. Cantata, BWV117 – 6. Wenn Trost Und Hülf’ Ermangeln Muß 4:03
11. Der Friede Sei Mit Dir: Cantata, BWV 158 – 2. Aria & Choral: Welt, Ade, Ich Bin Dein Müde 5:49
12. St. Matthew Passion, BWV 244 / Part Two – No.39 Aria (Alto): ”Erbarme Dich” 6:29

Hilary Hahn
Matthias Goerne
Christine Schafer

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

PQP gosta

Não funcionou, Hahn

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Johann Sebastian Bach (1685-1750): The Wedding Cantatas

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Não sou um cara fino como o Milton Ribeiro, que entrevistou a Emma Kirkby, uma pena.

Sofrendo um grave crise de hipocantatemia bachiana, ontem botei este CD para tocar aqui em casa. Olha, que coisa maravilhosa! São cantatas solo e obras esparsas de Bach para soprano. A orquestra de Hogwood está impecável e Kirkby… O que dizer de Dame Emma Kirkby? Ela é perfeita, mas não devo elogiá-la muito porque meu colega FDP Bach morre de ciúmes.

Baita CD. Ouçam imediatamente, tá? Atenção para a primeira ária da Cantata 202. Não parece o lento caminhar de uma noiva? Alíás toda a 202 é fantástica, além do restante.

Johann Sebastian Bach (1685-1750) – The Wedding Cantatas

Cantata BWV 202, “Weichet nur, betrübte Schatten” [19:38]
01 – Arie – Weichet nur, betrübte Schatten
02 – Rezitativ – Die Welt wird wieder neu
03 – Arie – Phoebus eilt mit schnellen Pferden
04 – Rezitativ – Drum sucht auch Armor sein Vergnügen
05 – Arie – Wenn die Frühlingslüfte streichen
06 – Rezitativ – Und dieses ist das Glücke
07 – Arie – Sich üben im Lieben
08 – Rezitativ – So sei das Band der keuschen Liebe
09 – Gavotte – Sehet in Zufriedenheit

Aria “Bist Du bei mir”, BWV 508 (attrib. G.H. Stolzen) [2:21]
10 – Bist Du bei mir (Stolzen)

Aria “Gedenke doch, mein Geist”, BWV 509 (anon) [1:06]
11 – Gedenke doch, mein Geist (anon)

From Cantata BWV 82, Nr. 2 – Rezitativ- “Ich habe genug” [0:57]
12 – Nr. 2 – Rezitativ- Ich habe genug

From Cantata BWV 82, Nr. 3 – Arie- Schlummert ein, ihr matten Augen [7:31]
13 – Nr. 3 – Arie- Schlummert ein, ihr matten Augen

Cantata, BWV 210 – “O holder Tag, erwünschte Zeit” [32:00]
14 – Rezitativ – O holder Tag, erwünschte Zeit
15 – Arie – Spielet, ihr beseelten Lieder
16 – Rezitativ – Doch, haltet ein, ihr muntern Saiten
17 – Arie – Ruhet hie, matte Töne
18 – Rezitativ – So glaubt man denn, daß die Musik verführe
19 – Arie – Schweigt, ihr Flöten, schweigt ihr Töne
20 – Rezitativ – Was Luft was Grab
21 – Arie – Großer Gönner, dein Vergnügen
22 – Rezitativ – Hochteurer Mann, so fahre ferner fort
23 – Arie – Seid beglückt

Emma Kirkby, soprano
The Academy of Ancient Music
Christopher Hogwood, regente

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Emma Kirkby: referência absoluta no barroco

Emma Kirkby: referência absoluta no barroco

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach e A. Vivaldi: Magnificat & Concerti

IM-PER-DÍ-VEL !!!

O que pode acontecer quando Jordi Savall resolve fazer um concerto com repertório de Bach e Vivaldi e convida Pierre Hantaï e Pablo Valetti (do Café Zimmermann) e mais a La Capella Reial de Catalunya para participarem dele? E ainda toca sua viola da gamba? Bem, meus caros, quem não consegue imaginar o resultado ouça o disco para comprovar a perfeição e adentrar no nirvana. Este concerto foi gravado ao vivo em 2013 na Capela Real de Versalhes e eu sugiro que você não apenas ouça como decore cada nota.

