Richard Wagner (1813-1883): Abertura “Tannhäuser” / Jean Sibelius (1865-1957): Sinfonia Nº 2, Op. 43

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Há pouco mais de um mês, vi Andris Nelsons à frente da Philharmonia Orchestra, em Londres, regendo a 9ª Sinfonia de Bruckner e o Concerto Nº 27 de Mozart para Piano e Orquestra (pianista: o extraordinário Paul Lewis). O letão de apenas 38 anos é algo de extraordinário e é compreensível que tenha havido uma verdadeira guerra entre várias orquestras para contratá-lo como maestro titular. Ele hoje é titular da Boston Symphony Orchestra e da Leipzig Gewandhaus Orchestra, apenas. Li no The Guardian que só não é o próximo titular da Filarmônica de Berlim em razão de compromissos assumidos com várias orquestras e que não quis cancelar por questões de ética pessoal. Sua concepção da 2ª Sinfonia de Sibelius aponta para uma grande imaginação e respeito para com o compositor. Sibelius não é um autor vulgar, mas seu enorme sucesso popular, principalmente nos EUA, durante boa parte do século XX, gerou uma série de gravações que o diminuíram bastante. Agora, uma nova geração de regentes, como Nelsons e Søndergård, está repondo as coisas no lugar. Confiram se minto! (Gravação gloriosamente ao vivo).

Richard Wagner (1813-1883): Abertura “Tannhäuser” / Jean Sibelius (1865-1957): Sinfonia Nº 2, Op. 43

01. Wagner: Overture to “Tannhäuser”

Sibelius: Symphony No. 2 in D, Op. 43
02. Allegretto
03. Tempo Andante, ma rubato
04. Vivacissimo
05. Finale: Allegro moderato

Boston Symphony Orchestra
Andris Nelsons

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Sou mais o Nelsons, confidenciou-me Sibelius

Sou mais o Nelsons, confidenciou-me Sibelius

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Richard Wagner: Siegfried’s Funeral March / Prelúdio de Tristão e Isolda / Sergei Prokofiev: Trechos de Romeu e Julieta

Por favor, não olhe para a capa ao lado. Sua feiura é a antítese de Mravinsky! Mas também a qualidade do som é a antítese do finíssimo maestro da lendária orquestra de Leningrado. O CD vale (e muito) pela concepção dadas as obras. Mravinsky (1903-1988) foi um sábio. Sob comando de Mravinsky, a Orquestra Filarmônica de Leningrado ganhou justa reputação internacional, particularmente interpretando a música russa. Ele foi o campeão indiscutível de Tchaikovsky e Shostakovich. Tudo com sotaque russo. Durante a Segunda Guerra Mundial, Mravinsky e a orquestra foram evacuados para a Sibéria. Tudo para manter a orquestra. Entre as interpretações lendárias de Mravinsky estão seis sinfonias de Dmitri Shostakovich: a Sinfonia n.º 5, Sinfonia n.º 6, Sinfonia n.º 8, Sinfonia n.º 9, Sinfonia n.º 10 e Sinfonia n.º 12. Tais sinfonias foram estreadas por ele, OK? Mravinsky fez gravações de estúdio entre o período de 1938 a 1961. Suas gravações após 1961 foram feitas em concertos ao vivo. A sua última gravação aconteceu em abril de 1984, interpretando a Sinfonia n.º 12 de Dmitri Shostakovich. Na 13ª de Shosta há uma história muito feia e quem saiu com a imagem maculada foi o estado russo e Mravinsky. Já Shosta, Kondrashin e Yevtushenko saíram como heróis. Mas hoje é dia de celebrar o velho Mrav.

Richard Wagner (1813 -1883) – Siegfried’s Funeral March, from Götterdämmerung
01. Siegfried’s Funeral Mach, from Götterdämmerung

Prélude § Liebestod, fromm Tristan § Isolde
02. Prélude § Liebestod, fromm Tristan § Isolde

Sergei Prokofiev (1891-1953) – Romeo § juliet Suite n°2(Montagues § Capulets)
03. Romeo §juliet Suite n°2(Montagues§Capulets)

(The Young Juliet)
04. (The Young Juliet)

(Friar Laurence)
05. (Friar Laurence)

(Romeo § Juliet before parting)
06. (Romeo§Juliet before parting)

(Dance of the Girls)
07. (Dance of the Girls)

(Romeo at Juliet’s Grave)
08. (Romeo at Juliet’s Grave)

Leningrad Philharmonic Orchestra
Evgeny Mravinsky

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

A história d Mravinsky mereceria um(ns) capítulo(s) à parte, não?

A história de Mravinsky mereceria um(ns) capítulo(s) à parte, não?

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Scarlatti / Beethoven / Chopin / Wagner / Liszt: On My New Piano, com Daniel Barenboim

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Belíssimo disco de gatinhos do maestro e pianista Barenboim. O tal “piano novo” foi uma encomenda do pianista feita sob medida a Chris Maene. Dizer que funciona direitinho é pouco. Recomendo a todos os pianistas, o Maene é bom mesmo… DB tomou inusitadas liberdades em suas Scarlatti, mas eu curti a K. 380 intimista inventada por ele. No resto, dá um banho de competência. Ele gravou 3 vezes o ciclo de Sonatas de Beethoven, então era justo que fizesse o mesmo com as 32 Variações. Estão maravilhosas. O Chopin está OK. O ponto alto do disco talvez seja a Marcha Solene de Wagner. A interpretação de Barenboim traz a quantidade certa de poesia e gravidade para esta música envolvente. Difícil de parar de ouvir. A complicadíssima Valsa de Mephisto, de Liszt, é tocada com perícia e sensibilidade que talvez nunca ouvidas. Recomendo não somente o Maene, tá?

On My New Piano, com Daniel Barenboim

1 Scarlatti: Sonata In C Major, Kk. 159 2:22
2 Scarlatti: Sonata In D Minor, Kk. 9 4:13
3 Scarlatti: Sonata In E Major, Kk. 380 6:39
4 Beethoven: 32 Piano Variations In C Minor On An Original Theme, WoO 80 12:37
5 Chopin: Ballade No. 1 In G Minor, Op. 23 9:58
6 Wagner: Solemn March To The Holy Grail From Parsifal, S. 450 7:50
7 Liszt: 10 Harmonies poétiques et religieuses, S. 173 – No. 7 Funérailles 12:24
8 Liszt: Mephisto Waltz No.1, S. 514 12:10

Daniel Barenboim, piano

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Esta foto nada tem a ver com o CD, mas vocês já viram tanto talento junto em uma foto? São Pollini, Barenboim e Claudio Abbado no La Scala. Bota logo num quadro, rapaz.

Esta foto nada tem a ver com o CD, mas vocês já viram tanto talento junto em uma foto? São Pollini, Barenboim e Claudio Abbado no La Scala. Bota logo num quadro, rapaz.

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Klemperer Legacy – Richard Wagner – CD 4 de 5 – Otto Klemperer, New Philharmonia Orchestra

Front1. Die Walküre, ACT 3, Dritte Szene Leb’ wohl, du kühnes, herrliches Kind! (Wotan’s farewell) (1991 Digital Remaster)
2. Wesendonk Lieder (orch. Mottl) Der Engel
3. Wesendonk Lieder (orch. Mottl) Stehe still
4. Wesendonk Lieder (orch. Mottl) Im Treibhaus
5. Wesendonk Lieder (orch. Mottl) Schmerzen
6. Wesendonk Lieder Träume (2006 – Remaster)
7. Tristan und Isolde, Act 3, Scene 3 Mild und leise wie er lächelt (Isoldes Liebestod Isolde)
8. Metamorphosen Studie für 23 Solostreicher (1999 – Remaster)

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Klemperer Legacy – Richard Wagner – Cd 3 de 5 – Otto Klemperer, New Philharmonia Orchestra

Front

1. Die Walküre Vorspiel Prelude Prélude (Orchester)
2. Die Walküre, Erste SzeneScene 1Première Scène Wes Herd dies auch sei (Siegmund)
3. Die Walküre, Erste SzeneScene 1Première Scène Einen Unseligen labtest du (Siegmund Sieglinde))
4. Die Walküre, Zweite Szene Scene 2.Deuxième Scène Müde am Herd fand ich den Mann (Sieglinde)
5. Die Walküre, Zweite SzeneScene 2.Deuxième Scène Friedmund darf ich nicht heißen (Siegmund)
6. Die Walküre, Zweite Szene Scene 2.Deuxième Scène Die so leidig Los dir beschied (Sieglinde Hunding Siegmund)
7. Die Walküre, Zweite Szene Scene 2.Deuxième Scène Ich weiss ein wildes Geschlecht (Hunding)
8. Die Walküre, Dritte Szene Scene 3Troisième Scène Ein Schwert verheiß mir der Vater (Siegmund)
9. Die Walküre, Dritte Szene Scene 3 Troisième Scène Schläfst du, Gast (Sieglinde)
10. Die Walküre, Dritte Szene Scene 3Troisième Scène Winterstürme wichen dem Wonnemond (Siegmund)
11. Die Walküre, Dritte Szene Scene 3Troisième Scène Du bist der Lenz (Sieglinde)
12. Die Walküre, Dritte Szene Scene 3Troisième Scène O süßeste Wonne! Seligstes Weib! (Siegmund)
13. Die Walküre, Dritte Szene Scene 3Troisième Scène Siegmund heiß’ ich und Siegmund bin ich! (Siegmund Sieglinde)

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Klemperer Legacy – Richard Wagner – CD 2 de 5 – Otto Klemperer, New Philharmonia Orchestra

Front

O nosso mentor PQPBach reclamou que não havia texto nesta postagem então resolvi escrever alguma coisa. E escrevi isso aqui.