J. S. Bach e A. Vivaldi: Magnificat & Concerti

01 – Antonio Vivaldi – Concerto con 2 violini e viola da gamba, archi e continuo, RV 578- I. Adagio e spiccato – Allegro
02 – Antonio Vivaldi – Concerto con 2 violini e viola da gamba, archi e continuo, RV 578- II. Larghetto
03 – Antonio Vivaldi – Concerto con 2 violini e viola da gamba, archi e continuo, RV 578- III. Allegro

04 – Antonio Vivaldi – Magnificat en Sol mineur, RV 610- I. Magnificat
05 – Antonio Vivaldi – Magnificat en Sol mineur, RV 610- II. Et exultavit
06 – Antonio Vivaldi – Magnificat en Sol mineur, RV 610- III. Et misericordia eius
07 – Antonio Vivaldi – Magnificat en Sol mineur, RV 610- IV. Fecit potentiam
08 – Antonio Vivaldi – Magnificat en Sol mineur, RV 610- V. Deposuit potentes
09 – Antonio Vivaldi – Magnificat en Sol mineur, RV 610- VI. Esurientes
10 – Antonio Vivaldi – Magnificat en Sol mineur, RV 610- VII. Suscepit Israel
11 – Antonio Vivaldi – Magnificat en Sol mineur, RV 610- VIII. Sicut locutus est
12 – Antonio Vivaldi – Magnificat en Sol mineur, RV 610- IX. Gloria Patri
13 – Antonio Vivaldi – Magnificat en Sol mineur, RV 610- X. Sicut erat in principio

14 – Johann Sebastian Bach – Concerto pour clavecin en Re mineur, BWV 1052- I. Allegro
15 – Johann Sebastian Bach – Concerto pour clavecin en Re mineur, BWV 1052- II. Adagio
16 – Johann Sebastian Bach – Concerto pour clavecin en Re mineur, BWV 1052- III. Allegro

17 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- I. Magnificat
18 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- II. Et exultavit
19 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- III. Quia respexit
20 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- IV. Omnes generationes
21 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- V. Quia fecit mihi magna
22 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- VI. Et misericordia
23 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- VII. Fecit potentiam
24 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- VIII. Deposuit potentes
25 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- IX. Esurientes implevit bonis
26 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- X. Suscepit Israel
27 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- XI. Sicut locutus est
28 – Johann Sebastian Bach – Magnificat en Re majeur, BWV 243- XII. Gloria Patri

Personnel:
Solistes
Hanna Bayodi-Hirt, Johannette Zomer soprano
Damien Guillon contreténor David Munderloh ténor
Stephan MacLeod baryton

La Capella Reial de Catalunya
et participants sélectionnés de la IIIe Académie 2013

Le Concert des Nations
Pierre Hantaï clavecin
Manfredo Kraemer, Pablo Valetti violini concertanti

JORDI SAVALL
viole de gambe et direction

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Jordi Savall ePierre Hantaï: Talento demais para poucos pixels.

Jordi Savall ePierre Hantaï: Talento demais para tão poucos pixels.

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): A Oferenda Musical · BWV 1079 “Musikalisches Opfer / Offrande Musicale / Sacrificio Musicale / Musical Offering”

bach richter opfer sinfonias

Eu amava Karl Richter na minha adolescência. Ele era meu ídolo, era o mensageiro de Bach que vinha me curar da hipobachemia juvenil. Mas hoje… Se ainda dá para ouvir esta Oferenda Musical, as Sinfonias das Cantatas presentes neste disco são um horror. A música historicamente informada não deixou pedra sobre pedra para estas gravações com dezenas de violinos modernos vibratando em nossa alma. Faça o seguinte: ouça a boa versão da Oferenda — nada excepcional, apenas boa — e depois fuja para as montanhas. Ou para os braços de alguém historicamente informado!

A Oferenda Musical · BWV 1079 “Musikalisches Opfer c-moll / Offrande Musicale / Sacrificio Musicale / Musical Offering”

1 Ricercare (A 3) 5:14
2 Canon Perpetuus Super Thema Regium 0:31
Canones Diversi Super Thema Regium
3 Canon A 2 0:52
4 Canon A 2. Violini In Unisono 0:37
5 Canon A 2. Per Motum Contrarium 0:28
6 Canon A 2. Per Augmentationen, Ccontrario Motu 2:02
7 Canon A 2. (Per Tonos) 2:27
8 Fuga Canonica In Epidipente 1:51
9 Ricercare A 6 6:37
Canon A 2. (Quaerendo Invenietis)
10 Fassung A 1:01
11 Fassung B 1:04
12 Canon A 4 2:19
Trio Sonata
13 Largo 7:10
14 Allegro 6:15
15 Andante 2:54
16 Allegro 3:01
17 Canone Perpetuo 1:24