1. Der Fliegende Holländer – Overture (2002 – Remaster)
2. Das Rheingold – Entry of the Gods into Valhalla (2002 – Remaster)
3. Die Walküre – Ride of the Valkyries (2002 – Remaster)
4. Siegfried Idyll (2002 – Remaster)
5. Siegfried – Forest Murmurs (2002 – Remaster)
6. Götterdämmerung – Siegfried’s Rhine Journey (2002 – Remaster)
7. Götterdämmerung – Siegfried’s Funeral March, Act III (2002 – Remaster)
8. Tristan und Isolde – Prelude and Liebstod (2002 – Remaster)

New Philharmonia Orchestra
Otto Klemperer – Conductor

BAIXAR AQUI – DOWNLOAD HERE

dutchman_01

Montagem do ‘Holandês Voador’ no Madison Square Garden

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Klemperer Legacy – Richard Wagner – Operatic Highlights CD 1 de 5 – Klemperer

FrontMe senti obrigado a postar esta caixa, que faz parte de um pacote bem maior, aproximadamente 80 cds, lançado pela EMI em homenagem ao seu grande maestro, Otto Klemperer.

Enfim, esta caixa de cinco CDs é dedicada a Richard Wagner, que confesso, aparece bem pouco por aqui. Vou tentar cobrir esta falha, na medida do possível.
As aberturas mais famosas e peso pesado estão neste CD: de Rienzi a Parsifal, passando pela minha favorita, dos Mestres Cantores de Nuremberg. Falem o que quiserem de Wagner, mas nas aberturas de suas óperas ele era insuperável.

1. Rienzi – Overture
2. Tannhäuser – Overture
3. Tannhäuser – Prelude, Act III
4. Lohengrin – Prelude, Act I
5. Lohengrin – Prelude, Act III
6. Die Meistersinger von Nürnberg – Overture
7. Die Meistersinger von Nürnberg – Dance of the Apprentices & Entry of the Masters, Act III
8. Parsifal – Prelude

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Richard Wagner (1813-1883) – Tristan Und Isolde – An Orchestral Passion – Royal Scottish National Orchestra, Neeme Järvi

FrontJá que não postamos muitas óperas por aqui, resolvi trazer uma bela introdução para os que não conhecem a magnífica ópera de Richard Wagner, “Tristan Und Isolde”. Mas trata-se de um arranjo orquestral de um cara chamado Henk de Vlieger, que realizou a façanha de reduzir as quatro horas de duração da ópera para cinquenta e cinco minutos. Não temos então a parte cantada, apenas a orquestral. Para alguns, isso é um alívio, mas para os fãs de Wagner, isso soa blasfemo. Mas não quero entrar no mérito desta questão.
Lembro de ter sentido lágrimas nos olhos na primeira vez que ouvi a magnífica, maravilhosa, estupenda abertura, uma das mais belas páginas da história da música. Deveria ter no máximo uns quinze anos de idade. E também creio que muitos também terão essa sensação.
Espero que apreciem. Assim que possível, trago a ópera na íntegra.

1 Wagner – Das Liebesverbot, opera (or Die Novize von Palermo), WWV 38 – Overture
2 Wagner – Die Feen, opera, WWV 32 – Overture
3 de Vlieger – Tristan und Isolde, an orchestral passion (after Wagner) – 1. Einleitung
4 de Vlieger – Tristan und Isolde, an orchestral passion (after Wagner) – 2. Isoldes Liebesverlangen
5 de Vlieger – Tristan und Isolde, an orchestral passion (after Wagner) – 3. Nachtgesang
6 de Vlieger – Tristan und Isolde, an orchestral passion (after Wagner) – 4. Vorspiel und Reigen
7 de Vlieger – Tristan und Isolde, an orchestral passion (after Wagner) – 5. Tristans Vision
8 de Vlieger – Tristan und Isolde, an orchestral passion (after Wagner) – 6. Das Wiedersehen
9 de Vlieger – Tristan und Isolde, an orchestral passion (after Wagner) – 7. Isoldes Liebestod

Royal Scottish National Orchestra
Neeme Järvi – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Vladimir Horowitz – The Last Recording (1989)

51QBA35W04LPara o pavor de um de nossos colaboradores, que chama Vladimir Samoylovich (Volodya, para os íntimos) de “Horrorowitz”, pretendo trazer para cá um tanto do legado de um dos maiores pianistas do século XX.

A longa carreira de Horowitz acompanhou a evolução dos meios de gravação, dos rolos do processo Welte-Mignon (uma versão mais sofisticada da pianola), passando pelos discos de 78 rpm e chegando aos meios digitais. Seus altos e baixos foram, também, fartamente documentados: entre a fúria maníaca do jovem virtuose recém-chegado aos Estados Unidos, para quem nada parecia impossível, e o pianista decadente, cada vez mais maneirista e sequelado pela insegurança e pelos psicotrópicos, Horowitz foi um artista de poucos meios-termos. Em sua última década de vida, que começou com recitais lamentáveis, capazes de enfurecer até mesmo as pacientes plateias japonesas, redimiu-se pelo uso mais comedido de seus truques pianísticos e (dentro do que lhe era possível) uma placidez mais atenta às intenções dos compositores.

Esta gravação, dias antes de sua morte, é uma de suas melhores. Predomina Chopin, interpretado com muito colorido e elegância. O destaque é uma Fantasia-Improviso não só fiel à partitura, mas também impressionantemente ágil para dedos de 86 anos. Os Noturnos de Chopin fazem a gente lamentar que Horowitz tenha gravado poucas outras obras da série, e a Sonata de Haydn beira a perfeição. Concluir o álbum com “Liebestod” e morrer meros cinco dias depois de seu último acorde foi, suspeitam alguns, o último gesto apelativo desse grande pianista.

VLADIMIR HOROWITZ – THE LAST RECORDING

JOSEPH HAYDN (1732-1809)

Sonata em Mi bemol maior para piano, Hob. XVI:49

01 – Allegro
02 – Adagio e cantabile
03 – Finale – Tempo di menuetto

FRYDERYK FRANCYSZEK CHOPIN (1810-1849)

04 – Mazurca em Dó menor, Op. 56 no. 3
05 – Noturno em Mi bemol maior, Op. 55 no. 2
06 – Fantasia-Improviso em Dó sustenido menor, Op.66
07 – Estudo em Lá bemol maior, Op. 25 no. 1
08 – Estudo em Mi menor, Op. 25 no. 5
09 – Noturno em Si maior, Op. 62 no. 1

FERENC LISZT (1811-1886)

10 – Prelúdio sobre um tema da cantata “Weinen, Klagen, Sorgen, Zagen” de J. S. Bach, S. 179

WILHELM RICHARD WAGNER (1813-1883)
transcrição de Franz Liszt

11 – Tristan und Isolde – Isoldes Liebestod

Vladimir Horowitz, piano

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Obrigado, Volodya!

Obrigado, Volodya!

Vassily Genrikhovich

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Richard Wagner (1813-1883) – Wagneriana – Cyprien Katsaris

61HEuHcYt+LEis um CD um tanto quanto inusitado, que faz parte da mesma caixa de outros CDs que trouxe do Katsaris. Já tinha lido em algum lugar que este pianista era um especialista neste tipo de repertório, e pude confirmar após ouvir este discaço.
Claro que é estranho. Os que estão acostumados com a orquestração wagneriana  vão sentir falta das cordas, principalmente na abertura de Tanhäuser, por sinal transcrita para piano pelo próprio Wagner.
Espero que apreciem. Eu gostei.

01 Tannhäuser – Ouvertüre (Transcription by Richard Wagner)
02 Tannhäuser – Albumblatt – Ankunft bei den schwarzen Schwänen (Original work by Richard_Wagner)
03 Die Walküre – Erste szene – Siegmund und Sieglinde (Free arrangement by Joseph Rubinstein)
04 Die Walküre – Siegmunds Liebesgesang (Transcription by Heinrich Rupp)
05 Die Walküre – Walkürenritt (Free arrangement by Louis Brassin)
06 Die Walküre – Feuerzauber (Free arrangement by Louis Brassin)
07 Götterdämmerung – Trauermarsch (Transcription by Ferruccio_Busoni)
08 Wagner – Die Meistersinger von Nürnberg – Reminiscenz_Nr.4 – Walthers Preislied (Joachim_Raff)
09 Wagner – Die Meistersinger von_Nürnberg – Reminiscenz_Nr.4 – Aufzug der Zünfte (Joachim Raff)
10 Wagner – Tristan und Isolde – Vorspiel (Transcription by Richard Wagner – Hans von Bülow)

Cyprien Katsaris – Piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Lorin Maazel Conducts Wagner – Lorin Maazel & Berliner Philharmoniker

45 (1)Sim, eu sei, faz tempo que Wagner não aparece por aqui. Não que a gente não goste dele aqui no PQPBach, mas dá tanto trabalho postar suas óperas que acabamos deixando para outras ocasiões. Já pensei em iniciar um ciclo Wagner, trazendo todas suas óperas, mas só de lembrar do trabalhão que vai dar, sinto um arrepio na espinha e acabo adiando o projeto.

Então para matar as saudades, resolvi trazer um delicioso cd com suas aberturas e prelúdios. O maestro escolhido foi Lorin Maazel, recentemente falecido, frente à Filarmônica de Berlim. Diversão garantida, não acham?

01. Wagner: Tannhauser – I. Overture
02. Wagner: Tannhauser – II. Bacchanale
03. Wagner: Die fliegende Hollander: Overture
04. Wagner: Lohengrin: Prelude to Act 1
05. Wagner: Gotterdammerung: Siegfried’s Funeral March
06. Wagner: Tristan und Isolde – I. Prelude
07. Wagner: Tristan und Isolde – II. Isolde´s Liebestod

Waltraud Meier – Mezzo Soprano
Berliner Philharmoniker
Lorin Maazel – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Richard Wagner (1813-1883): Glenn Gould Conducts Wagner´s Siegfried Idyll

Quando comprei este CD o fiz com um misto de receio e de curiosidade. Na época eu conhecia pouco a obra de Wagner, mas já conhecia a excentricidade de Glenn Gould, e me pareceu no mínimo deveras curioso um especialista em Bach tocando Wagner ao piano, ainda mais obras tão ricas orquestralmente falando, como a abertura dos “Mestres Cantores”, ou até mesmo o magnífico “Idílio” de Siegfried.

Mas o que realmente chama a atenção neste cd é Glenn Gould regendo um pequeno grupo de câmera. Foi sua primeira, única e última experiência no gênero, pois faleceu logo depois. O “Idílio” de Siegfried foi originalmente composto para uma pequena orquestra, 13 ou 14 músicos. Transcrevo abaixo o texto do libreto que acompanha o cd:

“(…) Em 1964 o próprio Gould ingressou no seu futuro de alta tecnologia retirando-se completamente da cena concertística. Em seguida permitiu ao público que ouvisse a sua produção musical somente sob a forma de cuidadas gravações, transmissões radiofônicas e transmissões de vídeo. Certa vez Wagner disse que, depois ter inventado a ‘orquestra invisível’ em Bayreuth queria agora inventar o ‘palco invisivel’, do qual Gould se voltava para o público na maneira pela qual Wagner enunciava às platéias de execuções convencionais e obrigava os ouvintes a aceitar os seus termos de apresentação.

Ao primeiro impacto não se associaria a transparência cristalina de um especialista em Bach como Gould com as redundantes sonoridades do ultra-romântico Wagner. Efetivamente, porém, Gould nutira profundo amor por Wagner, um amor que encontrava o próprio fundamento na natureza incorrigivelmente polífônica da sua música. As transcrições aqui apresentadas não só deram a Gould a possibilidade de ter uma experiência direta de Wagner, negada a quase todos os pianistas, mas forneceram também o material para um disco que correspondia aos critérios caros a Gould, apresentando música conhecida de maneira nova, estimulante e diferente. A prestidigitação característica de Gould resulta efetivamente em passagens característicamente contrapontísticas como o fugato do toque de trompa da Viagem ao Reno e a música redundante de Beckmesser na abertura de Os Mestres Cantores com o seu subsequente momento culminante, um tour de force de aguda força rítmica e luminosa transparência. Divertindo-se com a a possibilidade do meio de gravação ir além da execução ao vivo, Gould criou aqui algumas passagens mais densas da gravação a quatro mãos em mais de uma pista, não encontrando nenhum motivo musical para sacrificar a riqueza de Wagner aos limites de dez dedos invisíveis.

Em vez de procurar imitar a orquestra, Gould reelaborou estas peças para piano substituindo as figuras rítmicas por trêmulos introduzindo esquemas de motivos em acordes que se demonstravam muito longos para serem sustentados pelo piano e modificando as duplicações do baixo. Em toda a obra se observam numerosos toques interpretativos inesperados. O tema de marcha dos mestres cantores, pelo início da abertura, habitualmente um momento importante, procede aqui como uma breve e divertida passseata. Não se observa nem mesmo o tradicional retardamento desse tema durante seu aparecimento final, pois Gould saber transformar o enorme tumulto dos instrumentos de corda em um flutuar aéreo.. No ousadamente lento ‘Idílio de Siegfried’ o tema do acalanto em escala descendente é introduzido de maneira surpreendentemente não sentimental; a elaboração em tonalidade terna da peça é posta de lado por um momento sucessivo.

As primeiras tentativas de Gould de reger uma orquestra o desencorajaram de prosseguir nessa atividade porque devia executar movimentos agitando os braços, o que lhe dava tensões musculares que comprometiam seu controle magistral do teclado. Todavia, graças ao seu domínio na arte da composição, tinha a mente de um regente, e no fim se repropôs a tentar ainda compilando listas de repertórios que compreendiam concertos para piano onde podia acompanhar-se a si próprio, através de uma gravação em mais de uma pista. Gould iniciou sua nova carreira de regente em julho de 1982 quando, com os membros da Sinfônica de Toronto, gravou a versão de câmera original do Idílio de Siegfried. Sua executação de estréia, posta em circulação pela primeira vez neste disco, revelou-se um adeus porque Gould, hipertenso crônico, foi vítima de um golpe de apoplexia no dia 4 de outubro seguinte, nove dias depois de seu cinquentário. “ Benjamin Folkman.

Pois bem, então deixo-os com este cd curioso porém de uma beleza ímpar, graças ao talento de Glenn Gould, com certeza um dos maiores músicos do século XX, e que não temia ousar.

Richard Wagner – Glenn Gould Conducts Wagner´s Siegfried Idyll

01 Siegfried Idyll, for small orchestra in E major, WWV 103
02 Die Meistersinger von Nürnberg, opera, WWV 96- Vorspiel Zum I. Aufzug
03 Die Götterdämmerung (Twilight of the Gods), opera, WWV 86d- Tagesgrauen Und Siegfrieds Rheinfahrt
04 Siegfried Idyll, for small orchestra in E major, WWV 103

Membros da Sinfônica de Toronto
Glenn Gould – Piano e Regência

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Glenn Gould: exorcizando  Wagner do corpo

Glenn Gould: exorcizando Wagner do corpo

FDP Bach
Link revalidado por PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Maria Callas – Gravações em Estúdio Completas – CDs 01 a 11 de 70: Gaetano Donizetti (1797-1848), Vincenzo Bellini (1801-1835), Richard Wagner (1813-1883), Amilcare Ponchielli (1834-1886), Giacomo Puccini (1858-1924) e Pietro Mascagni (1863-1945) (NOVOS LINKS)

IM-PER-DÍ-VEL MESMO !!!

Agora em hospedeiro próprio! Viva o PQPQShare!

Essa semana resolvemos jogar pesado aqui no PQPBach!

Depois da postagem do Avicenna (logo abaixo desta), da formação do Acervo PQPBach de Música Colonial e Imperial Brasileira, coisa de embasbacar qualquer um, trago essa humilde coleçãozinha da Maria Callas… Hehehe!

Sendo assim, solenemente vos anuncio:

Regozijai, ó, callistas! Hoje, finalmente, após tantas promessas e protelações, este mortal que vos fala consegue inciar com base e categoria a série de SETENTA (isso mesmo, nada menos que setenta) álbuns com todas as gravações realizadas por Maria Callas em estúdio. Serão dez CDs por postagem a partir de hoje e pelas próximas seis terças-feiras (hoje temos até o número 11 para não quebrar a Tosca de Puccini).

Ah, Maria Callas, a grande diva, a divina, etc… Já lhes disse que ela não é nem de longe a soprano que mais gosto? Explico: Callas era uma soprano spinta, ou seja, uma soprano “empurrada”, na tradução literal, ou forçada, no nosso português. Tinha uma tessitura muito extensa que a fazia interpretar personagens que exigiam desde mezzo-soprano (Carmen, por exemplo) até o soprano ligeiro (como em Lakmé) e, com isso, muitas vezes lhe faltava peso para fazer as personagens mais graves e, especialmente, leveza em papéis mais agudos.

Seu timbre também não é dos mais belos e puros… Mas o que então tanto encanta em Maria Callas? O que tem que tanto cativa?