18 Sinfonia da Cantata BWV 4
19 Sinfonia da Cantata BWV 12
20 Sinfonia da Cantata BWV 21
21 Sinfonia da Cantata BWV 106
22 Sinfonia da Cantata BWV 182

Violin – Otto Büchner, Kurt Guntner
Viola – Siegfried Meinecke
Cello – Fritz Kiskalt
Recorder – Aurèle Nicolet
Harpsichord – Hedwig Bilgram
Orchestra – Münchener Bach-Orchester
Conductor – Karl Richter

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Richter refletindo sobre quantos milhões de violinistas colocará em seu Bach

Richter refletindo sobre quantos milhões de violinistas colocará em seu Bach

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

História da Música Sacra – Music for the Reformed Church: vols. 17/18/19

History of the Sacred Music vol. 19_ Musiques de la ReÃÅforme (3)História da Música Sagrada
Música para a Igreja Reformada
vol. 17/18/19

Não há dúvidas de que um dos maiores aportes de Lutero foi o seu entendimento de que a música da Reforma deveria falar sobre o Evangelho diretamente para as pessoas. Ele estava convicto de que o tipo de hino que uma congregação canta determina o tipo de Teologia/espiritualidade destas pessoas.

Caso se queira que esta Teologia/espiritualidade reflita o Evangelho, então, há que se ter em alta consideração e se cuidar muito bem daquilo que está sendo cantado pelas pessoas. Lutero pôs as mãos à obra, cercando-se da ajuda e do conhecimento dos melhores Poetas e Músicos da época, que ele fez questão de escolher a dedo. Lutero e os seus colaboradores não rejeitaram as tradições musicais da sua época. Pelo contrário, de forma genuína e genial, usaram e incorporaram à música das Igrejas da Reforma as práxis musicais existentes! Atentemos para algumas dessas principais práxis.

A música da Reforma Luterana herdou a grande tradição musical da Idade Média e da Renascença, que consistia basicamente da música polifônica e do canto gregoriano. Nestas ricas tradições, praticamente não havia espaço para o canto congregacional de cunho popular. Diferentemente, outra grande tradição musical da época da Reforma, a versão metrificada dos Salmos cantada em uníssono e a cappella (sem acompanhamento), abria vastas possibilidades para o canto congregacional. Nesta tradição, não havia espaço para uma arte musical mais elaborada. Lutero e as gerações de Músicos luteranos que o seguiram nos séculos posteriores fizeram uso de ambas as correntes, combinando a tradição musical mais artística e elaborada com o canto congregacional de cunho popular.

O resultado musical desta combinação foi o Coral Luterano, com os seus textos poéticos centrados no Evangelho e escritos no vernáculo (na língua local) e não mais em Latim, com melodias vigorosas e com saltos e extensões de voz pensadas para o canto grupal, com cadências (pontos de repouso) ao final das diversas frases, com estruturas rítmicas fortes e baseadas em padrões de ritmo recorrentes. No seu conjunto, estas características resultaram em composições musicais em que texto e melodia formam uma totalidade, permitiram que o Coral Luterano fosse percebido como algo familiar e possibilitaram que comunidade, Coros e Instrumentistas se sentissem confortáveis, ´em casa´, enquanto cantavam e tocavam. (http://www.luteranos.com.br/conteudo/reforma-e-musica)

History of the Sacred Music vol. 17_ Musiques de la ReÃÅforme (1)Harmonia Mundi: História da Música Sagrada
Music for the Reformed Church
vol. 17: Songs and Psalms of Reform + J. S. Bach, Missa brevis in F-dur

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE – vol.17
XLD RIP | FLAC | 460,3 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE – vol. 17+18+19 (link único para os 3 volumes!)
MP3 | 320 kbps | 511,1 MB

 

History of the Sacred Music vol. 18_ Musiques de la ReÃÅforme (2)History of the Sacred Music vol. 18 + vol. 19
Christmas Oratorio BWV 248
Johann Sebastian Bach (Germany, 1685-1750)
RIAS Kammerchor, Akademie für Musik Berlin
Maestro René Jacobs