Creio que ela foi, acima de tudo uma intérprete fenomenal! Conseguia dar o exato ponto, o peso, a sustentação perfeita da nota, a respiração mais apropriada em suas interpretações, e que interpretações! Sua desenvoltura e performance em palco forçaram outros cantores líricos a melhorarem suas apresentações a representarem melhor as músicas que cantavam. Grande mulher, que por esses e outros motivos acabou por arrastar multidões a suas récitas, dos príncipes aos plebeus. conseguiu fazer de uma cantora de ópera uma popstar!

Bah! Nem quero falar mais! Callas dispensa muitos comentários (mas nem por isso deixem de comentar essa postagem), e farei mais colocações nas próximas postagens. Por agora, curta esse material, que já dá mais que um CD por dia até a semana que vem.

Ouça! Deleite-se! Atinja o êxtase!

Maria Callas (1923-1977)
Complete Studio Recordings

CD 01
Primeiro Recital (1 CD)

Richard Wagner (1813-1883)
01. Tristão e Isolda – Liebestod: Dolce e Calmo (3º ato) – Wagner, Richard
Vincenzo Bellini (1801-1835)
02. Norma – Casta Diva
03. Norma – Ah! Bello a Me Ritorna
04. I puritani – O, Rendetemi La Speme
05. I puritani – Qui La Voce Sua Soave
06. I puritani – Vien, Diletto, e In Ciel La Luna

Orchestra Sinfonica Nazionale della RAI
Arturo Basile, regente
Novembro de 1949, Turim

CDs 02-03-04
Amilcare Ponchielli (1834-1886)
La Gioconda

CD 02:
01. Preludio
02. Feste e Pane! (1º ato)
03. e Cantan Su Lo Tombe!
04. Figlia, Che Reggi Il Tremulo Pie
05. L’Ora Non Giunse Ancor Del Vespro Santo
06. Gloria a Chi Vince
07. Questi e L’Uom Ch’io Cerco
08. Suo Covo e Un Tugurio
09. Ribellion!
10. Voce Di Donna O d’Angelo
11. Enzo Grimaldo, Principe Di Santafior, Che Pensi?
12. O Grido Di Quest’ Anima
13. Maledici? Sta Ben…L’Amor T’Accieca
14. O Monumento!
15. Carneval! Baccanal!
16. Angele Dei

CD 03:
01. Ho! He! Ho! He! Fissa Il Timone! (2º ato)
02. Pescator, Affonda L’Esca
03. Sia Gloria Ai Canti Dei Naviganti!
04. Cielo e Mar!
05. Ma Chie Vien?
06. Deh! Non Turbare
07. e Il Tuo Nocchiere Or La Fuga T’Appresta
08. Stella Del Marinar!
09. e Un Anatema!
10. L’Amo Come Il Fulgor Del Creato!
11. Il Mio Braccio T’Afferra!
12. Laura! Laura, Ove Sei?
13. Tu Sei Traditio! …Noto M’e Il Rombo

CD 04:
01. Si! Morir Ella De’ ! (3º ato)
02. Ombre Di Mia Prosapia
03. Qui Chiamata M’Avete? …Bella Cos?, Madonna
04. Morir! e Troppo Orribile!
05. e Gia Che Ai Nuovi Imeni
06. O Madre Mia, Nell’ Isola Fatale
07. Benvenuti Messeri! Andrea Sagredo!
08. Grazie VI Rendo Per Le Vostre Laudi
09. Prodigio! Incanto!
10. Vieni! Lasciami!
11. d’un Vampiro Fatal
12. Preludio (4º ato)
13. Nessun V’ha Visto?
14. Suicidio!
15. Ecco, Il Velen Di Laura
16. Enzo, Sei Tu
17. O Furibonda Jena
18. Ten Va Serenata
19. La Barca S’Avvicina
20. a Te Questo Rosario
21. Ora Posso Morir. Tutto e Compiuto
22. Si, Il Patto Mantengo

Maria Callas, soprano
Fedora Barbieri, mezzo-soprano
Gianni Poggi, tenor
Paolo Silveri, barítono
Orchestra Sinfonica  e Coro Nazionali della RAI
Antonino Votto, regente
Setembro de 1952, Turim

CDs 05-06
Gaetano Donizetti (1797-1848)
Lucia di Lammermoor (2 CDs)

CD 05:
01. Preludio
02. Percorrete Le Spiagge Vicine (1º ato)
03. Tu Sei Turbato! e N’ho Ben Donde
04. Cruda, Funesta Smania
05. Il Tuo Dubbio e Omai Certezza
06. La Pietade In Suo Favore
07. Maestoso
08. Ancor Non Giunse?
09. Regnava Nel Silenzio
10. Quando Rapito In Estasi
11. Egli S’Avanza
12. Sulla Tomba Che Rinserra
13. Qui Di Sposa Eterna Fede
14. Ah, Talor Del Tuo Pensiero
15. Verranno a Te Sull’ Aure

CD 06:
01. Moderato-Lucia Fra Poco a Te Verra (2º ato)
02. Appressati, Lucia
03. Il Pallor Funesto, Orrendo…A Ragion Mi Fe’ Spietato
04. Nobil Sposo…Cessa, Cessa!
05. Soffriva Nel Pianto
06. Che Fia? Suonar Di Giubilo
07. Se Tradirmi Tu Potrai
08. Per Te d’Immenso Giubilo…Per Poco Fra Le Tenebre
09. Dov’e Lucia? …Qui Giungere Or La Vedrem
10. Ecco Il Tuo Sposo
11. Chi Mi Frena In Tal Momento
12. T’Allontana, Sciagurato…Rispettate In Me Di Dio
13. Sconsigliato! In Queste Porte Chi Ti Guida?
14. Esci, Fuggi, Il Furor Che M’Accende
15. d’Immenso Giubilo (3º ato)
16. Ah! Deh, Cessate Quel Contento! Dalle Stanze Ove Lucia
17. Oh! Qual Funesto Avvenimento!
18. Oh Giusto Cielo! Il Dolce Suono
19. Ohime! Sorge Il Tremendo
20. Ardon Gli Incensi_ Splendon Le Sacre Faci
21. Spargi d’Amaro Pianto
22. Maestoso-Tombe Degli Avi Miei
23. Fra Poco a Me Ricovero
24. Oh, Meschina! Oh, Fato Orrendo!
25. Dove Corri, Sventurato?
26. Tu Che a Dio Spiegasti L’Ali
27. Che Facesti?

Maria Callas, soprano
Giuseppe di Stefano, tenor
Tito Gobbi, barítono
Coro e Orquestra del Maggio Musicale Fiorentino
Tullio Serafin, regente
Fevereiro de 1953, Florença

CDs 07-08
Vincenzo Bellini (1801-1835)
I puritani (2 CDs)

CD 07:
01. Sinfonia
02. All’ Erta! All’ Erta! (1º ato)
03. O Di Cromvel Guerrieri
04. a Festa!
05. Or Dove Fuggo Io Mai?
06. Ah! Per Sempre Io Ti Perdei
07. T’Appellan Le Schiere…Bel Sogno Beato Di Pace e Contento
08. O Amato Zio, O Mio Secondo Padre!
09. Sai Com’ Ardein Petto Mio
10. Odi…Qual Suon Si Desta?
11. Ad Arturo Onore
12. a Te, O Cara, Amor Talora
13. Il Rito Augusto Si Compia Senza Me
14. Com’io, VI Unisca
15. Son Vergin Vezzosa
16. Sulla Virginea Testa
17. Ferma. Invan Rapir Pretendi
18. e Gia Al Ponte-Passa Il Forte
19. Ah Vieni Al Tempio-Fedele Arturo
20. Ma Tu Gia Mi Fuggi?

CD 08:
01. Ah…Dolor! Ah, Terror! (2º ato)
02. Qual Novella?
03. Cinta Di Fiori e Col Bel Crin Disciolto
04. e Di Morte Lo Stral Non Sara Lento
05. O Rendetemi La Speme…Qui La Voce Sua Soave Mi Chiamava
06. Vien, Diletto, e In Ciel La Luna!
07. Il Rival Salvar Tu D?i
08. Se Tra Il Buio Un Fantasma Vedrai
09. Riccardo! Riccardo!
10. Suoni La Tromba
11. Son Salvo, Alfin Son Salvo (3º ato)
12. a Una Fonte Afflitto e Solo
13. Qual Suon! Alcun S’Appressa
14. Son Gia Lontani
15. Fini…Me Lassa!
16. Ch’ei Provo Lontan Da Me?
17. Vieni Fra Queste Braccia
18. Alto La! Fedel Drapello
19. Cavalier, Ti Colse Il Dio
20. Credeasi, Misera!
21. Suon d’Araldi?

Maria Callas, soprano
Giuseppe di Stefano, tenor
Nicola Rossi-Lemeni, baixo
Rolando Panerai, barítono
Coro e Orchestra della Scala di Milano
Tullio Serafin, regente
Março de 1953, Milão

CD 09
Pietro Mascagni (1863-1945)
Cavalleria rusticana (1 CD)

01. Preludio
02. O Lola Ch’ Haidi Lattila Cammisa
03. Preludio
04. Gli Aranci Olezzano
05. Dite, Mamma Lucia
06. Il Cavallo Scalpita
07. Beato Voi, Compar Alfio
08. Regina Coeli, Laetare: Alleluja!
09. Inneggiamo, Il Signor Non e Morto
10. Voi Lo Sapete, O Mamma
11. Tu Qui, Santuzza?
12. Fior Di Giaggiolo
13. Ah! Lo Vedi, Che Hai Tu Detto?
14. No, No, Turiddu, Rimani, Rimani Ancora
15. Oh! Il Signore VI Manda, Compar Alfio!
16. Intermezzo
17. a Casa, a Casa, Amici
18. Viva Il Vino Spumeggiante
19. a Voi Tutti, Salute!
20. Mamma, Quel Vino e Generoso

Maria Callas, soprano
Giuseppe di Stefano, tenor
Coro e Orchestra della Scala di Milano
Tullio Serafin, regente
Agosto de 1953, Milão

CDs 10-11
Giacomo Puccini (1858-1924)
Tosca (2 CDs)

CD10:
01. Ah! Finalmente! (1º ato)
02. e Sempre Lava!
03. Sante Ampolle! Il Suo Ritratto!
04. Dammi I Colori…Recondita Armonia
05. Gente La Dentro
06. Mario! Mario! Mario! …Son Qui
07. Ora Stammi a Sentir
08. Or Lasciami Al Lavoro
09. Ah, Quegli Occhi…Quale Occhio Al Mondo
10. Mia Gelosa!
11. e Buona La Mia Tosca
12. Sommo Giubilo, Eccellenza!
13. Un Tal Baccano In Chiesa!
14. Tosca? Che Non Mi Veda
15. Ed Io Venivo a Lui Tutta Degliosa
16. Tre Sbirri, Una Carrozza

CD11:
01. Tosca e Un Buon Falco! (2º ato)
02. Ha Piu Forte Sapore
03. O Galantuomo, Come Ando La Caccia?
04. Meno Male!
05. Ov’e Angelotti?
06. Ed Or Fra Noi Parliam Da Buoni Amici
07. Sciarrone, Che Dice Il Cavalier?
08. Orsu, Tosca, Parlate
09. Floria! Amore
10. Salvatelo! Lo? Voi!
11. Se La Giurata Fede Debbo Tradir-Gia Mi Struggea L’Amor
12. Come Tu Mi Odi!
13. Vissi d’Arte
14. Vedi, Le Man Giunte Io Stendo a Te!
15. Io Tenni La Promessa
16. Tosca, Finalmente Mia!
17. Or Gli Perdono!
18. Andante Sostenuto-Lo De’ Sospiri (3º ato)
19. Lento
20. Largo-Mario Cavaradossi? a Voi
21. e Lucevan Le Stelle
22. Moderato Con Moto-Ah! Franchigia a Floria Tosca
23. O Dolci Mani Mansuete e Pure
24. Senti, L’Ora e Vicina
25. Amaro Sol Per Te M’Era Il Morire
26. e Non Giungono
27. Com’e Lunga L’Attesa!
28. Presto! Su, Mario!

Maria Callas, soprano
Giuseppe di Stefano, tenor
Tito Gobbi, barítono
Coro e Orchestra della Scala di Milano
Victor de Sabata, regente
Agosto de 1953, Milão

Só para os gulosos! BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE  – PQPShare – 698Mb

POR FAVOR… TEÇA ALGUM COMENTÁRIO. DEU UM TRABALHÃO…

Bisnaga

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Richard Wagner (1813-1883): O Anel dos Nibelungos – O Ouro do Reno – Karajan

Das Rheingold 01Quando me proponho a um projeto deste porte, ou seja, postar algumas óperas de Wagner, fico sempre temeroso de não conseguir conclui-lo, devido a diversos fatores, muitos dos quais os senhores estão “carecas” de saber, como falta de tempo, problemas de ordem técnica devido à instabilidade de minha conexão de internet, entre outros fatores, e a preguiça está entre eles, com certeza. Por isso invejo o mano PQP Bach quando ele prepara suas postagens em meros cinco minutos. Bem, talvez devido ao fato de que sua profissão é escrever, e a facilidade para botar as palavras “no papel” são maiores. Demoro mais tempo para postar, confesso e assino embaixo. Aqueles motivos são apenas desculpas, pois muitas vezes a preguiça se sobrepõe. No momento em que estou escrevendo este texto, por exemplo, estou sem sinal de internet, e usando o modem 3G para subir estes arquivos. Se fosse outro dia, já teria desistido de tudo e saído para resolver questões pendentes na cidade, já que estou de férias.
Bem, meus planos iniciais para esta homenagem aos 200 anos de nascimento de Wagner foram repensados, e ainda estão sendo repensados, como comentei na postagem do “Holandês Voador” não fiz nenhum planejamento detalhado, nem farei. Quando puder, estarei botando no ar as óperas que tenho, e não são muitas, devo dizer, comparada com as coleções que wagnerianos “profissionais” tem.
E trago novamente a versão de Karajan, gravada entre 1966-1970, se não me engano. Já a tinha postado há alguns anos atrás, e mesmo com diversas solicitações para ativar os links, não haviam condições para subir estes 14 cds. Ainda não há, mas farei o meu melhor.
Por motivos que desconheço, Karajan não se utilizou dos mesmos cantores no decorrer da gravação. George Solti, que um pouco antes concluíra a gravação do ciclo teve à sua disposição cantores wagnerianos consagrados, como Birgitt Nielsson e Wolfgang Windgassen. Mas o time que Karajan montou também não é fraco. Aqui no “Ouro do Reno”, temos o magistral Dietrich Fischer-Dieskau no papel de Wotan. Os outros nomes. Encontrei neste site uma interessante análise do elenco. E claro, na Wikipedia, os senhores poderão encontrar as mais diversas informações sobre o ciclo, principais gravações, etc.

CD 1

01 Vorspiel
02 “Weia! Waga! Woge du Welle!”
03 He! He! Ihr Nicker! (Alberich, Woglinde, Flosshilde, Wellgunde)
04 “Garstig glatter glitschriger Glimmer!”
05 “Lugt, Schwestern! Die Weckerin lacht in den Grund”
06 Nur wer der Minne Macht entsagt
07 “Der Welt Erbe Gewänn’ ich zu eigen durch dich”
08 Haltet den Räuber! (Flosshilde, Wellgunde, Woglinde)
09 Einleitung 2. Szene
10 “Wotan! Gemahl! Erwache!”
11 So schirme sie jetzt (Fricka, Freia, Wotan)
12 “Sanft schloß Schlaf dein Aug’”
13 Was sagst du Ha, sinnst du Verrat (Fasolt, Fafner, Wotan)
14 Du da, folge uns!
15 “Endlich, Loge!”
16 “Immer ist Undank Loges Lohn!”
17 Ein Runenzauber zwingt das Gold zum Reif
18 “Hör’, Wotan, der Harrenden Wort!”
19 Schwester! Brüder! Rettet! Helft!
20 Wotan, Gemahl, unsel’ger Mann!
21 Verwandlungsmusik
22 “Hehe! hehe! hieher! hieher! Tückischer Zwerg!”
23 Nibelheim hier (Loge, Mime, Mime, Wotan)

CD 2

01. Zittre und zage, gezähmtes Heer
02. Die in linder Lüfte Wehn da oben ihr lebt
03. Ohe! Ohe! Schreckliche Schlange… (Loge, Wotan, Alberich)
04. Dort die Kröte! Greife sie rasch! (Loge, Alberich)
05. “Da, Vetter, sitze du fest!”
06. “Wohlan, die Nibelungen rief ich mir nah”
07. “Gezahlt hab’ ich”
08. Ist er gelöst (Loge, Wotan, Alberich)
09. “Lauschtest du seinem Liebesgruß”
10. Lieblichste Schwester, süßeste Lust! (Fricka, Fasolt, Wotan)
11. Gepflanzt sind die Pfähle nach Pfandes Maß
12. “Weiche, Wotan, weiche!”
13. Soll ich sorgen und fürchten
14. Halt, du Gieriger! Gönne mir auch was! (Fasolt, Fafner, Loge)
15. Nun blinzle nach Freias Blick
16. He da! He da! He do! Zu mir, du Gedüft! (Donner)
17. “Zur Burg führt die Brücke”
18. Abendlich strahlt der Sonne Auge (Wotan)
19. So grüß’ ich die Burg (Wotan, Fricka, Loge)
20. “Rheingold! Rheingold! Reines Gold!”