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 687,6 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE – vol. 17+18+19 (link único para os 3 volumes!)
MP3 | 320 kbps | 511,1 MB

powered by iTunes 12.2.3

vol 30: Encarte e letras dos 29 CDs – 4,6 MB – AQUI – HERE

• History of the Sacred Music vol. 01: Chant of the Early Christians – AQUI
• History of the Sacred Music vol. 02: A Millennium of Gregorian Chant – AQUI
• History of the Sacred Music vol. 03: The Birth of Polyphony – AQUI
• History of the Sacred Music vol. 04: The Polyphonic Motet from Ars Antiqua to the Renaissance – AQUI
• History of the Sacred Music vol. 05/06: The Polyphonic Mass from the Middle Ages to the Renaissance (c.1300-c.1600) – AQUI
• History of the Sacred Music vol. 07: The French’s ‘Petit Motet’ and ‘Grand Motet’ – AQUI
• History of the Sacred Music vol. 08: Lamentations & Tenebrae – AQUI
• History of the Sacred Music vol. 09/10: Baroque Vespers – AQUI
• History of the Sacred Music – Great Oratorios: vol. 11/12: Palestrina, Cain overo Il primo omicidio + vol. 13/14: Handel, Messiah + vol. 15/16: Mendelssohn, Paulus. AQUI

Boa audição.

ahjagfha

 

 

 

 

 

 

Avicenna

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): Solo & Double Violin Concertos

Mais um bom disco de música barroca no sabadão. Agora são os excelentes Andrew Manze e Rachel Podger que retomam peças fundamentais do barroco alemão: os Concertos para Violino de Johann Sebastian Bach. O CD merece meu respeito — é consistentemente bom –, porém confesso que Manze não é uma de minhas paixões. Paradoxalmente, prefiro a sonoridade e a musicalidade de Podger, sua partner neste disco. Deve ser mania minha, sei lá, pois tenho dificuldades para articular uma crítica a Manze que saia do gosto-não gosto. Não, nada tenho contra carecas.

Baixem e descubram para mim.

Johann Sebastian Bach (1685-1770) – Solo & Double Violin Concertos

Concerto in D Minor for Two Violins BWV 1043
01. Vivace
02. Largo ma non tanto
03. Allegro

Concerto in A Minor for Violin BWV 1041
04. Allegro
05. Andante
06. Allegro Assai

Concerto in E Major for Violin BWV 1042
07. Allegro
08. Adagio
09. Allegro assai

Concerto in D Minor for Two Violins BWV 1060
10. Allegro
11. Adagio
12. Allegro

Andrew Manze & Rachel Podger, violinos
The Academy of Ancient Music
Andrew Manze, regente

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

O violinista e regente Andrew Manze

O violinista e regente Andrew Manze

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Johann Sebastian Bach (1685-1750): Bradenburg Concertos – Tafelmusik

frontIM-PER-DÍ-VEL !!!

Um assombro essa gravação dos Concertos de Brandenburgo com o conjunto Tafelmusik. Os caras dão um show de competência e virtuosismo, trazendo novas sonoridades e possibilidades para estes concertos que a gente pensava conhecer tão bem.

Tenho algumas gravações favoritas destas obras, que claro, passam pelos ingleses da Academy of Ancient Music do Christopher Hogwood, pelo English Concert, do Pinnock e dos English Baroque Soloists do Gardiner. Todas gravações de excelente qualidade, mas esta do canadenses do Tafelmusik tem um que a mais, que não sei explicar. Eles não são óbvios em suas escolhas, tanto que certo comentarista fala em ‘refreshing recordings’ ou seja, um sopro de vitalidade e energia na interpretação de obras tão gravadas e tão conhecidas.

Com certeza, este é um CD que eu escolheria para levar para uma ilha deserta.

Baixem e ouçam, e depois me digam se esta não é uma das melhores gravações que os senhores já ouviram destas obras imortais e eternas.

Johann Sebastian Bach (1685-1750): Bradenburg Concertos – Tafelmusik

Disco 1

1 Concerto No. 1 in F Major, BWV 1046: Concerto No. 1 in F Major, BWV 1046: I. [ ]
2 Concerto No. 1 in F Major, BWV 1046: Concerto No. 1 in F Major, BWV 1046: II. Adagio
3 Concerto No. 1 in F Major, BWV 1046: Concerto No. 1 in F Major, BWV 1046: III. Allegro
4 Concerto No. 1 in F Major, BWV 1046: Concerto No. 1 in F Major, BWV 1046: IV. Menuetto – Trio – Polonaise – Trio
5 Concerto No. 2 in F Major, BWV 1047: Concerto No. 2 in F Major, BWV 1047: I. [ ]
6 Concerto No. 2 in F Major, BWV 1047: Concerto No. 2 in F Major, BWV 1047: II. Andante
7 Concerto No. 2 in F Major, BWV 1047: Concerto No. 2 in F Major, BWV 1047: III. Allegro assai
8 Concerto No. 3 in G Major, BWV 1048: Concerto No. 3 in G Major, BWV 1048: I. [ ]
9 Concerto No. 3 in G Major, BWV 1048: Concerto No. 3 in G Major, BWV 1048: II. Allegro