Wotan Dietrich Fischer-Dieskau
Donner Robert Kerns
Froh Donald Grobe
Loge Gerhard Stolze
Alberich Zoltán Kelemen
Mime Erwin Wohlfahrt
Fasolt Martti Talvela
Fafner Karl Ridderbusch
Fricka Josephine Veasey
Freia Simone Mangelsdorff
Erda Oralia Dominguez
Woglinde Helen Donath
Wellgunde Edda Moser
Floßhilde Anna Reynolds

Berliner Philharmoniker
Chor der Deutschen Oper Berlin
Herbert von Karajan – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDP Bach

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Richard Wagner (1813- 1883) – Der Fliegende Holländer – Sotin, Studer, Domingo, Seiffert, Weikl, Sinopoli

1Para comemorar os 200 anos de nascimento de Richard Wagner, que se comemoram no próximo dia 22 de maio, estou iniciando uma série de postagens de algumas óperas suas. Ainda não montei um cronograma, nem sei se estas postagens obedecerão um cronograma, estou apenas seguindo uma indicação de PQPBach, que me alertou sobre a data. Mesmo não sendo o alemão uma unanimidade aqui mesmo dentro do blog, não poderíamos deixar a data passar em brancas nuvens. Portanto, inicio oficialmente as comemorações da data.
E começo trazendo uma obra emblemática, em diversos sentidos. Antes mesmo de conhecer a música de Wagner, ainda criança, me chegou em mãos “O Holandês Voador”, um gibi que trazia a história em quadrinhos. Fiquei fascinado pela temática, e logo aquela história se tornou uma de minhas favoritas. Alguns anos depois comprei um álbum duplo, da DECCA, com a regência de George Solti, regendo a Orquestra e o Coro da Sinfônica de Chicago. O elenco trazia Norman Bailey, no papel do Holandês e Janis Martin, no papel de Senta, além de René Kollo, um tenor especialista no repertório wagneriano. Fiquei fascinado logo de cara, não apenas pela temática, mas também pela incrível força dramática da música. Na época, as gravadoras ainda se preocupavam com a qualidade das edições, então o LP duplo trazia um belo libreto interno, não apenas contendo o libreto em si da obra, mas também um perfil histórico-biográfico da obra, no contexto da vida de Richard Wagner.
Bem, a gravação que ora vos trago não é aquela do Solti, mas outra, da DG, gravada pelo Giuseppe Sinopoli, um excelente regente italiano, especializadíssimo em reger óperas, principalmente as alemãs, e que morreu precocemente, aos 55 anos de idade, de um ataque cardíaco,enquanto regia uma montagem da Aída, de Verdi.

Cd 1
01 – Overtüre
02 – Act One – No.1 – Introduction – Hojohe! Halloho!
03 – Mit Gewitter und Sturm aus fernem Meer
04 – No.2 – Die Frist ist um
05 – Wie oft in Meeres tiefsten Schlund
06 – No.3 He! Holla! Steuermann!
07 – Durch Sturm und bösen Wind verschlagen
08 – Wie hört’ ich recht Meine Tochter sein Weib
09 – Südwind! Südwind!
10 – Mit Gewitter und Sturm – Orchesterzwischenspiel
11 – No.4 – Summ und brumm, du gutes Rädchen
12 – Du böses Kind

Cd 2

01- Johohoe! Traft ihr das Schiff im Meere an
02 – Senta! Senta! Willst du mich verderben
03 – No.5 – Bleib, Senta! Bleib nur einen Augenblick!
04 – Auf hohem Felsen lag ich träumend
05 – No.6 – Mein Kind, du siehst mich auf der Schwelle
07 – Wie aus der Ferne längst vergang’ner Zeiten
08 – Wirst du des Vaters Wahl nicht schelten
09 – Verzeiht! Mein Volk hält draußen sich nicht mehr
10 – Orchesterzwischenspiel
11 – Act Three – No.7 – Steuermann, laß die Wacht!
12 – Johohohe! Johohohoe! Hoe! Hoe!
13 – No.8 – Was mußt’ ich hören
14 – Willst jenes Tags du nicht dich mehr entsinnen
15 – Verloren! Ach, verloren!
16 – Erfahre das Geschick, vor dem ich dich bewahr’!

Bernd Weickl, Cheryl Studer, Placido Domingo, Hans Sotin, Peter Seifert
Chor und Orchester der Deutschen Oper Berlin
Giuseppe Sinopoli

CD 1 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 2 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDPBach

wagner jovem

Wagner faz 200 anos !!

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Wagner / Mozart / Schubert / Beethoven: Sehnsucht, com Jonas Kaufmann

Este é um daqueles CDs de árias de óperas que os grandes cantores costumam gravar. Mas é um pouco mais sério que o habitual. Jonas Kaufmann é um monstro e conseguiu atrair Abbado e uma extraordinária Mahler Chamber Orchestra para seu projeto. O número de prêmios, editor choices e boas — nada disso, sempre excelentes — avaliações do disco é realmente excepcional.  Na Amazon, o CD recebeu doze notas máximas e nada fora disso. O cara é tão bom que até consegui engolir 5 drágeas de Wagner sem ficar nauseado! Imaginem só!

Wagner / Mozart / Schubert / Beethoven: Sehnsucht,
com Jonas Kaufmann

Richard Wagner (1813 – 1883)
1) Lohengrin/Act 3 – “In Fernem Land, Unnahbar Euren Schritten”
2) Lohengrin/Act 3 – “Mein Lieber Schwan!”

Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791)
3) Die Zauberflöte, K.620/Act 1 – “Dies Bildnis Ist Bezaubernd Schön”
4) Die Zauberflöte, K.620/Act 1 – “Die Weisheitslehre Dieser Knaben”

Franz Schubert (1797 – 1828)
5) Fierrabras, D796/Act 1 – Recitativ Und Arie: “Was Quälst Du Mich…”
6) Alfonso Und Estrella, D.732 – Schon, Wenn Es Beginnt Zu Tragen…Und Mein Herz Will Ihm Nach

Ludwig van Beethoven (1770 – 1827)
7) Fidelio Op.72/Act 2 – “Gott! Welch Dunkel Hier!” In Des Lebens Frühlingstagen”

Richard Wagner (1813 – 1883)
8. Die Walküre/Erster Aufzug – Winterstürme Wichen Dem Wonnemond
9) Parsifal/Act 2 – “Amfortas! Die Wunde!”
10) Parsifal/Act 3 – “Nur Eine Waffe Taugt”

Jonas Kaufmann
Mahler Chamber Orchestra
Claudio Abbado

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

PQP

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Richard Wagner (1813-1883) – O Navio Fantasma (Der fliegende Holländer) – LINK REVALIDADO

Postado inicialmente em 21 de agosto de 2011.

Der fliegende Holländer (em port.: O holandês voador) é uma ópera em três atos de Richard Wagner. Estreou no ano de 1843 no Königliches Hof-Theater, Dresden. Ambientada em uma aldeia pesqueira da Noruega, conta a história de um navegador holandês que é punido por Deus por blasfemar contra seu nome, perdendo-se de sua pátria para sempre, a menos que surja em sua vida uma mulher que lhe seja plenamente fiel. Ao atracar no porto, o holandês ancora sua nau ao lado da de Daland, outro navegador. O holandês oferece a enorme riqueza em ouro e jóias que carrega em sua nau a Daland em troca da mão de Senta, sua filha. Senta já conhecera previamente a história do “Holandês Voador”, mas é cortejada pelo caçador Erik, que se enciúma todas as vezes em que ela faz qualquer referência ao “Holandês Voador”, seja observando insistentemente seu retrato, seja cantando a “Balada do Holandês” – esta, uma das árias mais célebres da ópera. Daland apresenta o holandês a Senta, e ela lhe jura eterna fidelidade, mas Erik ainda tenta persuadir Senta a voltar para ele. A certa altura, o holandês encontra Erik abraçando Senta e julga que esta rompeu com seu voto de fidelidade eterna, e parte novamente para o mar. À medida que a nau do holandês se afasta, Senta olha cada vez mais longe e se atira ao mar, na direção onde está a nau do holandês, tentando unir sua alma à dele.

DAQUI

Richard Wagner (1813-1883) – O Navio Fantasma (Der fliegende Holländer)

DISCO 01

01. Overture Orchester der Bayreuther Festspiele
02. Act 1 – 1. Introduktion. “Hojoje! Hojoje! Hallojo! Ho!”
03. Act 1 – “Kein Zweifel! Sieben Meilen fort!” Karl Ridderbusch
05. Act 1 – “Die Frist ist um” – “Ew’ge Vernichtung, nimm uns auf”
06. Act 1 – 3. Szene, Duett und Chor. “He! Holla! Steuermann”
07. Act 1 – “Durch Sturm und bösen Wind verschlagen”
08. Act 1 – “Südwind! Südwind!” Harald Ek
09. Act 1 – “Mit Gewitter und Sturm aus fernem Meer”
10. Act 2 – Introduction Orchester der Bayreuther Festspiele
11. Act 2 – 4. Szene, Lied und Ballade. “Summ und brumm, du gutes Rädchen”
12. Act 2 – “Johohoe! Traft ihr das Schiff im Meere an”
13. Act 2 – Hilf, Himmel! Senta! Senta! (Mädchen, Mary, Erik, Senta)
14. Act 2 – 5. Duett. “Bleib, Senta! Bleib nur einen Augenblick!”
15. Act 2 – “Mein Herz, voll Treue bis zum Sterben”

DISCO 02

01 – Fuhlst du den Schmerz (Senta, Erik)
02 – ‘Auf hohem Felsen lag ich traumend’ (Erik, Senta)
03 – 6. Finale. ‘Mein Kind, du siehst mich auf der Schwelle’ (Daland, Senta)
04 – ‘Mogst du, mein Kind, den fremden Mann willkommen heissen’ (Daland)
05 – ‘Wie aus der Ferne langst vergang’ner Zeiten’ (Hollander, Senta)
06 – ‘Wirst du des Vaters Wahl nicht schelten_’ (Hollander, Senta)
07 – ‘Verzeiht! Mein Volk halt drassen sich nicht mehr’ (Daland, Senta, Hollander)
08 – Dritter Aufzug_ Orchesterzwischenspiel
09 – 7. Szene und Chor. ‘Steuermann, lass die Wacht!’ (Chor)
10 – ‘Johohoe! Johohoe! Hoe! Hoe!’ (Chor)
11 – 8. Finale. ‘Was musst’ ich horen_’ (Erik, Senta)
12 – ‘Willst jenes Tags du nicht dich mehr entsinnen’ [Kavatine] (Erik)
13 – Verloren! Ach, verloren! (Hollander, Erik, Senta)
14 – Erfahre das Geschick, vor dem ich dich bewahr’! (Hollander, Erik, Senta, Dala

Orchester der Bayreuther Festspiele
Karl Bohm, regente
Gwyneth Jones,
Harald Ek,
Hermin Esser,
Karl Ridderbusch,
Sieglinde Wagner, et al.

BAIXAR AQUI CD01
BAIXAR AQUI CD02

Carlinus

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Richard Wagner (1813-1883) – Tristão e Isolda (Tristan und Isolde), ópera em três atos, WWV 90

Tristan und Isolde (“Tristão e Isolda”, em alemão) é uma ópera em três atos com música e libreto do compositor alemão Richard Wagner, baseada em uma lenda medieval narrada por Gottfried Von Strassburg. A estreia da obra foi em 10 de Junho de 1865, em Munique, no Teatro da Baviera, sob regência do maestro Hans von Bülow. A partitura de Tristan und Isolde é um marco importantíssimo da música erudita moderna por apontar para a dissolução da tonalidade, cuja consequência será o atonalismo do século XX.

Tristão e Isolda é uma história lendária sobre o trágico amor entre o cavaleiro Tristão, originário da Cornualha, e a princesa irlandesa Isolda (ou Iseu). De origem medieval, a lenda foi contada e recontada em muitas diferentes versões ao longo dos séculos. O mito de Tristão e Isolda tem provável origem em lendas que circulavam entre os povos celtas do norte da Europa, ganhando uma forma mais ou menos definitiva a partir de obras literárias escritas por autores normandos no século XII. No século seguinte a história foi incorporada ao Ciclo Arturiano, com Tristão transformando-se em um cavaleiro da távola redonda da corte do Rei Artur. A história de Tristão e Isolda provavelmente influenciou outra grande história de amor trágico medieval, a que envolve Lancelote e a Rainha Genebra. A partir do século XIX até os dias de hoje o mito voltou a ganhar importância na arte ocidental, influenciando desde a literatura até a ópera, o teatro e o cinema. O mito de Tristão e Isolda foi retratado de diferentes maneiras na Idade Média. Em linhas gerais a história pode ser descrita assim:

Tristão, excelente cavaleiro a serviço de seu tio, o rei Marcos da Cornualha, viaja à Irlanda para trazer a bela princesa Isolda para casar-se com seu tio. Durante a viagem de volta à Grã-Bretanha, os dois acidentalmente bebem uma poção de amor mágica, originalmente destinada a Isolda e Marcos. Devido a isso, Tristão e Isolda apaixonam-se perdidamente, e de maneira irreversível, um pelo outro. De volta à corte, Isolda casa-se com Marcos, mas Isolda e Tristão mantêm um romance que viola as leis temporais e religiosas e escandaliza a todos. Tristão termina banido do reino, casando-se com Isolda das Mãos Brancas, princesa da Bretanha, mas seu amor pela outra Isolda não termina. Depois de muitas aventuras, Tristão é mortalmente ferido por uma lança e manda que busquem Isolda para curá-lo de suas feridas. Enquanto ela vem a caminho, a esposa de Tristão, Isolda das Mãos Brancas, engana-o, fazendo-o acreditar que Isolda não viria para vê-lo. Tristão morre, e Isolda, ao encontrá-lo morto, morre também de tristeza.

Informações DAQUI e DAQUI

Richard Wagner (1813-1883) – Tristão e Isolda (Tristan und Isolde), ópera em três atos, WWV 90

DISCO 01

01. Vorspiel
02. Westwärts schweift der Blick
03. Brangäne, du? Sag – wo sind wir?
04. O weh! Ach! Ach, des Übels, das ich geahnt!
05. Frisch weht der Wind der Heimat zu
06. Mir erkoren, mir verloren
07. Hab acht, Tristan! Botschaft von Isolde
08. Darf ich die Antwort sagen?
09. Weh, ach wehe! Dies zu dulden!
10. Wie lachend sie mir Lieder singen
11. Von seinem Lager blickt’ er her
12. O Wunder! Wo hatt’ ich die Augen?
13. Da Friede, Sühn’ und Freundschaft
14. O Süße, Traute! Teure! Holde! Goldne Herrin!
15. Ungeminnt den hehrsten Mann
16. Kennst du der Mutter Künste nicht?
17. Auf! Auf! Ihr Frauen!
18. Herrn Tristan bringe meinen Gruß
19. Nun leb wohl, Brangäne!
20. Langsam Listen
21. Begehrt, Herrin, was ihr wünscht
22. Da, du so sittsam, mein Herr Tristan
23. Nun will ich des Eides walten

DISCO 02

01. War Morold dir so wert
02. Ho! He! Ha! He! Am Obermast die Segel ein!
03. Du hörst den Ruf?
04. Auf das Tau! Anker los!
05. Tristan!… Isolde!
06. Was träumte mir von Tristans Ehre?
07. Schnell, den Königsschmuck!
08. Vorspiel
09. Hörst du sie noch?
10. Der deiner harrt – o hör mein Warnen!
11. O laß die warnende Zünde
12. Und mußte der Minne tückischer Trank
13. Isolde! Geliebte!… Tristan! Geliebter!
14. Das Licht! Das Licht!
15. Der Tag! Der Tag
16. In deiner Hand den süßen Tod
17. O nun waren wir Nacht-Gweihter!
18. O sink hernieder, Nacht der Liebe
19. Einsam wachend in der Nacht
20. Lausch, Geliebter!
21. Unsre Liebe? Tristans Liebe?

DISCO 03

01. Doch unsre Liebe
02. So stürben wir, um ungetrennt
03. Habet acht! Habet acht!
04. O ew’ge Nacht, süße Nacht!
05. Rette dich, Tristan!
06. Tatest du’s wirklich?
07. Wozu die Dienste ohne Zahl
08. Dies wunderhehre Weib
09. Nun, da durch solchen Besitz mein Herz
10. O König, das kann ich dir nicht sagen
11. Wohin nun Tristan scheidet, willst du, Isold’, ihm folgen?
12. Als für ein fremdes Land
13. Verräter! Ha! Zur Rache, König!
14. Hirtenreigen auf einer Schalmei
15. Kurwenal! He! Sag, Kurwenal!
16. Öd’ und leer das Meer!… / Hirtenreigen auf einer Schalmei / Die alte Weise
17. Wo du bist? In Frieden, sicher und frei!
18. Dünkt dich das? Ich weiß es anders
19. Scene 1. Isolde noch im Reich der Sonne!

DISCO 04

01. Noch losch das Licht nicht aus
02. Mein Kurwenal, du trauter Freund!
03. Hirtenreigen auf einer Schalmei / Noch ist kein Schiff zu sehn!
04. Nein! Ach nein! So heißt sie nicht!
05. Der Trank! Der Trank! Der furchtbare Trank!
06. Mein Herren! Tristan! Schrecklicher Zauber!
07. Das Schiff? Siehst du’s noch nicht?
08. Wie sie selig, hehr und milde
09. Hirtenreigen auf einer Schalmei / O Wonne! Freude! Ha! Das Schiff!
10. O diese Sonne! Ha, dieser Tag!
11. Ich bin’s, ich bin’s, süßester Freund!
12. Die Wunde? Wo? Laß sie mich heilen!
13. Kurwenal! Hör! Ein zweites Schiff
14. Sie wacht! Sie lebt! Isolde!
15. Mild und leise wir er lächelt
16. Heller schallend, mich umwallend

* As informações sobre os músicos intérpretes estão contidas no último disco.