Jeanne Lemon – Violins & Music Director
Ab Koster – Horn
Derek Conrod – Horn
John Abberger – Oboe
Washington McClain – Oboe
Marie-France Richard – Oboe
Michael McCraw – Basson
Crispian Steele-Perkins – Trumpet
Marion Verbruggen – Recorder
Tafelmusik Baroque Orchestra

Disc 2
1 Concerto No. 4 in G Major, BWV 1049: Concerto No. 4 in G Major, BWV 1049: I. Allegro
2 Concerto No. 4 in G Major, BWV 1049: Concerto No. 4 in G Major, BWV 1049: II. Andante
3 Concerto No. 4 in G Major, BWV 1049: Concerto No. 4 in G Major, BWV 1049: III. Presto
4 Concerto No. 5 in D Major, BWV 1050: Concerto No. 5 in D Major, BWV 1050: I. Allegro
5 Concerto No. 5 in D Major, BWV 1050: Concerto No. 5 in D Major, BWV 1050: II. Affettuoso
6 Concerto No. 5 in D Major, BWV 1050: Concerto No. 5 in D Major, BWV 1050: III. Allegro
7 Concerto No. 6 in B-Flat Major, BWV 1051: Concerto No. 6 in B-Flat Major, BWV 1051: I. [ ]
8 Concerto No. 6 in B-Flat Major, BWV 1051: Concerto No. 6 in B-Flat Major, BWV 1051: II. Adagio ma non tanto
9 Concerto No. 6 in B-Flat Major, BWV 1051: Concerto No. 6 in B-Flat Major, BWV 1051: III. Allegro

Jeanne Lemon – Violins & Music Director
Stephen Marvin – Viola
Marion Verbruggen – Recorder
Alison Melville – Recorder
Marten Root – Transverse Flute
Charlotte Nediger – Harpsichord
Tafelmusik Baroque Orchestra

BAIXE AQUI – D0WNLOAD HERE

Orchestra-shot

De que planeta vem estes músicos do Tafelmusik?

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

J. S. Bach (1685-1750): As Seis Trio Sonatas


IM-PER-DÍ-VEL !!!

São as Seis Trio Sonatas para órgão arranjadas para trios de diferentes formações — oboé, violino e contínuo, dois violinos, etc. O trabalho é de Robert King, regente e dono do King`s Consort. Já tinha ouvido trabalho semelhante realizado pelo oboísta Heinz Holliger e grupo, mas a versão de King me parece melhor, mais próxima de Bach e, fundamentalmente, mais colorida. Acho que está na hora dos organistas de “reapropriarem” de uma dos maiores ciclos de obras escritos para o instrumento. Aguardamos novas gravações deles!

J. S. Bach (1685-1750): As Seis Trio Sonatas

Trio Sonata in D minor, BWV527 arr. Robert King (b1960)
1 Movement 1: Andante [4’50]
2 Movement 2: Adagio e dolce [5’30]
3 Movement 3: Vivace [3’38]
Trio Sonata in G major, BWV530 arr. Robert King (b1960)
4 Movement 1: Vivace [3’34]
5 Movement 2: Lento [4’39]
6 Movement 3: Allegro [3’19]
Trio Sonata in E minor, BWV528 arr. Robert King (b1960)
7 Movement 1: Adagio – Vivace [2’54]
8 Movement 2: Andante [5’18]
9 Movement 3: Poco allegro [2’41]
Trio Sonata in C minor, BWV526 arr. Robert King (b1960)
10 Movement 1: Vivace [3’22]
11 Movement 2: Largo [3’01]
12 Movement 3: Allegro [3’25]
Trio Sonata in C major, BWV529 arr. Robert King (b1960)
13 Movement 1: Allegro [4’16]
14 Movement 2: Largo [5’32]
15 Movement 3: Allegro [3’08]
Trio Sonata in E flat major, BWV525 arr. Robert King (b1960)
16 Movement 1: [Allegro moderato] [2’29]
17 Movement 2: Adagio [4’59]
18 Movement 3: Allegro [3’23]

King’s Consort
Robert King

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Robert King, um monstro

Robert King, um monstro

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!