Philharmonia Orchestra
Chorus of the Royal Opera House, Convent Garden
Wilhelm Furtwangler, regente

BAIXAR AQUI CD01

BAIXAR AQUI CD02

BAIXAR AQUI CD03

BAIXAR AQUI CD04

Carlinus

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Coleção Grandes Compositores 17/33: Richard Wagner (1813-1883)

Como vocês devem imaginar, é um pouquinho complicado apresentar uma coletânea das grandiosas obras do gênio alemão, em apenas um álbum duplo, mas ainda assim, vale a pena conferir a seleção incluída nesse volume, desta que, conhecidamente, é uma coleção que sempre conta com grandes intérpretes da música universal.

***
Richard Wagner é uma das figuras mais célebres da história da música e também uma das mais polêmicas. Tanto do ponto de vista pessoal como do ponto de vista da música ou da política, suscitou mais discussões, estudos e interpretações do seu pensamento musical do que qualquer outro compositor. Pode-se dizer que, a partir do momento em que se começou a conhecer sua música, houve polêmicas acesas contra e a favor de sua obra. Depois de anos de sua morte, seus escritos voltaram a provocar opiniões diametralmente opostas. A razão disso foi sempre seu ideário, que tentava unir um pensamento, tipicamente libertário e anarquista a um elitismo tipicamente burguês, para não dizer – já que não o era – aristocrático. Se a estas posições se acrescentar seu rancor aos judeus, teremos um caráter de difícil classificação, que, devido essencialmente a essa postura racista, fez com que ele se convertesse – depois de sua morte – em uma espécie de bandeira estética do nazismo.

Wagner ainda hoje provoca fortes discussões, sem que seus partidários ou difamadores, ambos igualmente fanáticos sejam capazes de revelar qual era sua verdadeira personalidade intelectual, ainda que haja acordo quanto aos seus principais traços de caráter: o egoísmo – e portanto uma grande vaidade – , a soberba – normal, tendo em vista o sucesso e a veneração que despertava em seu público – , a paixão desenfreada – tanto na devoção à música e à literatura quanto na dedicação ao amor – , o amor filial e o respeito à amizade – quando não iam contra seus interesses, sobretudo artísticos. Em suma, era um ser tão complicado que não se pode perdoar-lhe muitos dos seus pecados, por mais que se admire sua genialidade.

No entanto, é tal a magnitude da sua obra que a maioria está disposta a perdoar-lhe muitos dos seus defeitos, induzindo-nos a acreditar que sem muitos desses defeitos, por mais indesejáveis que nos pareçam, talvez Wagner não tivesse alcançado o auge artístico a que chegou e não nos tivesse deixado o tesouro que significa a sua obra. Temos de levar em conta que certos tipos de loucura tornam possíveis composições geniais.

Texto: Eduardo Rincón

Uma ótima audição!

.oOo.

Coleção Grandes Compositores Vol. 17: Richard Wagner

DISCO A

The Flying Dutchman
01 Overture (11:36)

Lohengrin
02 Prelude to Act I (9:47)

Die Meistersinger von Nürnberg
03 Prelude to Act I (10:00)

Parsifal
04 Prelude to Act I (11:53)

Tristan und Isolde
05 Prelude to Act I (11:49)
06 Isolde’s Liebestod (8:15)

Vienna Philharmonic Orchestra, Karl Böhm

DISCO B

Der Ring des Nibelungen (Orchestral excerpts)
01 The Ride of the  Valkyries “Die Walküre” (3:03)
02 Entry of the Gods  into Valhalla “Das Rheinglod” (5:18)
03 Wotan’s Farewell and Magic Fire Music “Die Walküre” (15:03)
04 Forest Murmurs “Siegfried” (8:57)
05 Siegfried’s Funeral March “Götterdämmerung” (8:31)
06 Immolation of the Gods  “Götterdämmerung” (4:32)

Siegfried Idyll
07 (18:25)

Vienna Philharmonic Orchestra, Sir Georg Solti

BAIXE AQUI – DOIS DISCOS / DOWNLOAD HERE – TWO DISCS

Marcelo Stravinsky

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Richard Wagner (1813-1883) – Tannhäuser e o torneio de trovadores de Wartburg (Tannhäuser und der Sängerkrieg aus Wartburg)

Tannhäuser und der Sängerkrieg aus Wartburg (Tannhäuser e o torneio de trovadores de Wartburg, em alemão) é uma ópera em três atos com a música de Richard Wagner, e com o libreto do próprio compositor. Estreou no ano de 1845 na cidade Dresden, na Alemanha. Baseada numa lenda medieval, conta a história de Tannhäuser, um menestrel que se deixa seduzir por uma mulher mundana, de nome Vênus, contrariando assim a defesa do torneio dos trovadores a que ele pertence de que o amor deve ser sublime e elevado. Quando Tannhäuser defende deliberadamente o amor carnal de Vênus, é reprimido pelos trovadores e consolado apenas por Isabel, uma virgem que o ama muito. É-lhe dito que sua única chance de perdão é dirigir-se ao Vaticano e rogar o perdão do Papa.Tannhäuser segue, então, com o torneio até Roma, mas de maneira auto-punitiva: dormindo sobre a neve, enquanto os demais estão no alojamento; caminhando descalço sobre o chão quente, passando fome, e ainda com os olhos vendados, para não ver as belas paisagens da Itália. Ao chegar diante do papa, em vez de obter o perdão, ouve o papa dizer que é mais fácil o cajado que ele segura florescer do que ele obter o perdão dos pecados, tanto no céu quanto na terra. Odiando a igreja, Tannhäuser volta à Alemanha e Isabel sobe aos céus, rogando a Deus que interceda por ele. Os trovadores voltam com a notícia de que o cajado do papa floresceu, simbolizando que um pecador obteve no céu o perdão que não obteve na terra.

DAQUI

Richard Wagner (1813-1883) – Tannhäuser e o torneio de trovadores de Wartburg (Tannhäuser und der Sängerkrieg aus Wartburg)

DISCO 01

01. Overture

Act 1

02. “Naht euch dem Strande” (Venusberg Music)
03. “Geliebter, sag, wo weilt dein Sinn?”
04. “Dir töne Lob! Die Wunder sei’n gepriesen”
05. “Geliebter, komm! Sieh dort die Grotte!”
06. “Stets soll nur dir mein Lied ertönen!”
07. “Zieh hin, Wahnsinniger, zieh hin!”
08. “Frau Holda kam aus dem Berg hervor”
09. “Zu dir wall ich, mein Jesus Christ”
10. “Wer ist der dort in brünstigem Gebete?”
11. “Als du in kühnem Sange uns bestrittest”

DISCO 02

Act 2

01. “Dich, teure Halle, grüß ich wieder”
02. “Dort ist sie; nahe dich ihr ungestört!” – “Der Sänger klugen Weisen lauscht’ ich sonst”
03. “Den Gott der Liebe sollst du preisen”
04. “Dich treff ich hier, in dieser Halle”
05. “Freudig begrüßen wir die edle Halle”
06. “Gar viel und schön”
07. “Blick ich umher in diesem edlen Kreise”
08. “Auch ich darf mich so glücklich nennen” – “Den Bronnen, den uns Wolfram nannte”
09. “O Walther, der du also sangest” – “Heraus zum Kampfe mit uns allen!” – “O Himmel, laß dich jetzt erflehen”
10. “Dir, Göttin der Liebe, soll mein Lied ertönen!”
11. “Was hör ich?”
12. “Der Unglücksel’ge, den gefangen”
13. “Weh! Weh, mir Unglücksel’gem!”
14. “Ein furchtbares Verbrechen ward begangen”
15. “Versammelt sind aus meinen Landen”

DISCO 03

Act 3

01. Introduction
02. “Wohl wußt’ ich hier sie im Gebet zu finden”
03. “Beglückt darf nun dich, o Heimat, ich schauen” – “Dies ist ihr Sang”
04. “Allmächt’ge Jungfrau, hör mein Flehen!”
05. “Wie Todesahnung Dämmrung deckt die Lande”
06. “O du, mein holder Abendstern”
07. “Ich hörte Harfenschlag”
08. “Inbrunst im Herzen”
09. “Nach Rom gelangt’ ich so”
10. “Da sank ich in Vernichtung dumpf darnieder” – “Halt ein! Unsel’ger”
11. “Willkommen, ungetreuer Mann” – “Der Seele Heil, die nun entflohn”
12. “Heil ! Heil! Der Gnade Wunder Heil!”

Orchester der Deutschen Oper Berlin
Chor der Deutschen Oper Berlin
Otto Gerdes, regente
Birgit Nilsson
Horst Laubenthal
Friedrich Lenz
Dietrich Fischer-Dieskau
Klaus Hirte
Hans Sotin
Theo Adam
Walter Hagen-Groll

BAIXAR AQUI CD01
BAIXAR AQUI CD02

BAIXAR AQUI CD03

Carlinus

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!